1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Rendimento da nova poupança foi menor que a inflação em 2013

Yolanda Fordelone

sexta-feira 10/01/14

A caderneta de poupança, investimento mais popular no Brasil, se destacou entre as aplicações em 2013: a caderneta antiga perdeu apenas para o dólar, que rendeu 15,5%; a nova, perdeu para o dólar e para algumas aplicações voltadas a grandes investidores, como CDB acima de R$ 100 mil. Quando o rendimento é comparado com a [...]

A caderneta de poupança, investimento mais popular no Brasil, se destacou entre as aplicações em 2013: a caderneta antiga perdeu apenas para o dólar, que rendeu 15,5%; a nova, perdeu para o dólar e para algumas aplicações voltadas a grandes investidores, como CDB acima de R$ 100 mil. Quando o rendimento é comparado com a inflação, porém, a notícia é não é boa para aqueles que possuem a nova poupança, cujo retorno é atrelado à Selic. O rendimento da nova caderneta ficou em 5,67%, contra o IPCA de 5,91%.

Quando a taxa básica de juros fica abaixo de 8,5% ao ano, existem duas regras para a caderneta de poupança. Os depósitos feitos antes de 4 de maio de 2012 rendem conforme a regra antiga (0,5% ao mês mais variação da Taxa Referencial). Quem abriu conta ou fez depósitos após esta data cai na nova regra: se o juro está igual ou menor que 8,5%, a poupança rende 70% da Selic mais TR.

Até maio de 2013, a Selic estava abaixo de 8,5% e, portanto, estavam valendo as duas regras. Por conta do baixo patamar do juro, a nova caderneta teve o rendimento achatado. Conforme o juro subiu e todas as cadernetas passaram a render 0,5% mais TR, o rendimento das novas poupanças aumentou, mas não o suficiente para ganhar da inflação.

Veja também:

10 perguntas sobre o rendimento da caderneta

Aplicações que rendem menos que a inflação geram perda real para o investidor, uma vez que o retorno não compensa a alta de preços que o consumidor tem de arcar. Veja abaixo o rendimento das principais aplicações:

Ainda que tenha perdido da inflação, a arrecadação da poupança foi recorde em 2013. Alguns motivos, como simplicidade do investimento e liquidez, explicam a alta procura.

Além da poupança, os fundos de renda fixa e DI (para pequenos investidores) também perderam para a inflação. A Bovespa, além de perder, teve queda no ano.