1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Dilma fará pronunciamento em cadeia de rádio e TV pela volta às aulas

Ricardo Chapola

quarta-feira 09/02/11

Leonencio Nossa BRASÍLIA – A presidente Dilma Rousseff fará pronunciamento, na noite da quinta-feira, 10, em cadeia de rádio e TV, para cumprimentar estudantes e professores pela volta às aulas. Em seu primeiro pronunciamento oficial desde que assumiu o poder, gravado no Palácio da Alvorada na manhã de terça-feira, a presidente reafirmará seu compromisso de [...]

Leonencio Nossa

BRASÍLIA – A presidente Dilma Rousseff fará pronunciamento, na noite da quinta-feira, 10, em cadeia de rádio e TV, para cumprimentar estudantes e professores pela volta às aulas. Em seu primeiro pronunciamento oficial desde que assumiu o poder, gravado no Palácio da Alvorada na manhã de terça-feira, a presidente reafirmará seu compromisso de melhorar o status dos professores, cobrará responsabilidade das famílias no dia-a-dia dos alunos e citará metas do governo para o ensino básico.

No Planalto, o pronunciamento de Dilma é considerado o início de um “diálogo” da presidente com o grande público. Desde que começou a governar, em 1º de janeiro, a presidente só deixou o gabinete para fazer viagens de emergência ao Rio de Janeiro, durante a tragédia das enchentes, e deslocamentos para encontros fechados em São Paulo e Rio Grande do Sul, além de uma viagem à Argentina.

À época da pré-campanha à presidência, no primeiro semestre de 2010, Dilma ensaiou os primeiros contatos com o público feminino e as famílias. Em discursos durante eventos ao lado do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ela disse que, por ser mulher e mãe, entendia as dificuldades e dramas do público feminino.

Na campanha, ela se comprometeu a elevar os investimentos em educação para 7% do Produto Interno Bruto (PIB). Atualmente, o País investe 4,7% no setor. A falta de capacitação de professores, os baixos salários, a precariedade de salas de aula, laboratórios e quadras esportivas são obstáculos para a melhoria do ensino, segundo as próprias análises do Ministério da Educação. Em 2010, o Brasil ficou na 73ª posição no ranking da educação, do Índice de Desenvolvimento Humano, das Nações Unidas, numa lista de 169 países.