1. Usuário
Assine o Estadão
assine
segunda-feira 28/02/11

Corte no ‘Minha Casa’ pode abalar popularidade de Dilma, diz cientista político

Anne Warth e Gustavo Uribe, de O Estado de S. Paulo O professor de Ciência Política da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Marco Antonio Carvalho Teixeira, avaliou que o corte no programa Minha Casa Minha Vida, dos R$ 12,7 bilhões previstos para R$ 7,6 bilhões, atingiu uma das prioridades do governo e pode abalar a popularidade da presidente. "O programa era a menina dos olhos de Dilma e é uma primeira indicação de que o governo não está conseguindo levar adiante parte ...

Ler post
segunda-feira 28/02/11

Fernando José Marques é eleito ouvidor do Ministério Público paulista

Lilian Venturini, do estadão.com.br O procurador Fernando José Marques, de 63 anos, foi eleito nesta segunda-feira, 28, o primeiro ouvidor do Ministério Público do Estado de São Paulo. Marques venceu com 131 votos (48,88%). Eram candidatos à vaga também os procuradores Deborah Pierri, 73 votos (27,24%), e Angelo Patrício Stacchini, 64 votos (23,88%). No Ministério Público há 39 anos, Marques brinca ao lembrar ter sido o primeiro a usar computador no órgão, em 1984. Vinte e sete anos depois, é ...

Ler post
segunda-feira 28/02/11

Marina encontra presidente do PV para pedir democracia interna

Roldão Arruda A ex-senadora Marina Silva reúne-se nesta terça-feira, 1, em Brasília com o presidente do PV, o deputado federal José Luiz Penna (SP). Será o primeiro encontro deles para conversar sobre o tema que deverá ocupar a agenda verde nos próximos dois meses, até a convenção nacional, prevista para maio: a democratização interna do partido. Prometida a Marina desde que ela ingressou no PV, no ano passado, a democratização tem sido mantida em banho-maria, em decorrência de pressões de alguns ...

Ler post
segunda-feira 28/02/11

Vaza obituário preparado pela Rádio Senado para eventual morte de Sarney

Eduardo Bresciani, do estadão.com.br em Brasília

Com 81 anos, José Sarney (PMDB-AP) disse fazer um “sacrifício” no ínicio do mês ao assumir pela quarta vez o comando da Casa. Com a saúde debilitada, ele ficou metade do mês de outubro de 2010 internado em hospitais do Maranhão e de São Paulo após sofrer uma arritmia cardíaca. Na Casa, porém, parece haver setores preparados para um eventual falecimento do presidente. A Rádio Senado, inclusive, já tem pronto um obituário para colocar no ar caso o fato venha a acontecer.

Radar Político teve acesso a uma gravação de 21 minutos com o título “Reportagem especial em homenagem ao senador José Sarney”, produzida pela equipe da rádio oficial da Casa. A Secretaria Especial de Comunicação do Senado negou que a Rádio tenha um obituário pronto e afirmou que há apenas uma “biografia” de Sarney, como haveria de todos os outros 80 senadores.

Ouça o programa na íntegra aqui.

A Secretaria, porém, não soube explicar por que os verbos do material obtido pelo Radar Político estão todos no pretérito. “Além de uma extensa vida política, Sarney se destacou nas artes. Ele era membro da Academia Brasileira de Letras desde 1980″, diz um trecho. A justificativa oficial é que pode ter havido “erro verbal”.

O material mistura entrevistas e discursos de Sarney com falas de outras personalidades políticas, como Tancredo Neves, já falecido. A gravação começa com a afirmação de que “o ponto mais alto da carreira de Sarney foi a Presidência da República”, mas antes destaca a trajetória do maranhense até chegar a este posto.

Em trecho de entrevista, Sarney afirma que o regime militar aconteceu por que “todo o país sentia que estava à beira de uma desordem coletiva”. Seu papel no regime ocupa a primeira parte do obituário, com destaque para sua primeira reeleição para o Senado em 1978. O narrador destaca que ele teve “o maior percentual de votos naquela eleição em todo o país”.

O período de Sarney na presidência da República é destacado, principalmente, com a convocação da Assembleia Constituinte. A reportagem lembra também da hiperinflação. “O lado ruim do governo Sarney foi a grave crise econômica que atingiu o pais”, diz o narrador, que lista todos os planos econômicos fracassados daquela época.

A matéria destaca que na primeira vez que presidiu o Senado, entre1995 e 1997, Sarney criou o sistema de comunicação da Casa e menciona que um plano estratégico feito em 2010 decidiu pela ampliação.

A crise do Senado, que explodiu na terceira administração do peemedebista a frente da Casa, também é lembrada na reportagem. A gravação coloca como problemas administrativos o excesso de diretores, o pagamento de horas extras no recesso e os atos secretos. O enfoque, porém, é de destacar “40 medidas” que foram tomadas pela administração Sarney para melhorar a estrutura da Casa e que Sarney foi absolvido pelo Conselho de Ética das acusações feitas contra ele. O tema é encerrado com uma afirmação dele do fim de 2009 dando a crise por encerrada. Não há qualquer menção à reforma administrativa prometida por ele e que até hoje não foi aprovada.

O material fala ainda da defesa de Sarney do Mercosul, de suas atividades literárias e de suas colaborações com veículos de imprensa. Todos os termos são usados no pretérito, apesar de ele ainda executar algumas dessas atividades.

Ler post
segunda-feira 28/02/11

‘A farra acabou, a conta chegou’, critica Aloysio Nunes sobre cortes

Andrea Jubé Vianna, da Agência Estado "A farra acabou, a conta chegou", definiu o senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) sobre o detalhamento dos cortes orçamentários divulgado nesta segunda-feira, 28, pelo governo federal. Para o tucano eleito por São Paulo, o governo excedeu-se nos gastos no período eleitoral, a fim de garantir a eleição da candidata governista, e agora precisa reduzir investimentos. Veja também Despesas obrigatórias serão reduzidas em R$ 15,8 bilhões, diz Mantega Aloysio citou a Medida Provisória 503, que será ...

Ler post
segunda-feira 28/02/11

Em 2011, Dilma deixou a twittosfera de lado

Lilian Venturini, do estadão.com.br Os 140 caracteres do Twitter, tão disputados na campanha eleitoral de 2010, andam esquecidos pela presidente Dilma Rousseff. A um dia do início do terceiro mês de mandato, o último tweet de @dilmabr foi em 13 de dezembro do ano passado. Por ironia, na mensagem a presidente prometeu "conversar mais" em 2011. Reprodução Dilma Rousseff entrou na rede em abril do ano passado, dias depois de o ex-diretor ...

Ler post
segunda-feira 28/02/11

Pelo Dia da Mulher, Dilma grava ‘Mais Você’ com Ana Maria Braga

Rosana de Cassia BRASÍLIA - A presidente Dilma Rousseff viaja ao Rio de Janeiro nesta segunda-feira, 28, onde deverá permanecer no mínimo cinco horas. Ela vai exclusivamente para gravar entrevista ao programa "Mais Você", de Ana Maria Braga, na TV Globo. A entrevista será exibida na terça-feira, 8, da próxima semana, quando é comemorado o "Dia da Mulher". Na semana passada Dilma recebeu no Palácio da Alvorada a apresentadora Hebe Camargo, para um café da manhã. Ela gravou para a estreia do programa ...

Ler post
segunda-feira 28/02/11

Salário mínimo em 2012 será de R$ 616, diz Dilma

Agência Estado A presidente Dilma Rousseff prevê que o salário mínimo em 2012 chegue a R$ 616, um aumento de 13% em relação aos R$ 545,00 que começam a vigorar nesta terça-feira, 1º de março. O cálculo, feito por Dilma no programa semanal de rádio "Café com a Presidenta" que foi ao ar nesta segunda-feira, 28, leva em consideração um crescimento do Produto Interno Bruto de (PIB) de, aproximadamente, 7% em 2010 mais a inflação de 2011. Ela disse considerar esse ...

Ler post
sexta-feira 25/02/11

Kassab nega que tenha fechado filiação ao PSB

André Mascarenhas e Julia Duailibi  O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), negou nesta sexta-feira, 25, que tenha decidido seu futuro político e que já esteja de saída para o PSB. "Existe um convite feito de forma muito respeitosa, pelo governador Eduardo Campos (PSB), e pelo Michel Temer (PMDB), para que, no caso de identificarmos uma hipóteses de saída do DEM, eu possa examinar, junto com eventuais parlamentares e militantes, seja a filiação no PSB, ou no PMDB", disse Kassab ao ...

Ler post