ir para o conteúdo
 • 

Marcos Guterman

29.junho.2011 21:49:01

O Estado brasileiro está em liquidação

Passou em primeira votação na Câmara de São Paulo o projeto que dá isenção fiscal de R$ 420 milhões ao Corinthians para construir seu estádio, apelidado de “Itaquerão”. A base do prefeito Gilberto Kassab deve fazer o texto passar com folga. Isso significa que os contribuintes do município, independentemente do time para o qual torcem ou mesmo se gostam ou não de futebol, vão ajudar a financiar o estádio do Corinthians, um clube privado. O argumento de Kassab, descrito no projeto enviado à Câmara (que, curiosamente, não cita o Corinthians nem no texto nem na justificativa), é que o empreendimento trará grande desenvolvimento à zona leste. A questão, como mostra o blog de economia Dr. Money, é que daria para construir um estádio municipal com esse dinheiro, se isso fosse realmente de interesse público. Mas não se tem certeza nenhuma de que o empreendimento compensará a renúncia e, em caso de prejuízo, quem arcará com ele será o Estado, e não o Corinthians. Já o ganho com o estádio propriamente dito, pelo contrário, ficará somente para o clube do coração do ex-presidente Lula, responsável direto pela “forcinha” para que o “Itaquerão” saia do papel.

O lulismo criou grandes oportunidades para todo tipo de oportunista, a partir do discurso segundo o qual esse capitalismo de compadres gera desenvolvimento. O “Itaquerão” é só um caso mais, digamos, folclórico – tal como a isenção fiscal dada pelo governador do Rio, Sérgio Cabral, a motéis e padarias. Cabral, aliás, é um lulista clássico, porque não teve a menor vergonha de usar o jato particular do bilionário e amigo Eike Batista para ir a uma festança do empreiteiro e amigo Fernando Cavendish – e ambos, surpresa!, têm gordos contratos com o governo do Rio. Flagrado graças a um acidente, Cabral agora diz, candidamente, que precisa mesmo “rever” sua conduta.

Contudo, há casos bem menos carnavalescos, como a injeção de até R$ 4,5 bilhões do BNDES na eventual fusão do Pão de Açúcar com o Carrefour. O argumento é que é preciso impedir que estrangeiros dominem o setor, já que o grupo francês Casino está em vias de controlar o Pão de Açúcar – com a fusão, o Casino perderá força. Na prática, tratou-se o Pão de Açúcar como uma empresa estatal, por suposto interesse estratégico, e o resultado do negócio é uma brutal concentração de mercado nas mãos de um empresário privado. Em 1989, dizem que a polícia obrigou os sequestradores de Abilio Diniz, dono do Pão de Açúcar, a vestir camisetas do PT; agora talvez seja o caso de o próprio Diniz usar uma delas.

O episódio do Pão de Açúcar lembra outro, muito mais caro: o da injeção de R$ 7,5 bilhões do BNDES no frigorífico JBS Friboi. O esforço do lulismo em criar potentes “multinacionais brasileiras” ignorou o fato óbvio de que a escolha de uma única empresa para receber bilhões em créditos oficiais em detrimento de outras é nociva a todo o sistema produtivo. Os danos colaterais desse modelo chinês de economia dirigida foram explicados pelo presidente da Associação Brasileira de Frigoríficos, Péricles Salazar: “O BNDES pôs um volume colossal de dinheiro para criar uma multinacional sem diagnosticar bem a cadeia produtiva. E criou uma empresa assim, que pode fazer o preço do boi e da carne. Impossível competir”.

Mais importante que isso, porém, é que o lulismo não se contentou em fazer o PT abandonar sua luta histórica contra as privatizações; ele deu um passo adiante e adotou o modelo no qual o Estado entra como aquele sócio magnânimo que assume a tarefa de cobrir os prejuízos, enquanto os demais investidores contabilizam apenas os lucros, sem que precisem se esforçar nem para obter financiamento. Pior: o crédito que o BNDES distribui fartamente aos amigos do lulismo – no Brasil e nos países “bolivarianos” – tem um custo muito menor do que aquele que é pago pelo Tesouro para captar os recursos que cobrem o caixa do BNDES. Essa diferença é paga pelo desavisado contribuinte brasileiro.

Como mostrou o historiador Tony Judt em seu último livro, “O Mal Ronda a Terra”, só uns poucos “amigos do Estado” ganham com esse sistema – em que o risco de perda é zero, o mercado é garantido e os interesses privados são defendidos como se fossem públicos.

comentários (112) | comente

  • A + A -
112 Comentários Comente também
  • 29/06/2011 - 22:57
    Enviado por: justo

    Cara…o lula…o lulismo… esta esquerda podre… vingativa.. nojenta e seus asseclas me anojam. Bando de corruptos, salafrarios, mentirosos, pulhas.. enfim…todos os maus adjetivos possiveis é pouco para esta quadrilha estelionataria que tomou o poder.
    A quadrilha que será em breve “anistiada” pelo STF pois o tal mensalão em breve irá caducar por manobras politicas e judiciais. Será como se jamais tivesse ocorrido. Até que um dia o povo ja nem se lembre mais…
    Não me esqueço de casos outros tão escandalosos quanto, como foi o acerto para a venda e a fusao da BR-OI… Do caso do banco do Silvio Santos que foi ” incorporado” pela caixa..sem que o Sr Abravanel perde-se um centavo… e por ai vão tantos outros casos de roubo, corrupção e bandalheira desta esquerda infecta que enche os brasileiros conscientes de vergonha e nojo.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 30/06/2011 - 09:54
      Enviado por: crocodilo

      “Esquerda infecta”. A direita não aprende. Todos os grandes casos de “roubos, apropriações, golpes, exclusões sociais, sonegações, devastações ambientais, intervenções em diversos paises, etc ” são de autoria da púdica e respeitável ” Direita esterelizada “.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 30/06/2011 - 12:09
      Enviado por: justo

      crocodilo
      Tipico petista. Todos os roubos e crimes da esquerda e do PT são justificaveis aos petistas pois eles sempre apontam os crimes dos outros para justificarem o seus.
      Em meu texto em momento algum defendi a direita. Os canalhas existem em todas as partes (ate mesmo neste blog) mas o brasil esta aprendendo que os canalhas maiores nascem, se criam e infectam muito mais no seio do PT.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 29/06/2011 - 23:04
    Enviado por: Kiara Deeva

    Vergonhoso! Sou corinthiana e achei isso extremamente imoral!

    responder este comentário denunciar abuso

    • 30/06/2011 - 00:02
      Enviado por: Sérgio

      Creio que você deve se informar mais sobre os incentivos fiscais. Se o estádio não sair, esse dinheiro não existirá. E dinheiro que não existe, não vai para nenhuma outra aplicação. Dá licença, viu!!!!

      responder este comentário denunciar abuso
    • 30/06/2011 - 10:02
      Enviado por: Renato Ettore

      Sergio, creio ser o senhor quem deve se informar. Quer dizer que quando o Corinthians joga, por exemplo, no Pacaembu não existe RENDA, consequentemente cobranças de impostos (pra nem falar em aluguel do estadio) nenhum, confere? Jogar no Pacaembu não dá ganho pro municipio?
      Isso é imoral, um centavo não recolhido é um centavo perdido, e quem vai pagar somos todos nós em benefício de uma instituição privada!

      responder este comentário denunciar abuso
  • 29/06/2011 - 23:25
    Enviado por: carlos 3m

    como usar dinheiro publico para criar cidadania e nao o que o guterman descreve, que eh so a pontinha do iceberg:

    asistam e recomendem a sequencia magistral:

    http://www.youtube.com/watch?v=E1lWk4TCe4U

    responder este comentário denunciar abuso

  • 29/06/2011 - 23:58
    Enviado por: Luiz Henrique

    Desculpa, mas discordo em uma parte.
    Esses 420 mi não existem ainda, já que só existiram a partir do momento em que forem retirados dos valores gastos na construção do estádio, portanto não dá pra construir um estádio com dinheiro que não existe.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 29/06/2011 - 23:59
    Enviado por: sincero

