ir para o conteúdo
 • 

Sinapses

19.janeiro.2010 21:27:55

Bipolar: bebida e sexo irresponsável

Relato de Roberta (nome fictício) sobre sua bipolaridade para a seção Vozes (veja aqui como participar)

Nasci numa família simples, morávamos meu pai, mãe, duas irmãs e uma prima. Aos sete anos, dormi na casa da minha tia e acordei com o marido dela com a mão dentro da minha calcinha. Vim a ter consciência da violência do ato aos 16 anos de idade. Sempre vivemos com poucos recursos financeiros, mas nosso inferno começou quando eu tinha 12 anos com a falência da empresa do meu pai. Tinha dia que não havia o que comer. Consequentemente a família começou também a falir e as emoções ficaram à flor da pele. Sacrifiquei boa parte da adolescência para não ser “mais um problema”, o clima familiar era tão violento que meu pai chegou a matar nosso cachorro de nove anos na enxada!

 Minha auto-estima era muito baixa, aos 17 anos emagreci tanto que beirei a anorexia. Sofri alguns anos de bulimia. Fiz um curso técnico de nutrição. Meus pais enfim se separaram depois de tanta guerra, engordei tudo de novo, minha mãe emagreceu, voltou a viver. Meu pai desapareceu há mais de 5 anos.

 Fui pra terapia (depois parei), entrei num plano de reeducação alimentar, casei-me e decidi estudar artes. Aos 23 anos, descasei, tranquei a faculdade, comecei a frequentar boteco. Bebia compulsivamente e praticava sexo irresponsável. Voltei para terapia. Comecei um namoro com uma antiga paixão da adolescência, que terminou após dois anos, pois eu vivia com ciúmes, era insegura e obsessiva, além de fumar muita maconha com ele. Para piorar no dia do meu aniversário em 2008 achei pornografia infantil na lixeira do seu computador. 

Foi uma fase horrorosa. Transtornada, meu humor oscilava descontroladamente. Isso sem contar que havia mudado de emprego umas seis vezes em 3 anos (e foram mais de 10 empregos dos 14 aos 27 anos!). No fim fiquei desempregada dois meses em 2008 e com duas contas bancárias negativas. Contudo, consegui um emprego num ambiente bacana, por intermédio de uma tia. Ufa. Trabalhamos juntas. Como vou de carona no seu carro, ela começou a reparar no meu comportamento. Nesse meio tempo nasceu meu primeiro sobrinho e decidi revolucionar minha vida, mas estava paralisada diante do caos. Tentei yoga, trabalho voluntário, produção artística e nada. Continuava muito desanimada diante da vida e sem objetivos. 

 Dentro de casa, comecei a ter comportamentos limites, chamava atenção da minha mãe e escrevia compulsivamente. Para piorar, ainda caí de bêbada, rompi os ligamentos do tornozelo e me submeti a uma cirurgia em julho de 2009. Foi então que minha tia sugeriu que eu mudasse de psicóloga e procurasse um psiquiatra. Não fui resistente à medicação (depois de tudo isso também!), apenas não tinha dinheiro para pagar a consulta e ela me ajuda.

 Ficava e ainda fico irritada com o comportamento das pessoas. Existe muito preconceito e a maioria não faz idéia do inferno que vivo ou me trata como louca de fato. No entanto, agora consigo adotar outra postura diante da vida, meio budista e sem vícios, algo que sem a medicação estava IMPOSSÍVEL. Faz 6 meses que tomo Verotina, Depakote e Yasmin para estabilizar a menstruação e a tpm. As cores e os contornos ficaram mais claros, respiro melhor, sofro menos com a tpm. Tenho transtorno bipolar – também é genético. Meu avô materno tinha depressão. Meu avô paterno, cirrose hepática. Ainda “curto”  momentos depressivos, mas não me entrego. Me pego reclamando da vida, mas saio da cama com mais vaidade e amor próprio – o que melhorou muito minha qualidade de vida. Liquidei dívidas e estou fazendo um curso de corte costura , profissão linda da minha avó!

Comentários (135)| Comente!

  • A + A -
135 Comentários Comente também
  • 20/01/2010 - 05:42
    Enviado por: Eli Barroso

    Extraordinário o relato dessa moça, fiquei feliz por ela conseguir sair da depressão e levar o barco para frente, o que nós todos devemos fazer depois de passarmos por tantos momentos difíceis. Moça, você é uma heroína, porque mesmo tendo sofrido o que sofreu, mantém-se de pé e com dignidade, poucos conseguem isso.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 21/01/2010 - 14:04
      Enviado por: Marisa

      Olá, tudo bem com você!

      Vi seu interesse no livro, conseguiu achar o site e verificar o mesmo. Ele é vendido pelo site do autor: http://www.andrelimaoliveira.com.br ou e-mail: contato@andrelimaoliveira.com.br
      Este livro Olhos Vivos, Olhos da Mente ele abre a mente de todos independente de idade, religião, crença e condição sócio-econômica. É uma obra literária interessantíssima do resgate do bem viver e de conviver com seus semelhantes, inclusive da saúde física e emocional. É uma aula de qualidade de vida em todos os contextos do ser humano. Você irá aprender a viver na essência e sentirá a sua força interior manifestar, é uma benção!!! Não tem preço que pague o que vai aprender com sua sabedoria e todos os ensinamentos. Tem também um Testemunho Verídico de Fé e Cura. O que irá aprender sobre você, suas emoções e a vida, tem que adquirir para tentar entender este mistério que é a mente humana. A dica já deixei, agora é com você se vai querer adiquirir o exemplar e viajar nele para saber o que lhe acontece. Eu cumpri a minha parte, daqui para frente não posso fazer mais nada a não ser e dizer que eu aprovei e adorei a leitura… É muito enriquecedor. O livro trata do corpo, da mente e do espírito. Com certeza vai gostar depois que começar a entender melhor do que lhe falei. Saudações…

      responder este comentário denunciar abuso
  • 20/01/2010 - 06:50
    Enviado por: Anonima

    Sou a tia, madrinha e colega de trabalho da “Roberta”. O que a faz vencedora dessa “guerra” é que ela aceitou a ajuda e principalmente “se ajudou”, aceitando o tratamento e a medicação. Muitas pessoas que sofrem de transtornos psiquiátricos não encontram o caminho, pois são resistentes ao tratamento químico, o que é fundamental para continuar vivendo. Espero que este relato possa ajudar outras pessoas a encontar seu equilíbrio e viver melhor.
    E à “Roberta”, deixo registrado aqui meu enorme carinho, admiração e imenso amor. Ela é uma pessoa incrível, podem acreditar.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 20/01/2010 - 15:28
      Enviado por: Valter

      P/ a Tia da Roberta: Parabéns pela suca compaixão e determinação em estender a mão para a sua sobrinha quando muitos lhe deram as costas.
      A história desta moça é uma lição de vida para nós.

      Sds

      responder este comentário denunciar abuso
  • 20/01/2010 - 07:29
    Enviado por: CARLOS ROSENMANN

    Excelente relato! Este trasntorno é mais comum do que se imagina e causador de muito sofrimento quando não tratado.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/01/2010 - 12:25
    Enviado por: Renato

    é isso ai. Só por Hoje vai melhorar!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/01/2010 - 13:31
    Enviado por: Iara

    Minha mãe é bipolar. Tenho propriedade pra falar. É uma doença que afeta todos ao redor. Que destrói relacionamentos, famílias inteiras. Que te consome. Que te leva á beira do desespero. Mas TEM um caminho: o tratamento psquiátrico é FUNDAMENTAL. Hoje, depois de 16 anos de descoberta da doença, depois de 2 internações, e depois de achar um médico EXCEPCIONAL minha mãe está bem, muito bem, levando uma vida normal. Há 3 anos ela não tem NENHUMA crise- seja depressiva ou eufórica. Se você tem Distúrbio Bipolar ou na sua família há alguém com a doença, não desista e corra pra um BOM psiquiatra.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 21/01/2010 - 10:51
      Enviado por: Eli Barroso

      Iara, o difícil é encontrar este ‘bom psiquiatra’,na maioria das vezes o doente não consegue que ele entenda seu caso e ainda passa o remédio errado.Foi o que aconteceu com um próximo, que ficou desconfiada e evita os psiquiatras,mesmo sabendo que somente com a ajuda de um deles é que ela pode controlar sua doença.Isso em país europeu,com fama de ter o melhor sistema de saúde e médicos especialistas de alto nível.Pois é,um deles chegou a diagnosticar sem ver o paciente. Estou começando a achar que no Brasil a medicina é mais avançada que em muitos lugares ditos tecnologicamente avançados.Eles possuem tecnologia,certo, mas não têm o pensamento humanista e compreensivo que nós temos,graças a Deus.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 20/01/2010 - 13:37
    Enviado por: carlos

    Roberta,assim que comecei a ler o seu relato confesso que quase desisti,mas como tenho uma pessoa da família que tem o mesmo problema seu continuei meu lendo e para min foi bastante produtivo,pois e diante de fatos como o seu que nos tornamos mais tolerantes.Parabens vale a pena acreditar.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/01/2010 - 13:48
    Enviado por: wladimir

    Queridos, ha um tempo em nossas vidas que parece não existir mais saídas!
    Mas peço que alguem dessa família entre em contato comigo, por favor!
    Existe sim uma saída quando tudo e todos fecham às portas e parece impossível!
    Só existe essa saída, Jesus! Ele é o único que pode libertar, restaurar, sustentar, cuidar e amá-la!
    Por favor pense nisso enquanto há tempo;
    wladimirwov@ig.com.br

    responder este comentário denunciar abuso

    • 20/01/2010 - 17:54
      Enviado por: andrea

      Wladimir,
      parabéns por sua fé, às vezes ela dá certo para alguns, mas nem sempre dá certo para todos. Nem sempre é possível a cura de uma dor de cabeça pela crença em deus, e acho, que aqui a discussão não é religiosa, é uma discussão sobre saúde.
      Então, que tal ter uma visão mais adulta sobre a vida?

      responder este comentário denunciar abuso
    • 20/01/2010 - 22:12
      Enviado por: Maria

      Wladimir
      Sou irmã da Roberta, mãe do sobrinho que ela citou no relato…
      Temos uma família muito religiosa que participa ativamente de uma igreja, não importa citar qual, inclusive ela tbm voltou a participar, só que quando há um problema químico (depressão, transtorno bipolar é químico), são necessários remédios, tratamento psicológico e psiquiátrico, isso está salvando e trazendo de volta a nossa Roberta…
      É claro que fazemos nossas orações pra ela, isso sei que ela sabe…
      Obrigada pela tentativa de ajuda a coloque em suas orações que é o melhor a ser feito hoje!

