1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Repórter do Viagem se atira de paraquedas em Roraima

Felipe Mortara

03 setembro 2014 | 12:38

O mais inusitado jeito de ver Boa Vista e o Rio Branco é do alto. E com bastante emoção. Poucos sabem (eu não fazia ideia), mas a capital roraimense fica a 25 quilômetros de um dos melhores centros de paraquedismo do país, a Fazenda Barra do Vento. Com uma ótima aeronave e uma boa área de convivência, com lanchonete e espaço para dobragens e instrução de novatos. Mas o ponto alto é a imensa área de pouso, plana e sem obstáculos por perto.

Dito isto, vamos à adrenalina. Nosso repórter foi até lá e se jogou a mais de 12 mil pés, ao entardecer, com o Rio Branco e Boa Vista ao fundo.

Com quatro escolas e excelentes instrutores certificados pela Confederação Brasileira de Paraquedismo, este é o lugar perfeito para iniciantes aprenderem o esporte ou apenas descobrirem os prazeres de se jogar de um avião a 12 mil pés (cerca de 4 mil metros) de altura em um salto duplo (R$ 650, com foto e filmagem). São aproximadamente 60 segundos de queda livre e outros cinco ou sete minutos de navegação – e muita contemplação, com o paraquedas aberto até o pouso.

O visual é impressionante, ainda mais no fim de tarde, com o sol se pondo e dourando o Rio Branco, que lá de cima parece um córrego. No horizonte, a imponente Serra Grande e as casinhas de Boa Vista. Paraquedistas certificados pagam R$ 130 por salto. Na Céu do Norte (95-8118-8909) e Roraima Skydive (95-8100-0433).