12:18


15 de Abril de 2010

 

Patrocinado por




Radar Econômico
Filtro
Tamanho de texto: A A A A

Coca-Cola no Brasil está entre as mais caras; na China, é R$ 0,60

26 de outubro de 2011 | 16h13

Sílvio Guedes Crespo

Atualizado às 20h46

coca_cola_reuters_adrian_bradshaw.JPG

alcides_leite01.jpgA Coca-Cola no Brasil está entre as mais caras, mostra um levantamento com o preço do produto em 12 países feito pelo Radar Econômico em parceria com o professor de economia Alcides Leite* (foto).

O produto, que pode ser considerado supérfluo por alguns, diz muito sobre a economia dos países. Padronizado em todo o mundo, dá uma ideia das vantagens de produzir em determinadas localidades.

Não por acaso, o preço mais baixo encontrado foi na China, na cidade de Cantão. Lá, a lata de Coca-Cola custa em torno de R$ 0,60. Em São Paulo, está R$ 1,70; em Genebra, R$ 2,50.

O levantamento inclui cidades dos cinco continentes, localizadas em países ricos e emergentes. Os preços foram coletados em sites de supermercados, com exceção da China, onde utilizamos uma reportagem sobre inflação publicada na imprensa local.

Veja quanto custa a lata de Coca-Cola em diversas cidades no mundo (preços convertidos em reais). A quantidade varia de país para país, entre 330 ml e 355 ml.

Genebra 2,50
Tóquio 2,32
São Paulo (Pão de Açúcar) 1,70
São Paulo (Sonda) 1,68
Sydney 1,59
Buenos Aires 1,47
Cidade do Cabo 1,44
Londres 1,28
Nova York 1,16
Lisboa 1,11
Santiago 1,04
Paris 0,99
Cidade do México 0,98
Cantão  0,60

Alcides Leite, professor de economia na Trevisan Escola de Negócios, comenta os números.

“O preço da Coca-Cola em São Paulo é um dos mais altos entre as cidades pesquisadas. Isto se deve, principalmente, a três importantes fatores: a alta carga de tributos incidentes sobre o produto, os altos custos de distribuição e os efeitos da valorização do real frente às demais moedas.

Quanto ao custo de distribuição, é importante levar em conta que, devido ao baixo valor agregado em relação ao peso e volume, o custo do transporte do produto tem forte participação na composição do preço final de venda. Com infraestrutura precária, os custos de transporte no Brasil acabam onerando muito o preço de venda de bebidas e alimentos em geral.”

Quanto custa

Nesta série “Quanto custa”, o blog Radar Econômico compara preços de um mesmo produto em diferentes cidades do mundo. Caso você tenha visto, em sua cidade, preços diferentes dos citados aqui, compartilhe a informação com os demais leitores.

Tópicos relacionados

35 Comentários Comente também
  1. Enviado por: Noir

    Bullshit!

    • Enviado por: Luis

      Coca a R$1,70 em SP??? Só se for em supermercado mesmo. No shopping e nos restaurantes estamos pagando um valor mais próximo a R$4. É absurdamente caro!

  2. Enviado por: Lorena

    Noruega – lata de 350 ml – 5 reais. No supermercado.

    • Enviado por: Ivan

      Lorena, eu iria responder exatamente isso…estou aqui em Kongsberg (Noruega)e acabei de pagar uma lata de Coca-Cola 5 reais num supermercado…

  3. Enviado por: Joao

    Será que é só a lata de “coca-cola”?? -Se verificar qualquer outro produto no Brasil, será mais caro que qualquer outro lugar, pois há incidência de Impostos no produtos e que a parcela é um dos maiores do mundo…Não tem importância, ganhamos muito bem pra isso…compra-se automóveis mais caros por que o brasileiro ganha muito bem.
    Esse negócio de “coca-cola” é bravata…como também o “brasileiro ganha-se muito bem”.

  4. Enviado por: Adevilson Silva

    Esta porcaria tinha que custar uns R$20 pelo menos. Abandonei o refrigerante há uns 10 anos e não me arrependo nadinha!

