1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Bosquímanos, os primeiros habitantes

Nilton Fukuda

quinta-feira 01/07/10

Witbooi vive de rastrear vestígios de animais no Deserto do Kalahari, para os turistas que vêm fazer safári nessa região inóspita do noroeste da África do Sul. Mas ele próprio é o vestígio de um povo antigo e quase extinto. Os bosquímanos, ou homens dos bosques, vivem no sul da África há pelo menos 100 mil anos, segundo datação de carbono em pinturas feitas nas rochas. Primeiros habitantes da região, elo mais antigo dos homens das cavernas, eles caçavam e colhiam frutos na savana e nos bosques quando os negros bantos vieram do norte e tomaram suas terras para plantar e criar animais, há cerca de 2.500 anos. Exames de DNA provaram que eles estão entre os povos mais misturados – e portanto mais antigos – do mundo.
Leia matérias:
O ”elo perdido” do país da Copa
Só 6 anciãos ainda dominam a língua !nu

Texto: Lourival Sant’Anna
Fotos: Evelson de Freitas

Hans Witbooi, 27, passa duas semanas para localizar os animais selvagens no deserto do kalahari, durante safaris, depois, ele passa outras duas semanas vendendo artesanatos para os turistas nas estradas. 23/6/2010. Foto: Evelson de Freitas / AE

Hans Witbooi, 27, passa duas semanas para localizar os animais selvagens no deserto do kalahari, durante safaris, depois, ele passa outras duas semanas vendendo artesanatos para os turistas nas estradas. 23/6/2010. Foto: Evelson de Freitas / AE

Placa indicando o caminho para o deserto do Kalahari local em que vive os bosquímanos, povo primitivo mais antigo da África do Sul.  20/6/2010. Foto: Evelson de Freitas / AE

Placa indicando o caminho para o deserto do Kalahari local em que vive os bosquímanos, povo primitivo mais antigo da África do Sul. 20/6/2010. Foto: Evelson de Freitas / AE

Os bosquímeros localizam animais selvagens em safáris e trabalham com artesanatos. Foto: Evelson de Freitas/AE

Os bosquímeros localizam animais selvagens em safáris e trabalham com artesanatos. Foto: Evelson de Freitas/AE

Hans Witbooi, 27, ganha a vida  localizando o animais selvagens no deserto do kalahari e indicando para turistas durante os safaris. 23/6/2010. Foto: Evelson de Freitas / AE

Hans Witbooi, 27, ganha a vida localizando o animais selvagens no deserto do kalahari e indicando para turistas durante os safaris. 23/6/2010. Foto: Evelson de Freitas / AE

 Hans mostra como localizar os animais observando as pegadas deles. 23/6/2010. Foto: Evelson de Freitas / AE

Hans mostra como localizar os animais observando as pegadas deles. 23/6/2010. Foto: Evelson de Freitas / AE

No ambiente árido do Kalahari, os bosquímanos desenvolveram técnicas ancestrais de sobrevivência. 23/06/10. Foto: Evelson de Freitas / AE

No ambiente árido do Kalahari, os bosquímanos desenvolveram técnicas ancestrais de sobrevivência. 23/06/10. Foto: Evelson de Freitas / AE

Os bosquímanos distinguem-se dos negros pela estatura mais baixa, compleição mais franzina, pele alaranjada, cabelos de um crespo mais arredondado, pálpebras protuberantes, a testa mais sobressalente e os olhos afundados.  23/6/2010. Foto: Evelson de Freitas / AE

Os bosquímanos distinguem-se dos negros pela estatura mais baixa, compleição mais franzina, pele alaranjada, cabelos de um crespo mais arredondado, pálpebras protuberantes, a testa mais sobressalente e os olhos afundados. 23/6/2010. Foto: Evelson de Freitas / AE

Um dos moradores da pequena Andries Vile, cidade que fica no próximo da fronteria entre a África do Sul e a Botsuana. 23/6/2010. Foto: Evelson de Freitas / AE

Um dos moradores da pequena Andries Vile, cidade que fica no próximo da fronteria entre a África do Sul e a Botsuana. 23/6/2010. Foto: Evelson de Freitas / AE

Irina Rooi, 79, bosquímera. Ela está esta entre as sete pessoas que ainda sabem falar a língua original, quase extinta, dos nativos, a !NU. 23/6/2010. Foto:  Evelson de Freitas / AE

Irina Rooi, 79, bosquímera. Ela está esta entre as sete pessoas que ainda sabem falar a língua original, quase extinta, dos nativos, a !NU. 23/6/2010. Foto: Evelson de Freitas / AE

Os bosquímanos faziam rituais de cura, ao redor do fogo. Os homens dançavam. As mulheres cantavam e batiam palmas, conta ela durante a entrevista, graças ao auxílio de um interprete. 23/6/2010. Foto: Evelson de Freitas/AE

Os bosquímanos faziam rituais de cura, ao redor do fogo. Os homens dançavam. As mulheres cantavam e batiam palmas, conta ela durante a entrevista, graças ao auxílio de um interprete. 23/6/2010. Foto: Evelson de Freitas/AE

Moradores de Andres Vile. 23/6/2010. Foto: Evelson de Freitas / AE

Moradores de Andres Vile. 23/6/2010. Foto: Evelson de Freitas / AE

Morador da pequena Andries Vile, que fica entre a cidade de Askran e a fronteira com o deseto do kalahari. 20/6/2010. Foto: Evelson de Freitas / AE

Morador da pequena Andries Vile, que fica entre a cidade de Askran e a fronteira com o deseto do kalahari. 20/6/2010. Foto: Evelson de Freitas / AE

David Kruiper ( a esquerda) chefe dos bushmans e seu filho David Krupier ( mesmo nome), em uma das fazendas dos bushmans. 23.06.10. Foto: Evelson de Freitas/AE

David Kruiper ( a esquerda) chefe dos bushmans e seu filho David Krupier ( mesmo nome), em uma das fazendas dos bushmans. 23.06.10. Foto: Evelson de Freitas/AE

Crianças bosquímanas. 20/6/2010. Foto: Evelson de Freitas / AE

Crianças bosquímanas. 20/6/2010. Foto: Evelson de Freitas / AE

Família de David Kruiper, chefe dos busquímanos, que vive em uma das fazendas dos nativos.  Foto: Evelson de freitas / AE

Família de David Kruiper, chefe dos busquímanos, que vive em uma das fazendas dos nativos. Foto: Evelson de freitas / AE

David Kruiper é o  chefe dos bosquímanos e vive em uma das fazendas dos nativos. 23/6/2010. Foto: Evelson de Freitas / AE

David Kruiper é o chefe dos bosquímanos e vive em uma das fazendas dos nativos. 23/6/2010. Foto: Evelson de Freitas / AE

Os bosquímanos  se limentam também de uma espécie de melão chamado tsama, que contém bastante líquido. 20/06/10. Foto Evelson de Freitas / AE

Os bosquímanos se limentam também de uma espécie de melão chamado tsama, que contém bastante líquido. 20/06/10. Foto Evelson de Freitas / AE

Ninho de pássaros em uma árvore no deserto do Kalahari. Essas aves se agrupam formando ninhos gigantes e são típicas da região. 23/06/10. Foto: Evelson de Freitas / AE

Ninho de pássaros em uma árvore no deserto do Kalahari. Essas aves se agrupam formando ninhos gigantes e são típicas da região. 23/06/10. Foto: Evelson de Freitas / AE

Com o desmatamento, hoje esses pequenos pássaros fazem o ninho em cima dos postes de iluminacao elétrica. 20/06/10. Foto: Evelson de Freitas / AE

Com o desmatamento, hoje esses pequenos pássaros fazem o ninho em cima dos postes de iluminacao elétrica. 20/06/10. Foto: Evelson de Freitas / AE

Transfrontier Park na fronteira entre a Botsuana e a Africa do Sul. 20/06/10. Foto: Evelson de freitas / AE

Transfrontier Park na fronteira entre a Botsuana e a Africa do Sul. 20/06/10. Foto: Evelson de freitas / AE

Os nativos Bosquímanos ganham a vida vendendo artesanato para turistas, na estrada que leva ao deserto do Kalahari.  23/6/2010. Foto: Evelson de Freitas / AE

Os nativos Bosquímanos ganham a vida vendendo artesanato para turistas, na estrada que leva ao deserto do Kalahari. 23/6/2010. Foto: Evelson de Freitas / AE

Nativa mostra como usar o arco e flecha. A tradição esta acabando e fica apenas como exibição de uma cultura quase extinta. 20/06/10. Foto: Evelson de Freitas / AE

Nativa mostra como usar o arco e flecha. A tradição esta acabando e fica apenas como exibição de uma cultura quase extinta. 20/06/10. Foto: Evelson de Freitas / AE

comentário(s)
Denunciar

Denúncia comentário feito por

Você pode digitar 600 caracteres.

Denuncie

comentário(s)
faca seu login no estadão

Entrar Esqueci minha senha

ou use o cadastro de outras contas:

Ainda não tem cadastro? Faça Agora!

Quero me cadastrar

Aviso:Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

comentário

Responder

Você pode digitar 600 caracteres.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.