12:18


15 de Abril de 2010

 

Patrocinado por




Radar Econômico
Filtro
Tamanho de texto: A A A A

Colunista do Guardian diz que Serra usa estratégia republicana

18 de junho de 2010 | 16h09

Sílvio Guedes Crespo

Atualizado às 17h32

“Por que José Serra e seu partido defendem uma política externa de direita?” A pergunta, do colunista Mark Weisbrot, do jornal britânico The Guardian, é mais uma etapa do debate internacional sobre a atuação do Brasil no cenário global.

Depois de uma comentarista do Wall Street Journal chamar o governo brasileiro de “tolo” e de uma reportagem da revista Economist afirmar que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva está minando as chances de uma reforma na Organização das Nações Unidas, o articulista do Guardian saiu em defesa da política externa brasileira e criticou o candidato à Presidência José Serra.

RADAR ECONÔMICO NO TWITTER
Acompanhe: @radar_economia
http://twitter.com/radar_economia

“Para as eleições, a oposição adota uma estratégia de política externa do Partido Republicano – mas o Brasil não é os Estados Unidos”, afirma o articulista.

Na opinião de Weisbrot, Serra criticou o governo da Bolívia por um motivo eleitoral. O articulista avalia que a economia brasileira caminhou “muito melhor nos oito anos de Lula do que nos oito anos anteriores do PSDB”, o que leva Serra a buscar outros temas para contrastar sua posição com a da candidata do governo, Dilma Rousseff.

Analogamente, na visão de Weisbrot, Bush e seu partido também buscavam votos em assuntos não relacionados à economia, enfatizando que eram mais duros na política externa.

Em maio, Serra dissera que o governo da Bolívia certamente estaria envolvido na exportação de cocaína para o Brasil.

“O governo de Evo Morales lutou contra o tráfico de drogas com mais esforços e menos corrupação do que seus antecessores; há uma distinção clara para o governo Morales entre coca, que é legal, [...] e cocaína”, argumentou Weisbrot, citando um documento da organização não-governamental WOLA (Washington Office on Latin America) e outro da Drugs and Democracy.

Entre os membros da comissão latino-americana da Drugs and Democracy está o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, além de outros brasileiros como o general Alberto Cardoso e João Roberto Marinho.

ECONOMIA NO FACEBOOK
 Entre na página de Economia do Estadão no Facebook e clique em ‘curtir’ para receber notíciashttp://www.facebook.com/economiaestadao

Weisbrot acrescenta que Serra tem evitado criticar outro polêmico vizinho do Brasil, a Venezuela, “talvez por saber que Chávez poderia revidar com força e levar a discussão sobre assuntos externos para um embate mais forte do que seria interessante para a campanha”.

Mas o autor avalia que essa estratégia de criticar a atuação do atual governo no exterior, mesmo no caso da aproximação com o Irã, não dará votos a Serra. Ele considera que a tentativa do Brasil e da Turquia de mediar um acordo com o Irã é “um avanço na diplomacia internacional”.

“Lula e seu ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, esforçaram-se para prevenir outra guerra horrível e desnecessária no Oriente Médio. [...] Essa mensagem positiva tem mais chance de angariar votos no Brasil”, opina o articulista.

Leia o artigo na íntegra no site do Guardian (em inglês)

Tópicos relacionados

23 Comentários Comente também
  1. Enviado por: Evandro

    Vale lembrar que Mark Weisbrot é notadamente defensor das políticas de centro-esquerda latino-americanas, “pink tide”. A afirmação dele segue em linha com o que ele sempre defendeu. Então, obviamente ele apoiaria o partido mais à esquerda dos dois principais no Brasil. Nada novo. Opinião política e não técnica, fica-se claro.

  2. Enviado por: Óbvio

    Isso demonstra o total desconhecimento de Serra da geopolítica do continente sulamericano!

  3. Enviado por: Pela Democracia

    A quem esse jornal serve?

    Pois bem, não seria estranho, se esse texto tenha sido divulgado, no momento em que a candidata-poste faz visitas a países que tem interesse comercial vantajosos pendentes com o Brasil de Lula. Penso, que se o Brasil não é EUA, o articulista não é Deus para concluir tais comentários, ainda mais na defesa de uma gestão, da qual ele ouve falar e talvez por meios, digo, muito sui generes, a faz. Vale lembrar, que o pensamento do Lula quanto a política externa não é o do povo brasileiro. Está mais que comprovado a participação do país vizinho no tráfico de drogas para o Brasil, o próprio governo atual reconhece isso. Porque o articulista não cita isso? Ah, interesses obscuros cercam a edição desse meio de comunicação e daí fica difícil dar credibilidade a uma notícia eivada de interesses que não são os mais republicanos.

    • Enviado por: luiz perci da silva

      A mesma pergunta devemos fazer, a quem nossos jornais servem?
      Se há dúvidas sobre as intenções deste artigo, não fiou duvidas sobre o WALL STREET JOURNAL, assim sendo acho que as tendências de um ou outro são irrelevante.
      Porem a tentativa de resolver um problema mundial pela PAZ, jamais deveria ser motivo de deboche, por mais ignorante que seja o ser humano. Mas nós sabemos que no mundo existem duas coisa INFINITAS.
      A primeira é o universo e a segunda é a estupidez humana

    • Enviado por: Roberto

      Prezado o maior produtor e exportador de cocaína do mundo é a Colômbia.
      Só vc e o serra é que não sabem disso.

  4. Enviado por: Thais

    Não concordo…
    Acho a política externa brasileira patética.
    O presidente passou mais tempo viajando para outros países que sentado em seu gabinete. Pra fazer o que? Presentear com camisas de futebol? Dar gafes? Abraçar ditadores? Paz mundial? Me poupe. O Brasil merecia ter sido governado.

    Lula tem o rei na barriga e se acha o grande líder. Não é. Só aproveitou a crista da onda.

    • Enviado por: luiz perci da silva

      Fazer acordos comerciais, caso voçe não tenha notado, nós nos últimos oito anos mudamos nosso parceiros comerciais.
      Fizemos acordo com Israel, China, Turquia, tivemos mais comércio com a Europa, inclusive pode-se dizer que a mudança foi da ordem de 60 a 70%, retirando dos EUA a nossa dependência em tecnologia de ponta. Se não fosse assim estaríamos de volta ao FMI, pois o comércio com os EUA nesta crise dos bancos americanos nós teríamos afundado juntos.
      Isso chama-se COMÉRCIO EXTERIOR,é uma pena que a nossa imprensa marrom distorce os fatos e os brasileiros acreditam, e depois ficam escrevendo verdadeiros absurdos sobre as viagem do Presidente.

    • Enviado por: Roberto

      Lula viajou muito e diversificou os parceiros comerciais. Recentemente os EUA ficaram de joelhos e o Brasil surfou na marolinha.
      Vc diz que ele abraça ditadores, só para te informar em Cuba existem 64 presos políticos e Guatanamo (prisão dos EUA) existem 700 presos que nem acusação têm.

  5. Enviado por: Guim.

    O autor é figura conhecida do proselistimo esquerdista latino-americano. É autor do relatório “The Chavez Administration at 10 years, The economy and social indicators”. tecendo loas as grandes conquistas do Chavismo, que não se sustenta na realidade.

    É óbvio que o artigo tem viés partidário. Esse, inclusive, é um fato que deveria ser mencionado da reportagem.

    Quanto a política externa do governo brasileiro, ainda estamos esperando sentados algum resultado positivo. Não houve nenhum, com todas as letras, nenhum pleito relevante em que o Brasil tenha sido bem sucedido. Infelizmente, sob Lula e Amorin, o Brasil perdeu todas.

    No caso da Bolívia, não sei da onde ele tirou essa informação sobre “mais esforços e menos corrupção” do governo Morales. Trata-se de um achismo, uma generalidade. Ao que tudo indica, a área plantada de coca aumentou nos últimos anos e, sem ser expert na questão, suponho que não seja um aumento na demanda de mascadores de coca.

    • Enviado por: Hélio

      não sabe de onde tirou? a reportagem diz claramente:
      “argumentou Weisbrot, citando um documento da organização não-governamental WOLA (Washington Office on Latin America) e outro da Drugs and Democracy.”

  6. Enviado por: Luiz Thomas

    Este jornalista beira o ridículo.
    Chega a afirmar que Serra por ter fado o óbvio sobre a Bolívia (vista grossa ao tráfico de coca)não renderá votos PUTZ!
    O cara é bem tendencioso, ou então deu uns tirinhos antes de escrever.
    Vamos esperar a sua próxima matéria sobre Maradona.
    _

  7. Enviado por: Luisinho

    O Brasil está correndo para o lado errado. Alerta, brasileiros!
    A alguns meses atrás o ditador Hugo Chávez disse que apoia Dilma. Na semana passada mandou prender o dono da maior rede de TV da Venezuela, alegando ser o mesmo vendedor de carros contrabandeado (ou coisa parecida).
    A sua vez pode chegar. A minha, peço a Deus que não. Eu não votarei na terrorista. O Brasil é um país de TOLOS (segundo Lula), mas eu não sou.
    E ainda vem mais um defensor do presidente da Bolívia (plantador de coca – a maior desgraça para o mundo).
    Me digas com quem tu andas, que eu direi quem tu és.

  8. Enviado por: jan z. volens

    Surpresa: Na TV nos EUA, o Lula e seu governo nao sao vitima de muita propaganda hostil: O Brasil somente seque observado pelos economistas e ums “geostrategists”. Os que observam o Brasil com interes intenso sao os “donos” das ONG “environmentalists” trabalhando para sabotear o PAC: As “Foundations” que financiam os ONG, recebem “contribucoes” da industria de exportacao de milho, soja, algodao, carne – concurrencia da exportacao do Brasil.

  9. Enviado por: Guim.

    Hélio,
    As duas insituições são think tanks com posicionamentos ideológicos bastante claros, no caso, de oposição ao Plano Colômbia, de resto, como o próprio Weisbrot.

    Temos duas situações opostas cujo resultado é pífio. Morales exalta os plantores de coca e Uribe usa dinheiro estadunidense para queimar plantações. Em nenhum dos casos se pode dizer que houve sucesso, ainda que, no caso da Colômbia, caso mais grave, a redução no narcoterrorismo é inequivoca.

    As duas argumentações importantes do meu comentário são: o autor do referido texto é um militante e a política externa brasileira da era Lula/Amorin não obteve nenhum resultado concreto.

    Até mesmo a boa fama de Lula foi colocada em xeque, após essa aventura iraniana.

    O que chama a atenção é a leviandade de um governo que tenta emplacar um Plano Nacional de Direitos Humanos que pretende reger da legalização do aborto às disputas pelo direito à propriedade refestelar-se com um grupo político que não resistiria ao primeiro parágrafo desse PNDH3 e que, de maneira nenhuma, representa o povo iraniano, mas sim uma elite religiosa.

  10. Enviado por: Wagner

    Weisbrot não mora no Brasil. É elegante e politicamente correto defender situações das quais ele não compreende, o que aliás é comum entre jornalistas do mundo todo.

    O que adianta trocar um pais por outro? Trocamos USA por China? Para que? O que a política externa está fazendo, tornando-se subserviente de outros? aceitando interferencias que lhes são desconhecidas. Qual a estrutura de inteligencia do governo para que possa decidir o caminho certo, visto que as agências que devem assessorar estão desacreditadas? O Ministério das Relações Exteriores? Não aceita inglês, mas quais os diplomatas que falam turco ou chines com fluencia para assessoramentos comerciais ou de defesa?

  11. Enviado por: junior

    Como sabemos, as pessoas têm dificuldade para se transformarem (para melhor). Assim, o que estamos vendo em relação aos comentários do Serra sobre a Bolivia, somente confirma o que já se sabe: Serra tende a ser Desagregador. Mesmo antes de ganhar (se é que ele vai…), ele já está causando constrangimentos diplomáticos para o nosso País. Também já criticou a Argentina. E por aí vai.

  12. Enviado por: Reginaldo Gadelha

    E dai com as opniões de sujeito ?
    O que ele sabe de Brasil ?
    Pessoalmente acho o lulla o sujeito sem honestidade, um mentiroso, um sujeito que disse e desdisse sobre vários assuntos, um cara que aliou-se ao que de pior existe na política nacional, sendo que quando era oposição disse cobras e lagartos sobre pessoas com quem ele anda hoje.
    O que pensar de um sujeito dessa estirpe, a não ser que é um mentiroso ?
    Nesse caso, o que esse tal cara americano sabe das sacanagens do lulla ?
    Nada, nadica de nadica……

  13. Enviado por: augusto

    Prezado sr. weisbrot, sua viajem com tudo pago a um destino paradisiaco com sua familia está ok (se é que o sr. tem esposa e é chegado a isto), e na volta encontrará na sua garagem um conversivel de luxo zerinho em folha.
    Ah, antes que me esqueça tudo foi pago pelo povão do Brasil.

  14. E ainda tem idiota que acha que lugar de presidente é em gabinete. Fazendo o que? Em 7 anos de governo, e graças às viagens, as expotações brasileiras quase triplicaram em relação ao ultimo ano de fhczinho. Isso porque, com o presidente, sempre viajava mais de 50 empresarios. Se as expostações para os EUA giravam em torno de 35%, hoje não passa de 15%. Não que tenha diminuido, mas sim ampliado e diversificado com outros paises.
    Por que a direita acha que só os outros são ideológicos e ela não?

  15. Enviado por: Luzi

    Ao contrário do que pregam incessantemente os petistas, o governo do PT é o governo que melhor atende aos interesses internacionais. Basta ver o entreguismo lulista em todos os segmentos: dos recordes de lucratividade dos bancos, passando pelo caso da Petrobrás na Bolívia, o dinheiro ao FMI, a aquisição maciça de terras, minas ferrovias e portos brasileiros pelos chineses, e por aí afora…

  16. Enviado por: azarias da silva pinto

    Este jornalista deve ter conhecimento do aumento assustador de plantações de coca na Bolivia sob beneplácito do Sr. Evo Morales só pode ter aumentado o número de mascadores de coca na Bolivia OU ENTÃO ????? /cala-te boca.

  17. Enviado por: miranda filho

    Senhores, queiram ou não o Lula está com a bola toda. Fazer o quê? A oposição é incompetente, não tem uma figura para fazer frente ao Lula.
    Pelo andar da carruagem, a Dilma vai ser eleita, e o PSDB vai ficar mais oito anos na oposição.
    O PSDB precisa ser renovado, estas figuras hoje existentes são inexpressivas, não têm voto, não falam a língua do povão.
    Para mim, Dilma e o Serra quase se equivalem. O Brasil estará bem servido por qualquer um deles.
    Quero apenas um compromisso deles: façam o melhor pelo Brasil, vença quem vencer!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Blogs do Estadão


Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo