1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Festa recifense é marcada por animação de várias nacionalidades

Seleção Universitária

quinta-feira 12/06/14

Apesar da ausência de shows, Fan Fest reúne torcedores de diversas nacionalidades

Apesar da ausência de shows, Fan Fest reúne torcedores de diversos países

Na Fan Fest do Recife, clima foi de animação total (Emanuel Leite Jr/Seleção Universitária)

Emanuel Leite Jr. – especial para O Estado de S. Paulo

RECIFE – O clima foi de animação total. Antes do jogo, a falta de shows na Fan Fest recifense foi suprida por uma orquestra de frevo, com dançarinos vestidos de verde e amarelo e bonecos gigantes de jogadores de futebol. Torcedores brasileiros e estrangeiros conviviam em harmonia. A atmosfera ao longo da tarde e nas primeiras horas da noite foi mesmo de celebração. A estrutura do local foi aprovada pelo público. E a vitória brasileira por 3 a 1 contribuiu para que todos saíssem do Cais da Alfândega com sorrisos no rosto.

Entre os estrangeiros, os mexicanos hospedados no terminal marítimo no mesmo bairro passeavam orgulhosos com suas camisas verdes. Mas encontravam forte concorrência de japoneses, ingleses e alemães, também em grande número.

Um grupo de amigos alemães, vindos de Dortmund, e fanáticos torcedores do Borussia, escolheu o Recife como base para a primeira fase. A Alemanha joga suas três partidas no Nordeste e Michael, Dirk, Kai e Ralf confraternizavam com os demais torcedores. Todos com seus copos de cerveja na mão e vestidos com a camisa do Brasil. “Hoje vamos torcer pelo Brasil”, disse Dirk. Eles viveram a festa da Copa do Mundo em 2006, quando a Alemanha sediou a competição. E, para os amigos, o clima no Recife é contagiante. “Está muito legal”, comentou Michael.

O peruano Javier Torres aproveitou o fato de seu filho morar em Camaragibe para vir a Pernambuco durante a Copa. Na ausência do Peru no torneio, pai e filho se declararam torcedores do Brasil. “Somos todos sul-americanos, afinal”, afirma Javier.

O clima de paz e serenidade imperava no local. Hamilton Alves estava com sua mulher e os dois filhos “A energia aqui é fantástica. E o melhor é a sensação de segurança que a gente tem. Vale muito a pena trazer a família para vivenciar este momento histórico, uma Copa no nosso país”, disse.

O momento da execução do hino nacional foi um dos mais emocionantes do evento.Quando os torcedores cantavam à capela no Itaquerão, o público presente na Fan Fest acompanhava em uníssono, formando uma contagiante massa sonora.

Durante o jogo, parecia que a chuva que caía nos minutos iniciais e o gol croata acabariam com a alegria. Porém, as nuvens carregadas foram se afastando e o futebol brasileiro foi crescendo, voltando a empolgar a torcida. Primeiro o gol de empate – que trouxe o alívio. Já no segundo tempo, a virada – mesmo que em um pênalti inexistente, para constrangimento de vários presentes.

O terceiro gol de Oscar, já no cair do pano, trouxe a euforia extravasada de forma coletiva. Os moradores de Olinda Ricardo e Reginalda Andrade aprovaram a festa. “Foi muito bom. A estrutura ficou muito legal”, disse Reginalda. “Só acho que deveria ter sido no Marco Zero, que é mais amplo. Tirando isso, foi tudo acima do que nós esperávamos”, completou Ricardo.