    O SEU RETARDADO A PREFEITURA NÃO ESTA DANDO DINHEIRO, SE NÃO TEM ISENÇÃO NÃO TEM OS 420 MILHÕES

    responder este comentário denunciar abuso

  • 30/06/2011 - 00:00
    Enviado por: Sérgio

    Ou o pessoal é meio leigo, ou então virou clubismo. Será que não entendem que o incentivo só vai valer se o estádio for aprovado para a Copa? Caso não tenhamos isso, esse incentivo deixará de existir, e em consequência, o Corinthians vai continuar tocando a obra, porém com 48.000 pessoas.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 30/06/2011 - 00:03
    Enviado por: Rodrigo

    Você fala que dá para construir um estádio com esse dinheiro, mas, não fala que o estado não tem esse dinheiro, não está dando o Dinheiro para o Corinthians, era o dinheiro da arrecadação.
    Todo estado faz isso, traz empresas para o lugar com algum benefício, Manaus, Paraná, etc.
    Mas ninguém explica nada direito, só falam que estão roubando, dando, ajudando, etc., imprensa de me…

    Dinheiro do BNDES e daí??? é um empréstimo, vai ser pago, quem nunca pegou dinheiro em um financiamento e pagou??? isso é roubar? então somos todos ladrões…

    responder este comentário denunciar abuso

    • 30/06/2011 - 00:27
      Enviado por: Mario de Sampa

      Rodrigo, concordo com a primeira parte de seu comentário. Mas o BNDES está sendo utilizado de forma discutível, segundo interesses das grandes empresas e lobistas. Empresa pequena como a que tenho, nem fud… consegui passar pelo crivo de exigências. Fui orientado a procurar um “facilitador” ou ter algum conhecido dentro do próprio BNDES.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 30/06/2011 - 00:07
    Enviado por: Henrique campos

    Deixa eu ver se entendi: O Kassab (cria do Serra) envia uma MP para conceder ao Corinthians 420 milhões em isenção para a construção do estadio da Copa. A maioria – que é situação (PSDB/DEM/PSD) – aprova. O Sr., como contribuinte e cidadão, não concorda com a aprovação e culpa o LULA??? O Sr. ligou fatos soltos e sequer mencionou o Kassab (poderia falar tb do estadio de Cuiabá, Salvador, Natal, etc.) como responsável, imputando a responsabilidade ao ex-presidente.

    Com calma, a responsabilidade da isenção é do Kassab e da base dele. Não existe responsabilidade alguma do Lula nesta isenção.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 30/06/2011 - 08:10
      Enviado por: Machado

      Ato falho dele, Henrique. Liga, não. Trata-se de obsessão. Dizem que um centro espírita cura, mas há o problema da religião …

      responder este comentário denunciar abuso
  • 30/06/2011 - 00:08
    Enviado por: Mario de Sampa

    Guterman, sou corinthiano portanto conheço bem a administração do time do meu coração, conheço muito bem itaquera pois já morei na região, como ex-metalúrgico conheço muito bem o PT/Lula e como paulista/paulistano quatrocentão conheço bem nossos políticos da cidade. “Canalhas” é o único adjetivo que pode resumir todo este bando. Itaquera e região realmente vão ser beneficiadas com a construção do estádio e a isenção deveria ser enxergada como um bom investimento, pena que tenhamos a podridão do futebol (que se inicia lá na Fifa) associando-se a políticos e prefeito de igual índole, endossado por figura populista que tanto lutou (por 20 anos) contra as falcatruas deste tipo. Ou seja, seria bom caso não tivesse “cheiro” de vai ser melhor para construtoras, políticos e lobistas. O pior é que se fosse só isto, como o próprio blog diz estariamos bem, mas são só uns milhõeszinhos insignificantes diante das mazelas no atual governo (em todos os níveis) que nos últimos 8 anos o fazem despudoradamente.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 30/06/2011 - 00:26
    Enviado por: Bruno Carneiro

    Falcatrua escancarada!
    Senhores, falta muito para merecermos o título de país do futebol com todos esses cartolas descaradamente corruptos no comando – Sangue novo já – Não há argumento que sustente uma hipótese, se essa contrariar algo óbvio e factual. Trata-se de corrupção política no futebol, onde o Sr. Ricardo Teixeira é o traste maior.
    Por favor, estamos falando da paixão de milhares de torcedores que teimam em cair nas armadilhas do amor ao futebol e ao time (que desde sempre quer um estádio). Os corinthianos devem ser os primeiros a contestar isso, porque uma hora a casa vai cair em cima deles mesmos – Pensem – Nenhum torcedor do mundo, independente de qual for o time do coração, gostaria de ter seu brasão desonrado ao ser gravado em um estádio eternamente manchado pela corrupção.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 30/06/2011 - 00:42
    Enviado por: Ricardo Alpendre

    Já que essas pessoas estrategicamente dizem acreditar que o dinheiro da isenção fiscal não existe ainda, que tal todo empreendedor receber a isenção fiscal? Ora, todos trazem benefício (a si próprios, claro), e se não empreenderem, o dinheiro “não existe”. Em todos os casos. Dizer que o dinheiro “não existe” é uma falácia oportunista. A não ser que se proponha que a arrecadação não funcione em nenhuma situação. E aí quem paga a conta? Eu, aqui, já estou sentindo minha carteira mais fina por causa desse crime organizado do qual Gilberto Kassab faz parte.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 30/06/2011 - 10:15
      Enviado por: Rogério

      “Dizer que o dinheiro “não existe” é uma falácia oportunista.”

      Claro, todo tributo não existe quando não arrecadado. Da mesma forma também não existirá escolas, merenda escolar, hospitais e etc.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 30/06/2011 - 23:30
      Enviado por: Marcelo-SP

      E por que o dinheiro não seria arrecadado? O Corinthians deixaria de jogar, sem o estádio? Os tributos sobre as receitas dos jogos do time não seriam arrecadados em outro estádio? Ora… É lógico que esse dinheiro existe, e deixará de ser coletado pela prefeitura com a isenção.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 01/07/2011 - 15:32
      Enviado por: Kiara Deeva

      “Dizer que o dinheiro “não existe” é uma falácia oportunista.”

      Claro, todo tributo não existe quando não arrecadado. Da mesma forma também não existirá escolas, merenda escolar, hospitais e etc.

      Adorei, Rogério :)

      responder este comentário denunciar abuso
  • 30/06/2011 - 04:33
    Enviado por: José Bispo dos Santos

    Nunca antes neste País (nem depois), houve ou haverá maior saque aos cofres Públicos que nos tempos atuais em que uma enorme Quadrilha liderada pelo PT e PMDB com os asseclas do baixo clero que pega a “xepa” sem a menor vergonha. Todos os casos citados pelo Marcos säo verdadeiros fóra outros como o da Caixa Econômica Federal que, por agradecimento do Lula Curintianu ao Banco do SS em patrocinar a vinda do Ronaldo ao Curintia, enfiou 480 milhöes de Reais num banco quase falido. Se você for pleitear um emprestimo para a casa própria ou capital de giro para sua microempresa, estará literalmente ferrado. O Cabral näo podería ser governador de nenhum outro Estado a näo ser de onde é, “o império dos trampeiros do Brasil”. O resto do Nosso dinheiro será dividido entre as quadrilhas em nome do esporte.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 30/06/2011 - 17:20
      Enviado por: carlos 3m

      seu bispo, nao cuspa para cima. certamente da para piorar mais ainda. ja estao falando para o lula se candiatar para a proxima eleicao. com o que ele andou aprendendo, nao ha cofre que se salve.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 30/06/2011 - 08:34
    Enviado por: fernando

    isso se chama comunismo.

    Ainda não concluído o processo de transformação do estado brasileiro, mas comunismo. Nos moldes preconizados por Antonio Gramsci. E cantado por Foucault.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 30/06/2011 - 09:09
    Enviado por: João Carlos

    Obrigação de jornalista é informar. Esta isenção refere-se a empresas que vão se instalar no entorno do projeto. Se a paixão clubística ou a ignorância não falassem tão alto perceberiam que a região é carente e abandonada. Vai ganhar com isso a população da zona leste (que é a maior da capital e maior que muitas cidades) em empregos, lazer, segurança, qualidade de vida. Por estas e outras continuamos sendo um paísinho de quinto mundo onde se discute “esquerda e direita”, sistemas TOTALITÁRIOS E FALIDOS, não sabemos votar, acreditamos em ideologias baratas e fechamos os olhos à corrupção mantendo todos estes que estão no poder. Mas, com certeza, a maior culpada é nosso IMPRENSA parcial e ignorante que vive desta pasmaceira.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 01/07/2011 - 00:45
      Enviado por: Ricardo Alpendre

      A população de uma região (que fossem as de todas as regiões) ganhar algo não justifica o favorecimento de particulares.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 01/07/2011 - 04:44
      Enviado por: José Bispo dos Santos

      1) Recuperar uma regiäo carente como a zona leste a meu ver, sinifica, mais escolas públicas, hospitais e pronto socorros. (campo de futebol?).
      -2) Bem lembrado quando alguem falou no “ame ou deixe- o”, é só esta cambada de ladröes deixarem o pais que trabalha e o dinheiro roubado, boa viajem e näo voltem nunca.
      -3) Financiar, sem retorno, o privado com o público, já é mania Nacional e se a Constitucäo näo permitir, aquela lata de lixo humano que perambula, de vez em quando no Congresso, acaba dando um jeitinho.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 30/06/2011 - 09:30
    Enviado por: Juliano P

    Olha, fica difícil argumentar com uma pessoa que diz que “os 420 mi não existem”, “isso só acontecerá se o estádio sair”.

    Impressionante. Nem Kassab ousou tanto. Para ele a questão principal é justificar a isenção fiscal (para a construção de um estádio privado) pelo desenvolvimento da região leste, o que pelo menos é um argumento (ruim, mas um argumento). Agora, justificar a isenção fiscal dizendo que o dinheiro não existe… barbaridade.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 30/06/2011 - 09:35
    Enviado por: Alexandre Magno

    http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,em-dois-anos-mais-de-10-milhoes-entram-na-classe-c-diz-estudo,737624,0.htm

    Em dois anos, mais de 10 milhões entram na classe C, diz estudo

    Segundo pesquisa da FGV, ‘nova classe média’ contabiliza mais de 100 milhões de integrantes.

    27 de junho de 2011 | 17h 06

    Mais de 10 milhões de brasileiros foram incorporados à classe C no período que vai de 2009 e 2011, em um crescimento de 9,12% deste estrato econômico que vem sendo chamado de “nova classe média brasileira”, segundo um estudo da FGV divulgado nesta segunda-feira.

    De acordo com a pesquisa ‘Os Emergentes dos Emergentes: Reflexões Globais e Ações Globais para a Nova Classe Média Brasileira’, a classe C ganhou mais 10.524.842 de pessoas entre 2009 e 2011, contra 2.558.799 que ingressaram nas classes A e B no mesmo período.

    Com isso, segundo o estudo, a “nova classe média” brasileira passou, nos últimos dois anos, de 50,45% da população para 55,05%, contabilizando mais de 100 milhões de integrantes.

    Já a classe D perdeu 5.543.969 de brasileiros entre 2009 e 2011 (encolhimento de 14,02%), enquanto a classe E teve redução de 4.146.862 no mesmo período (decréscimo de 15,9%).

    No período entre 2003 e 2011, de acordo com a pesquisa da FGV, 39.589.412 de brasileiros entraram na classe C, enquanto 9.195.974 ingressaram nas classes A e B.

    Já a classe D perdeu 7.976.346 pessoas (redução de 24,03%) e a classe E perdeu 24.637.406 (decréscimo de 54,18%).

    Os números foram obtidos por meio do cruzamento de dados entre a Pesquisa Mensal de Emprego (PME) e da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (PNAD), ambas realizadas pelo IBGE. BBC Brasil – Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

    http://oglobo.globo.com/economia/mat/2011/06/27/cerca-de-40-milhoes-de-pessoas-ingressaram-na-classe-aponta-pesquisa-da-fgv-924772784.asp

    Ascensão social

    Cerca de 40 milhões de pessoas ingressaram na Classe C, aponta pesquisa da FGV

    Publicada em 27/06/2011 às 16h44m

    Ronaldo D´Ércole

    SÃO PAULO – Pesquisa da Fundação Getúlio Vargas (FGV) divulgada hoje revelou que, do início de 2003 até maio último, 48,7 milhões de pessoas entraram nas classes A, B e C no Brasil, o equivalente a um crescimento de 47,94%. Apenas os novos integrantes da classe C somaram 39,5 milhões neste período, o que significou uma elevação de 46,57%.

    Intitulada Os Emergentes dos Emergentes: Reflexões Globais e Ações Locais para a Nova Classe Média Brasileira, a pesquisa indica que o Brasil é o país dos Brics (grupo de países emergentes formado por Brasil, Rússia Índia, China e África do Sul) que melhor tem conseguido conciliar crescimento econômico com redução das desigualdades sociais. A renda per capita do brasileiro cresceu em média 1,8% acima da expansão do Produto Interno Bruto (PIB), o que significa o melhor índice entre os emergentes.

    Coordenado pelo economista Marcelo Neri, a pesquisa mostra que, ao mesmo tempo em que houve forte ingresso na Classe C, 24,6 milhões de pessoas deixaram a classe E, o que representou uma queda de 54,18%, enquanto a redução na classe D foi de 24,03%, o que significou a perda de 7,9 milhões de pessoas. Para Neri, estes números são uma indicação clara de que a desigualdade social está diminuindo.

    - A desigualdade no Brasil está caindo, e muito, enquanto ela sobre nos demais Brics — diz Marcelo Neri, economista-chefe do Centro de Políticas Sociais da FGV, citando a China, onde a renda das famílias avança a taxas médias dois pontos percentuais abaixo do crescimento do PIB. – A desigualdade cresce no mundo inteiro, só cai na América Latina e no Brasil.

    Entre 2003 e 2007, ainda segundo o estudo, a evolução da renda dos 20% mais pobres da população brasileira avançou em média 6,30% ao ano, superior à dos demais Brics, exceto a China, onde cresceu a 8,5% ao ano. Em contrapartida, as taxas médias de crescimento da renda dos 10% mais ricos da população foi muito maior nos demais Brics: de 15,1% na China; 7,6% na África do Sul; 2,8% na Índia; e de 1,7% no Brasil.

    Nos anos 2000, observou Neri, enquanto a renda dos 50% mais pobres no Brasil subiu 67,9%, os ganhos dos 10% mais ricos avançaram 10,03% em termos reais.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 30/06/2011 - 09:39
    Enviado por: David

    Se com 420 milhões daria para construir um estádio municipal, então há outro problema não discutido: a absurda tributação. Com essa carga de impostos, que empresa privada vai querer investir em um estádio?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 30/06/2011 - 09:52
    Enviado por: Ezequiel-SP

    Deixa eu entender tambem:

    Vai faltar agenda prá tanta pelstra….

    responder este comentário denunciar abuso

  • 30/06/2011 - 09:57
    Enviado por: Rogério

    Queria ver a opinião do Guterman se fosse para construir um estádio melhor na vila belmiro ou em jerusalém heheheheh……. brincaderinha.

    Não sei o que dizer, então vou fazer um comentário frugal, de no máximo quatrocentas linhas hehe.
    Vejo que nesse tema, além da inevitável tendência brasileira à corrupção, a prevaricação e o clientelismo, soma-se também o fenômeno da interpenetração do público no privado e vice versa, um fenômeno mundial. Com o neoliberalismo destas últimas décadas criou-se a idéia do estado mínimo, a mínima ingerência do estado em atividaes economicas restando a esse a regulação através de agências quando essa atividade tem algum caráter público, como as telecomunicações, transportes e etc.
    Mas o que se vê aqui e no mundo é mais do mesmo, um estado glutão e gastador, que nunca deixou de existir, mas agora com uma roupagem mais moderna, é o clientelismo à moda liberal, criou-se a perfeita desculpa para ações pontuais do estado em questões privadas, afinal o privado está fazendo às vezes do estado e nada mais “justo” que este participe de alguma forma.
    E a justificativa da ocasião é o fato de que um empreendimento desta forma envolve também uma questão pública, o incremento de uma economia local, a criação de um espaço privado mas que de cera forma também é público, além do aproveitamente do fator emocional do apelo do futebol, da seleção e da copa do mundo e do meu curingão hehehe.
    É importante que haja investimentos e que o estado fomente essas atividades, no entanto é preciso verificar a legalidade e a moralidade da questão, para que o estado tenha contribuintes, agentes economicos e etc mas nunca clientes ou mesmo patrões.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 30/06/2011 - 10:12
    Enviado por: aac

    JBS, Brasil Foods, Pão de Açúcar, BNDES….assuntos interessantes sem dúvida. A tal fábricação de “campeões nacionais” denota uma estratégia política, “econômica e social” viesada, deslumbrada, provinciana e anacrônica por parte deste governo, no qual votei. O que ganham os brasileiros que não pertencem à família Diniz com um “campeão nacional” do varejo? Em países de ponta como Japão, Alemanha, Holanda, talvez EUA, entre outros, são as empresas médias e pequenas que fomentam a inovação e a criação de conhecimento. Ao lado das universidades, é claro. O BNDES e o governo fazem um desserviço ao Brasil ao apoir este movimento de concentração econômica intolerável que só produzirá preços mais altos e qualidade mais baixa.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 30/06/2011 - 17:23
      Enviado por: carlos 3m

      aac, evolua http://www.youtube.com/watch?v=E1lWk4TCe4U

      responder este comentário denunciar abuso
    • 30/06/2011 - 18:03
      Enviado por: aac

      Prezado carlos 3m, quando li Milton Friedman, ainda mais de 1979, nem me dei ao trabalho de ver o vídeo. Aliás, se ele era ruim há 32 anos, e burro velho tende não só a não mudar o trote, apenas piorá-lo, imagina hoje? Não perderei tempo mesmo porque um indivíduo que põe liberdade na frente da democracian não entende nenhuma das duas e não sabe que a segunda controla a primeira. É por “pensadores” como ele que os EUA estão onde estão – além de um enorme buraco financeiro, têm um índice de GINI (em que pesem suas imperfeições) ao redor de 46. Um desastre para uma país que se diz livre e democrático. Então, obrigado, prefiro “não evoluir”.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 30/06/2011 - 18:13
      Enviado por: aac

      Aliás, 3m, evolua, aprenda e, acima de tudo, se divirta………………………..

      http://www.youtube.com/watch?v=mzJmTCYmo9g

      responder este comentário denunciar abuso
    • 01/07/2011 - 00:01
      Enviado por: carlos 3m

      prezado aac, mesmo que voce nao queira ver o video eu ainda recomendo. minha opiniao eh totalmente oposta a sua quanto ao friedman.

      o outro video eh fantastico e ja conhecia. mas para seu conhecimento, ele nao trata de capitalismo e livre arbitrio. ele justamente trata de relacoes incestuosas entre governo e grupos. o que mais ainda justifica o video do friedman. assista com a mente aberta. nao doi. e depois me conte. abs.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 30/06/2011 - 10:53
    Enviado por: Rogério

    Só uma curiosidade relacionada ao tema.
    O cativeiro de Abílio Diniz ficava pertinho de casa. Lembro-me, acho que era um domingo, um dia onde todos estavam nas ruas, todo mundo atras da cordão de isolamento enquanto ocorriam as negociações para a libertação do empresário. Incluisive o cachorro dos sequestradores, um pastor alemão, que apareceu na minha rua com a perna quebrada ficou com a gente até sua morte.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 30/06/2011 - 11:07
    Enviado por: João Só

    Esse governo não é lá essas coisas mas pelo o menos não venderam a Vale por preço de banana, nem compraram deputados para garantir a reeleição, nem tem chanceler que se humilha pra entrar no império.

    Pensem bem. Que tipo de país teríamos com aquele pilantra que se jogou nos braços da direita religiosa e cuja esposa dizia que a Dilma era a favor de matar criancinhas, sendo que ela mesma fez aborto no Chile? Que tipo de governo teríamos com um sujeito que levou uma bolinha de papel na cabeça e conseguiu um médico pilantra como ele para fazer uma tomografia e valorizar sua comédia?

    É, esse governinho nosso é muito fraco. Mas a alternativa era infinitamente pior.

    E só de saber que a direita reacionária baba de ódio e de rancor, sou até capaz de aturar esse governinho por mais, digamos, 20 anos.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 30/06/2011 - 12:20
      Enviado por: Ezequiel-SP

      João, você poderia falar um pouco dessa sua “obsessão” lá no blog do Ethevaldo Siqueira. O Marcos não responde, mas o Ethevaldo não deixa passar essas sandices petistas.