      responder este comentário denunciar abuso
    • 21/01/2010 - 08:00
      Enviado por: Leda

      Cuidado com essa conversa de evangélico, pessoal! Jesus NÃO ajuda quem não se ajuda. Vá ao médico, ao psiquiatra, tome o remédio. Igreja pode resolver problemas espirituais, mas quem resolve doenças é o médico.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 21/01/2010 - 08:46
      Enviado por: Artur Tokimatsu

      Sem endossar o comentário do sr. Wladimir, existe uma relação religiosa com esse distúrbio, citada na tese do psiquiatra Francisco Lotufo Neto chamado ‘Psiquiatria e Religião’ – A Prevalência de Transtornos Mentais entre Ministros Religiosos.
      Que pode ser baixado e lido no site
      http://www.hoje.org.br/site/arq/artigos/20050516-es-drfln-teseFranciscoLotufoNeto.pdf, espero que mais esta informação ajude.
      “Há mais mistérios entre o Céu e a Terra do que sonha a nossa vã filosofia.” (William Shakespeare )

      responder este comentário denunciar abuso
  • 20/01/2010 - 13:49
    Enviado por: Ana

    Namorei uma pessoa que tem este transtorno, na época ele começou a misturar os remédios com bebidas e drogas, fazendo com que os remédios perdessem o efeito.
    o relacionamento era bem transtornado.
    ele tinha um coração maravilhoso e eu lhe amava muito, mas sem o tratamento a convivência é muito dificil, insuportavel.
    Hoje ele voltou a se tratar, junto com o tratamento de de narcóticos, mas o processo é bem lento. Como disse o Renato á cima, é só por hoje !
    POr isso é muito importante se tratar direito e não andar para trás.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/01/2010 - 14:01
    Enviado por: paulo

    um bom recomeço ROBERTA, força sempre!! e desistir é muito fácil, e vencer tem gosto melhor!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/01/2010 - 14:14
    Enviado por: Sergio

    São relatos como este que nos encorajam a seguir em frente. Também tomo alguns remédios para depressão, e fique tranquila “Roberta” os que descriminão são os que mais precisam!!! rsrs.
    Siga em frente com o seu tratamento!!! A vida vale a pena!!!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/01/2010 - 14:14
    Enviado por: Daniel

    Realmente, nem todos conseguem aceitar um tratamento químico, preferindo viver no ódio e na escuridão.
    Que Deus abencoe sempre sua vida. E nunca perca sua fé e vontade de viver. Parabéns pelo seu testemunho.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/01/2010 - 14:40
    Enviado por: Lilia

    Extraordinária sua história Roberta. Parabéns pela superação. Parabéns à tia, madrinha e principalmente amiga da Roberta que nunca desistiu dela. O que as pessoas precisam é de gente que acredite e ajude. Muitas não tem a mesma sorte porque os outros não têm paciência para dar a mão amiga. Conheço casos assim. É uma doença muito ingrata e muito cruel.
    Roberta, não desista nunca de se superar!! Felicidade na sua vida e muita vida sempre!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/01/2010 - 14:41
    Enviado por: "Roberto"

    Excelente artigo, parabéns !

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/01/2010 - 14:44
    Enviado por: Alexandre

    Com certeza deve ter sido muito dificil passar por todas estas fases. Sei que todo mundo dá dicas para ajudar,entao aqui vai uma, para que vc se sinta melhor é a prática de esportes, como qualidade de vida, um esporte q a pessoa realmente goste e faça com prazer! Além de todos benefícios para saude, aumenta ajuda a aumentar o circulo de amigos, normalmente pessoas felizes, de bem com a vida, e com muito ânimo para fazer de tudo, independente da idade.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/01/2010 - 14:47
    Enviado por: Temis Barros

    Parabéns, pela vontade de viver e por não se entregar. Vc. é uma vencedora, siga em frente que a vida lhe brindará com felicidade qdo. vc. menos esperar.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/01/2010 - 15:12
    Enviado por: Roberto

    eh; isso, sem força nada é possível. Estou no momento fazendo terapia c/psicologa e tratamento c/psiquiatra, estou conseguindo ate que enfim

    parabens

    ate+

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/01/2010 - 15:39
    Enviado por: Carlos

    Parabéns Roberta. A vc pela coragem de encarar o seu problema e em especial, parabéns para sua Tia, madrinha, amiga, companheira que perseverante, permaneceu a seu lado. Trabalhei com uma pessoa bipolar, foi um período lamentável, contudo não tive problemas com esta pessoa, mas sua família não teve a mesma sorte, era resistente aos tratamentos, envolvia-se com bebidas, drogas, sexo irresponsável.
    Graças a Deus, vc se tornou numa heroína e exemplo de vida. Que Deus abençoe sempre vc e família.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/01/2010 - 15:50
    Enviado por: FAITH+ HOPE+ LOVE

    VIVI um tempo de muitas dores e tristezas na minha vida , um dia quando enconntrei JESUS tudo mudou !!!
    as vezs nao éh facil ter fé, esperança e amor todos os dias, acreditar no dia de amanha e em nós mesmos, sonhar de novo e amar….
    NAO há em nós força para superar todas as lutas, descobr que a minha força, minha fé, minha esperança, vem do CÉU… VEM DE DEUS!!!

    DEUS ABENCOE VC!! Deixe ELE te ajudar!
    TENHA SEMPRE FAITH+HOPE+LOVE nele….

    responder este comentário denunciar abuso

    • 21/01/2010 - 08:04
      Enviado por: Leda

      Deus JÁ ajudou essa moça e muito. Ajudou quando a fez ver que precisava ir ao médico e tomar o medicamento. Deus está dentro de nós e não cobra dízimo: somos nós que nos ajudamos.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 20/01/2010 - 15:51
    Enviado por: Erik

    Eu sei como se sentiu e como se sente passo pelo mesmos problemas e vejo que posso superar tambem!

    SeeYa

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/01/2010 - 16:03
    Enviado por: julia

    Desculpe, mas transtorno bipolar não tem nada a ver com beber e fazer sexo em demasia. É BEM diferente.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 20/01/2010 - 17:56
      Enviado por: Carmen

      Sexo em demasia e alcoolismo são dois comportamentos ligados à bipolaridade, sim. O bipolar não tem controle sobre seus impulsos, por isso pode acabar abusando de drogas, álcool e sexo.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 20/01/2010 - 21:22
      Enviado por: Felipe Góis

      Concorde. Isso é um sintoma normal infelizmente, não precisa ser bipolar para cometer, senão a maioria do mudo seria Bipolar.
      Bipolarismo quer dizer Transtorno Afetivo Bipolar e não maluco! Tome cuidade com o que não conhece.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 21/01/2010 - 14:21
      Enviado por: Rachel

      Julia,
      Você certamente não tem contato direto com uma pessoa que sofre desse transtorno. Os abusos são caracterpisticos da doença e a pessoa comete esses abusos para se auto mutilar, para se punir, são mini suicídios que podem levar à um suicídio efetivo.
      Cuidado ao rotular, você não deve saber o que está dizendo.
      E se tem algum bipolar perto de você, cuide, ajude, e não julgue seus atos.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 07/02/2010 - 15:54
      Enviado por: Roberto

      Querida Julia,
      viva a nossa realidade e você sabera explicitar o que passamos e reconstruir sua fala.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 20/01/2010 - 16:14
    Enviado por: Ivete

    Roberta, são pessoas como vc que fazem o mundo ser melhor… enfrentar e não desitir, aceitar ajuda. A cura começa em nós… parabéns à vc e a todos que te apoiam. Vc é ótima!!!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/01/2010 - 16:20
    Enviado por: Marlize Cravo

    Emocionante o depoimento, a bipolaridade é uma doença muito complexa e ainda estigmatizada, como todas as outras mentais. Muitos falam que a pessoa doente só necessita de força de vontade, isso é ridículo, ninguém fala para um diabético, que só é necessário força de vontade, não precisa fazer dieta e tomar insulina. Meu pai é bipolar e sem muito bem que ele necessita muito mais do que força de vontade.
    Parabéns pelo blog.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/01/2010 - 16:39
    Enviado por: aline

    Parabéns Roberta continue assim nunca desista de sempre melhorar mais e mais e pra sua tia excelente admiração pois ela não a condenou e sim a ajudou… adorei sua história… história de superação… fica com Deus

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/01/2010 - 17:18
    Enviado por: Marco

    Olhe pra Jesus!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/01/2010 - 17:29
    Enviado por: AUGUSTO FERRAZ

    Voce realmente é uma heroína, o seu relato serve para as pessoas acreditarem que conseguem enfrentar os seus problemas erguer a cabeça e tocar a vida com dignidade.Todos nós temos problemas e diante da sua historia muitas pessoas vão ter força para para sair deles.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/01/2010 - 17:31
    Enviado por: Giuliano

    VC É UMA GUERREIRA SIGA EMFRENTE

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/01/2010 - 17:41
    Enviado por: Daniela

    Faltou uma BOA revisão no texto. Lamentável para um veículo de comunicação

    responder este comentário denunciar abuso

    • 20/01/2010 - 20:57
      Enviado por: Fernando

      Comentário inútil…

      responder este comentário denunciar abuso
    • 20/01/2010 - 22:24
      Enviado por: Maria

      Realmente inútil o comentário… Leia ao livro “A Língua de Eulália” de Marcos Bagno, com certeza te ajudará a respeitar a diversidade cultural e a maneira de escrever ou falar das pessoas…
      Leia com emoção e deixe de lado os possíveis erros, afinal tem tantos assim?

      responder este comentário denunciar abuso
    • 21/01/2010 - 06:21
      Enviado por: Arieh

      En ecenssia kual é o verdadeiro e urtimo obigetivo da lígua? Oras bolas, sou o pirmeiro a defender o uso do pradão curto e formal, mas só pôrisso devo perder o foco e não abissorver a boniteza da memsagen? O tequisto não trata de gramáticas e literaturas, mas do sofrimento de um serumano. Pena que apesar de cinco mir anos de civilisasões,curturas e de pogresso, sejamos tão “CULTOS”, porém tão insensíveis! Como dizem, coamos mosquitos e engolimos camelos!

      responder este comentário denunciar abuso
    • 21/01/2010 - 09:18
      Enviado por: Artur Tokimatsu

      Daniela, assista o DVD ‘O Segredo da Felicidade’ de Eckhart Tolle entre outros,num trecho diz: ‘Domine o cavalo que está em você, senão será dominado por ele, e não saberá porque toma atitudes que depois se arrependerá! Acredite..aliás não acredite no que digo, nem em você mesmo… apenas ouça o que diz no vídeo e, terá outro foco da vida! Boa sorte!!! Artur Tokimatsu – SP,21/01/2010

      responder este comentário denunciar abuso
  • 20/01/2010 - 18:55
    Enviado por: Robeto

    Dizer que só remedio resolve é a mesma coisa que dizer que não resolve nada. Há casos e casos. Sem entrar no mérito deste caso, quero dizer que não é só remedio que resolve. Uma pessoa que tenha alimentação saudável, trate-se com homeopatia e consiga uma terapia de boa qualidade(vegetoterapia do Navarro por exemplo) pode retomar posse da própria vida e conviver com suas neuroses sem sucumbir a elas. Agora se apegar a religiões, e fanatismos do tipo, pode ser ainda pior do que a própria doença psíquica.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/01/2010 - 18:58
    Enviado por: Jean

    Li o relato e alguns dos comentários. Não sei se algum Bipolar se manifestou, pois dos comentários que li nenhum o fez. Enfim… Sou bipolar e tive conhecimento da doença a 5 anos após um evento onde quase tirei a propria vida achando ser um ser superior (achismo típico de quem tem este transtorno) hoje estou curado e por incrivel que pareça não tomo mais nenhum remedio a mais de 2 anos. O que me curou?… conhecer a doença e saber que posso dominá-la!… (para quem não sabe a mesma não tem cura e umas das possiveis “curas” é ter esta conciêcia) concordo totalmente na procura de um bom psiquiatra, pois no meu caso foi fundamental. No meu caso o principal “remédio” foi dormir bem e o máximo que se puder, pois prestes ao evento comentado acima tudo que mais fazia era dormir pouco ou nada durante dias e dias… Abraços a todos, Jean.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/01/2010 - 19:04
    Enviado por: Marcelo

    Parabéns Roberta, siga em frente, aprendi na vida que o mais importante são os sentimentos (amor) que temos pelas pessoas que são importantes para nós, como disse muito bem Jesus Cristo “Onde está seu coração está seu tesouso”, sua estória de vida foi conturbada, mas vejo que com ajuda de pessoas que te amam, sua tia e mãe e outros você está conseguindo dar a volta por cima, não discuto a importancia de um tratamento médico, contudo pela minha experiência o exemplo de Cristo é fundamental para pessoas com problemas como esse. Acrescente ELE a sua vida e verá que sua melhora será muito mais rápido. Que Jesus continue a te abençoar.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/01/2010 - 19:13
    Enviado por: Caetano

    Existe no Brasil a ABRATA, que faz um trabalho extraordinário: http://www.abrata.org.br
    É importante lembrar que isto é, como já disseram, mais comum do que parece. Mas qualquer pessoa só pode ser tratada com um diagnóstico correto.
    Recomendo a busca de ajuda sobre o que fazer, não só para portadores do distúrbio, mas familiares que não souberem também como lidar com a situação.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 21/01/2010 - 11:13
      Enviado por: Eli Barroso

      Caetano, gostaria de conversar por email com alguém da Abrata,mas na página principal do site não vi nenhuma indicação de como fazer para falar com alguém.Apenas em Contatos,mas neste temos que nos inscrever como ‘voluntário’ por que ?

      responder este comentário denunciar abuso
  • 20/01/2010 - 19:15
    Enviado por: Marcos

    Prezada Doutora Cláudia Belfort,
    É com grande satisfação que descobri seu blog SINAPSES, um espaço aberto a pessoas que possuem transtornos intelectuais e desejam externar suas dificuldades e sofrimentos pelos quais passaram e talvez ainda passem. Parabéns! Doutora.
    Gostaria de deixar aqui registrado a minha indignação com o total descaso do governo, em todas as esferas do poder, com esses pacientes os quais, muitos deles, tem suas vidas fragmentadas pela ausência de uma estrutura de atendimento especializada e de atuação efetiva.
    Precisamos agir – assim como a doutora fez – no sentido chamarmos a atenção dos responsáveis pela saúde pública brasileira para que se tome medidas efetivas no tratamento e acompanhamento de todos os transtornos intelectuais do sofrido povo brasileiro.
    Digo isso, com o coração apertado pois também sou vítima de semelhante transtorno e levo a vida como uma môsca de padaria, podendo ver e sentir os sabores da vida mas impedido pelo vidro que nos separa, no caso a medicação.
    A todos que enfrentam esta travessia, desejo equilíbrio e serenidade para chegar do outro lado.
    Este é um assunto de muita seriedade e que tem esgarçado o tecido social.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 20/01/2010 - 19:32
      Enviado por: Claudia Belfort

      Olá Marcos, muito obrigada pelo seu comentário. Faço um pedido para você, chame-me apenas de Claudia, sou jornalista. abs

      responder este comentário denunciar abuso
    • 20/01/2010 - 19:38
      Enviado por: Ana Claudia

      Marcos, sou mãe de um adolescente portador de transtorno bipolar e tenho tido boas experiências com os serviços públicos oferecidos pela Prefeitura de SP e pelo governo do Estado de SP. Meu filho tratou-se por 7 (sete) ANOS em um hospital particular, sem muitos progressos no controle do transtorno. Após crises gravíssimas que culmiram em internação hospitalar fui em busca de outras instituições para tratá-lo e hoje ele é paciente do Hospital das clínicas em SP, que, após uma série de avaliações e pesquisas sérias fui devidamente diagnosticados, coisa que antes nem isso tinha, e hoje é atendimendo lá mesmo no HC por uma equipe de tratamento e também outras de pesquisas, tanto no âmbito psicológico quanto no âmbito psiquiatrico estando hoje sob controle e levando uma vida absolutamente normal, tendo abandonando inclusive a marginalidade e os vícios de drogas lícitas e ilícitas. Está normalmente sociável.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 20/01/2010 - 19:27
    Enviado por: Criz

    Esta história é mesmo verdadeira? OS MEUS SINCEROS PARABÉNS.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 20/01/2010 - 19:30
      Enviado por: Claudia Belfort

      Sim, chequei e a história é verdadeira, eu falei com a autora, Criz. Todos os relatos do Vozes são checados. abs

      responder este comentário denunciar abuso
  • 20/01/2010 - 19:28
    Enviado por: Vinicius

    Quanta coragem para o depoimento!A ciência e a religião são complementares e não contrárias. Ocupe seu tempo com a caridade ao seu próximo. A caridade será a base sólida que irá preencher o “vazio” que a ausência de vontade provoca. “Roberta”, desejo o melhor para você!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/01/2010 - 19:28
    Enviado por: Marisa Lima

    Parabéns pelo relato corajoso. Desejo que continue sendo bem sucedida nessa luta e superação diárias. Li o livro – Olhos Vivos Olhos da Mente – Viver na essência, o caminho para transformar a existência. Acho que é um recurso muito útil para ajudar a nos fortalecermos e equilibrarmos nossas emoções para enfrentarmos as dificuldades do dia-a-dia. Ele contém o relato do caso verídico de uma pessoa que tinha depressão bipolar e que conseguiu se libertar inclusive da medicação com a ajuda do autor do livro. Eu recomendo a leitura do livro.
    Marisa

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/01/2010 - 19:30
    Enviado por: Ana Claudia

    Puxa vida! Fico contente que vc esteja mantendo o transtorno sob controle! Meu filho de 14 anos é bipolar e as vezes me desepero querendo desistir dos tratamentos por que ele não quer se tratar, não aceita. Lendo seu relato vi o quanto é importante que eu continue tratando-o enquanto eu puder.
    Creio muito em Deus, então: Fique com Deus!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/01/2010 - 19:33
    Enviado por: Marisa

    Complementando – o livro é vendido através do site do autor – http://www.andrelimaoliveira.com.br – na parte “quem sou”.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/01/2010 - 20:00
    Enviado por: monica

    É isso aí moça! Nada como ter alguém que nos veja e dê uma força. Depois cria um site e posta as suas criações! Boa sorte! Mesmo!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/01/2010 - 20:07
    Enviado por: shirlei roberto

    começo lhe dando os parabéns,sei como é dificíl sair de tal situação,mesmo não tendo consumido drogas pesadas,mas tive o disprazer de conhecer o alcool,que não é nada facíl de largar,mas têm 6anos que não bebo,graças a Deus,baseado no seu comentario gostaria de deixar uma curta mensage.Pricesa saiba que existe um Deus que olha por nós ele é o remédio dos remédios mestre dos médicos,permita que Ele cuide de voçê,mudara por completo sua vida beijos estou torcendo por voçê.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/01/2010 - 20:10
    Enviado por: TV Digital

    Parabens !! Foi um dos melhores “posts” que li em blogs nos ultimos anos !

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/01/2010 - 20:12
    Enviado por: fabiano cruz

    Sugestão de leitura para Roberta: Livro Porcos na Sala, Frank e Ida Mae Hammond, Editora Bompastor.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/01/2010 - 20:14
    Enviado por: Edson

    É preciso ter coragem para ser tão demasiadamente

    humana. Céu e inferno dentro e fora de você durante

    tanto tempo trouxeram para a eternidade um novo

    olhar. O seu olhar.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/01/2010 - 20:22
    Enviado por: Ana Célia

    Cláudia

    Sou Psicóloga e descobri o seu blog há pouco tempo, porém entendo que é da maior relevância dar voz a portadores de transtornos mentais. Ainda vivemos em uma sociedade muito preconceituosa com relação às doenças mentais, até porque as pessoas tem medo da própria loucura, portanto é melhor jogar o tema para baixo do tapete.

    Tenho uma pessoa com transtorno bipolar em minha família que tem uma história muito semelhante à da Roberta, em alguns aspectos, igual. É extremamente inteligente, criativa (é pintora, faz artesanato em papel, em tecido e tem também costurado e criado suas roupas). Após o tratamento psiquiátrico necessário consultou um médico especialista em nutrologia (algo novo que eu não conhecia) e hoje com uma dieta adequada está muito bem.

    Como qualquer pessoa algumas vezes sai da dieta, acaba apresentando algum sintoma da bipolaridade, porém reconhece de imediato, volta à dieta e equilibra-se novamente em pouquíssimo tempo.

    Estou contando isso para que as pessoas tenham conhecimento das diversas possibilidades de tratamento para essa doença.

    Roberta, admiro muito a coragem em expor sua vivência e o caminho que tem seguido para equilibrar-se, continue nele e lembre-se: uma das características da bipolaridade é que ela ocorre mais frequentemente em pessoas inteligentes e criativas como você.

    Forte abraço

    responder este comentário denunciar abuso

    • 20/01/2010 - 23:42
      Enviado por: Claudia Belfort

      bem lembrado, outro dia conheci no lançamento do livro Nutriçao e Psiquiatria uma nutróloga que morou na China e me falou da importäncia de tratamentos complementares como alimentaçao, acumpuntura, vou escrever sobre isso, obrigada, abs

      responder este comentário denunciar abuso
    • 21/01/2010 - 11:24
      Enviado por: Eli Barroso

      Sinceramente, Ana Célia, não acredito muito que a nutrição possa reverter o quadro,como se diz.Talvez que a pessoa fique sugestionada,então entra em cena o tal de efeito placebo,usado por médicos,farmacêuticos e cientistas.No caso da nutrologia,o nutricionismo passa a ser uma espécie de religião.Até que me demonstrem o contrário, penso isto.Acredito que não exista remédio milagroso,mas que uns são mais eficientes que outros é verdade,por experiência própria.Mas cada doente é um caso diferente,talvez que haja um tipo que se conforma fazendo regime alimentar,acupuntura,etc.Mas até quando? Se o transtorno bipolar não tem cura,segundo me disseram, então qualquer coisa é válida para evitar os sintomas ? Deu nó na minha cabeça.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 21/01/2010 - 19:08
      Enviado por: Maria Vasconcelos

      Isso! Ana Célia. Muitas vezes ouvi de gente especializada e, tb observei pela vida afora que os bipolares nunca são pessoas medíocres.São sempre acima da média em inteligência, sensibilidade e outros que tais. Força, Roberta!

      responder este comentário denunciar abuso
  • 20/01/2010 - 21:30
    Enviado por: Renato Bruno

    Boa, garota! Vamos em frente. Me trato há dois anos de transtorno do pânico, que possui algumas nuances de bipolaridade (tomo bromazepam, citalopram e topiramato). Tenho 40 anos. Sei o que você diz de vício em álcool, maconha, cocaína, cogumelos (fiquei nessa por 12 anos), compulsividade, começar, desistir, começar outra vez, etc. Mas não dá pra parar, não! Vamos em frente! Agora, mais do que tudo, sem querer parecer chato ou ingênuo, vai por mim: confie em Deus. Tome seus comprimidos mas leia a Bíblia. Pode ser que você descubra um outro lado da vida. Abs.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/01/2010 - 22:44
    Enviado por: Isabela França

    Relato muito corajoso. Parabéns pela sua luta! Convivi com algumas pessoas com transtorno bipolar e sei das imensas dificuldades. Em vários casos confirmei que apenas o amor dos mais próximos é capaz de resgatar a autoestima – único caminho para qualquer um aproximar-se da realidade e encarar de frente este dia-a-dia imposto pela sociedade atual.
    Claudia, parabéns pelo blog. um abraço, Isabela

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/01/2010 - 02:48
    Enviado por: Rita de Cassia

    Obrigada Roberta pelo o seu relato. Certamente estará ajudando muitas pessoas que se encontram perdidas e doentes. Todos os comentários tbem foram
    otimos, pois atraves da auto-ajuda, ajuda médica,religião, amor, bondade, caridade e etc. é que vamos encontrando o melhor caminho para termos uma vida melhor! Todos nós precisamos de ajuda, e ajudando ao próximo, estaremos ajudando à nós mesmos.
    Dentro do Evangelho de Jesus encontrei toda esta bondade e beleza, que todos nós necessitamos nos caminhos da vida. Boa sorte Roberta, e amor para
    todos nós!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/01/2010 - 02:54
    Enviado por: ofélia

    Quero deixar registrado aquí os meus parabéns pra Roberta e pra todos aqueles que estiveram junto dela em todos os momentos, principalmente nos maus, e acreditaram que poderia haver uma saída.A visão de “luz no fim do tunel”, como forma de um recomeço.É isso aí, a vida recomeça todos os dias, um dia de cada vez
    Parabéns à Cláudia Belfort pela criação deste espaço, que pra muitas pessoas significa a esperança de se encontrar e recomeçar. PARABÉNS

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/01/2010 - 05:57
    Enviado por: Thiago

    Genial. Lição de vida. Principalmente para aqueles que ao se deparar com o primeiro obstáculo pensam em desistir. Claudia Belfort, você foi muito feliz com essa matéria, parabéns!!!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/01/2010 - 06:12
    Enviado por: Leonardo

    Relato muito forte. Tenho frequentado reuniões dos Neuróticos Anônimos (NA)e pelo memos para mim está fazendo muito bem. Sugiro que a Roberta que procure se inteirar destes grupos de auto ajuda, como AA, NA, etc. Desejo a todos paz e serenidade.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/01/2010 - 06:13
    Enviado por: eduardo

    Oi irmãzinha eu passei os mesmos problemas que você ao quadrado, o que me salvou foi a Arte,Budismo e a Filosofia.
    Eu particularmente acho que toda família que faltou dinheiro e uma tragédia para os filhos.
    Sai fora de médicos, psiquiatras e etc. A maioria não sabe resolver as suas próprias vidas.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/01/2010 - 07:26
    Enviado por: Anônimo

    Eu tive uma namorada com bipolaridade. É terrível. E até hoje ela insiste em não se ajudar e recusa ajuda. Até hoje, com 30 anos, ainda é estágiaria, mora com o pai, porque a mãe a expulsou de casa(pais separados), e sempre que pode tentar tirar algum dinheiro do pai. Mesmo com tudo isso continua colocando a culpa na separação dos pais e na sua educação e criação. Ou seja, parou sua vida para culpar os outros ao invés de sair da vida delas e fazer a sua. E continua sendo extrema e radical em atitudes e pensamentos. Eu percebi isso depois de muito tempo. Quando parei pra olhar pra mim, namorado, eu estava longe da minha família, minha irmã e mãe já não tinham mais vontade de me ter por perto, meus amigos me tratavam com muito despreso e já não me convidavam mais para sair, tudo em virtude do meu comportamento que havia mudado justamente por conviver muito tempo com ela, 24n hs, porque ela não fazia nada sem a minha presença. É complicado de se julgar, pra mim foi melhor, depois do término minha vida mudou pra melhor, ela ainda estagnada e com ódio(antes amor) de mim. Tomem cuidado.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 21/01/2010 - 10:26
      Enviado por: lynna.

      Anônimo. Obrigada por seu relato,pois acordei diante de um problema como a sua EX namorada.a pessoinha linda e minha neta,e filha única/ c/ certesa agora darei atenção , é vou ajuda-lá no que for preciso[apesar que difente dogma religioso nós dela, pois ela e evangelica] segundo ela , somos pessoas do mundo,a religião e usada p/ estar de bém c/ o pai que à abandonou desde os 08anos de idade; fica na paz de Deus, abç, zety, Obrigada cláudia por esta oportunidade,

      responder este comentário denunciar abuso
    • 21/01/2010 - 11:33
      Enviado por: Eli Barroso

      Anônimo, que bom se você fosse mais compreensivo,mas é como a maioria das pessoas.Sei que é MUITO difícil ter de conviver com pessoa sofrendo desse transtorno, mas peço que você tenha compaixão por ela,não a abandone totalmente e sempre que ela precisar, estenda sua mão para ela, porque é muito importante para o doente se sentir amado.Mesmo que você ache que ela não merece, não precisa continuar com a relação de namorados mas simplesmente a de amigos.Já vai ser alguma coisa.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 21/01/2010 - 07:32
    Enviado por: Anônimo

    E, claro, parabéns por trazer a tona este problema. Existem muitas pessoas que ainda nao se deram conta de que sofrem disso. Tem mais é que expor pra poderem se estudar e buscar tratamento.

    :)

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/01/2010 - 07:41
    Enviado por: Priscila Dragonette

    O relato da vida desta moça é de comover e parar e pensar, eu entendo tudo que ela passou, por nao ser tão facíl sair de uma situação como esta. Mas sou uma prova de que tudo pode se torna novo. Jesus Cristo mudou meu viver, Não existe trabalho, dinheiro, namorado, sexo, O unico que pode te fazer feliz é Jesus. alguém ja morreu por vc? acredito que não! mas Jesus sim morreu para que pudessemos ser salvos deste mundo. Somente Jesus pode curar as feridas do seu coração,somente Ele pode te fazer feliz.Ele me savou do suicidio e me mostrou o verdadeiro sentido da vida. e Sou uma pessoa feliz de verdade, sem fingimentos, e mentiras. Jesus é a Razão da minha vida, se não fosse Ele eu estaria morta aos 17 anos de idade, e hj ja tenho 25 e sou uma pessoa feliz, e vivendo tudo que Deus tem pra mim, pois Ele nos criou com propósito de nos tornar filhos Dele e nos salvar do imperio das trevas, Ele vive e é mais real do que eu e vc, por isso creia Jesus pode mudar a vida de qualquer quer pessoa, não importa o q vc ja fez de errado, Ele morreu na cruz exatamente por causa dos nossos pecados o sangue de Jesus nos purifica de todo pecado. Jesus pode te mostrar e leva-lo a viver o verdadeiro sentido da sua existencia. Deus abençoe a todos em nome de Jesus.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/01/2010 - 07:47
    Enviado por: Fabiana

    A Roberta pode estar se tratando de bipolaridade, mas ela nao sabe o quao grave é essa doença, e o seu relato, muito vago e mal escrito.
    Abuso infantil, problemas familiares, cirrose hepática e corte costura não são genéticos e nada tem a ver com o transtorno bipolar. Esse é uma doença!

    responder este comentário denunciar abuso

    • 21/01/2010 - 08:44
      Enviado por: Roberta

      Olá Fabiana e todos que comentaram.
      Agradeço todas as mensagens de solidariedade e honestamente não estava esperando toda essa repercussão. Parece até um livro da Clarisse Lispector…
      Enfim, ontem enviei um email para Claudia dizendo que estaria à disposição para esclarecer alguns comentários e ela me falou sobre diversidade e sobre as “fugas”…
      Existe um limite de caracteres pra escrever o relato, portanto, coloquei o que achava mais relevante e o que me levou a oscilação de humor (e claro, mais preocupada em transmitir emoção).
      As predisposições genéticas à depressão e ao alcoolismo influenciaram muito para doença DESENVOLVER. É como um câncer. A pessoa pode ter predisposição, no entanto, se ela fuma, não passa protetor solar e se alimenta mal (exemplos) a doença EVOLUI.
      Por isso, estou me tratando com ótimos profissionais (disso tenho certeza).
      Estou acompanhando cada comentário e mais uma vez agradeço todas as dicas…
      E acreditem: o AMOR e a INFORMAÇÃO são duas coisas essenciais no tratamento.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 21/01/2010 - 08:20
    Enviado por: Domingos

    Fiquei sensibilizado com o depoimento. Sou casado a 25 anos com uma bipolar. Começou com uma crise a 15 anos quando nossa filha tinha 6 anos. No início foi muito difícil. Com o tempo ela aceitou o tratamento que segue até hoje com consulta periódoca ao psiquiatra, onde avalia a medicação.É preciso muita compreensão para conviver com uma pessoa com esta característica, períodos depressivos com baixa auto-estima, períodos de euforia. Nossa filha sofreu mais na adolescência, hoje compreende e apoia a mãe, estuda numa universidade e mora fora.
    Roberta, além da tia você pode ter um homem que a compreenda e quem sabe filhos. Claro que voce terá de sempre em tuas atitudes lembrar do teu problema e o que isso implica as outra pessoas. E jamais abandone o tratamento. Seja feliz.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/01/2010 - 08:46
    Enviado por: Rodrigo de Sene

    Como diz uma amiga minha minh: “A nossa mente mente”. Devemos realmente tomar cuidado e não deixar cair nos momentos mais sensíveis.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/01/2010 - 08:47
    Enviado por: Claudia Belfort

    Sr. Zezé Pipoca, sr. Francisco e sra. Silvia
    Tentei entrar em contato com os senhores para informar que seus comentários não seriam publicados, porém os emails que forneceram eram inválidos. Faço-o por aqui.

    Senhores, por serem grosseiros e desrespeitosos seus comentários não serão publicados. Suas opiniões, mesmo divergentes, são bem-vindas. Peço, porém, que opinem, comentem e respeitem os leitores (portanto também a si mesmos). O Estadao.com, assim como o Sinapses, é um meio de comunicação social e no âmbito da sociedade não é possível haver comunicação sem respeito e sem educação.
    Claudia

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/01/2010 - 08:51
    Enviado por: Daniel

    Meus parabéns ! As dificuldades estão aí para nos engrandecer, esses relatos mostram a vida como ela é. Sem cortes e nem intervalos. Boa sorte a “Roberta” e vamos em frente.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/01/2010 - 09:03
    Enviado por: Artur Tokimatsu

    Um assunto bem complexo e, para o leitor que quiser saber mais sobre a ‘bipolaridade’ entre outros distúrbios psíquicos e psiquiátricos, pode baixar gratuitamente os programas de rádio do Dr. André Keppe pelo link: http://www.transpsicanalise.com.br/cds.html. Atenciosamente. Artur Tokimatsu – SP,21/01/2010

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/01/2010 - 09:10
    Enviado por: Adriel Batista Correia de Melo

    Maceió,21/10/2010

    Sr.Editor.

    A Roberta sofreu muito e merece(mais que ninguém)
    ser feliz.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/01/2010 - 09:15
    Enviado por: leonardo bretas

    minha esposa tem esses tipos de comportamento tbm, age sempre po impulso sempre irresponsavel e alterações de humor frequentes pode ser trastorno bipolar tbm??por favor me ajude e me responda obrigado!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/01/2010 - 09:23
    Enviado por: Oliveira

    Parabéns (Cláudia e “Roberta”) pela reportagem tão reveladora.
    A quantidade de comentários postados demonstra quanto a discussáo deste assunto é importante para nós, passageiros do século 21.
    Saliento, como portador que sou de sintomas depressivos, que, pelo menos no início, o tratamento QUÍMICO É ESSENCIAL, fornecendo a tranquilidade basal necessária até mesmo para a escolha dos melhores caminhos para alcançar os desejos (sejam eles de cunho religioso, filosófico, social, sexual, etc).

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/01/2010 - 09:26
    Enviado por: Zeca

    O depoimento é corajoso e de grande importância, pois pode dar um empurrãozinho àqueles que percebem que têm um problema, ainda não o elaboraram e se conscientizaram dele, mas sabem que alguma coisa não está normal. Procurem ajuda e viverão mais e mais leves.
    Ah, também percebam que o sentimento de culpa é o verdadeiro inferno daqueles que padecem de algum mal psiquiátrico. Ele é destrutivo e paralizante, mistura-se à confusão própria dos transtornos e nos aprisiona. Procurem ajuda profissional, se necessário tomem medicação. Aí é que vocês vão começar a encarar os problemas para resolvê-los. Palavra de quem sofre de depressão e está em tratamento, eu.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/01/2010 - 09:26
    Enviado por: Hélio Gorjon

    Ótimo e oportuno o relato de Roberta, mas infelizmente para a maioria da população brasileira não ha o que fazer, pois, um tratamento pela rede municipal ou estadual, leva de 1 a 4 anos de espera, falo porque trabalhei no HC campus Ribeirão Preto e vi de perto afila p/ tratamentos pisquiatricos, mais de qualquer maneira , parabens Roberta se continuar assim vc corre o risco de viveruns 200 anos, feliz ainda porcima.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/01/2010 - 09:28
    Enviado por: Filipe Ferreira

    Parabéns Wladimir!

    Falar de Jesus incomoda mesmo. Jesus não é só um apoio, nem um fruto da imaginação pra se sentir bem. Ele é real e esta vivo. Onde ele esta? A destra do pai. Ele fala com vc, toca vc e pega na sua mão. A religião não resolve mesmo, o que resolve é Jesus. E pra quem disse que pra si não funcionou é porque a Palavra confrontou sua vida e te fez fazer coisas que não fazia, como não queria deixar de faze-las, foi procurar outra coisa diferente de Jesus. Não é papo de evangélico, é papo de Jesus. Até hoje, ninguém conseguiu provar o contrário. O engraçado é que os comentários são soluções e narrativas pessoais, porém, narrativa ou solução de Jesus não serve, pq ninguém esta falando de religião. Os comentários estão aqui pra que? Eu só enfatizo.

    Moça, procure a Jesus, não á Igreja Estado, mas sim Jesus! Ele vai resolver seu problema! Creia!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/01/2010 - 09:31
    Enviado por: Artur Tokimatsu

    Bom dia, Cláudia !
    Comentei os comentários, e esqueci da sua matéria.
    Tão antiga e, bem atual, que merece ser contada, pois a vida é vivida com informações que agreguem o nosso conhecimento, senão pra que ser gregário sem compartilhar?
    Omedetôu…Parabéns !
    Abraço
    Artur Tokimatsu – SP,21/01/2010

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/01/2010 - 09:36
    Enviado por: Alex

    Seria importante a frequência em uma boa casa de orações, orando para os outros no meio dos outros.
    Estudando e Trabalhando em conjunto com o plano espiritual e entendendo que existe muito mais a ser analisado.
    A Patologia é um reflexo de seu eu como espirito e alma.
    Hoje em dia são feitos trabalhos maravilhosos com médicos dos dois planos.
    Desde Constantino nos anos 300 DC a mediunidade, que tods temos em graus diferentes foi banida da humanidade e ainda hoje tratada como mitsério por muitos.O Brasil hoje é o atual celeiro da espiritualidade e deveria ser melhor entendido e aproveitado por nós brasileiros.
    se te interessar, lá vai a dica.
    http://www.divinismo.org

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/01/2010 - 09:38
    Enviado por: Carlos André

    Muito oportuno para mim este texto, especialmente uma potencial relação entre transtorno bipolar, bebida e sexo irresponsável. Sou um profissional de sucesso, saudável, casado e aos olhos de todos uma pessoa totalmente normal, quase um modelo, mas que às vezes se excede um pouco na bebida.

    O que muitos não sabem é que tenho pensamentos muito obsessivos em relação a sexo, na maior parte das vezes extravasados via Internet. E quanto à bebida, olhando os últimos anos, vejo que em várias ocasiões perdi totalmente o controle, falei e fiz o que não devia, dirigi embriagado, coloquei em risco muita vida, a dos outros e minha reputação. Por sorte nada de mais grave aconteceu, foi sempre quase, e depois de alguns dias todos esqueciam e por vários meses nada acontecia, e a vida continua.

    Ano passado estas duas obsessões se encontraram e num dia como outro qualquer bebi muito além da conta e fui a uma casa de prostituição, voltei para casa no meio da madrugada completamente embriagado para encontrar esposa e filhos preocupados. Vocês podem imaginar como foi desagradável a situação, que quase custou meu casamento.

    Eu achava antes que meu comportamente era devido a irresponsabilidade e imaturidade, mesmo já estamos quase na casa dos 40 … depois comecei a pensar que poderia ser indícios de alcoolismo e compulsão sexual … mas como tenho uma pessoa bipolar na familia considero que pode ser um pouco disso também, já que os meus meses de traquilidade são entremeados por alguns dias de total descontrole.

    No fim das contas concluí que tenho algum problema e devo controlar meus impulsos pela bebida e sexo, resolvi me dar uma chance antes de partir para medicamentos e por enquanto tem funcionado.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/01/2010 - 09:46
    Enviado por: Renata

    Muito bem!
    Deus está em você!!!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/01/2010 - 09:49
    Enviado por: Seagfread Zenkler

    Diante do relato em questão, e dos comentários postados, apenas acrescento que você obteve de volta a autoridade sobre a sua vida. Não confunda autoridade com autoritarismo. O primeiro é constante de mérito enquanto a outra é abuso de poder sobre outrem. Sua tia é um bom exemplo. Ela dever ser respeitada como uma mãe. Meus sinceros votos de respeito por ambas diante das iniciativas.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/01/2010 - 10:00
    Enviado por: fabio

    minha irmã era ezquisofrênica, são pessoas especiais veem o mundo de outro prisma, as vezes, lembro-me, de que era necessário ter muito senso de humor, compreensão e carinho para poder entendê-la. sinto muita falta dela, ela se foi há uns três anos. roberta espero que voce tenha alguem que possa vez ou outra te escutar, falar com voce, ter paciência contigo, compreender teu espaço, para que voce possa acontecer. toda força e mansuetude do mundo para voce e os teus.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/01/2010 - 10:05
    Enviado por: Angelo Roberto Malheiro

    Parabéns pela Claudia pelo espaço.
    Parabéns pela Roberta por estar vencendo essa batalha e a sua família por estar ajudando-a.
    Meu nome é Angelo sou bipolar e faço tratamento a 6 anos.
    Tenho semelhanças com seu testemunho no que diz respeito a falta de limites com sexo e alcool, desestabbilidade de humor e pensamentos negativos.
    Graças a Deus é uma luta que estou vencendo.
    Chegou épocas da minha vida de estar perdendo a maioria das batalhas.
    Era totalmente descrente à Deus, bebia demais e acabava sempre saindo com uma menina que nem lembrava quem era ou terminava à noite numa boate com prostitutas e depois entrava em depressão profunda.
    Bom…são muitas as histórias e a finalidade do meu depoimento hoje é só tentar mostrar pra você que tudo podemos, através de Deus crermos e criarmos forças que nos leve a um caminho que nos ajude.
    Sua irmã foi muito serena em comentar que Deus é muito importante, porém em casos que envolve problema químico, (no caso do Bipolar necessitamos de algum agente químico, no meu caso o lítio para equilibrar o humor), há a necessidade de acompanhamento médico para identificar qual o melhor medicamento.
    Há muito preconceito inclusive o nosso, foi muito dificícil aceitar, pois não é um problema visível fisicamente, só nós sentimos.
    Depois de muito tempo aceitei Jesus e através dele encontrei um bom médico,que me mostrou o quão é importante tomar a medicação constantemente, fazer terapia, dormir bem, ter uma boa alimentação e evitar o alcool.
    Espero que possa ter ajudado, muita Luz, paz, serenidade, força pra entrentar os desafios da vida e QUE DEUS TE ABENÇÕE!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/01/2010 - 10:19
    Enviado por: Melissa

    Parabéns, Roberta, que você continue nesse caminho e seja feliz. E agradeça muito a sua tia, é de pessoas assim que precisamos em nossas vidas. Descobri que tenho transtorno bipolar há pouco menos de um ano, depois de passar seis anos em tratamento para depressão. Desde que o diagnóstico foi corrigido e meu tratamento alterado, a mudança foi enorme. É muito, muito importante mesmo revelar absolutamente tudo ao psiquiatra, no meu caso foram anos até entender que minhas crises de mania se manifestavam como raiva e irritação, e não como euforia. Que ser “rabugenta” não era parte da minha personalidade, mas sim um sintoma da doença.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/01/2010 - 10:24
    Enviado por: otavio

    é isso ai!! nada e ninguém bate mais forte que a vida, mas o importante é seguir lutando e seguindo em frente! parabéns! não desista, pq a vida sempre continua, mesmo que não sua, mas de familiares e amigos ao redor!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/01/2010 - 10:28
    Enviado por: THX

    Incrível relato, parece tratar-se de uma pessoa consciente de si, inteligente e sofrida, porém fiquei triste no final ao perceber que ela não teve outra alternativa a não ser tomar antidepressivos. Será que realmente não há outra saída mais digna? Não estaria ela forçando a barra de si mesma diante da vida tentando de todas as formas ser alguém que não é por causa da pressão midiática que reza que precisamos ser felizes continuamente e a todo custo? Como ela aprendeu, como ela viveu e se conheceu, mas a partir do momento em que passa a tomar esses produtos tudo fica perfeito. Solução assustadora, em breve estaremos todos tomando alguma coisa para que nos adaptemos a este mundo frenético mentalmente ao invés de continuarmos a questionar fortemente os padrões impostos pelo sistema.

    Abs

    responder este comentário denunciar abuso

    • 21/01/2010 - 14:43
      Enviado por: Rachel

      THX
      Aco que você está equivocado quanto ao uso de medicamentos. O transtorno bipolar é uma doença que pode matar e não é só com boa vontade que é curada. Assim como o câncer precisa de quimioterapia, o diabetes precisa de insulina, o transtorno bipolar precisa de remédios também. É uma doença física e não psicológica, trata-se com medicação, terapia e amor. Só boa vontade infelizmente não resolve.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 21/01/2010 - 16:09
      Enviado por: KK

      Nao conheço ninguem que perdeu a personalidade ou a dignidade por precisar de insulina ou quimioterapia.
      Tomar medicamentos é assumir que se tem uma doença. A mente tambem adoece e toda doença pode ser assustadora! Transtornos psiquicos matam tanto quanto cancer, diabetes… Louvavel é aceitar, se tratar e nao fazer ninguem sofrer com o seu inferno. Pelo pouco que conheco desse transtorno, e das pessoas que sofrem dele, a medicação deve ser acompanhada de algumas mudanças de hábito e isso parece que a Roberta adotou tb – como em qualquer tratamento, de qualquer doença.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 21/01/2010 - 10:41
    Enviado por: zety;

    CLÁUDIA BELFORT; obrigada por nós trazer à ROBERTA . confesso que aprendi bastabte. traga p/ nós outros assuntos tais como ASMA. é outras doeças chamadas EMOCIONAIS, abçs p/ ROBERTA, é Jesus ilumine vc . DEUS te abençôe; zety

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/01/2010 - 11:53
    Enviado por: Edison

    Ontem,tentei escrever algo mas não consegui,gostaria de escrever tão bem quanto o sr.Eli Barroso,como não consigo mas sei sentir,quero indosar o que ele escreveu e parabenisar tanto a “ROBERTA” quanto a sua madrinha e tambem a jornalista Claudia e que DEUS continue a abençoa-las.Parabens e abraços.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/01/2010 - 16:11
    Enviado por: Ana Célia

    Eli Barroso

    Em momento algum eu disse que isso é uma panacéia para a o transtorno bipolar, quis só contar uma experiência que está dando certo já há alguns anos.

    Mais uma informação um médico com formação em nutrologia não é nutricionista. Não dá receitas de alimentação nem prepara dietas. Sua metodologia consiste em levar o paciente a identificar alimentos que disparam determinados sintomas: a opção de eliminar ou diminuir a ingestão daquele alimento é do paciente.

    O que ocorre é que ao perceber o início dos mesmos o próprio paciente redireciona sua dieta para alimentos que ele gosta e não disparam sintoma psíquico algum.

    Grata pelo comentário, abraço

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/01/2010 - 16:39
    Enviado por: Ana Célia

    Carlos André

    Parabéns pela coragem de assumir que há algo em seu comportamento que excede a uma simples irresponsabilidade ou alguma imaturidade momentânea.

    Não dou conselho, pois acho que cada pessoa sabe o que é mais adequado para si. Porém nesse caso ouso fazer uma sugestão, procure um terapeuta, pois é muito difícil controlar sozinho comportamentos impulsivos, eles tomam a sua vida naquele momento e fica insuportável segurar a barra.

    Observe o seu relato e veja como você já vivenciou isso várias vezes. O desejo de controle é algo racional, o impulso é puramente emocional e “empurra a razão para escanteio”.

    Continue firme, abraço

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/01/2010 - 19:54
    Enviado por: Marli

    Para quem se interessar, vai uma coisa muito boa a todos que acredito ser de interesse mútuo para quem tem ou não. Fui tratada da Depressão Bipolar, deixei de tomar 16 remédios diários e hoje vivo uma vida viva… Que fascinante chegar aonde cheguei e conquistei. Com certeza estou curada, não altero mais o humor, meu psiquiatra elogiou o caminho que segui, ele aprovou! Veja um pouco do meu relato verídico para conhecer mais minha vida.

    Ó Grande Amigo que me ajudou na fase mais difícil e complicada de minha vida, nos momentos de desespero, agonia, muita angústia, solidão, dor e feridas na alma, coração oprimido, endurecido, com um vazio sem esperança de suprir e preencher. Noites e dias intermináveis, cansada, triste, vibrando e vivendo na maior escuridão das trevas caindo cada vez mais na imensidão do abismo e do vazio.
    Em minha trajetória acreditava que tinha de tudo e ao mesmo tempo sentia o vazio inexplicável dominar por inteira, percebia que não tinha nada e sem razão de viver. Tive o diagnóstico médico de Depressão Bipolar, segundo a medicina não tem cura. Vivia uma grande dor, tristeza e sofrimento na alma e sentia que não mais existia para vida…
    Após correr atrás de várias saídas e tratamentos sem resultado e solução, encontrei o caminho certo a seguir. Pude comprovar com toda certeza e convicta ao longo de minha jornada existencial que nada, ou melhor, tudo que está e advém de fora não pode realmente curar, mas sim ter alguma melhora significativa em questão de algum tempo. Aprendi a despertar a minha força interior e a viver na pureza da essência e sem medo. Trabalhei arduamente, conquistei o equilíbrio emocional, tenho controle, sustentação, estrutura e muito fortalecida frente as incertezas da vida. Tratei e limpei todas as sujeiras, feridas, ruídos e bagunça da mente poluída.
    Renovei e me transformei, sou livre e liberta da doença e de todos os remédios, totalmente curada, feliz por inteira e vibro na verdadeira “Luz Divina”. Não existem barreiras a transpor e vencer toda ilusão quando quer participar da obra de Deus, dos mistérios da mente e seu poder. Tudo que está escondido pode ser resolvido…
    A cura interior pode estar a seu alcance independente do que você tenha, tudo depende de você querer ou não participar! Você quer a cura ou continuar na ilusão! A escolha é sua e a vida também, não perca mais tempo…
    Muito obrigado meu Deus por tudo, por mostrar o caminho certo a seguir e por todas as bençãos recebidas, hoje sem dúvida sou o milagre da vida…

    Em agradecimento, mando imprimir um milheiro para que todos saibam, conheçam e, quem sabe até recebam ajuda para suas aflições e trate de verdade suas mentes.
    Este amigo que cito é um profissional da área da Psicossomática que colocou em ordem a minha mente. Para quem tem algum interesse ele acabou de escrever seu livro sobre os mistérios da mente, é muito linda a sua obra literária, vale muito a pena conhecer do assunto. Para quem interessar, entre no site http://www.andrelimaoliveira.com.br para maiores informações, ou se preferir pode me ligar que falo os detalhes. Hoje grito para o mundo sobre a graça recebida, não posso ficar calada… É para o bem da humanidade.

    Caso tenha interesse sobre minha caminhada e como consegui a cura ligue para (11) 2861-4173 / 8945-6425 Marli

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/01/2010 - 20:43
    Enviado por: Regina Valsani

    O depoimento é muito revelador.
    Apesar de todo o sofrimento, houve busca e apoio.
    E este espaço que o Sinapses abre contribui para que outros procurem algum auxílio médico.
    E depois resgatar auto-estima não é repentino.
    Tarefa árdua e envolve tempo.
    Abraços

    responder este comentário denunciar abuso

  • 22/01/2010 - 21:52
    Enviado por: Bia Moraes

    Parabéns Roberta: pela coragem, pela força, por se expor. Por lutar e aprender. Por buscar tratamento e não desistir. E Claudia, por abrir este espaço. Infelizmente a história da Roberta é muito parecida com a de centenas de outros bipolares. Os comportamentos de risco, a inconstância, as situações se repetem.

    E sim, como disse aqui uma psicóloga, é muito importante DAR VOZ aos portadores de transtorno mental. A medicina avança cada vez mais nos estudos do cérebro e das doenças, ainda bem! mas quanto mais nós pudermos falar, abrir nossa condição, melhor para todos. Digo nós porque tbem tenho transtorno bipolar. Fui diagnosticada há 12 anos e desde então nunca parei de me tratar: medicamentos e terapia com psiquiatra. Tive fases de precisar ir 3 vezes por semana ao consultório. Tenho histórias e mais histórias.

    Hoje estou com a doença controlada, vou ao psiquiatra uma vez ou duas por mês, não falto nunca, não deixo de tomar meus medicamentos. Hoje consigo trabalhar e criar meus filhos. Aos poucos vou conseguindo abrir minha condição, contar para algumas pessoas mais próximas, amigos. Mas o estigma é forte. Isso porque o transtorno bipolar é complicado, ainda pouco conhecido, ainda cheio de mistérios – e mais – ele tem alguns padrões mas em geral o transtorno se mistura com a personalidade da pessoa, a gente não sabe o que é da gente, o que é causado pela doença, o caráter e os distúrbios se misturam.

    Quando vc se abre, e conta que é bipolar, ou as pessoas passam a te ver como alguém doente, desequilibrado e sujeito a crises, ou seja, alguém em quem não se pode confiar; ou rola um “coitadismo”, sentem pena, o que é péssimo, pois não é isso que queremos nem precisamos; muita gente se afasta, amigos se vão; a maioria das pessoas simplesmente não entende, e é mesmo difícil de entender essa doença!!

    A mídia tem falado mais da doença, o que é bom. Por outro lado se disseminam muitos tabus e inverdades.

    O que eu posso dizer é que não se pode nunca parar o tratamento. Transtorno bipolar é uma condição. Não tem cura. Tem controle. Autoconhecimento, terapia, atividade física, boa alimentação, tudo isso ajuda, e muito. O que MAIS AJUDA é ter o amor e a confiança da tua família ao teu lado. Meu marido sempre esteve comigo. Sempre. Mesmo sem entender muito bem, muitas vezes sem saber o que fazer ou como agir diante de um surto de mania ou crise de depressão, ele sempre esteve ao meu lado. Tenho quatro filhos – e ter filhos também me salvou. A presença e o amor deles com certeza salvaram minha vida.

    Por último – fé, crença em Deus, em alguma religião, claro que ajuda, e muito. Mas por favor, sem obscurantismo: Jesus ou Deus não curam nada, não salvam nada, se a pessoa não tiver tratamento, psiquiatra, acompanhamento, medicamentos necessários.

    Este ano, depois de todo esse tempo, estou começando a juntar tudo que escrevi ao longo de mais de uma década. Em surtos, ou não, sempre escrevi muito, e isso tbem ajudou a superar e entender as crises. Talvez eu consiga escrever um livro. Mas não quero simplesmente fazer mais um relato de tudo que passei. Existem livros assim, e como o depoimento da Roberta aqui, são tocantes, são necessários. Mas eu quero ir além, não quero apenas exorcizar demônios,pretendo ajudar quem tem a doença e quem convive com ela. Quero organizar os relatos de forma a esclarecer, contar com a ajuda de profissionais para quem sabe orientar, levar mais luz para esse assunto.

    Claudia, obrigada pelo espaço! Abs a todos.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 22/01/2010 - 22:14
      Enviado por: Claudia Belfort

      Bia, super obrigada pelo seu comentário. Sincero, suave e direto no coração. Se quiser enviar uma de suas histórias para a seção Vozes… vou receber com prazer. abs

      responder este comentário denunciar abuso
    • 23/01/2010 - 10:04
      Enviado por: "Roberta"

      Bia, vim agradecer tb. É muito boa essa troca.

      Estou no caminho… varrendo a sujeira que estava debaixo do tapete, descobrindo como controlar o humor, lembrando como é amar e confiar. É um processo, tenho consciência que terei que tratar a vida inteira…

      Ainda não tenho filhos, no momento não estou me relacionando com ninguém, mas tenho uma tia maravilhosa, mãe generosa, irmãs e sobrinhos muito carinhosos e amigos divertidos e sem preconceitos – o que é essencial.

      O preconceito, por incrível que pareça, vem de algumas pessoas de dentro da família, o que dificulta muito o tratamento e isso realmente é péssimo.

      Trouxe minha história pra trocar, pois existem muitos bipolares no mundo e a resistência em assumir é muito grande… Resultado é toda essa repercussão.

      Bia, eu também escrevo muito, acho que faz bem, gostaria de ler sua história!

      Acho que escrever organiza e trazer essa história à tona foi uma forma de atingir e ajudar as pessoas: não desejo que todo esse sofrimento se repita.

      Claudia, muito obrigada por publicar!

      É preciso coragem mesmo… Foram dias tensos, vou descansar agora, passear com minha família e fazer meus sobrinhos rir – que é a função de tia!

      Muito sucesso e luz a todos!

      responder este comentário denunciar abuso
    • 23/01/2010 - 18:08
      Enviado por: Marli

      Veja meu relato acima do seu, eu fui curada de verdade da Depressão Bipolar. É muito forte o que passei, vivênciei e aonde cheguei. Com certeza quebrei este tabú que não tem cura e precisa de controle, de remédios, psiquiatria, exercícios físicos, boa alimentação e outros mais. Sinto a minha força interior vibrando intensamente e que existo para vida em sua magnitude e abundância. Se tiver maiores interesses pode entrar em contato que lhe conto o caminho da minha cura. Tenho 53 anos e vibro uma energia de dar inveja a todas as idades, por isso grito ao mundo o que conquistei e como gratidão não posso ficar calada. Antes só vivia em Médicos,Psiquiatra, Psicólogos, era doente mentalmente e fisicamente e hoje não dependo de mais nada, sou livre e liberta, com certeza renovei e me transformei, sou o milagre da vida!!!
      Saudações…

      responder este comentário denunciar abuso
    • 24/01/2010 - 15:12
      Enviado por: Bia Moraes

      Claudia, obrigada pela resposta, vamos nos falando. Como te disse, estou começando a organizar minhas escrevinhações. Mais pra frente pode surgir um texto em formato interessante pro Vozes. Estou indo devagar… não é fácil remexer.

      Marli: não sou médica nem psiquiatra, mas preciso ser sincera, porque como jornalista tenho compromisso com a verdade: de tudo que conheço, li, pesquisei, conversei com pessoas e psiquiatras ao longo de 12 anos, discordo de vc. Não existe cura milagrosa. Suas palavras e o tom do seu relato lembram demais o modo “euforia” do bipolar. Nessas fases a gente tende a acreditar no sucesso, no poder e na vitória. Nos sentimos com energia, vibrantes, cheios de vida e invencíveis. É nessas fases que pastores evangélicos, curandeiros e outras formas de crendices, seitas e vendedores de receitas, “pegam” os doentes de transtorno bipolar e os fazem crer em cura.

      Infelizmente, tão certo como dois e dois são quatro, depois de uma fase de euforia como essa, mais cedo ou mais tarde, vem a depressão. Por favor, se cuide.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 31/01/2010 - 14:48
      Enviado por: Fabiano Barros

      Oi Bia, sou pesquisador nessa área e gostaria de trocar e-mails com você sobre o assunto.

      Fabiano Barros

      responder este comentário denunciar abuso
  • 24/01/2010 - 16:59
    Enviado por: Davi

    Claudia, Roberta, depois de uma fila imensa de comentários e contribuições, não há muita coisa para falar. Gostaria apenas de parabenizá-las e enaltecer o auxílio que Roberta trás, não somente às vítimas da Bipolaridade, mas, também àqueles que ainda não encontraram forças para sonhar com uma vida melhor, com um pouco de paz e tranquilidade, longe de problemas emocionais. Tentei sentir o seu sentimento após a publicação do post, Roberta. Fiquei feliz pela sensação de ruptura com o passado ao contemplar dias futuros, dos quais possamos nos orgulhar mais. Foi muito bom! Parabéns! …Sou Bipolar.
    Quanto a você, Claudia; que trabalho! Por alguns instantes, imaginei você correndo na redação (com caneta atrás da orelha, telefone na outra, celular tocando na bolsa, em frente ao computador, chefe chamando na sala, muitas mensagens chegando sem parar, copo d’água sobre a mesa e um monte de e-mails para triar). E, também, por breves segundos, tentei sentir o seu sentimento em relação a tudo isso e aos frutos desse trabalho…Fiquei tão feliz…É gratificante demais, não é? Parabéns! Seu trabalho é muito importante!…Sou Bipolar.
    Deus abençoe vocês duas!

    responder este comentário denunciar abuso

    • 24/01/2010 - 18:06
      Enviado por: Claudia Belfort

      Davi, muito obrigada mesmo. Hoje mesmo falava sobre quanto tem sido intenso tocar o blog. Ah, tirando o lápis atrás da orelha, o resto acertou tudo, até na água.
      abs

      responder este comentário denunciar abuso
  • 26/01/2010 - 08:44
    Enviado por: Davi

    Não há pelo que agradecer não, Claudia. Tenho acompanhado o seu trabalho desde o “MINHA 1ª VEZ FOI HÁ 30 ANOS”, no lançamento do blog, em 3 de novembro. Posso dizer que há muita credibilidade em tudo o que tem feito. Também tenho divulgado o blog para quem posso. Dia desses, te conto um pouco do meu drama, no Vozes…Ainda falta a coragem da Roberta…
    Um abraço

    responder este comentário denunciar abuso

  • 03/02/2010 - 04:25
    Enviado por: Roberto

    São 3 e pouco da manhã aqui onde vivo, virei 6 garrafas de cerveja e mais parece que bebi um suco de laranja.
    Estou lendo sobre loucura, demência, e todo o universo de outras complicações desde as 7 da noite, já fiz terapia por 5 anos e só parei pois no maldito fim de mundo onde vivo hoje por conta de meu serviço (sou das Forças Armadas) não um psicólogo ou psiquiatra num raio de 2000km.
    Por duas vezes já tive uma pistola carregada nas mãos e uma vontade de estourar minha cabeça.
    No meu ambiente de trabalho, intolerável, pessoas como eu são descapacitadas, fracas, débeis, incompatíveis com a tipologia de nosso labor, mesmo para mim, fluente em duas línguas estrangeiras, formado por uma faculdade federal e três vezes pós-graduado e com vivência no exterior, sou nada.
    E eu com meus 30 anos de serviço, tenho de permanecer calado, usando outros subterfúgios para poder encontrar atendimento, enquanto isso encaro o serviço, pela manhã, com muita tranquilidade, depois de 3 xícars de chá com qualquer coisa alcoólica, para chegar bem, calmo e tranquilo no dia-a-dia.
    A sociedade não entende a dimensão de nossos problemas.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 06/02/2010 - 01:47
    Enviado por: Vicente de Moraes

    Oi, Claudia!

    Sou advogado, sou marido da Bia Moraes, que escreveu aí em cima. Parabéns pelo blog e pela iniciativa, pois acho que a informação e a troca de idéias são fundamentais. O que você está proporcionando aqui é muito importante.

    Peço licença para mandar esses recados:

    Ei, caro amigo Roberto, você das Forças Armadas, que está “2000 light years from home”, aqui é um cara que ficou impressionado com seu comentário, sincero e bem escrito.

    Gostaria de escrever alguma coisa que te fizesse sentir bem, talvez alguma história edificante ou qualquer outra coisa que ajudasse. Mas sou fraco e não sei como fazer isso. Não sei como dizer as coisas certas nas horas certas.

    Talvez só de você saber que pelo menos algém na sociedade entende, sim, a dimensão de seus problemas, isso já te fosse um alento.

    Já tinha também ficado impressionado com os escrtios da Renata, o testemunho e mais ainda os comentários, são muito honestos. Você também escreve bem, Renata, continue escrevendo. Quem leu Clarice Lispector já tem mais chance de ficar curado!

    Querida Bia, de todos você é que escreve melhor. Obrigado por ser gentil comigo em seu comentário. Nós sabemos, eu não sou tão bom. Falho e falto, é vergonhoso. Sei que já te causei muita dor. Acho que o que me salva é o amor que penso que tenho dentro do coração e que nunca faltou para mim e para você, e de mim para você, enorme e eterno.

    E para todos os três (e também todos os outros acima): vocês estão de parabéns, são vencedores de inimigos terríveis e eu sei que vão continuar lutando e vencendo.

    “Terríveis inimigos invisíveis que havereis de triturardes com teus pés”

    Até breve !

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/02/2010 - 16:34
    Enviado por: Roberto

    Vicente,
    você que me conheceu por aquilo que escrevi, fez mais que todos os que me cercam e deveriam me atender, nos últimos 30 anos, com suas palavras francas, com seu sentimento direto e afável, daqueles que convivem com o cotidiano difícil dos que dependem de ajuda, seja medicamentosa, profissional, afetiva, nem sei o que é mais importante, se é que nos é possível graduá-las.
    o Cuidado que você manifesta com a Bia é exemplar, me permiti, copiar os dois relatos, de Bia e o seu e enviá-los aos meus familiares, minha (????) companheira e filhos.
    É a atenção que venho pedindo mesmo silente a eles e aqui sozinho nos confins da Amazônia (Tabatinga/AM) careço tanto, pois nenhum deles me acompanhou.
    Obrigado pelo elogio à escrita, é o mínimo que se espera de um educador, pedagogo por formação, mas restrito aos limites da farda.
    Abraço

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/02/2010 - 20:07
    Enviado por: Bia Moraes

    Estou impressionada com a repercussão deste blog e, especialmente, desse post onde a Roberta se abriu e contou sua história de bipolar.

    Claudia, nem preciso dizer, acho que vc tem a noção exata da pequena revolução que está causando aqui, abrindo um espaço que parece pequeno – mas como pode ser pequeno? Se atingir uma única pessoa, se ajudar um único coração, se der guarida e esperança a uma só alma que seja? Já seria grande se fosse por uma só pessoa acolhida.

    Mas tem sido mais do que isso, não é? Somos tantos, podemos ver aqui. Nós os doentes e os que convivem conosco, os que nos amam, os que nos cuidam. Somos tantos iguais na diferença. Tantos que precisam de espaço para se expressar, de esperança, de alento, de trocar experiências. De saber uns dos outros. De acompanharmos a luta do outro, as pequenas vitórias, o conseguir viver, mais do que sobreviver. De encontrar um bom médico, de ter o diagnóstico correto. De receber tratamento adequado. De não ter vergonha de existir e ser doente – doente de alma, de uma doença que corrói, mas com a qual podemos lidar. De ter apoio, amor, compreensão. De saber que podemos tropeçar, e sempre vamos cair, e levantar e seguir. Precisamos falar, não é?

    Roberta (desculpe, acho que na emoção de escrever aqui e se expressar, meu marido te chamou de Renata, então peço desculpas por ele), você disparou o gatilho do bem. Com a sua coragem. A gente vai continuar se encontrando por aí, pela vida, pois já estamos juntas – nós e nossas famílias – unidas pelo espaço que a Claudia nos deu.

    Você, Claudia e outros que aqui se manifestam estão me ajudando mais do que podem imaginar. Espero sinceramente que eu possa fazer o mesmo pelos outros, e é por isso que finalmente encontrei motivação, consegui começar a escrever o livro que planejo há anos. Não é nada de mais, mas é uma tentativa. Um dia ele vai sair. E eu vou ser mais feliz se puder compartilhar e ajudar.

    Roberto, você que está na Amazônia: muito mais longe está a voz que não pode ser ouvida. Você já não está mais tão distante assim. Nós sabemos de você, e agora você sabe que há caminhos. E no fim das contas é simples assim: falar e ser ouvido. Falar. E ouvir.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 08/02/2010 - 16:02
    Enviado por: Roberta

    Para Claudia, Bia, Roberto, Davi…

    “O inferno dos vivos não é algo que será;
    se existe, é aquele que já está aqui,
    o inferno no qual vivemos todos os dias,
    que formamos estando juntos.
    Existem duas maneiras de não sofrer.
    A primeira é fácil para a maioria das pessoas:
    aceitar o inferno e tornar-se parte deste
    até o ponto de deixar de percebê-lo.
    A segunda é arriscada e exige atenção e aprendizagem contínuas:
    tentar saber reconhecer quem e o que, no meio do inferno, não é inferno, e preservá-lo, e abrir espaço.”
    Ítalo Calvino

    Mais uma vez, muito obrigada!
    abs

    responder este comentário denunciar abuso

  • 17/02/2010 - 19:56
    Enviado por: 60% dos bipolares passam por problemas com drogas | Sinapses

    [...] e drogas então o espaço para comentários torna-se uma arena de ideias.  O relato da leitora Roberta é um exemplo. Surgiram tantas certezas sobre a impulsividade, uso de drogas e excesso de [...]

    responder este comentário denunciar abuso

  • 17/02/2010 - 22:59
    Enviado por: MIGUEL ANGELO A CASTRO

    Prezada Claudia,

    lendo esses relatos e comentários tenho quase certeza…

    Minha Família tem razão, preciso procurar ajuda.

    Quando ouço e/ou leio especialistas, médicos ou mesmo pessoas que já passaram ou passam por isso,(sintomas e reações) tendo me enganar, acreditando que comigo é diferente, mas tudo me faz crer que preciso de ajuda.

    Tenho um certo “medo” de ter essa certeza!

    Abs.

    Miguel Ângelo

    responder este comentário denunciar abuso

    • 18/02/2010 - 00:48
      Enviado por: Claudia Belfort

      Estava pensando no que escreveu, Miguel. Acho que para qualquer problema o primeiro passo é reconhecer que a gente precisa de ajuda. Agradeço por seu comentário, eu mesma, agora, estou com um super pepino e só me dei conta que não vou conseguir dar conta dele sozinha ao ler seu texto. obrigada, um abraço, Claudia

      responder este comentário denunciar abuso
  • 22/02/2010 - 03:31
    Enviado por: Carlos R. M.

    Depois de ler esses relatos de pessoas com TBH, reforço minha suspeita de que meu psiquiatra está errado. Não sei mais se sou bipolar, porque não apresento essas crises de Roberta e do outro rapaz que destruiu a casa e outros semelhantes. Tenho, como qualquer pessoa, episódios de grande alegria e outros de desânimo e tristeza, que não sei se podem ser qualificados como euforia e depressão. Não sei se é legal questionar o médico, mas estou tomando quatro remédios caríssimos, além de pagar terapia toda semana (e o psicólogo insiste na necessidade de termos duas vezes por semana, o que acho um insulto e um assalto) e, diante de relatos desses, me questiono se não valeria uma segunda opinião. Mas o que falarei ao novo médico? O que me motivou a ir a um psiquiatra, quatro anos atrás, deixou de existir – uma paixão arrebatadora que me levou a comportamentos até então desconhecidos para mim. Dizer que sou um sujeito que não consegue interagir com as pessoas, tem dificuldade de fazer amizades, que só consegue namoradas pela Internet, não usa drogas, não fuma porque parou há uns 9 anos, depois de fumar por 26, que bebe moderadamente e apenas em fins de semana, que dorme pouco porque trabalha na madrugada e tem o sono desregulado? Isso configura um TBH típico? Não sei. Por conta própria não estou tomando dois dos três medicamentos, porque acabaram e não voltei ao psi para pegar novas receitas. Estou indo à terapia mas não conto tudo, e acho o cara cada vez mais interessado em me arrancar meu parco dinheirinho. Enfim, estou mais confuso do que esclarecido ao ler esse blog, tão importante mas para mim tão pouco auxiliador.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 23/09/2010 - 05:11
    Enviado por: Eduardo

    Um livro excelente para quem tem Transtorno Bipolar e para a familia de alguem bipolar se chama `Transtorno Bipolar – O que e preciso saber` de David J Miklowitz Ed. M Books… trata-se de um livro premiado nos Eua e existe a traducao agora no Brasil. Tem me ajudado e muito…

    responder este comentário denunciar abuso

  • Quem Faz

    Quem Faz

    Claudia Belfort

    Claudia Belfort é jornalista, pernambucana, ex-editora-chefe de conteúdos digitais do Estadão. É autora de Aqueronte, o rio dos infortúnios e inferniza a vida dos vizinhos diariamente tentando tocar sax.

Arquivos

Blogs do Estadão

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo