1. Usuário
Assine o Estadão
assine
quarta-feira 30/04/14

Discurso de Dilma no 1º de Maio muda conforme os tempos

Dilma 2014

50 palavras mais repetidas por Dilma nos seus pronunciamentos do Dia do Trabalho   Em 2012, o discurso da presidente na TV durou pouco mais de 7 minutos. O foco era o desenvolvimento “das pessoas”, equilibrar a economia e diminuir a taxa de juros: ……………………………… Em 2013, pouco antes das manifestações em massa, o discurso presidencial

Ler post
quinta-feira 27/03/14

Pessimismo econômico derruba popularidade de Dilma ao “piso” pós-protestos

Dilma Ibope VALE

A oposição ganhou a primeira batalha das expectativas econômicas de 2014. Uma guinada negativa na percepção sobre a tendência do emprego, inflação, juros e impostos prevaleceu sobre o moderado otimismo que chegou a haver, brevemente, no final de 2013. O aumento do pessimismo sobre o que vai acontecer com a economia este ano explica a

Ler post
domingo 01/12/13

Pesquisa, eco e economia

Se o Ibope já havia sido azedo, o Datafolha foi amargo para Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB). Apagados como estão, abrem espaço para José Serra e Marina Silva permanecerem como sombras de suas respectivas candidaturas. Sem contar a encapada assombração de Joaquim Barbosa, que paira sobre ambos. Não que os números tenham mudado

Ler post
quinta-feira 29/08/13

Janela demográfica brasileira começa a se fechar em 10 anos

Captura de Tela 2013-08-29 às 19.39.28

Os brasileiros de 30 anos de idade são a crista da onda demográfica do país. Nunca houve uma corte tão populosa; não há perspectiva de que haverá outra igual neste século. Hoje, a onda demográfica pode ser surfada com grande vantagem econômica. Em 2060, será um problema previdenciário e de saúde pública. Em 2003, quando

Ler post
quarta-feira 14/08/13

Maioria dos brasileiros acha que país está no rumo errado

Pela primeira vez em seis anos, mais brasileiros acham que o país está no rumo errado (58%) do que no rumo certo (42%). A inversão da opinião pública aconteceu em junho, após a série de manifestações de rua, e se manteve em julho, segundo histórico de pesquisas nacionais do instituto Ipsos. Foi uma reversão abrupta,

Ler post
terça-feira 30/07/13

IDH-M do Norte/Nordeste cresce duas vezes mais rápido do que do Sul/Sudeste e sustenta popularidade de Dilma

Captura de Tela 2013-07-30 às 10.53.49

  José Roberto de Toledo e Amanda Rossi O mapa do crescimento do IDH municipal entre 2000 e 2010 mostra que a população do Nordeste e Norte se desenvolveu mais rapidamente e conseguiu estreitar a enorme distância econômica, educacional e de longevidade que a separa do resto do país. Os moradores de suas cidades somaram

Ler post
sábado 29/06/13

Nunca houve uma queda de popularidade como a de Dilma

Não há precedente na curta história desde a redemocratização brasileira de uma queda tão abrupta da popularidade de um presidente quanto a experimentada por Dilma Rousseff nas últimas três semanas. Considerado apenas o saldo da avaliação do governo (ótimo+bom descontado de ruim+péssimo), a presidente perdeu 2 pontos por dia entre 7 e 28 de junho,

Ler post
sexta-feira 28/06/13

Confiança do consumidor em queda explica desgaste de Dilma

O INEC (Índice Nacional de Expectativa do Consumidor) de junho é o mais baixo do governo Dilma. Ele ajuda a explicar a queda de popularidade da presidente, porque há uma forte correlação estatística entre o saldo de aprovação presidencial e a confiança do consumidor. Pior: projeta piora da avaliação. A queda do INEC significa que

Ler post
segunda-feira 24/06/13

O pós-protesto

Mesmo antes de o gás lacrimôgenio baixar, algumas consequências da onda de manifestações são visíveis. A saber: 1) Dilma Rousseff está pagando o pato. A presidente não era o alvo das manifestações tempestivas, mas virou seu para-raios. Sua popularidade caiu e continua caindo. No IndiPop do Estadão Dados, que faz uma média de pesquisas de

Ler post
segunda-feira 15/04/13

Em busca do tomate perdido

Captura de Tela 2013-04-15 às 03.12.06

Enquanto presidenciáveis da oposição falam para empresários e públicos já catequizados, Dilma Rousseff (PT) acelera a própria sucessão. Transforma inaugurações em comícios, e pronunciamentos formais em discursos de campanha. O descompasso entre a velocidade da presidente e a lentidão dos opositores faz parecer que são eles e não ela a ostentar intenção de voto recorde.

Ler post
segunda-feira 05/12/11

Escravos do sucesso

A quantidade de prefeitos eleitos por um partido está correlacionada ao que acontece com sua bancada de deputados federais dois anos depois. Em 2008, os principais partidos de oposição ao governo federal elegeram menos prefeitos. Não por coincidência, viram suas cadeiras federais minguarem quase na mesma proporção em 2010. No sentido inverso, o ciclo eleitoral

Ler post