    • Enviado por: AB

      Diliça! Faz 20 anos que tomo todo dia e não me arrependo nadinha!

    • Enviado por: Logan

      Eu bebo a 31 anos e não me arrependo nadinha!!!

    • Enviado por: fernando

      Quem te perguntou se tu bebe ou não? Como se isso fosse mudar o preço da coca cola no mundo.

  5. Enviado por: Alê

    Será que um dia de minha vida deixarei de sentir-me um trouxa super explorado???!!!

  6. Enviado por: Fabio Nog

    Excelente comparação. Os resultados devem ser muito parecidos para quaisquer outros produtos industriais. Quem viaja ao exterior fica surpreso com os preços baixos de produtos manufaturados, como roupas, sapatos, utilidades domésticos, aparelhos eletrônicos, perfumes, etc. A carga de impostos é responsável por boa parte do preço final, já que o governo brasileiro tende a achar que tudo é supérfluo. Se assim não fosse, a carga tributária do feijão não seria de 32,75%, a das massas não seria de 30,11% e o do açúcar não seria 39,65%

  7. Enviado por: Luis Hernandez

    Coca Cola é boa mesmo pra desentupir pias e fazer a limpeza de mármores, mas que este país está ficando muito caro, isso é verdade . Antes fosse só a Coca…

  8. Enviado por: Carlos

    Tô aqui em Oaxaca (México) e acabei de tomar uma 600ml a 8,00 Pesos, cerca de R$ 1,04. Eita Lucro Brasil….

  9. Enviado por: Abel

    Esse valor esta errado para os EUA.Apesar de entender que o preco e de NY na maioria dos supermercados nao passa de 5 dollares a pacote de 12 latas.

    O exemplo abaixo e mais barato ainda e e do Wallmart
    preco = 3,98 por 12 latas.

    isso da .33 centavos de dollar que da em torno de 58 centavos de real.

    http://grocery.walmart.com/usd-estore/search/searchcontainer.jsp;jsessionid=Xu+GHW5msoCVXe+w0rP8cA**.oses4338-atg05?trailSize=1&searchString=12+pack&domainName=Products&headerVersion=v0&_requestid=33622

  10. Enviado por: Ronaldo Marcos

    São Paulo é o mais caros dos pesquisados e o mais barato do Brasil, aqui no MT, não se encontra por menos de R$ 2,50.

  11. Enviado por: Roberto

    Há um tempo atrás pegaram uns cachotões de pneus usados em porto do Rio grande do sul, há poucos dias os cachotões com lixo hospitalar no Recife e agora essa lata de lixo impingida aos otários brasileiros que ainda pagam para se envenenar! Quosque tandem Catlinia???

  12. Enviado por: karlston

    Tem 3 erros classicos nesta analise do economista da Trevisan. 1) nao é o mesmo produto no mundo todo, nos EUA ela e adocada c/ xarope de glucose de milho, infinitamente mais barato do que acucar pois a producao do milho é subsidiada. 2) distribuicao de um produto de baixo valor agregado e igual no mundo todo, a Coca nao tem mais valor agregado fora do Brasil, o problema é infraestrutura de distribuicao e custo (combustivel, veiculos, etc) e 3)a Coca cobra mais onde ela tem menos competicao, no Brasil e Mexico, o “share of mind” da Coca e muitissimo maior nos refrigerantes de cola, do que os concorrentes. Que tal isso p/ melhorar as aulas na escola de negocio Trevisan?

    • Enviado por: Abel

      Se voce ler o que escreveu karston vera que voce mesmo respondeu o que pergunta.

      As coisas no Brasil sao caras por incompetencia custo Brasil se fazer negocio.Da falta de eficiencia e falta de organizacao.Ah o preco do mexico e 50% mais barato que no Brasil e eles usam acucar tambem.

  13. Enviado por: Desmond

    Pago R$0.77 por lata em Londres em um supermercado da rede Wall Mart.

