1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Brasil goleia Camarões para delírio do público

Seleção Universitária

23 junho 2014 | 20:48

Torcedores que foram ao estádio em Brasília estão otimistas e confiantes no título

Torcedores que foram ao estádio em Brasília estão otimistas e confiantes no título

Jorge Macedo –especial para O Estado de S. Paulo

BRASÍLIA – Após a vitória por 4 a 1 contra Camarões, a torcida brasileira parece, enfim, acreditar no título da seleção. Empolgados com a boa atuação, alguns acreditam até que o Brasil irá atropelar os próximos adversários e não terá dificuldades rumo ao hexa. Nesta segunda-feira, 23, quase 70 mil pessoas foram ao Mané Garrincha para apoiar a equipe no último confronto da primeira fase. Com o resultado, a seleção brasileira enfrentará o Chile pelas oitavas de final.

Com a presença do príncipe Harry nas tribunas de honra ao lado do governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, os brasileiros viram Neymar abrir o placar e marcar seu terceiro gol no mundial. A alegria durou poucos minutos, já que Camarões empatou ainda no primeiro tempo. Com a igualdade no placar, a seleção voltou com uma postura mais agressiva no segundo tempo e marcou três gols com Neymar, Fred e Fernandinho na segunda etapa. O camisa 10 brasileiro se isolou na artilharia do torneio, com quatro gols.

Ao fim do jogo, os torcedores fizeram a festa do lado de fora do estádio e comemoraram a classificação para a próxima fase com muita cerveja e música. O casal André Rocha, 23, e Ana Bauer, 22, saíram empolgados. Para Rocha, a seleção alternou bons e maus momentos durante o jogo. “Quando sofremos o empate todo mundo se calou, foi um baque geral. Mas no segundo tempo dominamos o jogo e fomos absolutos. A organização foi excelente, o estádio está no mesmo nível dos europeus. A cidade ganhou mais um cartão postal, agora é ir rumo ao título”, garantiu.

O dentista Lourival do Inácio, 69, soube que iria ao jogo em cima da hora. Para ele, o duelo em Brasília foi o melhor até agora. “Estive na abertura em São Paulo, o estádio daqui é mais imponente. Meu filho conseguiu o ingresso para mim ontem, um amigo americano dele não pode ir ao jogo e daí comprou para me dar de presente”, lembrou. Para ele, apesar da vitória, a seleção ainda precisa melhorar. “Falta aquele algo a mais, não senti segurança em alguns jogadores desde o primeiro jogo. O principal destaque fica mesmo por conta da torcida. Foi um espetáculo completo”, destacou.

Os irmãos paraibanos Joackson Lins, 35, e Ligeíze Lins, 33, ressaltaram que o importante era o resultado positivo e que a seleção fez o que se esperava dela. “O que vale no futebol são os gols e hoje o Brasil fez quatro, então está de bom tamanho. Espero um crescimento ao longo das fases decisivas. Nossa maior estrela ainda é um jovem, precisamos do jogo coletivo”, disse Joackson. A irmã Ligeíze foi crítica com alguns jogadores. “O Fred não convence ninguém, mesmo marcando gol. O Júlio César também não inspira confiança, a única bola que foi no gol entrou. O Felipão precisa melhorar essas coisas, mas ele é muito cabeça dura”, disse.