1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Argentinos detidos em Brasília são transferidos para complexo penitenciário

Seleção Universitária

09 julho 2014 | 18:18

Juíza pediu prisão preventiva dos estrangeiros envolvidos em briga

Juíza pediu prisão preventiva dos estrangeiros envolvidos em briga

 

Jorge Macedo – especial para O Estado de S. Paulo

BRASÍLIA – Os dois argentinos presos no Distrito Federal no último sábado, 5, no Estádio Nacional Mané Garrincha, durante a partida entre Argentina e Bélgica, foram transferidos para o Complexo Penitenciário da Papuda na noite de terça-feira, 8. Emiliano Rios Duda, 36, e José Alberto Criscenti, 42, foram transferidos da Delegacia de Polícia Especializada, onde estavam detidos, a pedido da juíza Clarissa Masili, que solicitou a prisão preventiva da dupla.

Segundo ela, se fossem soltos, os dois poderiam ir para outra cidade brasileira acompanhar a seleção ou até mesmo voltar para a Argentina, o que prejudicaria o andamento do processo. Indiciados por tentativa de homicídio qualificado, os torcedores do Rosário Central se envolveram em uma briga com brasileiros ainda dentro do estádio.

Segundo a polícia, a confusão teria começado após um torcedor brasileiro jogar um copo de cerveja contra um grupo de argentinos. Revoltados, alguns integrantes do grupo partiram para cima dos rivais. Dois brasileiros ficaram feridos no confronto. Um deles tem 40 anos e é perito da Polícia Federal. O outro envolvido é servidor público e tem 45 anos.

Os argentinos foram presos em flagrante enquanto chutavam as vítimas, que estavam desmaiadas no chão. O perito da PF chegou a ser levado para um hospital com escoriações no rosto e lesão em um dos olhos. O estado de saúde dos dois não é grave. Os agressores não têm antecedentes criminais no Brasil e permanecerão detidos até o julgamento.