Ainda não sou cadastrado

Você está em: Paladar > Blogs > Blog do Paladar
Saul Galvão
SEÇÕES
ARQUIVO
TAMANHO DO TEXTO

Saul Galvão
  • Twitter
  • DIGG
  • Share
BUSCA NO BLOG

Arroz de forno

  • 25 de fevereiro de 2008|
  • 20h30|
  • Por

Um prato ideal para um almoço de família, que aparece com freqüência na mesa de minha casa, em Jaú. Uma receita muito prática, que pode ser feita parcialmente com antecedência e gratinado no forno um pouco antes de servir. São muitas as receitas. Em minha casa, a mussarela derretida dá um toque gostoso e peculiar. Como se vê, em casa gostamos muito de queijo derretido.

Uma espécie de risoto gratinado à moda antiga . Há algum tempo, antes da era do arroz italiano, o “risoto de frango” nos restaurantes não passava de um arroz comum misturado com um rico refogado de frango com bastante tomate na hora de servir. Distante do verdadeiro risoto, mas muito gostoso.

Aliás, quem quiser pegar um atalho para esta receita pode utilizar o arroz do dia-a-dia já pronto.

Ingredientes para o molho de frango:

3 colheres de sopa de óleo de milho;
1 frango cortado nas juntas;
200 g. de moelas de frango;
200 g. de fígado de frango já limpos (opcional);
1 cebola picada;
1 dente de alho picado;
4 tomates sem peles e sementes;
1 ½ xícara de chá de água;
1 lata de ervilhas (opcional).

Ingredientes para preparar o arroz e montar o prato:

2 colheres de sopa de óleo de milho;
2 colheres de sopa de manteiga;
1 cebola média picadinha;
2 xícaras de chá de arroz lavado e seco;
5 xícaras de chá de caldo de frango (ou água);
200 g. de mussarela em fatias;
150 granas de queijo parmesão (ralado na hora, de preferência);
4 ovos cozidos e cortados em rodelas;
sal e pimenta do reino.

Utensílios:

Uma panela para fazer o arroz; uma panela para fazer o refogado de frango, uma tábua de cozinha, uma faca de cozinha, uma colher de pau,uma escumadeira, um refratário de 20cm por 30cm e pratos para abrigar os ingredientes preparados.

Modo de fazer:

1- Prepare primeiro o arroz, como se estivesse fazendo o prato do dia-a-dia. Esquente as duas colheres de óleo e a manteiga numa panela grande e refogue rapidamente a cebola, que deve apenas murchar, sem mudar de cor. Coloque o arroz, refogue rapidamente, mexendo sempre com uma colher de pau. Junte as cinco xícarass de caldo de frango (ou água) e cozinhe o arroz. Salgue com muito cuidado, pois os queijos são salgados. O líquido deve secar e o arroz cozido pode ficar e meio mole. Apague o fogo e reserve.

2- Prepare o refogado de frango. Esquente o óleo e refogue os pedaços de frango e de moela. O frango deve ficar bem douradinho. Isso pode ser feito em duas etapas. Na reta final, junte os fígados, que ficam prontos mais rapidamente. Fogo médio

3- Junte a cebola e o alho e continue refogando. A cebola deve apenas murchar, sem mudar de cor.

4- Baixe o fogo, acresscente os tomates, as ervilhas e a água (1 ½ xícara de chá). Continue cozinhando até o frango ficar bem macio. Apague o fogo, retire os pedaços de frango, desosse e retorne á panela. Se quiser, salgue com muito cuidado.

5- Temos, então, o arroz e o refogado de frango. Misture os dois e acrescente metade do parmesão.

6- Acenda o forno. Fogo forte, em torno dos 200 graus. Monte o prato no refratário. Primeiro, disponha metade do arroz com frango. Sobre essa camada, distribua as rodelas de ovo e as fatias de mussarela. Cubra com o restante do arroz e espalhe por cima o que sobrou do parmesão.

7- Leve o refratário ao forno. Quando o queijo da superfície começar a dourar, está pronto, o que deve levar uns 10 minutos.

8- Sirva bem quente.

Tópicos relacionados

18 Comentários Comente também
  • 25/02/2008 - 21:36
    Enviado por: Pedro Almeida

    Que bom voce lembrar dessas receitas todas. Em casa, aqui em Sao Paulo, essa era uma receita regularmente repetida. As vezes fazia-se com camaroes, molho de tomate e camaroes secos. Sao receitas que se nao forem lembradas como agora, acabarao se perdendo no vapt vupt da vida moderna. Nem so de caviar vive a gastronimia, afinal!

    responder este comentáriodenunciar abuso
  • 25/02/2008 - 22:04
    Enviado por: Milton Toshiba

    Sempre gostei do ” arroz com molho de frango ” , mas a idéia de levar ao forno e sensacional . Vou experimentar.
    Abr

    responder este comentáriodenunciar abuso
  • 26/02/2008 - 15:07
    Enviado por: Alvaro

    Saul
    Arroz de forno é uma delícia! Gosto muito também com camarões.
    Aliás, gastronomia “retrô” é o meu forte, adoro comer moelas de frango com purê de batatas, por exemplo.
    Por falar nisso, alguém lembra de um pudim de mamão, receita antiga que não usa leite condesado? Estou procurando a receita!
    Abraço a todos.

    responder este comentáriodenunciar abuso
  • 26/02/2008 - 15:34
    Enviado por: Marco Antônio Castro

    Experimentem umas fatias de banana da terra sobre o arroz, na hora de ir ao forno.

    responder este comentáriodenunciar abuso
  • 26/02/2008 - 15:50
    Enviado por: Putz

    Caro Saul,

    Minha nova namorada come pouquinho e ainda nao sei exatamente do que ela gosta…
    Quero leva-la pra jantar no dia de seu aniversário.
    Tem alguma dica, caramigo.

    Gde abraço…

    responder este comentáriodenunciar abuso
  • 26/02/2008 - 17:12
    Enviado por: wagner

    ESPERIMENTEM TAMBEM ACRESSENTAR UMA PITADA DE MANJERICÃO ,TÁ UM SABOR TODO ESPECIAL ,MAS O SEGREDO É COLOCAR O MANJERICÃO QUANDO O ASSADO JÁ ESTIVER QUASE NO PONTO ,EU JÁ FIZ UM ARROZ DE FORNO COM PEITO DE FRANGO DESFIADO,BACON,CALABRESA DEFUMADA ,PALMITO E MUSSARELA EM CUBOS E LEVEI AO FORNO QUANDO ESTAVA QUASE NO PONTO EU ACRESSENTEI UMA PITADA D MANJERICÃO FICOU SHOW ,É A MESMA SITUACÃO DO QUENTRO NUNCA COLOQUE NO COMEÇO SE NÃO PERDE O AROMA ESTE É O TOQUE ……

    VALEU UM ABRAÇO A TODOS .

    WAGUINHO DE SANTO ANDRÉ

    responder este comentáriodenunciar abuso
  • 26/02/2008 - 18:22
    Enviado por: Pedro Malasartes

    Cozinha retro!? Essa é otima! O que sera que se come hoje que nao se comia antigamente? Ships eletronicos? Para ficar apenas no foie-gras, ele ja era conhecido dos antigos egipcios. O Roquefort era adorado pelos romanos que o descobriram na Galia. O mundo nao começou ontem, e os pratos levam muito tempo até se transformarem nesse arroz de forno descoberto apenas anteontem por nossos avos, portanto bem contemporaneo.

    responder este comentáriodenunciar abuso
  • 26/02/2008 - 20:13
    Enviado por: Fábio Torre

    Essa receita é típica da cozinha paulista, especialmente a de final de semana. Saul, gostaria de saber quando Você vem para Jaú. Gostaria que assinassemeu livros (aliás, seu Livro). Moro em Itápolis (ex-capital mudial da Laranja, agora quase tudo é cana em nossa região)

    responder este comentáriodenunciar abuso
  • 26/02/2008 - 20:15
    Enviado por: Fábio Torre

    Essa receita é típica da cozinha paulista, especialmente a de final de semana. Saul, gostaria de saber quando Você vem para Jaú. Gostaria que assinassemeu livros (aliás, seu Livro). Moro em Itápolis (ex-capital mudial da Laranja, agora quase tudo é cana em nossa região)

    responder este comentáriodenunciar abuso
  • 27/02/2008 - 05:09
    Enviado por: Gianicchini

    Saul, vivo aqui na Italia e, uma vez ou outra, me aventuro e preparo suas maravilhosas dicas gastronomicas!… e ate hoje tenho ouvido muitos elogios dos italianos … obrigada suas dicas sao muito valiosas.

    responder este comentáriodenunciar abuso
  • 27/02/2008 - 08:44
    Enviado por: Marcio

    Olá Saul – sempre criativo…
    Esse velho rizzotto da Nona fazemos sempre, com algumas variações – se distrair, chega-se a paella – todos de mesma origem…
    Eu aprendi em MInas, a fritar a cebola até escurecer (caldo) e refogar o frango como voce recomenda, só que com um pouco de cúrcuma.
    Acrescento um pouco de funghi porcini e enriqueço o caldo com vinho branco – meto o arroz (arborio ou não, para cozer dentro – finalizar com o frango) com uma mancheia de arroz tailandez (perfumado) – não há tatu que suporte.
    Italiano não tem jeito – nascemos pra comer…
    bom dia

    responder este comentáriodenunciar abuso
  • 27/02/2008 - 10:17
    Enviado por: Alvaro

    Malasartes
    Quando disse retrô, quis falar sobre recitas que saíram de moda e não encontramos mais facilmente nos cardápios dos restaurantes que frequentamos.
    Tem muita comida boa que minha avó fazia e que não encontro mais por aí …

    responder este comentáriodenunciar abuso
  • 27/02/2008 - 10:48
    Enviado por: sibila

    oi saul, moro na roma, acompanho tuas indicações, alora, como tem gente chata neste mundo.

    responder este comentáriodenunciar abuso
  • 27/02/2008 - 11:28
    Enviado por: LUDMILA

    risoto… parece bom.

    responder este comentáriodenunciar abuso
  • 27/02/2008 - 11:38
    Enviado por: Ana

    Receita tipicamente paulista e que pode ser variada com camarões secos. Realmente, era uma das receitas domingueiras em minha casa. Que saudade!Ela era de Campinas e meu pai de Amparo, mas moravamos em Sampa. Um prato que minha mãe fazia muito bem. Ela ascrescentava a ervilha. Adorei ter a receita. Valeu!!!!!

    responder este comentáriodenunciar abuso
  • 27/02/2008 - 14:51
    Enviado por: Maria

    Esse risoto me lembra a minha infância, quando íamos almoçar na Casa Mappin em S.P. Delícia pura: Risoto de franco com fatias de peru. Era o único lugar aonde meu pai nos deixava comer arroz fora da nossa casa. Obrigada pela saudade que ficou.

    responder este comentáriodenunciar abuso
  • 27/02/2008 - 15:51
    Enviado por: JOSE AUGUSTO FERREIRA

    Puxa até agora achava que era o Rei do Risoto.
    Sempre inventano um tipo diferente.
    Gosto tanto de risoto que em minha infancia um dono de arstaurante aqui em Ribeirão Preto, Sr. Valter Villa do Lanche Paulista, me apelidou de Risotinho.
    Vi sua receita…com certeza no sabado ierei faze-la. Vai ficar muito bom…..Obrigado.

    responder este comentáriodenunciar abuso
  • 27/02/2008 - 16:54
    Enviado por: ivana

    gosto da sua coluna, muito interessante.
    aqui em casa esse prato é conhecido com
    “comida que papai não veio”, mas leva
    tb banana e ovo cozido.
    muito bom.
    como disse alguém acima, não vivemos
    só de caviar.
    bjs

    responder este comentáriodenunciar abuso

Deixe um comentário:

Blogs do Estadão