Estado.com.br
Terça-feira, 30 de Setembro de 2014
Trágico e Cômico
Seções
Arquivos
Tamanho do Texto

10 mandamentos para o jovem artista (partes 1 a 5)

Categoria: Arte-Ilustração-HQ, Tragi-crônica

Então você quer trabalhar fazendo arte, é? Bom, eu trabalho e, ao longo de muitos desenhinhos, aprendi também alguns truques da profissão. Há alguns anos, quando participava de fóruns, eu já suspeitava da falta de rumo de jovens arteiros apinhados na internet. Mas agora, depois do enorme sucesso da entrevista que fiz com o Di Vasca aqui no blog, percebi que muitos iniciantes ainda estão por aí, boiando na web, em busca de conselhos. E esse público arteiro é bem diversificado: cartunistas, ilustradores, designers, infografistas… Até músicos chegaram aqui para comentar. Assim sendo, deixo aqui uma lista de 10 mandamentos que todo jovem artista pode (ou deve) seguir. Sem condescendências, sem aquele bom-mocismo idiota da auto-ajuda. Prefiro usar o bom senso e contar algumas verdades brutais sobre esse riscado.

1) Não caia no golpe do trabalho por “divulgação”
Todo e qualquer ilustrador já recebeu propostas em troca de “divulgação”. Caso você ainda não tenha percebido, são ofertas para trabalhar de graça, baseado na crença de que artista é tudo vagabundo. A diferença é que alguns ilustradores continuam recebendo essas “ofertas” para o resto da vida — outros, não, porque as recusam. A meu ver, essa é a linha que separa amadores de profissionais. Então, para fazer parte desse segundo clube, tudo o que você tem a fazer (além de investir e acreditar no seu talento) é recusar essas “ofertas”. Para maiores informações, é altamente recomendável o blog do Di Vasca (o Símon Bolívar dos ilustradores).

2) Está em início de carreira? Então inicie sua carreira de fato
Ah, mas eu sou iniciante e preciso trabalhar de graça para ganhar experiência”. Balela. Esse é o mandamento de amadores e “wannabes” que querem trabalhar de graça (ou, no máximo, ganhar “déiz real” por isso — o que, artisticamente, significa a mesma porcaria). Se você for profissional e estiver em início de carreira, comece deixando a preguiça de lado. Faça cursos, estude, leia, pesquise, treine, rale, aprenda! E cobre um preço justo pelo seu trabalho (não, cem reais não é um preço de mercado). Experiência se acumula a partir do momento em que você se tornar profissional. Portanto, é hora de começar a agir como um.

3) Todo ilustrador iniciante é ruim. Melhore pelo menos um pouco antes de começar a publicar
Todo artista em início de carreira sofre de uma curiosa alucinação: acha que já está maduro o suficiente para publicar nos veículos mais importantes. Mas os fatos conhecidos apontam na direção contrária: a produção inicial de qualquer artista é ruim — e é ele próprio quem vai reconhecer isso no futuro. Sinto muito em trazê-los para essa dolorosa realidade. Hoje vejo meus trabalhos iniciais e quase não acredito que eu achava aquilo bom. Portanto, antes de começar a mostrar as caras, treine. Quando achar que já treinou o bastante, volte à estaca zero e treine tudo de novo.

4) Não subestime o poder da observação
Muitos arteiros ficam rabiscando loucamente sem se dar conta de que a observação é tão crucial quanto a técnica ou o treino propriamente dito. Muitas vezes, ficar parado só observando os detalhes de um quadro, desenho ou até mesmo uma foto pode te trazer uma nova perspectiva.

5) Como assim “não tem onde publicar”? Publique na internet!
Talento se desenvolve com o tempo e se você não der o primeiro passo, ninguém vai saber que você leva jeito para a arte. Crie um blog e comece a postar (só não seja mala e manere no spam, ok?). Mais para frente, monte um portfólio online num site. Depois, monte uma pasta com seus melhores trabalhos e vá à luta. E mais importante: mantenha tudo sempre atualizado.

Continue lendo as partes 6 a 10 dos mandamentos

Tópicos Relacionados

, , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>