1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Malhar na gravidez é saudável, mas depende de recomendação médica

Ana Paula Scinocca

18 junho 2014 | 08:00

O exercício alivia dores, tonifica músculos, porém, nem toda gestante pode fazer a atividade.

Em busca de uma gravidez saudável muitas mulheres procuram fazer exercícios físicos. A malhação durante a gestação, porém, requer, em primeiro lugar, orientação médica e acompanhamento de profissionais qualificados.

A convite do blog, o obstetra Laerte Tadeu Auad e a professora de educação física Fabiana Veloso, especializada em atividade física das mulheres na gravidez e no pós-parto, falam sobre os cuidados que a mulher deve ter na fase da doce espera de uma vida.

 

Toda gestante pode fazer exercício físico?

Laerte Tadeu Auad - Nem toda gestante pode fazer atividade física. No início da gestação, as que apresentarem ameaça de abortamento devem fazer repouso. No transcorrer da mesma,  as que apresentarem ameaça de parto prematuro, descolamento prematuro da placenta, trombose, síndrome anti-fosfolípide, e DHEG (doença hipertensiva específica da gestação) devem seguir a orientação do obstetra que está acompanhando.

Fabiana Veloso – É necessário que toda gestante faça o acompanhamento de pré-natal desde o momento em que descobre a gestação. Daí, então, o obstetra avalia a gestante e irá liberar a paciente para a prática de exercício físico caso não tenha nenhuma ocorrência.

Se a gestação transcorre dentro da normalidade, a partir de que mês a grávida pode iniciar as atividades? E quando parar?

Laerte Tadeu Auad – Se a gestação estiver transcorrendo sem intercorrências, as atividades físicas podem ser iniciadas a partir da décima segunda semana e interrompidas entre a trigésima sexta e trigésima oitava semana, sempre com exercícios específicos para cada período gestacional.

 

Fabiana Veloso – O início vai depender da gestante e do histórico dela, se é sedentária ou não. Mas normalmente os obstetras liberam para a prática da atividade física com 12 semanas e, desde que esteja se sentindo bem, pode se exercitar até no dia do parto.

Quais sãos os benefícios para a gestante que pratica atividade física?

Laerte Tadeu Auad - O benefício é a preservação da tonicidade muscular, que ajudará enormemente no momento do parto, tanto o parto normal quanto o parto cirúrgico, e, se cirúrgico, resultará numa recuperação muito mais rápida.

Fabiana Veloso – O ponto mais importante é que na gestação é necessário o acompanhamento de um profissional qualificado para trabalhar com esse público. E a gestante deve estar com atestado médico autorizando a prática de exercício físico. Durante a gestação, a maioria das mulheres se queixa de dores (lombar , ciático, costas). O exercício minimiza essas dores, sem falar que a gestante fica mais disposta, tem menos edema, melhora o  humo, melhora a autoestima e pode ter um melhor trabalho de parto. A recuperação no pós-parto também costuma ser melhor entre as gestantes praticantes de atividades físicas. Lembrando que tudo isso vai depender de gestante para gestante e de gestação para gestação. Estamos falando de gestantes saudáveis, sem restrições nem patologias. Costumo dizer que gestação é uma caixinha de surpresa .

Existe algum benefício para o feto?

Laerte Tadeu Auad- Geralmente mães que fazem atividade física durante a gestação apresentam menor índice de mal posicionamento fetal. Os benefícios para o feto são indiretos.

Fabiana Veloso – Sim, porém indireto. Não temos muitos estudos nessa área.

Quais são as atividades mais indicadas?

Laerte Tadeu Auad - As atividades mais indicadas são as que oferecerem alongamento para maiores grupos musculares.

Fabiana Veloso – Musculação para fortalecimento das musculaturas mais exigidas como as costas, quadríceps, lombar, assoalho pélvico e abdome. Natação ou hidroginástica também. Só o fato de estar dentro da piscina, com a água na altura do processo xifoide, temos o efeito positivo da pressão hidrostática diminuindo o edema e fazendo uma “drenagem”. Em alguns casos atividades dentro da água são as mais indicadas. Aeróbio de baixa intensidade também pode ser uma opção para ajudar no menor ganho de peso possível, e melhorar a condição respiratória. O alongamento deve ser dosado pois na gestação há liberação de vários hormônios, dentre eles  a relaxina, que causa um amolecimento das articulações. Se houver um excesso de alongamento, podemos causar alguma lesão.

Quais atividades são proibidas?

Laerte Tadeu Auad As atividades de impacto e as que colocarem as gestantes em risco de queda. Devemos lembrar que as gestantes são mais propensas a quedas por causa do desvio do centro gravitacional.

Fabiana Veloso – São proibidos exercícios de impacto, exercícios com risco de queda, artes marciais e aeróbio de alta intensidade.

A gestante que faz atividade física consegue voltar à forma mais facilmente depois do parto?

Laerte Tadeu Auad – Sem dúvida.

Fabiana Veloso – Com certeza. A gestante que pratica exercício físico com orientação de um profissional qualificado tem uma menor distensão abdominal, o que vai ajudar o retorno desse abdome ao seu estado anterior a gestação. A gestante que pratica exercícios tem o assoalho pélvico mais fortalecido, evitando a incontinência urinária. E tem menos dores nas costas que é comum no pós-parto por conta da posição da amamentação. Outro benefício é uma maior disposição e vontade de voltar a se exercitar no pós-parto, fase em que o exercício físico é muito importante.

Qual o ganho de peso considerado ideal para a mulher ao longo das 40 semanas de gestação?

Laerte Tadeu Auad – A média aconselhada é de 12 quilos, mas existe atualmente uma tendência para esse valor passar para 14 quilos.

Fabiana Veloso – Lembrando que o peso que a gestante adquire ao longo dessas 40 semanas, ou menos, não é considerado “engordar” e, sim, ganho de peso gestacional, que está relacionado ao crescimento fetal, peso da mama, da placenta e de líquidos. O peso na gravidez pode ser no mínimo de 9 quilos e, no máximo, entre de 12 e 13 quilos. Isso, no entanto, vai depender de gestante para gestante. Eu já tive aluna que ganhou apenas seis quilos e teve uma gestação super saudável e uma bebê linda. Já pode ter mulher que ganhe seis quilos e tenha um bebê com baixo peso. Há também quem ganhe 20 quilos e um bebê de baixo peso. Tudo vai depender. Mas os obstetras e os nutricionistas são os profissionais mais indicados para orientar e controlar esse ganho de peso.