1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Belletti e Suker analisam partida de abertura da Copa

Seleção Universitária

09 junho 2014 | 14:44

Apesar de reconhecer favoritismo brasileiro, ex-lataral direito pediu respeito ao adversário

Apesar de reconhecer favoritismo brasileiro, ex-lateral direito pediu respeito ao adversário

 

Lara Monsores – especial para O Estado de S. Paulo

RIO DE JANEIRO – Juliano Belletti, pentacampeão do mundo pelo Brasil em 2002, e Davor Suker, ex-atacante croata, semifinalista e artilheiro da Copa de 1998, encontraram-se na manhã desta segunda-feira, 9, no Rio de Janeiro, em evento de um dos parceiros da Fifa e analisaram o duelo de abertura da Copa entre Brasil e Croácia, que acontecerá na próxima quinta-feira, na Arena Corinthians, em São Paulo, às 17h.

O ex-lateral direito, reserva de Cafu em 2002, falou sobre a postura do time de Luiz Felipe Scolari em campo e pediu humildade aos atletas brasileiros. “A expectativa é de que o Brasil vença”, disse. “Porém, por mais qualidade que a seleção tenha, não dá para faltar com respeito à Croácia. Se deixar de respeitar, já começa perdendo.”

Enquanto Belletti apostou em Neymar e Fred como os jogadores que poderão desequilibrar, Suker indicou o meia Luka Modric, do Real Madrid, como possível craque do jogo e brincou. “Se a partida fosse no videogame, a Croácia ganharia”, afirmou.

Hoje presidente da Federação Croata de Futebol, “o Mago”, como ficou conhecido na Espanha jogando pelo Real Madrid, lamentou a ausência do goleador Mario Mandzukic – que cumpre suspensão – e ressaltou a importância desse duelo para os croatas.

“Mandzukic fará falta, mas é importante que se prepare para enfrentar Camarões e México e nos ajudar. E o Brasil é Brasil. Esse é o jogo mais importante da história da Croácia”, avalia. “Viemos de um país pequeno e é muito importante para nós participar de uma Copa do Mundo. Daremos o nosso melhor para ganhar o jogo.”

Apesar de não ser favorita, a Croácia já surpreendeu em outras Copas, batendo campeãs mundiais como Alemanha e Itália (em 1998 e 2002, respectivamente) e por pouco não chegou à final da Copa da França, caindo nas semifinais para os donos da casa. Em 2006, Brasil e Croácia enfrentaram-se também na fase de grupos com vitória para os brasileiros por 1 a 0 na partida de estreia.