  14. Enviado por: Graziela

    Moro na Guatemala e aqui custa R$ 1,00 a lata.
    Tal como a coca-cola, tudo aqui é mais barato: ligacoes desde celular pre-pago R$0.13/minuto; carros 1/2 preco do Brasil (isso se sao carros fabricados no Brasil, se considerar os carros importados/de luxo, aqui custa 1/3)

  15. Enviado por: RauL

    Aqui em Benjamin constant, AM, Brasil, a lata de 350ml varia entre R$1,75 e 2,00!

  16. Enviado por: embriagado

    Vale cada centavo, em qualquer lugar do planeta.

  17. Enviado por: Rafael

    até parece….cabei de chegar de Paris e não pagava menos que 3 Euros em uma lata de Coca-cola.

  18. Enviado por: Fábio

    Já que o refri é caro, vamos tomar agua que é muito melhor !

  19. Enviado por: Nikos

    Aqui no Japão uma lata de 350ml custa 2.50 reais. Não sei como ela é produzida, mas bebo de vez em quando com algumas pedras de gelo e só pretendo voltar a viver no Brasil quando o PT sair do poder.

  20. Enviado por: AMAJOBE

    Eu já nem ligo mais pra essa tal de Coca-Cola. Vou de ‘Tubaina’ e estou muito bem obrigado.

  21. Enviado por: AMAJOBE

    Pois eu já nem ligo mais pra essa tal de Coca-Cola. Vou de ‘Tubaina’ com 2L por R$ 1,00 e estou muito bem obrigado.

  22. Enviado por: Desesperado

    Aqui em Israel a Coca em Lata custa R$ 4,00 (8 shekels)

  23. Enviado por: del nero

    SOMOS ASSALTADOS PELOS POLITICOS, A JUSTIÇA DA AMPARO, VISTO ELA, JUSTIÇA, RELEGA NOSSOS DIREITOS CONSTITUCIONAIS, Quem rouba mais, os politicos sabemos .
    “Não Pago Pedágio em Lugar Nenhum”

    Aluna de 22 anos afirma: “NÃO PAGO PEDÁGIO EM LUGAR NENHUM “. O texto está correndo o Brasil! LEIA:

    “A Inconstitucionalidade dos Pedágios”, desenvolvido pela aluna do 9º semestre de Direito da Universidade Católica de Pelotas (UCPel) Márcia dos Santos Silva choca, impressiona e orienta os interessados.

    A jovem de 22 anos apresentou o “Direito fundamental de ir e vir” nas estradas do Brasil. Ela, que mora em Pelotas, conta que, para vir a Rio Grande apresentar seu trabalho no congresso, não pagou pedágio e, na volta, faria o mesmo. Causando surpresa nos participantes, ela fundamentou seus atos durante a apresentação.

    Márcia explica que na Constituição Federal de 1988, Título II, dos “Direitos e Garantias Fundamentais”, o artigo 5 diz o seguinte:

    “Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade ” E no inciso XV do artigo: “é livre a locomoção no território nacional em tempo de paz, podendo qualquer pessoa, nos termos da lei, nele entrar, permanecer ou dele sair com seus bens”.

    A jovem acrescenta que “o direito de ir e vir é cláusula pétrea na Constituição Federal, o que significa dizer que não é possível violar esse direito. E ainda que todo o brasileiro tem livre acesso em todo o território nacional O que também quer dizer que o pedágio vai contra a constituição”.

    Segundo Márcia, as estradas não são vendáveis. E o que acontece é que concessionárias de pedágios realiza contratos com o governo Estadual de investir no melhoramento dessas rodovias e cobram o pedágio para ressarcir os gastos. No entanto, no valor da gasolina é incluído o imposto de Contribuição de Intervenção de Domínio Econômico (Cide), e parte dele é destinado às estradas.

    “No momento que abasteço meu carro, estou pagando o pedágio. Não é necessário eu pagar novamente Só quero exercer meu direito, a estrada é um bem público e não é justo eu pagar por um bem que já é meu também”, enfatiza.

    A estudante explicou maneiras e mostrou um vídeo que ensinava a passar nos pedágio sem precisar pagar. “Ou você pode passar atrás de algum carro que tenha parado. Ou ainda passa direto. A cancela, que barra os carros é de plástico, não quebra, e quando o carro passa por ali ela abre.

    Não tem perigo algum e não arranha o carro”, conta ela, que diz fazer isso sempre que viaja. Após a apresentação, questionamentos não faltaram. Quem assistia ficava curioso em saber se o ato não estaria infringindo alguma lei, se poderia gerar multa, ou ainda se quem fizesse isso não estaria destruindo o patrimônio alheio. As respostas foram claras. Segundo Márcia, juridicamente não há lei que permita a utilização de pedágios em estradas brasileiras.

    Quanto a ser um patrimônio alheio, o fato, explica ela, é que o pedágio e a cancela estão no meio do caminho onde os carros precisam passar e, até então, ela nunca viu cancelas ou pedágios ficarem danificados. Márcia também conta que uma vez foi parada pela Polícia Rodoviária, e um guarda disse que iria acompanhá-la para pagar o pedágio. “Eu perguntei ao policial se ele prestava algum serviço para a concessionária ou ao Estado.

    Afinal, um policial rodoviário trabalha para o Estado ou para o governo Federal e deve cuidar da segurança nas estradas. Já a empresa de pedágios, é privada, ou seja, não tem nada a ver uma coisa com a outra”, acrescenta.

    Ela defende ainda que os preços são iguais para pessoas de baixa renda, que possuem carros menores, e para quem tem um poder aquisitivo maior e automóveis melhores, alegando que muita gente não possui condições para gastar tanto com pedágios. Ela garante também que o Estado está negando um direito da sociedade. “Não há o que defender ou explicar. A constituição é clara quando diz que todos nós temos o direito de ir e vir em todas as estradas do território nacional”, conclui. A estudante apresentou o trabalho de conclusão de curso e formou-se em agosto de 2008.

    Ela não sabia que área do Direito pretende seguir, mas garante que vai continuar trabalhando e defendendo a causa dos pedágios.

    FONTE: JORNAL AGORA

  24. Enviado por: Nelson

    Tudo é muito mais caro nesse País. E que nao me venham com a desculpa que sao os impostos. Aqui é onde as empresas tem as maiores margens do Mundo. Vivemos um engodo. Tá na hora do consumidor acordar!

  25. Enviado por: Carlos Eduardo

    Brasil um país de todos! Os otários do mundo!

  26. Enviado por: Elson Santos

    aqui onde moro Iturama-MG cidade de 35 mil habitantes a coca-cola de 350ML custa R$2,00 em qualquer lugar da cidade é um puro absurdo mais ja acostumei a pagar esse preço infelizmente.

  27. Enviado por: Junior Silva

    Nas estradas e restaurantes, paga-se R$4,00 por uma latinha de 350ml. Acho que e a coca mais cara do mundo, por isso que está havendo uma enxurrada de empresas extranjeiras vindo para o Brasil.

  28. Enviado por: CORREGEDOR

    Essa diferença de preços entre Brasil e o resto do mundo só complica ainda mais a vida do pobre.

    Segundo a Bolsa Família, temos 14 milhões de famílias no cadastro com ganhos de R$ 75,00 per capita mensais. Essa família com 5 membros já faria a pobreza brasileira estar em torno de 70 milhões de pessoas; com a parentela de tios e avós, podemos dizer que temos 100 milhões de pessoas numa pobreza africana.

    Segundo IBGE 50% da população brasileira vive com renda de até um salário mínimo. Até um salário mínimo leva-nos a considerar que muitos vivem com menos de um mínimo.

  29. Enviado por: joao

    del nero,

    essa historia de pedágio é fake… Nunca repasse uma lenda sem antes checar a veracidade:

    http://www.quatrocantos.com/LENDAS/338_marcia_dos_santos_pedagio.htm

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Blogs do Estadão


Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo