1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Aécio vai explorar alta da inflação e caso Petrobrás em propaganda na TV

Lilian Venturini

segunda-feira 07/04/14

  Pedro Venceslau O medo da volta da inflação e as suspeitas envolvendo a Petrobrás serão os principais motes de uma série de comerciais estrelados pelo senador Aécio Neves (PSDB-MG), pré-candidato tucano à Presidência, que começam a ser exibidos nesta terça-feira durante a programação das emissoras de TV. Três dias após o instituto Datafolha divulgar [...]

 

Pedro Venceslau

O medo da volta da inflação e as suspeitas envolvendo a Petrobrás serão os principais motes de uma série de comerciais estrelados pelo senador Aécio Neves (PSDB-MG), pré-candidato tucano à Presidência, que começam a ser exibidos nesta terça-feira durante a programação das emissoras de TV.

Três dias após o instituto Datafolha divulgar uma pesquisa de intenções de voto na qual a presidente Dilma Rousseff (PT) caiu seis pontos, o tucano aparecerá pedindo “tolerância zero” com a inflação. “Com o mesmo dinheiro, você compra hoje o que comprava um ano atrás?”, questiona Aécio na propaganda partidária.

Propaganda partidária será veiculada a partir desta terça
Foto: Reprodução

Os índices de inflação vêm crescendo nos últimos anos e, segundos analistas de mercado, deve superar até setembro o teto da meta estabelecido pelo Banco Central, de 6,5%. Em outra peça de 30 segundos são mostrados recortes de jornais com notícias sobre a polêmica compra pela Petrobrás de uma refinaria nos Estados Unidos.

Enquanto isso um locutor diz que a estatal “perdeu metade do seu valor” e é uma das “mais endividadas do mundo”. “O ambiente econômico ruim não pode ser ignorado. Quando isso chega à vida pessoas, passa a ser uma pauta relevante”, disse ao Estado o publicitário Paulo Vasconcellos, responsável pela campanha e provável marqueteiro de Aécio na disputa presidencial.

A versão estendida do programa de partidário do PSDB que vai ao no dia 17 vai seguir a mesma linha e terá um depoimento do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.