1
Start

Empreendedor lança o ‘Tinder das eleições’

  • cases
  • 20 de agosto de 2014 19h07
No Voto x Veto, usuário analisa a proposta e decide se vota ou veta o texto sem saber quem é o candidato autor  da iniciativa. Ao final, aplicativo mostra com quais candidatos o usuário tem mais afinidade.  FOTO: Divulgação

Um estudante de computação quer ajudar os eleitores a decidirem os seus votos nas eleições de outubro de forma diferente. Ele criou um app que propõe um teste cego: apresenta uma a uma as propostas de todos os candidatos à presidência nas eleições deste ano sem revelar quem é o autor do texto. O usuário do app escolhe se vota (concorda) ou não em cada proposta e só após dar ou não seu voto fica sabendo quem é o candidato por trás do texto.

:::Siga o Start no Twitter: @StartEstadao:::

O app chamado Voto x Veto, inspirado no aplicativo de paquera Tinder, ainda cria um ranking mostrando a cada usuário quais são os candidatos com os quais ele tem mais afinidade. A ideia é que depois de avaliar os trechos dos programas de governos dos diferentes candidatos à presidência, o eleitor consiga ver pelo ranking com a proposta de quais deles se identifica mais.

Conversei com Walter Júnior, de 24 anos, estudante do último ano do curso de computação do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) e criador do app. ”Como a maioria dos brasileiros eu não me interessava por política. Depois de entrar na faculdade eu comecei a ter vontade de abrir uma empresa, mas um dia enquanto assistia ao jornal vi uma notícia sobre a taxa Selic e percebi que apesar de estar em uma das melhores faculdades do Brasil, não sabia o que era aquilo”, disse.

Walter Júnior é aluno do ITA e criou o modelo do app Voto x Veto inspirado no app de paquera Tinder. FOTO: Arquivo pessoal

O empreendedor fez a lição de casa e começou a estudar o assunto, até decidir, em 2013, criar um app agregador de notícias sobre os políticos atuantes no País. O projeto não foi para a frente, mas após participar de algumas maratonas de desenvolvimento e competições de empreendedorismo, Júnior foi encorajado a manter a ideia de criar um sistema com informações para ajudar os eleitores.

Este ano, resolveu apostar em um app que mostrasse as propostas de governo dos presidenciáveis. Sozinho, destrinchou em tópicos pequenos as propostas apresentadas formalmente por todos os candidatos. O modelo do Tinder foi escolhido como forma de tentar manter o engajamento do usuário. “É uma maneira dos usuários avaliarem mais as ideias do que a imagem em torno do político. Muitos descobrem (ao usar o app) que concordam com um candidato pelo qual tinham preconceito. Outros percebem que não concordam tanto assim com quem eles iriam votar”, diz Júnior.

Segundo o empreendedor, o algoritmo do app foi desenvolvido para mostrar as propostas de forma aleatória, sem beneficiar nenhum candidato em específico. “Na televisão os candidatos têm tempos diferentes. No app todos tem um espaço igual”, explica.

No ar há duas semanas, o Voto x Veto tem 3 mil usuários e versão apenas para o sistema operacional Android, do Google. A versão para iOS será lançada na próxima semana.

Nos próximos dias, Júnior colocará no ar uma atualização do aplicativo que incluirá  as propostas dos candidatos a governador de todos os estados brasileiros. Também deve atualizar a versão para presidente, que ainda apresenta conteúdo relacionado ao candidato Eduardo Campos (PSB), morto em um acidente aéreo na semana passada

No longo prazo, quer transformar o app em um negócio lucrativo. O plano é vender assinaturas da plataforma para que os próprios políticos possam cadastrar suas propostas. Ele também pensa em comercializar a base de dados do app. “O sistema vai gerar uma base com informações importantes como quais as propostas mais populares de um candidato e o que a população considera como prioridade”, diz.

Passadas as eleições, Júnior ainda quer desenvolver um outro sistema para acompanhar os quatro anos de governo dos candidatos que forem eleitos em outubro.

Tópicos relacionados