1. Usuário
Assine o Estadão
assine

‘Maluf não me pediu foto’, diz Skaf

Redação

segunda-feira 30/06/14

Candidato do PMDB garante que foi pego de surpresa com o apoio do PP

por Pedro Venceslau

Candidato do PMDB ao governo de São Paulo, Paulo Skaf diz que não planeja tirar uma foto ao lado do deputado e ex-prefeito Paulo Maluf (PP) como retribuição pela entrada do PP em sua coligação.

“Maluf não pediu para tirar foto nenhuma comigo”, afirmou o peemedebista ao Estado. Ainda segundo o empresário, que é presidente licenciado da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), o ex-prefeito também não aparecerá no espaço reservado à campanha majoritária do PMDB na propaganda eleitoral de TV.

Questionado sobre qual espaço terá o novo aliado em seu palanque, Skaf respondeu que não pretende “fulanizar” o debate sobre a adesão do PP. Antes de fechar com Skaf, o diretório paulista do PP, que é presidido por Maluf, tinha selado uma aliança com o ex-ministro Alexandre Padilha, candidato do PT ao Palácio dos Bandeirantes.

Maluf chegou a tirar foto com Padilha. Foto: Clayton de Souza/Estadão

A pedido de Maluf, o acordo foi anunciado em um ato público na Assembleia Legislativa e terminou com uma foto de Padilha ao lado de Maluf. Na eleição municipal de 2012, o então candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, aceitou aparecer em público ao lado de Maluf e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva depois da reunião que selou o apoio do PP ao petista. A foto tirada naquele dia gerou uma crise interna na coligação e levou a ex-prefeita Luiza Erundina a desistir de ser candidata a vice-prefeita de Haddad.

Surpresa. O candidato do PMDB garante que foi pego de surpresa nesta segunda-feira, 30, com a decisão do PP de apoiá-lo. “Fui surpreendido. Ouvi falar hoje que existia essa conversa, mas não estava acreditando nessa possibilidade, disse Skaf. Ele garante que também foi surpreendido no fim de semana com o apoio do PSD. O partido, que é presidido pelo ex-prefeito Gilberto Kassab, estava próximo de apoiar a reeleição do governador Geraldo Alckmin (PSDB), mas mudou de rumo na última hora.