ir para o conteúdo
 • 

Ponto Edu

28.outubro.2011 12:07:21

‘Movimento não nos representa’, dizem alunos

* Por Carlos Lordelo

Foto: Hélvio Romero/AE

SÃO PAULO – Um grupo de alunos de outras unidades, reunidos na Cidade Universitária antes de irem ao câmpus de São Carlos para um conselho de centros acadêmicos, esteve em frente ao prédio da diretoria da FFLCH, ocupado por estudantes, e criticou o movimento. Eles dizem que a presença da PM no câmpus é aprovada pela maioria dos alunos.

Segundo Rodrigo Souza Neves, de 24 anos, bacharel em História pela USP e graduando em Gestão de Políticas Públicas, o confronto de ontem entre alunos e PMs foi “lamentável”. Ele diz que a presença da PM no câmpus é um tabu apenas para “setores ostracizados” da universidade. “Setores radicalizados,  que não consultam nem dialogam com os estudantes, estão depredando o patrimônio”, reclamou.  Rodrigo é representante dos alunos na comissão de seu curso.

Para o estudante, ontem “estudantes profissionais” acuaram a polícia. “Foi algo incitado para provocar uma mobilização política”, disse. “Isso aqui é uma farsa”.

Lucas Sorrillo, aluno de Engenharia de Materiais na USP, ficou sabendo da confusão ontem pela internet. “A manifestação desses estudantes não representa a vontade dos alunos de outras unidades” disse. “Pelo que soube, não houve abuso por parte da PM.” Para ele, a ocupação da FFLCH nâo tem motivo e atende a interesses políticos-partidários. “Inclusive, peço desculpas aos PMs em nome dos alunos, porque vieram trabalhar e apanharam”.  Lucas é colaborador do Grêmio Politécnico, instituição que representa alunos da Poli.

comentários (92) | comente

  • A + A -
92 Comentários Comente também
  • 28/10/2011 - 12:29
    Enviado por: Andre

    Concordo com o aluno que criticou a invasão da USP. A polícia deve ter livre acesso ao câmpus unviversitário e coibir o trafico de drogas. Universidade é local para adquirir conhecimento, desenvlver alhumas habiliades e não se tornar local para venda e consumo de drogas ilicitas.

    Os estudantes que concordaram com a presença da polícia militar estão sendo coerentes e demonstram que a presença policial garante o exercicio da cidadania e não afetam ao cidadão que respeita a ordem e anela condições mais seguras para todos.

    Parabéns aos PMs que prendeu que está violando as leis!

    responder este comentário denunciar abuso

    • 28/10/2011 - 14:16
      Enviado por: Lombarde

      Tinha que ser um engenheiro pra ter uma postura favorável aos PM’s.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 28/10/2011 - 14:47
      Enviado por: Daniel

      Sr. Lombarde,
      A imensa maioria das pessoas está a favor da polícia nesta questão. Portanto, não são apenas os engenheiros. Aliás, só está contra quem é vagabundo inútil, filhinho de papai que fica sustentando o tráfico de drogas. Ou seja, a escória da sociedade.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 28/10/2011 - 14:52
      Enviado por: Thiago Forni

      Não “tinha que ser engenheiro”, não. Sou da letras e, como muitos, sou contra esse movimento partidário contra a polícia e contra o reino da fantasia em que vocês pensam viver. Contra essa discriminação em relação ao restante da sociedade. Por que é que na USP alguns pensam que tudo podem fazer?

      responder este comentário denunciar abuso
    • 28/10/2011 - 14:53
      Enviado por: Alessandro

      “Parabéns aos PMs que prenderam que está violando as leis!”(2). É isso aí. Fiz alguns cursos na USP e presenciei muito mais do que consumo de drogas, e isso há mais de 12 anos atrás. Imagine hoje. Sempre achei um absurdo a falta de policiamento lá dentro e acho até que o DENARC deveria fazer batidas e revistas no CRUSP.
      A USP não é um enclave onde as leis não se aplicam, se todos os cidadãos são iguais perante a lei, a lei se aplica a todos. A USP é minha, é sua, e esses imbecís estão lá às nossas custas, ainda por cima.
      Seria bacana se os demais estudantes identificassem cada um desses vândalos e os segregassem, tornando-os persona non grata.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 28/10/2011 - 15:01
      Enviado por: Flauzini

      Ultimamente parece estar em moda minorias insignificantes querendo impor a ditatura de seus pensamentos contra a gigantesca maioria.
      Agora querem até ditar o que é legal ou não segundo sua ótica distorcida e entorpecida.
      Felizmente no meio estudantil tem gente que se mantem lúcida, com discernimento, que não se deixa levar por aqueles que querem engrossar a pequena manada da qual são parte.
      E é sempre bom lembrar que a universidade é mantida com o dinheiro daqueles que trabalham e não daqueles que ficam lá curtindo sua maconha. A polícia é necessária inclusive para combater os delinquentes depredadores.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 28/10/2011 - 19:11
      Enviado por: Fabio Figueiredo

      Essas escolas viraram escolas de bandidos. Veja o candidato a terrorista na foto. Por isso, dentre as 200 melhores universidades do mundo o Brasil só tem 1, a USP em ridículo 164º lugar. Assim, alunos, continuem fazendo baderna e política e não se preocupem em estudar. Talvez, no próximo ano, não tenhamos mas nenhuma universidade dentre as melhores e este país continue na mão de corruptos e bandidos, profissão que vocês estão, aparentemente, aprendendo.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 28/10/2011 - 19:42
      Enviado por: JAIRO ANTONIO PELLES

      MACONHEIROS SEM VERGONHA!!! POLÍCIA, INQUÉRITO, PROCESSO E CADEIA NELES!!!!!!!!! NO BRASIL QUALQUER AÇÃO DISCIPLINADORA É DENUNCIADA COMO ABUSO!!! LUGAR DE VICIADO VAGABUNDO NÃO É DENTRO DA UNIVERSIDADE PÚBLICA PAGA COM O DINHEIRO DO CONTRIBUINTE!!! PSEUDO-INTELECTUAIS FINANCIADORES DE BANDIDOS!!!!!!! COM CERTEZA NÃO REPRESENTAM A MAIORIA DOS ESTUDANTES, MUITO MENOS A INSTITUIÇÃO VALOROSA QUE É A USP!!!

