1. Usuário
Assine o Estadão
assine
segunda-feira 31/05/10

Patins acrobático da Torre Eiffel

Conquistado o recorde, Taig Khris ganhou o apelido de 'Mega Jump'. Foto: Bob Edme/AP

O principal ponto turístico de Paris foi palco de um novo recorde esportivo. O franco- argelino Taig Khris escolheu a Torre Eiffel para ser o local de onde saltaria em queda livre de patins com o objetivo de bater a marca dos 8,53 metros do americano Danny Way.   [caption id="attachment_1979" align="aligncenter" width="400" caption="Queda livre desde o primeiro andar da Torre Eiffel. Foto: Thibault Camus/AP"]Queda livre desde o primeiro andar da Torre Eiffel. Foto: Thibault Camus/AP[/caption]   No sábado, o atleta pulou ...

Ler post
sexta-feira 28/05/10

Experiência sísmica

É engraçado perceber como o ser humano pode se acostumar a certas coisas que aos nossos olhos parecem tão raras. Semana passada estava na Costa Rica e, especificamente na tarde de quinta-feira, dia 20, caminhava em uma cidadezinha a 100 quilômetros da capital San José quando senti um leve tremor no chão - algo comparado àquela sensação de estar na calçada quando um grande caminhão passa meio que chacoalhando tudo ao redor. As pessoas que estavam por ali pararam por um segundo, olharam ao redor e seguiram seu ...

Ler post
terça-feira 25/05/10

Pacotes para o Peru

Para dar início a sua aventura pelo Peru, confira alguns pacotes. Todos incluem café da manhã e passeios, que variam conforme a operadora. Os valores são menores por pessoa em quarto duplo, com aéreo. US$ 1267: 3 noites. Lima, Paracas, Ica. Na Pisa Trekking (11-5052-4085 e www.pisa.tur.br) US$ 1289: 5 noites. Lima e Cuzco. Na Submarino Viagens (4003-9888 e www.submarinoviagens.com.br) US$ 1.326: 4 noites. Lima, Ica e Paracas. Na Climb Operadora (11-5041-3922 e  www.climb.tur.br) US$ 1.448: 8 dias. Lima, Nazca, ...

Ler post
terça-feira 25/05/10

Três formas de pedalar

barcelona abril 2010 264b

Andei muito de bicicleta na adolescência, mas o trânsito cada vez mais intenso de São Paulo  foi me desanimando, desanimando até que aposentei completamente a magrela, que ficou anos a fio enferrujando na garagem de casa. A paixão pelo pedal só foi retomada recentemente em Berlim, em um tour sobre a história do muro. Tudo bem light, mas suficiente para fazer com que na mesma viagem,  já em Barcelona, eu usasse a bike como um excelente meio de transporte.

Comparando Berlim e Barcelona, não há dúvidas de que a capital alemã é mais amigável aos ciclistas. Há ciclovias por todas as partes, ora na própria rua, ora nas calçadas – rebaixadas em todas as esquinas. O asfalto liso e as calçadas padronizadas permitem que se possa pedalar tanto apressado, como fazem os moradores, como apreciando a paisagem, o corre-corre da cidade, os grafites. Sem o risco de cair num buraco.

Berlim e Potsdam 522b

Bundestag, em Berlim

No metrô, existem vagões próprios para transportar a bike, com áreas livres para se encostar com a magrela sem atrapalhar a passagem de ninguém. Dá para perceber que a cultura de andar de bicicleta passa de pai para filho: crianças de todos os tamanhos pedalam nas cilovias ou, quando são pequenas demais para isso, vão em cadeirinhas junto com os pais. Há quem pedale antes e depois da balada, para ir e voltar do trabalho, de salto alto e sobretudo. De cachecol e gorro, no inverno. De bermuda e boné, no verão.

Barcelona tem menos ciclovias (em algumas avenidas, é preciso disputar espaço entre os táxis e ônibus) e algumas ladeirinhas enjoadas – melhor deixar a bike de lado se o destino for o Parc Güell, por exemplo. Mas não há nada que se compare a pedalar pela Barceloneta em um dia de sol. 

barcelona abril 2010 264b

Barceloneta. Fotos Adriana Moreira/AE

Além de uma ótima opção de passeio, pedalar na cidade espanhola é também um eficiente meio de transporte. Você desce do metrô e ao invés de pegar um ônibus o que faz? Passa o cartão exclusivo dos moradores (que pagam cerca de 30 euros por ano para usufruir do serviço) e sai pedalando. O programa Bicing oferece bicicletas públicas, com pontos espalhados por toda a cidade. Depois de usar, é só devolver na estação – de Bicing, não de metrô, que fique claro – mais próxima. Literalmente, uma mão na roda.

Depois de um mês usufruindo desta confortável e saudável rotina, voltei a São Paulo, disposta a enfrentar todos os percalços e selvagerias da metrópole para continuar a pedalar. Descobri, por exemplo, que andar de bicicleta no Parque do Ibirapuera à noite é incrível. Tranquilo, sem ser deserticamente perigoso. De quebra, uma bela vista da cidade com as luzes refletidas no lago.

A ciclofaixa, que liga o Parque das Bicicletas ao Parque do Povo, aos domingos, é bacana. Mas insuficiente. Sem nem entrar no mérito de haver poucas horas de apenas um dia da semana para ter a preferência em um pequeno trecho de ruas, só há duas opções para chegar até o início da ciclofaixa: ir de carro ou acender uma vela para o anjo da guarda e andar pelas avenidas. Calçadas? Como enfrentar degraus e buracos, frutos da falta de padronização, além dos carros estacionados? O meio-fio alto também dificulta - e não apenas para os ciclistas, mas também para os deficientes físicos e mães com carrinhos de bebê.

Por aqui, a Porto Seguro também criou sua versão do Bicing de Barcelona, o UseBike. Uma iniciativa louvável e pioneira, mas que esbarra nas dificuldades da falta de estações para devolução da magrela. Merecia mais divulgação, parceiros, estações.

É claro que não dá para destrinchar todos esses aspectos em apenas um post. Em breve, voltaremos no tema. Mas, enquanto isso, respondam: que outras cidades são bacanas para pedalar?

Ler post
segunda-feira 24/05/10

Do alto, as Linhas de Nazca

Formiga. Foto Divulgação

[caption id="attachment_1948" align="alignnone" width="600" caption="Mãos. Foto Fábio Vendrame/AE"]Mãos. Foto Fábio Vendrame/AE[/caption] Desenhos de imensas dimensões compõem um inquietante e ainda hoje misterioso mosaico no deserto. Conhecidas por Linhas de Nazca, figuras geométricas, animais e até um astronauta enfileiram-se rabiscadas para sempre na areia ao sul da reserva natural de Paracas. Como elas foram feitas, ninguém sabe ao certo. E o mistério cria sobre elas um fascínio ainda maior. A melhor maneira de observar as figuras, como ...

Ler post
terça-feira 18/05/10

Veja pacotes para o leste da Alemanha

Superado o passado difícil, cidades do leste da Alemanha restauraram seu patrimônio arquitetônico, turbinaram sua já memorável tradição cultural e incrementaram opções de hospedagem. Assim, reerguidas, são a grande novidade turística do país. Reerguidas Às margens do Elba, o centro restaurado e achados moderninhos Compositores clássicos e Goethe no roteiro Clima sombrio (e divertido) entre bruxas Por não ser escolha habitual de turistas brasileiros, poucas operadoras que atuam no país oferecem pacotes para a região. As poucas opções incluem a ...

Ler post
quarta-feira 12/05/10

Lost em Barcelona

Decorando a entrada, uma referência à primeira temporada da série

Do lado de fora, o hexágono emoldurando o trocadilho com a marca mais consumida na Ilha de Lost revela que estamos no lugar certo. Vindos não de um acidente aéreo, mas da estação de metrô Llacuna, ali pertinho, a faixa "Namaste new recruits" dá as boas-vindas ao Bharma, o divertido bar para os aficionados por Lost. Já na entrada, avista-se a parte traseira do avião (cheia de galhos e cipós) que trouxe os personagens de Lost diretamente do aeroporto de Sydney para o maior perrengue de suas vidas. A porta da ...

Ler post
terça-feira 11/05/10

De carro pelas estradas gaúchas

Foto: Arquivo Pessoal

  [caption id="attachment_1919" align="aligncenter" width="199" caption="Foto: Arquivo Pessoal"]Foto: Arquivo Pessoal[/caption]   No outono do ano passado, Fábio Grison percorreu de carro a Rota Romântica gaúcha, que liga a cidade de Nova Petrópolis à capital Porto Alegre. “As paisagens revelam grandes surpresas por todos os cantos onde seu olhar consegue alcançar.”

Ler post
terça-feira 11/05/10

Pacotes para Rota das Emoções

Confira opções de pacotes (os valores representam o mínimo por pessoa em quarto duplo, com aéreo) que levam à Rota das Emoções: Delta do Parnaíba, Jericoacoara e Lençóis Maranhenses: R$ 3.455: 11 noites, com café, traslados e passeios. Na Ambiental (11-3818-4600; www.ambiental.tur.br) R$ 3.455: 11 noites, com café, traslados e passeios. Na Last Minute (11-3039-7500) R$ 3.487: 11 noites, com café, traslados e passeios. Na Terra Mater (11-3464-5100; www.terramater.com.br) R$ 4.258: 11 noites, com café, traslados e passeios. Na Taks Tour (11-2821-8800; www.takstour.com.br) R$ ...

Ler post