1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Sete em cada dez brasileiros terão gastos extras durante a Copa

Yolanda Fordelone

quarta-feira 02/07/14

Apostas em bolões serão feitas por 29% dos entrevistados em pesquisa da SPC Brasil e CNDL

 Segundo a pesquisa, 72% acreditam que terão gastos extras durante o evento. Foto: Amanda Perobelli/Estadão

Churrascos, barzinhos, cervejas são apenas alguns dos gastos extras que os brasileiros estão tendo nesta Copa do Mundo 2014. Segundo uma pesquisa da SPC Brasil e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), sete em cada dez brasileiros terão gastos extras durante a competição, principalmente com alimentação e bebidas, a fim de acompanhar os jogos na companhia de amigos e familiares.

A pesquisa foi realizada com 2.558 consumidores nas 12 cidades-sede da Copa, mas se estendida para toda a população destas cidades, a estimativa do SPC Brasil é que o percentual (72%) represente pouco mais de 14 milhões de pessoas. Até os bolões, no fim das contas, significarão mais gastos: 29% pretendem apostar durante a Copa.

Segundo o presidente da CNDL, Roque Pellizzaro Junior, o levantamento constata que o aumento de gastos do brasileiro no período da Copa é restrito a setores específicos da economia, como supermercados (alimentação e bebidas), serviços de bares e restaurantes e produtos temáticos. “Enquanto alguns setores do comércio e serviços devem lucrar com o aumento da procura, outros como os bens de maior valor agregado devem registrar prejuízo”, diz Pellizaro Junior.

O dinheiro prevalece como forma de pagamento mais comum entre os que consomem comidas e bebidas (53%), roupas e acessórios temáticos (46%) e itens de decoração (71%). O cartão de crédito parcelado é mais presente nas compras de aparelhos de TV (53%).

Ingressos. Dentre os entrevistados que adquiriram entradas para assistir as partidas do estádio, 23% optaram por algum lugar longe da sua cidade, sendo as cidades de Fortaleza (40%), Rio de Janeiro (39%), Belo Horizonte (27%) e São Paulo (24%) os principais destinos. Tais cidades irão receber jogos da seleção brasileira, além da partida final.

Descontrole dos gastos. Apesar de saber que iria gastar mais, a maioria não se planejou. A pesquisa mostra que 58% não fizeram planejamento, principalmente por entenderem que as despesas não seriam altas ao ponto de comprometer as próprias finanças. Outros 27% afirmam ter feito uma reserva para cobrir os gastos e 9% admitem que acabará gastando mais do que efetivamente pode.

O SPC Brasil alerta que o descontrole pode sair caro. “Se você gastar, por exemplo, R$ 50 em cada partida que for assistir e em cada bolão que for participar, o prejuízo pode ser significativo”, afirma a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.