      responder este comentário denunciar abuso
  • 28/10/2011 - 12:38
    Enviado por: Susi Pinkuss

    Braço armado dos exploradores? Que coisa mais anacrônica, em pleno 2011!

    responder este comentário denunciar abuso

    • 28/10/2011 - 19:15
      Enviado por: Fabio Figueiredo

      Não só a população toda está a favor da polícia, contra os drogados e baderneiros, como não está mais disposta a sustentar uma escola de bandidos. A USP, única universidade brasileira dentre as 200 melhores do mundo, é a 164º e provavelmente não estará mais lá em breve. Continuem aprendendo baderna e corrupção que é o que vocês tem a oferecer ao país como contribuição pelo seu estudo “gratuito”, pago por nós o povo. Seus porcos!

      responder este comentário denunciar abuso
    • 28/10/2011 - 19:42
      Enviado por: Marx

      Não acho que o termo seja anacrônico. Se o termo tivesse sido usado na Grécia atual é uma coisa e, na minha opinião, estaria sendo legítimo. Mas o termo ser usado por estudantes ricos querendo usar drogas sem serem importunados pela polícia, é lamentável.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 28/10/2011 - 21:37
      Enviado por: Val

      olá, Susi!
      Pior do que a frase é escrever TRABALIADORES. Será que são alunos? ou oportunistas se passando por discentes.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 28/10/2011 - 12:44
    Enviado por: Sergio

    Alguns falam em combater traficantes, eu entendo que temos que combater os usuários. Veja o cigarro, cada vez menos pessoas estão fumando. Muitos estão procurando ajuda medica. Universidade e local de estudo e desenvolvimento e não de se drogar e tenho certeza que este movimento são de baderneiros. Como cidadão, morando em bairro humilde, nunca tive problemas com a policia e graças a PM cumprindo seu papel, hoje estou vivo, pois, sofri um sequestro relâmpago e fui interceptado por uma blitz da PM. Até quando continuaremos sendo um povo que se esconde atrás do Estado, pois, os Japoneses, Alemães, Portugueses e Italianos que chegaram no Brasil a 100 anos atrás, em sua maioria não tinha um Estado protetor e seus descendentes na maioria no Brasil tem feito a diferença neste Pais.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 28/10/2011 - 14:32
      Enviado por: Pedro

      Cara, concordo com você, só faço um adendo: Esqueceste de falar dos povos negros, que também contribuiram demais para o progresso deste país.

      Valeu!

      responder este comentário denunciar abuso
  • 28/10/2011 - 12:46
    Enviado por: Luiz

    Concordo com o André. Estudo na FFLCH e confirmo que a maioria dos alunos é a favor da presença da PM no campus. Essa discussão, por sinal, já deveria ter sido superada uma vez que existe apenas entre uma minoria de estudantes radicais – muitas vezes apoiados por partidos políticos de extrema esquerda – que, por fazerem mais barulho que os outros estudantes, tem suas ações repercutidas na imprensa. É fácil dizer que a PM é opressora, mas cuspir no rosto dos policiais para defender o direito de consumir drogas ilícitas é no mínimo revoltante.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 28/10/2011 - 13:49
      Enviado por: Carmo

      Luiz, também estudo na FFLCH e concordo com o Sorrilo e outros, esta na hora de gente como nós reagir a destruição da USP.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 28/10/2011 - 20:57
      Enviado por: Gustavo

      Concordo com vc Luiz, não é possível um grupinho de 100 individuos representar uma população de milhares que formam a USP. Utilizo a rua do mercadinho e sempre ouvi falar sobre assaltos nesse local e sempre pensava…aguardo minha vez… agora constantemente vejo ronda da PM e todos meus amigos comentam que se sentem mais seguros, e realmente, não ouvi falar de mais casos de assaltos no local. Agora precisou morrer um aluno para a comunidade acordar, e infelizmente esses imbecis, financiadores do tráfico querem acabar com a segurança do campus, tenha a santa paciência…Por favor, se alguém souber de algum movimento a favor da pm no campus, me envie e-mail pois quero participar.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 28/10/2011 - 21:23
      Enviado por: Victor

      como vamos nos organizar contra os dinossauros da fflch?

      responder este comentário denunciar abuso
  • 28/10/2011 - 12:52
    Enviado por: Josh

    Os “alunos” profissionais, que envelhecem na universidade, vivem usando drogas e morando gratuitamente nos conjuntos habitacionais da USP são os que sempre alardeiam com os movimentos radicais. Não representam a verdadeira classe de alunos da USP, que estuda, trabalha e faz pesquisa para a sociedade. Esses vagabundos que acham que a universidade é deles, que polícia é sinônimo de repressão e outros arquétipos do mais baixo nível mental. A USP é custeada pela sociedade, que tem o direito de exigir ordem no campus e disciplina dos alunos. Chega de depredação, chega de piquetes e baixaria na USP. Expulsem esses alunos profissionais! Expulsem!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 28/10/2011 - 12:54
    Enviado por: Josh

    Observem a foto desta matéria. Olhem a face dos tais “alunos”. Parecem bandidos. Nem têm coragem de mostrar o rosto. Uma vergonha.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 28/10/2011 - 13:06
    Enviado por: Paulo Moraes

    Esse poucos baderneiros são os mesmos estudantes ligados a UNE.
    A UNE nunca representou os estudantes, cumpre somente um papel politico de aliança com PT, PCdB…..

    Não deixem que façam o mesmo abusurdo que fizeram com a Universidade Federal de Brasilia.
    Transformaram a Universidade em um palco de Circo para LULA e seu bando.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 28/10/2011 - 13:13
    Enviado por: Paulo Roberto

    FFLCH, centro de formação de futuros marginais radicais políticos com ideologia abestada !!!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 28/10/2011 - 13:14
    Enviado por: Juventus

    Como aluno da USP que estuda e não usa entorpecentes CONCORDO INTEIRAMENTE COM A AÇÃO DA PM.
    Espero que os policiais não comecem a achar que todos os alunos da USP são maconheiros que depredam bens públicos. Esses vagabundos não representam a maioria do corpo estudantil que está lá para estudar.
    Confiamos na PM para manter a segurança do campus e FAZER CUMPRIR A LEI.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 28/10/2011 - 21:52
      Enviado por: Val

      Oi Juventus. Não se preocupe, nós sabemos que eles são minoria. Estamos aqui para cumprir o que prega a Constituição Direitos Iguais a todos. Abordaremos na favela e abordaremos na USP tb. A Policia é um Mal necessário, pois na sociedade que aí está nosso serviço ainda é necessário. Obrigado por defender nossa minoria – os policiais.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 28/10/2011 - 13:18
    Enviado por: EACJR

    Finalmente uma matéria séria sobre os verdadeiros alunos da USP! E não os 100 pseudos-partidários políticos que atuam na FFLCH e no tal do sindicato dos trabalhadores! por favor, parem com as manchetes “Alunos da USP ocupam”, “Alunos da USP destroem”, “Alunos da USP…” que tal, “Um grupo pequeno de Alunos da FFLCH da USP e partidarios políticos infiltrados” promoveram a destruição de patrimonio público e avançaram sobre as forças de segurança contra a prisão de maconheiros?

    responder este comentário denunciar abuso

    • 28/10/2011 - 14:20
      Enviado por: Flavio

      Corretíssimo!
      A mídia deveria ser mais cautelosa para não acabar com a imagem dos alunos da USP, a grande maioria séria e dedicada aos estudos. Deveriam colocar um jornalista infiltrado neste bando de estudantes delinquentes para ver quem está por trás disso. Os baderneiros deveriam ser expulsos para liberar as vagas para quem quer estudar e contribuir com a sociedade. Se quiserem, fumem maconha nas suas casas, mas não venham querer transformar a USP no seu quintal.
      Não tenho dúvida que se a polícia quiser, encontrará traficantes entre estes alunos – provavelmente vivendo no próprio campus e usufruindo das regalias como comida quase de graça e clube privê (tudo pago por nós). Investiguem e tirem esse pessoal do campus.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 28/10/2011 - 13:19
    Enviado por: madeira neles

    Essa barena que houve na USP, é coisa de maconheiro mesmo. Essa minoria que acha que tudo pode dentro do CAMPUS. O mesmo dinheiro que usou pra comprar o baseado, e´o mesmo que financia o crime organizado que entra no CAMPUS, Rouba, estupra e mata. Tinham era que ser expulsos, esse delinquentes travestidos de academicos.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 28/10/2011 - 13:20
    Enviado por: madeira neles

    Essa baderna que houve na USP, é coisa de maconheiro mesmo. Essa minoria que acha que tudo pode dentro do CAMPUS. O mesmo dinheiro que usou pra comprar o baseado, e´o mesmo que financia o crime organizado que entra no CAMPUS, Rouba, estupra e mata. Tinham era que ser expulsos, esse delinquentes travestidos de academicos.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 28/10/2011 - 13:23
    Enviado por: AUGUSTO CESAR COIMBRA

    A USP TEM CERCA DE 60 000 ALUNOS …….NÃO É POSSÍVEL QUE DUZENTOS BADERNEIROS FALEM EM SEU NOME

    responder este comentário denunciar abuso

    • 28/10/2011 - 15:36
      Enviado por: paulo

      Transformar a USP em uma “boca de fumo” é inaceitável.

      Essa escória só representa a si mesma e seu discurso é uma apropriação ridícula de incidentes que ocorreram em outros tempos – Seus interesses são vazios e estão em desacordo com a comunidade acadêmica.

      Para preservar os interesses da sociedade que paga impostos e banca esta universidade, a expulsão destes elementos deveria ser seriamente considerada.

      A PM agiu dentro das regras e seu papel é vital para a manutenção da ordem.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 28/10/2011 - 13:32
    Enviado por: Hildebrando neto

    Boa Tarde

    Acho que eles tem cria um Brasil usp para eles fazerem os que queres como fumar a maconha a vontade.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 28/10/2011 - 13:36
    Enviado por: Junior

    Bem. Isto era previsível. Todos sabem que alguns estudantes são usuários de drogas. Isto existe em todos os lugares. A operação da PM na FFLCH era previsível. O jornal aqui precisa relatar melhor, pois não há tráfico de drogas na USP, mas alguns estudantes que trazem drogas;
    Na própria FFLCH, isto é muito restrito. Sabendo disso, por que a PM não buscou promover um debate a respeito do problema das drogas? Aí está a diferença de uma polícia comunitária. A ação do comando da PM foi equivocada.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 28/10/2011 - 13:49
      Enviado por: Juventus

      Realizar um debate com quem? Com quem cospe na cara dos policiais que estavam cumprindo seu dever constitucional?
      Por que ao invés de perder tempo fumando maconha esses alunos não participam de debates sobre a corrupção que assola esse país?

      responder este comentário denunciar abuso
    • 28/10/2011 - 14:23
      Enviado por: Sergio

      A PM existe para manter a ordem e cumprir a lei. Estamos falando de usuários de drogas de favelas e sem estudo? Não, estamos falando da “nata” da sociedade, altamente instruída em relação ao resto da sociedade brasileira. Devido a este fato, devem ser tratados com mais rigor, pois não são leigos. Não devem ser tratados com injustiça, porém, com o rigor da lei. Se houve abusos, tanto os policiais quanto os alunos devem ser punidos. Pense na seguinte hipotese: Quem anda de forma correta precisa esconder o rosto? Até hoje, em nossa realidade dos últimos 20 anos, não conheci ninguém que faça algo correto (segundo a lei brasileira), que precise esconder o rosto!!! Cheeeeeegaaaa de baderna.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 28/10/2011 - 14:25
      Enviado por: Marcelo

      Não há tráfico na usp? Só porque abafaram o caso do aluno/traficantezinho de merda preso semana retrasada na Poli não quer dizer que não há.

      O caos só se instalou porque foi na FFLCH, maior reduto de inconformados com a presença policial e local de maior massa filiada a partidos políticos. Aliás, alguém já citou que o sr. diretor do Sintusp teve participação direta na negociação mais agressiva com a PM? Justo quando a Diretora Sandra Nitrini estava tentando apaziguar e abafar?

      muita politicagem no fato de ontem.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 28/10/2011 - 15:42
      Enviado por: paulo

      Ra!!

      Será que estamos falando do mesmo assunto?

      A PM agiu dentros das regras e foi agredida.

      Tudo que estes “inocentes” queriam era que algum policial perdesse o controle e fizesse alguma bobagem.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 28/10/2011 - 15:45
      Enviado por: Paulo Roberto

      Só pode ser piada o que escrevestes !!! Diálogo com traficante e bandido ??? só pode ser mais um petista !!!

      responder este comentário denunciar abuso
    • 28/10/2011 - 18:45
      Enviado por: daniel

      JUNIOR !!! Vc nunca viu tráfico de drogas no campus USP !!!! Vc é “piadista” ou é cego mesmo???

      responder este comentário denunciar abuso
    • 31/10/2011 - 09:08
      Enviado por: Marília

      conversar sobre as drogas é papel de pai e mãe, e não da polícia.

      Junior, mas se por acaso a polícia promovesse mesmo esse debate, você ache que quem iria? dúvido que os maconheiros iriam lá para escutar o discurso da polícia. Acho que eles iriam sair dando risada da PM.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 28/10/2011 - 13:41
    Enviado por: Osvaldo Silva

    Creio que o problema não é tão simples assim. Os extremos podem ser perigosos. Uma única história deve ser contestada.

    A polícia garante a segurança de fato? Realmente tenho minhas dúvidas quanto a isso.

    No resto da cidade de São Paulo a PM circula e crimes acontecem. Quando não, a própria PM comete crimes de violência ou corrupção (em reportagem do próprio “Estadão”: http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,pm-mata-2-por-dia-e-ninguem-e-punido-em-3-meses,742149,0.htm).

    Não será que é uma falsa segurança? Ontem, durante o protesto, havia 18 viaturas no estacionamento da FFLCH (uns falam em 15, outros em 20, mas eu contei e eram 18), e quando se viu esse número de viaturas na cracolânida, por exemplo? Policiais com armas grandes, bombas, cassetetes. Foi um exagero.

    A maioria dos estudantes querem a polícia fora do Campus não para fumarem maconha, mas para não serem vítimas de violência. Fumar maconha é contra a lei. Violência e agressões contra estudantes também. A reação da polícia não trouxe para ninguém, absolutamente para ninguém. Apreenderam maconha (que por sinal não divulgaram a quantidade) e isso é prática de segurança? E os estudantes que foram vítimas de agressão de bomba, de gás, de cassetadas? A violência não é justificada.

    Tem mais um ponto: o Reitor prometeu uma polícia diferenciada para dentro do Campus, onde o debate e a conversa com a comunidade iria ocorrer. Ainda não vi debate nem conversa. Mas já vi bombas. Não sei se é tão diferenciado assim. Em notícia divulgada pelo “Estadão” também, o reitor disse que a polícia não iria reprimir nenhum tipo de manifestação. E o que foi feito ontem.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 28/10/2011 - 14:16
      Enviado por: Miltinho

      A maconha diminui o raciocínio. Fato cientifico.

      Por que fumar em local de estudar?? Fume na sua casa po. Essa universidade é paga por milhões de contribuintes também. E quem paga esse imposto não quer essa baderna.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 28/10/2011 - 14:37
      Enviado por: sheng

      A maioria querem os PM dentro da universidade SIM , o que a maioria não quer é maconheiros e drogados na universidades porque futuramente serão futuros traficantes que vão trazer mais violencia e desgraças para toda classe universitária e familia.
      O mal tem que ser cortado logo pela raiz.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 28/10/2011 - 14:52
      Enviado por: Roberto Nunes

      Comentário dissociado da realidade. Falar isso é ignorar as imensas conquistas que São Paulo tem conseguido na área de Segurança Pública. Índices de homicídio como exemplo. Trabalho da inteligência policial e da ação destes servidores que colocam a cara a vida em jogo por pouco dinheiro.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 28/10/2011 - 15:17
      Enviado por: Thiago Forni

      A polícia não garante a segurança, e isto não é nem utopicamente esperado. Ela melhora a questão da segurança, como em todos os outros locais do estado. No jornal do campus da semana passada há uma matéria falando sobre isto. A guarda universitária atestando que a criminalidade diminuiu em 80% após a intensificação das rondas da PM no campus. Não há lugar em que o índice de criminalidade seja nulo.
      Quanto à cracolândia, é uma coisa interessante a se questionar. Talvez seja lugar mais adequado para se consumir entorpecentes do que a universidade. Não acho que houve exagero na quantidade de policiais no local nem nos meios empregados. Que grande violência foi cometida contra alguém? Bombas de gás, contra apedrejamentos? Balas de borracha? Se os policiais fossem violentos de verdade, haveria alguns mortos e muitos gravemente feridos. As ações e armas utilizadas nesse tipo de situação são empregadas para dispersar multidões. E a maioria dos estudantes não quer a polícia fora do campus, não. Informe-se melhor. Os estudantes preferem a atuação da polícia. Ainda que sejam abordados vez ou outra, entendem que isto é o trabalho da polícia. É bonito? É divertido? Não, mas é necessário.
      O que causou o problema não foi a ação da polícia. Foi o uso de drogas ilícitas, condenado amplamente pela sociedade, e a tentativa de um grupo de impedir o trabalho da polícia.
      A ação da polícia foi acertada, sim. Se não abordasse, seria conivente. Por que os alunos se acham melhores que os cidadãos de fora da USP?
      Mais um detalhe: foram usuários de drogas que assassinaram um estudante no estacionamento, em tentativa de roubar para comprar mais drogas. Não me venha com essa de que “um baseado é inofensivo”.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 28/10/2011 - 15:48
      Enviado por: Paulo Roberto

      Larga mão de lero-lero, seu mané !!! Sabemos que o que ocorreu foi para garantir a distribuição tranquila de drogas no campus !!! vai querer argumentar o que ??? bandido é foda, vai ter sempre razão, por bem ou por mal !!!

      responder este comentário denunciar abuso
    • 28/10/2011 - 15:53
      Enviado por: Fabio

      Imprima esse discurso e leia pra próxima garota que for estuprada por aí.

      Tenho certeza que ela vai concordar 100% com você….

      responder este comentário denunciar abuso
    • 31/10/2011 - 17:22
      Enviado por: Eli

      vc também é maconheiro né Osvaldo Silva? ou tem muiiiitos amigos que são

      porque falar que “E os estudantes que foram vítimas de agressão de bomba, de gás, de cassetadas? A violência não é justificada” .

      esses “alunos” estavam jogando pedras nos policiais!!! Acho que isto justifica a ação dos policais

      responder este comentário denunciar abuso
  • 28/10/2011 - 13:42
    Enviado por: Carlucio

    Hahaha… Boa Andre.

    Bando de maconheiros mediucres não tenho mais o que dizer o Andre disse tudo.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 28/10/2011 - 14:03
    Enviado por: fernando

    Qdo esses “tipos” de estudantes vão crescer????
    Eles querem polícia para os outros, qdo é contra eles vem com essas frase “prontas” —”braços armados dos exploradores—” de onde tiraram isso????

    Típico de regimes q já não existem mais….bandinho de maconheiros que deviam estar estudando e dando algum retorno a sociedade q PAGA suas estadias no Campus da USP….

    “EXPULSÃO JÁ A ESSES POUCOS BADERNEIROS”

    responder este comentário denunciar abuso

  • 28/10/2011 - 14:06
    Enviado por: E.Neto

    Esses dias os “estudantes profissionais” da UNE e UJS e afins estavam fazendo spam na internet a favor do Ministro Olrando Silva do Pc do B, partido históricamente ligado a essas entidades e que as sustenta com verbas publicas.

    Nessa semana ouve a noticia de um suposto vazamento do Enem, o que prejudicaria centenas de milhares de estudantes e eles nem abriram o bico…estavam mais preocupados em “Regular a Midia Golpista” e floodar a hastag #souorlandosouBrasil.

    Já passou da hora dos ESTUDANTES DE VERDADE perderm um pouco das suas ambições com carreira, futuro e “perderem tempo” com essas coisas bobas de movimento estudantil. É nessa lacuna deixada pelos reais estudantes que essa corja de vagabundos se infiltra nas instituições de ensino de todo Brasil. DCE e DA de universidade é sinonimo de vagabundo com camisa do Che Guevara e fumando maconha.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 28/10/2011 - 14:27
    Enviado por: sheng

    Alguém já viu maconheiro ou usuario de droga gostar de policial?
    Por isso que eles “pseudoestudante” não querem a PM na universidade, eles querem ficar a vontade numa boa sem os pais ou autoridade pegando no pé.
    Se a reitoria não tomar uma atitude mais drastica como expulsão desses maconheiros e a policia não prende-lo, caso contrario essa instituição vai ficar manchada e vai ser local de
    compra , venda e de usuario de drogas e não mais instituto educacional.
    Corte logo o mal pela raiz antes que se espalhe e seja tarde demais.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 28/10/2011 - 14:28
    Enviado por: Flavico

    “OS POLICIAIS NÃO SÃO TRABALIADORES SÃO O BRAÇO ARMADO$ DOS EXPLORADORES”
    Em vez de fumar maconha e fazer baderna esse cara que escreveu esse cartaz devia voltar a estudar. Como é que esse analfabeto conseguiu passar no vestibular?

    Essa foto mais parece de rebelião de presídio…

    responder este comentário denunciar abuso

  • 28/10/2011 - 14:34
    Enviado por: Premeditando o Breque

    Maconheirada da UNE e do PT. Pau neles!!!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 28/10/2011 - 14:40
    Enviado por: cosme carlos

    Olha o trecho do comentário do cabra: “Inclusive, peço desculpas aos PMs em nome dos alunos, porque vieram trabalhar e apanharam”. A polícia, um dia, do outro lado do balcão, vejam só.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 28/10/2011 - 14:50
    Enviado por: juliano

    Ah querem bater em polícia para poder fumar baseado na universidade? EXPULSEM TODOS OS ENVOLVIDOS.
    1) Gente de bem não bate em polícia.
    2) Não se fuma baseado em faculdade e nem em lugar nenhum, já que está tipificado como crime
    3)Argumentam com malícia, pois querem dizer que quem está errado é a polícia e não eles. Por isso, dizem que a polícia é repressora.
    E a polícia vendo aquilo deveria fazer o quê? Dar tapinhas nas costas e ir embora? Somente cumpriu a lei. Se deixasse passar, estaríamos criando mostros que acham que podem tudo. E NÃO podem.
    Identificação e expulsão destes 200 marginais.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 28/10/2011 - 14:54
    Enviado por: Luiz

    Esses protestos são feitos por usuários de drogas e baderneiros (e tem traficante no meio). Deveriam pegar diversos ônibus e lotar com essa gentalha e levar para cadeia. Escreveram uns cartazes com erros de português e sem sentido algum, tadinhos, não batam neles com cassetete de borracha e sim de ferro.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 28/10/2011 - 17:22
      Enviado por: Micelli

      Concordo.
      Aliás, seria bom que os cassetetes tivesem a inscrição Scientia Vinces (A ciência vence), que é o lema da USP.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 28/10/2011 - 14:56
    Enviado por: Tiago

    Infelizmente esse ideologia pseudo-revolucionária, defendendo uma USP acima da lei onde a invasão de prédios é o dialogo, só trás prejuízo a todos.

    Definitivamente a atitudes desse alunos não me representa.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 28/10/2011 - 15:29
    Enviado por: Rafael

    Caro Carlos Lordelo e equipe do Estadão,

    Sou uspiano formado há pouco e, assim como a maioria uspiana, estou cansado de ver notícias negativas da nossa universidade quando uma minoria radical e parasita da USP faz algum tipo de movimento.

    Faço o convite para apresentar as excelentes pesquisas desenvolvidas lá e a outra face da USP que, possivelmente por não ser trágica e não vender notícia, fica escondida em detrimentos de fotos que mais parecem de um presídio do que da nossa universidade.

    Além disso, convido a todos para que façam uma pesquisa entre os manifestantes e não me surpreenderei se boa parte dos “alunos” não estiverem no seu décimo ano com muitas DPs e representando partidos políticos de extrema esquerda. Alunos são os que, assim como eu, passaram noites em claro estudando e sonhando com um país melhor, independente do campo de conhecimento estudado.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 28/10/2011 - 15:30
    Enviado por: Sergio Tavares

    Então estes “alunos” (que não representam em NADA a USP) não querem deixar o prédio? Deixem o prédio para eles e ignorem estas crianças birrentas. Quando os colegas deles tiverem seu semestre comprometido, então talvez a faculdade e seus alunos tomem uma atitude madura para acabar com esta palhaçada … tanta gente passando necessidade de educação, segurança, e tem um bando de palhaços que acha que é “universitário e estudante” .. devem ser os filhos dos mesmos palhaços que estudaram na USP 20 anos atrás, e que faziam greve ou arruaça quando o bandejao da USP aumentava 20 centavos .. estes “estudantes” foram inteligentes para entrar na USP, mas esta inteligência deve ter terminado no momento que entraram na USP … bando de boyzinhos .. vão trabalhar como o resto do pessoal sofrido .. que não são nababos/dandis como vocês …

    responder este comentário denunciar abuso

  • 28/10/2011 - 15:38
    Enviado por: Flávia

    Sou estudante da USP na área de biológicas e garanto que a maioria de meus colegas são a favor da polícia no campus e contra essa baderna.
    Mas conheço estudantes da USP contra a polícia e tudo o que posso dizer é que são todos drogados inconsequentes, com um discurso fraco que frequentemente recorre à palavra ”ditadura” pra justificar qualquer coisa.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 28/10/2011 - 15:43
    Enviado por: Marcos

    Segurança e paz são inimigos da revolução comunista, porque fazem as pessoas mais satisfeitas e confiantes.
    Os comunas odeiam que SP tenha derrubado o número de homicídios. Eles querem anarquia, para poderem resolvê-la com a mão de ferro do Partidão.
    Esses moleques são burros, coitados, massa de manobra dos partidos de esquerda.
    Fazem o que querem por que hoje a sociedade tem vergonha de fazer o que é certo, que é entrar no prédio, prender essa molecada, expulsá-los da escola e processá-los.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 28/10/2011 - 15:47
    Enviado por: sergio

    O mais triste é que a polícia ficou intimidada pela presença e pressão deles, o governador se esconde….uma vergonha.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 28/10/2011 - 15:51
    Enviado por: ClaudioM

    O excesso de cannabis desse pessoal se traduz na incapacidade de se expressar corretamente. Notem no cartaz como está escrito “trabalhadores”…

    responder este comentário denunciar abuso

  • 28/10/2011 - 16:01
    Enviado por: Mauricio

    Estes estudantes parecem bandidos com os rostos cobertos, sou estudante universitário não da tão famosa USP, esses caras se definem como os donos do mundo querendo fazer eles as leis do país.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 28/10/2011 - 16:02
    Enviado por: Paulo

    ” T r a b a l i a d o r e s ” foi demais, bem ao estilo nove dedos.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 28/10/2011 - 16:05
    Enviado por: Febeapá

    Caros, fiquei bastante feliz em ver que a IMENSA MAIORIA dos alunos da USP entendeu o que se passou e apóia a ação limpa da PM! Enfim, nesse mar de mediocridade que assola o país, vejo sinais consistentes de maturidade social. Evoluímos! Já estava mais do que na hora de ultrapassarmos essa mentalidade tacanha e anacrônica de que PM é mau e que está a favor dos “exploradores”! A PM agiu de maneira fria e correta, como tem que ser um órgão dessa natureza. Ela, PM, existe para nos defender, inclusive dentro dos campi das universidades públicas. A USP não é um protetorado, acima da lei ou com leis próprias. Ela é nossa, paga com nosso dinheiro, para educar nossos filhos e garantir-nos um futuro à altura deste país. Definitivamente, não é para gente desocupada e que, no fundo, odeia a sociedade em que vive.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 28/10/2011 - 16:14
    Enviado por: Elah

    O que falta para esses baderneiros são: um despertador tocando à cinco da matina. Depois, uma hora e meia de ônibus lotado, oito horas de trabalho com um almoço qualquer que o seu vale pode comprar, fazer o mesmo trajeto de volta pra casa. Isso durante um ano inteiro. E descobrir que cinco meses desse esforço são para sustentar vagabundos que ficam mamando nas tetas do Estado, dizendo que são “estudantes” com os cursos pagos pelos seus impostos!

    Se gostassem de LER livros ao invés de usá-los para enrolar seus “baseados”, teriam VERGONHA desse mico que estão pagando!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 28/10/2011 - 17:03
    Enviado por: Fábio

    Fui estudante de ciências sociais de uma fauculdade pública e posso dizer que na área das ciencias humanas uma boa parte dos estudentes (inclusive eu na época) não passam de lunáticos marxistoides que dormem com um boneco de pelúcia do Che Guevara e sonham com uma revolução comunista. Não fazem nada pelo bem do país e só torram o suado dinheiro do trabalhador brasileiro que em sua maior parte nunca porá os pés em uma faculdade pública. Porque esses que foram flagrados fumando maconha não se apresentaram pacificamente à delegacia? Se acham no direito de transgredir a lei só porque são estudantes?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 28/10/2011 - 17:06
    Enviado por: Interessante

    Essas fotos desses alunos com camisetas amarradas na cabeça parecem aqueles jovens palestinos com pedra na mão enfrentando a polícia israelense.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 28/10/2011 - 23:07
      Enviado por: luis carlos

      Eu também achei interessante. A grande diferença é que na Palestina tem uma causa e as balas são de verdade. Na Usp, esses revolucionários de araque, no momento em que acabar o toddynho do prédio voltarão para suas casas.

      Esses invasores são patéticos, não são mais que 200 em quase 80.000 alunos (pouco mais que 0,2%), representam a minoria da minoria. Qual a causa? Fumar maconha em paz.

      O que a Reitoria deveria fazer é tentar ouvir a maioria silenciosa que, certamente, reprova com todas as letras, a baderna, a bandidagem disfarçada de movimento político, a vagabundagem e outros adjetivos mais

      responder este comentário denunciar abuso
  • 28/10/2011 - 17:07
    Enviado por: abigailabrao

    Parabéns aos estudantes sérios que estão se manifestando contra a atitude daqueles “estudantes profissionais” (como bem dito por outro leitor). Parabéns aos policiais militares, cuja maioria não teve a chance de poder estudar DE GRAÇA numa universidade pública, mas zelam pela segurança daqueles que lá estudam, inclusive daqueles que estão promovendo essa baderna. Aliás, de se consignar que, independentemente de convênio, a Polícia tem o dever de agir no caso de flagrante delito (e mesmo o “simples” consumo de entorpecente caracteriza flagrante de crime), podendo entrar na USP a qualquer momento para encaminhar a delegacia quem quer que esteja fazendo uso de drogas naquele local.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 28/10/2011 - 17:15
    Enviado por: AC

    É isso aí. A maioria dos estudantes não concorda e sabemos disso porque houve muitas assembléias para discutir o assunto, assim como ampla participação (presencial) dos alunos que querem pensar a universidade e a sociedade. Estas minorias não tem direito nenhum de se colocar, a maioria é que manda numa democracia e neste país.
    E enquanto ninguém se coloca a não ser por meios virtuais, é melhor que não haja expressão nenhuma e que aceitemos tudo que nos é posto e com as justificativas dadas, sem refletir a respeito, pois, se o Estado cuida de nós, assim como os PMs, não com o que se preocupar, podemos até só nos ocupar do tarefismo diário. Ainda bem que eu só leio e trabalho e não perco tempo repensando o que já foi estudado por muitos e está certíssimo. Ainda bem que há gente sensata como nós que seguimos nossa vida fazendo-a melhor sem nos atermos a estas questões absurdas que já foram resolvidas.
    A sociedade está pronta e perfeita e funciona muito bem. Falar de exploração hoje é um anacronismo absurdo, sabemos que depende só do esforço individual o crescimento no emprego e da conta bancária, ninguém tem controle sobre ossa viad profissional e sobre nossa qualidade de vida a não ser nós mesmos pelas decisões que tomamos e que só interferem em nossas vidas.
    Santos policiais que vão manter a ordem e controlar estes alunos que não sabem seu lugar de subordinação, assim como fazem nas cidades com os cidadãos adeptos do mau caratismo. Todos que se manifestaram são bandidos e é por isso que a PM pode bater em todos e revistar os alunos para tentar achar o resto desses bandidos.
    SIM À REPRESSÃO!!
    ABAIXO A LIBERDADE!!

    responder este comentário denunciar abuso

    • 28/10/2011 - 18:29
      Enviado por: Thiago Forni

      Atenha-se aos acontecimentos. Assembleia como as que as realizadas na fflch não têm nada a ver com democracia.
      Essa briga com a polícia não é pela liberdade e você sabe muito bem disso. Todos sabemos que são grupos político-partidários com intuitos muito diferentes do discurso de ideais democráticos.
      Nós é que estamos a favor da liberdade de expressão, contra a ditadura dos vitimistas e a infiltração de criminosos nos meios acadêmicos.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 28/10/2011 - 18:41
    Enviado por: MARIA NAZARE SORRILLO

    É preciso com urgencia um projeto de conscientização a estes iniversitários do grande mal que estão causando a sí mesmo.
    A droga mata desde analfabeto até o universitário. Mata a corpo, Mata a auto estima e Mata o futuro.
    Conheço jopvens que estão com suas vidas destruidas em razão de vicios adquirido dentro da faculdade.

    Lamentavel este acontecimento, talvez será preciso colocar a bandeira do Brasil lá dentro como fizemos no Complexo do Alemão -( RJ)

    responder este comentário denunciar abuso

  • 28/10/2011 - 19:03
    Enviado por: dannavarro

    ÔÔÔ MEU !!!
    Até que enfim algo de novo e um aluno sensato na USP. Só podia ser da POLI !!!!
    Este SORRILLO tem futuro, heinn … OLHO NELE !!!
    Nesta sociedade corrompida e sem rumos, precisamos de jovens de postura e de caráter.
    Deste jeito não só vai ser só um bom engenheiro politécnico, mas pintou um futuro PRESIDENTE !!!! Tomara !! Que os anjos digam amém !!!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 28/10/2011 - 19:14
    Enviado por: Willian

    Por que essa corja não resolve prestar ENEM e estudar na UFABC?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 28/10/2011 - 19:45
    Enviado por: Corsário Viajante

    A foto diz tudo.
    Quando participei do movimento estudantil (na UNESP) a gente aprendia uma coisa logo de cara: quem é sério e acredita no que faz não tem vergonha de esconder o rosto. QUem esconde o rosto é bandido.
    Além do mais, aquele cartaz é de um sectarismo patético.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 30/10/2011 - 15:51
      Enviado por: Rose

      Concordo plenamente com o Corsário Viajante. Que movimento é esse, que prega uma coisa e faz outra? Que liberdade é essa que eles reclamam? Não mostram o rosto porque a mesada será cortada? Podiam começar ganhando a confiança dos próprios pais…

      responder este comentário denunciar abuso
  • 28/10/2011 - 21:16
    Enviado por: Victor

    Como a sociedade e os alunos da usp podem se organizar contra a meia dúzia baderneiros que insistem em atrapalhar a USP?

    A polícia está lá para proteger os alunos… será que os baderneiros sao blindados contra os assaltos e estupros que acontecem no campos …???

    parabéns a polícia …

    os uspianos nao podem ser refens todos os anos do mesmo grupo de pessoas …

    responder este comentário denunciar abuso

  • 28/10/2011 - 21:39
    Enviado por: Carlos

    Não sou da USP, tenho 50 anos.
    Uma das coisas que me chamou a atenção foi o cartaz manuscrito que aparece na foto.

    A própria frase denuncia o nível destes “alunos” ou como dizia o meu professor de portugues
    lá de Londrina, o saudoso Professor Machado: “estudante é aquele que estudava antes”.

    Mas voltando à frase vê-se que aquele que o escreveu havia escrito: “OS POLICIAIS NÃO SÃO TRABALIADORES…” e, possívelmente foi corrigido posteriormente colocando um “H” que não convence quem conhece portugues. Quem não está acostumado com o portugues na leitura e na escrita muito provávelmente vai escrever “TRABALIADORES”.

    Se realmente esta foi a intenção do nosso “estudava-antes” sómente temos que lamentar o nível dele ou deles.

    Este ou estes estudantes não poderiam haver ingressado neste que sempre considerei uma das melhores universidades brasileiras!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 29/10/2011 - 14:42
    Enviado por: Iconoclasta

    Também fui aluno da FFLCH, há mais de 10 anos, e lamento tudo isso. Mas essa novela é antiga. Ao lado do prédio de História e Geografia há um maconhódromo a céu aberto, funcionando 24 horas por dia; diversos comércios e camelôs que atuam dentro da Cidade Universitária são apenas fachada para o tráfico de maconha e outras drogas. É dar um passeio pelas banquinhas montadas na área do CRUSP, ao lado da Reitoria, ou dentro dos prédios da FFLCH, para verificar isso. E ninguém faz nada… Até alguns professores que se consideram grandes intelectuais de esquerda aceitam isso, em nome da “liberdade de se expressar contra o sistema opressor e capitalista”.
    Todo mundo sabe também que o CRUSP está cheio de moradores que nem alunos são, e ninguém faz nada também contra isso…
    Os alunos (?) que fizeram isso são uma mui pequena minoria de arruaceiros, apoiados por gente que não se importa com nada, muito menos com a USP.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 30/10/2011 - 14:29
    Enviado por: Celso Silva

    O Iconoclasta diz que “Ao lado do prédio de História e Geografia há um maconhódromo a céu aberto, funcionando 24 horas por dia; diversos comércios e camelôs que atuam dentro da Cidade Universitária são apenas fachada para o tráfico de maconha e outras drogas. É dar um passeio pelas banquinhas montadas na área do CRUSP, ao lado da Reitoria, ou dentro dos prédios da FFLCH, para verificar isso. E ninguém faz nada… Até alguns professores que se consideram grandes intelectuais de esquerda aceitam isso, em nome da “liberdade de se expressar contra o sistema opressor e capitalista”. A direção da toda-poderosa USP não sabe disso??? E eu sou um dos pagantes de impostos para sustentar essa merda??? Privatizem a universidade!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 30/10/2011 - 17:21
    Enviado por: francisco jose

    A PM está certa !
    A frase é essa: “A manifestação desses estudantes não representa a vontade dos alunos de outras unidades” disse um verdadeiro aluno da USP, desses que vão para aprender, se profissionalizar.
    Já aqueles que agrediram os policiais são uma minoria radical, barulhenta e que deve ser combatida.
    É hora da maioria fazer valer sua vontade, calando esses arruaceiros que torram a paciência e o dinheiro dos nossos impostos.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 31/10/2011 - 08:32
    Enviado por: Aluno USP

    Maconheirinhos de M…. precisam arranjar um trabalho e deixar de encher o saco dos outros!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 31/10/2011 - 20:16
    Enviado por: Ex-aluno

    Às vezes me envergonho de ter me formado pela FFLCH. Quanto anacronismo!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 31/10/2011 - 20:22
    Enviado por: Caroline Martins

    Seria muito bom se a sociedade fosse igualitária, se tudo o que precisamos – alimento e moradia – fosse repartido, se todos os seres humanos vivessem em união,trabalhando e estudando por um mesmo ideal: viver bem.

    Infelizmente a realidade em que vivemos é outra. Muitos ao estudar as teorias de Marx, a Revolução Russa, a Revolução Cubana, a vida e luta de Ernesto Guevarra e de Fidel Castro se deslumbram ao pensar que uma sociedade justa e igualitária seria possivel, eu já pensei isso, por alguns minutos,mas pensei. Acordei quando olhei para o que nos tornamos com o decorrer dos séculos. É claro que não podemos aceitar tudo calados e nada fazer para tentar mudar, mas muitas brigas e até mesmo mortes seriam evitadas se as pessoas ao invés de serem guiadas pelo famoso “embalismo” – se é que existe essa palavra – , fossem guiadas pela inteligencia natural do ser humano, não aquela aprendida apenas nos livros, ou seja, pela moralidade, pela ética, mas qual é o significado e o valor dessas palavras hoje?

    Eu estou no terceiro ano do ensino médio de uma escola técnica estadual na zona leste de São Paulo e fico abismada de ver que uma minoria de alunos podem sujar o nome de uma universidade tão importante. A USP pode não ser a melhor do mundo, ou nem estar entre as cem melhores, mas ela ainda é importante no Brasil, ainda é importante na América Latina, ainda forma excelentes profissionais, ainda tem excelentes professores.

    Futuramente quero fazer parte do corpo de alunos da USP, mas enquanto a fuvest ainda me segura do lado de fora, peço a todos os alunos e professores que forem pessoas de ética e de moral e que acreditam na educação e na importancia da Universidade de São Paulo, peço que por favor não a deixem se perder, não deixem que uma minoria acabe não apenas com a reputação,mas também com a credibilidade da USP.

    Lutem pela USP sem armas e sem agressões, não tenham a mesma atitude dessa minoria extremista, mostrem que não se paga mal com mal e que a maioria vence.

    Peço também ao jornal O Estado de São Paulo que não publique ” os alunos da usp invadem.. , os alunos da USP ocupam.. “, pois assim vocês estão generalizando e acabando com a reputação dos professores, funcionário e alunos da USP e prejudicando quem é contra esse tipo de acontecimento.

    Obrigada!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 01/11/2011 - 16:12
    Enviado por: Jeferson

    O movimento é como a cara desses alunos na foto, tão vergonhoso que precisa ser coberto…pra quê se esconder?

    Sou aluno da USP e discordo totalmente dessa bagunça.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 01/11/2011 - 18:36
    Enviado por: Estudantes a favor do PM provocam ocupantes - Ponto Edu - Estadao.com.br

    [...] alunos discursaram sobre um carro de som. Dentre eles, Rodrigo de Souza Neves (Gestão de Políticas Públicas) e Lucas Sorrillo (Engenharia de Materiais) , entrevistados pelo Estadão.edu na última [...]

    responder este comentário denunciar abuso

Deixe um comentário:

Arquivo

Blogs do Estadão

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo