1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Aos poucos, Recife recebe decoração para a Copa

Seleção Universitária

segunda-feira 02/06/14

Timidamente, população começa  a enfeitar ruas e casas

Alguns bairros em Recife começam a ser decorados de maneira tímida (Emanuel Leite Jr/Seleção Universitária)

 

Emanuel Leite Jr. – especial para O Estado de S. Paulo

RECIFE – À medida que a Copa do Mundo se aproxima, a capital pernambucana começa a ser decorada para o torneio, ainda que timidamente. Mesmo com as ondas de protestos que intimidaram até os mais entusiastas do Mundial, a população passa a se dar conta de que, após 64 anos, o Brasil novamente vai sediar uma Copa do Mundo.

Quem trafega pelo bairro de Boa Viagem, zona sul da cidade, onde a praia tomada por espigões e shoppings convive ao lado de favelas, ou quem passa pelo bairro nobre de Casa Forte, zona noroeste, pode até duvidar de que esta é uma cidade-sede da Copa. Com exceção dos banners oficiais da Fifa, espalhados em Boa Viagem, pouco se vê do Mundial na cidade.

No entanto, ao adentar bairros mais populares do Recife, já é possível encontrar os primeiros sinais da relação do povo brasileiro com o futebol. Aquele sentimento de alegria que se alimenta mutuamente, entre o esporte mais adorado do país e que os amantes do futebol.

É o caso dos moradores da Rua Ledinha, no bairro do Campo Grande, zona norte. A pequena rua de casas populares aproveitou a trégua das chuvas típicas desta época do ano para manter aquilo que para seus moradores já é uma tradição. “A gente sempre enfeita a rua na época de São João. Então, quando é ano de Copa, fica tudo verde e amarelo”, diz a funcionária pública Genilza Barbosa da Silva, 53. No lugar, fitas verde e amarelas penduradas formam um corredor em toda a extensão da rua. “Começamos a montar hoje. Ainda vamos pintar os meio-fios também”, afirma.

A artesã Mirani da Mata exibe bandeira que ainda será pendurada em sua rua (Emanuel Leite Jr/Seleção Universitária)

 

“A rua é pequenininha, mas é animada. É Copa, né? É sempre uma animação”, complementa Sílvio Tibúcio, 40, cobrador de ônibus e também morador da paralela Ledinha.

Na vizinha Olinda, cidade patrimônio histórico da humanidade, a Rua Leonel Maciel Monteiro, no bairro de Ouro Preto, também já se encontra pronta para a festa. Fitas e bandeirolas enfeitam a via. A artesã Mirani da Mata, 57, é a responsável pela organização da decoração da rua. Sua casa está repleta de adereços com as cores do Brasil. “O pessoal me escolheu como a líder”, conta sorrindo. “Eu gosto muito. Acho bonito. Por isso eu decoro minha casa em todas as Copas e organizo a decoração da rua”, explica.

A artesã conta a com a colaboração de todos os vizinhos. “O pessoal contribui com o que pode e eu compro o material. Depois, todo mundo corta as tirinhas. E os rapazes amarram e penduram”, detalha. “Só falta pendurar as bandeiras do Brasil”, afirma, com entusiasmo.

Fusca decorado com a bandeira brasileira no capô (Emanuel Leite Jr/Seleção Universitária)

 

Fusca. No mesmo bairro, outro exemplo do espontâneo festivo do brasileiro. Um fusca amarelo de 1976, com a pintura renovada e a bandeira brasileira ocupando toda área do capô. Além disso, uma bandeirinha pendurada na parte traseira, para não restar dúvida que aquele era um carro vestido para a Copa.

O manobrista Anízio Laurentino, 47, é o orgulhoso proprietário do automóvel. “Onde eu passo com o carro, a turma me para. Até já me perguntaram quanto eu queria para vendê-lo. Mas eu disse que não tem dinheiro que compre”, conta. Pintar seus carros é uma tradição. “Em 2010, fiz isso com meu fusca, também 1976. Eu gosto de fusca, sabe? E gosto de estar pronto para a Copa”, continua. “Minha casa também está toda decorada, com bandeirinhas e balões. Já estou no clima”, diz.

Banners. As ruas recebem, também aos poucos, os banners oficiais da Fifa. A Avenida Boa Viagem foi a primeira a receber as placas em toda sua extensão. Além da orla marítima, algumas poucas placas se encontram afixadas em outras localidades da cidade. É possível encontrar banners em frente ao Aeroporto Internacional dos Guararapes/Gilberto Freyre.

Próximo ao centro da cidade, na área do Cais de Santa Rita, outros três banners registram a localização de uma das sedes da Copa do Mundo. Também na região central do Recife, a Ponte José de Barros Lima, que liga o bairro de Joana Bezerra à avenida Agamenon Magalhães (um dos principais corredores urbanos do Recife), já recebeu a sinalização. No total, serão 400 banners espalhados pela cidade.