1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Em Manaus, exposição ilustra evolução do futebol

Seleção Universitária

02 junho 2014 | 11:42

Mostra  conta a história do Brasil por meio do futebol 

 

Bruna Chagas – especial para O Estado de São Paulo

MANAUS – “Brasil: um país, um mundo” é o nome da exposição que trouxe a Manaus os campões mundiais, Cafú (2002), Ronaldão (1994) e Mengálvio (1962) e foi lançada no domingo, 1, na capital amazonense. A mostra conta com um acervo exclusivo de peças históricas do futebol, entre objetos, fotos, vídeos, instalações interativas que também mostram como o esporte permeia as mais diversas áreas de conhecimento.

No sábado, 31, o ex-capitão da seleção brasileira de 2002 falou que está muito feliz por voltar a Manaus e declarou que acredita na seleção afirmando que a equipe está preparada para jogar o mundial. Segundo o ex-jogador, o time não perdeu a qualidade por não ter levado um jogador com mais experiência à Copa. Já para o campeão Ronaldão, a dupla de zagueiros tem experiência em campeonatos europeus. “Isso é um ponto positivo e acredito que vamos nos sair muito bem no mundial”, afirmou.

De acordo com o curador, o jornalista Ricardo Corrêa, as peças raras e exclusivas ilustrarão a evolução do futebol em termos de moda e equipamentos, mas também o desenvolvimento do esporte do ponto de vista antropológico, social, na publicidade e entretenimento.

“Brasil: um país, um mundo” foi pensada como forma de contar a história do Brasil por meio do futebol. Um exemplo apresentado é o papel reconciliador desempenhado pelo futebol em diversos episódios da história que documenta, como as emocionantes excursões da Canarinho durante a Guerra de Biafra, na Nigéria. Outro ponto marcante dessa exposição é o recorte e o estilo dos uniformes de nas várias décadas desde o século XIX.

Antes de chegar a Manaus, a exposição passou por Curitiba, Salvador, Recife, Porto Alegre, Natal, Fortaleza, Belo Horizonte e Cuiabá e rodará até julho pelas demais cidades-sede da Copa. A arte, a cultura e as belezas turísticas das 12 cidades-sede terão um espaço exclusivo em cada cidade que receberá a exposição, que também terá uma loja de artesanato com produtos e objetos de artistas locais. A renda gerada será revertida para a Associação dos Campeões Mundiais e Fundação Cafu.