      Abraços

      responder este comentário denunciar abuso
    • 30/06/2011 - 13:50
      Enviado por: João Só

      Ezequiel,

      não sabia que existia o blog desse cidadão. Fui lá dar uma olhada e pareceu-me mais um jornalista tucano. Desses que abundam por aí. Posso estar errado.

      De qualquer forma não vou fazer uma comparação de profundidade, posição, textos e inteligência entre os blogs que frequento e os que não frequento. Não faria uma indelicadeza dessas e não pretendo constranger quem quer que seja. Mesmo porque, se o cara quiser, ele pode vir aqui e me responder.

      Você, com todas suas deficiências e dificuldades, poderia responder meus argumentos. Mas não o fez. Porque será?

      responder este comentário denunciar abuso
    • 30/06/2011 - 15:36
      Enviado por: Ezequiel-SP

      Por causa das deficiências e dificuldades, ó pá.

      Respondeste.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 30/06/2011 - 16:50
      Enviado por: João Só

      Mas se o que escrevi são sandices petistas, cazzo! Nem assim?

      responder este comentário denunciar abuso
    • 30/06/2011 - 17:24
      Enviado por: carlos 3m

      joao so, evolua http://www.youtube.com/watch?v=E1lWk4TCe4U

      responder este comentário denunciar abuso
    • 30/06/2011 - 18:16
      Enviado por: João Só

      Milton Friedman? Depois da crise de 2008 eu achava que ninguém mais levava esse cara a sério.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 30/06/2011 - 23:38
      Enviado por: Marcelo-SP

      Como se você entendesse alguma coisa, de fato, sobre Milton Friedman ou sobre a crise de 2008… Não é, João Só?

      responder este comentário denunciar abuso
    • 01/07/2011 - 00:08
      Enviado por: carlos 3m

      marcelo, como voce diz, a maioria nao tem ideia o que esta comparando. 2008 eh resultado de nao ter ouvido friedman. quanto ao brasil tudo o que friedman refuta magistralmente na entrevista, o nosso governo esta seguindo ao pe da letra. burramente. mas a culpa eh de quem os colocou no poder porque todo mundo sabia o que esperar.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 01/07/2011 - 16:50
      Enviado por: Cesar

      Não fala bobagem joão!
      A bolinha de papel e a discussão sobre o aborto foram uma areia na praia comparado ao que são os dossiês do mercadante, os crimes da Erenice, os lesa-pátria do palloci, a gang mafiosa do mensalão.
      Quer comparar crimes? Tenha paciencia! Vai lamber o saco do Lula e deixa os inteligentes aqui.

      Eu admiro o FHC pelos seus méritos.
      Fernando Henrique Cardoso, o FHC, foi o melhor presidente que este país já teve.
      Criou as bases para que o povo melhorasse suas condições.
      FHC foi tão bom presidente que construiu os alicerces para que gente, como o filho do Lula, se tornasse um bilionário.
      Lula, o liberal clientelista, sabe disto e inveja profundamente o Fernando Henrique.
      FHC: obrigado por tudo nestes seus 80 anos.
      Será lembrado como um estadista; Lula como chefe de oportunistas. Até rimou!

      responder este comentário denunciar abuso
  • 30/06/2011 - 11:33
    Enviado por: Pedro Cury

    Marcos,

    vale a pena ler a matéria publicada hoje no Estadão

    Essa notícia foi enviada a você por Pedro.
    Para acessá-la basta clicar no link abaixo.
    Itaquerão, paixão ou pouca vergonha?
    Ou, acessar o seguinte endereço:
    http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20110630/not_imp738725,0.php

    responder este comentário denunciar abuso

  • 30/06/2011 - 12:46
    Enviado por: jarbas

    Guterman, vc é um dos poucos jornalistas com capacidade crítica suficiente para fazer críticas tão bem acertadas, que não ficam na superfície. Ontem, os “especialistas” da Globo quase só tinham comentários favoráveis à fusão Carrefour-Pão de Acúcar, que salvaria o atacado brasileiro do domínio estrangeiro… E eu tenho TV paga para assistir a esse nível de comentários!

    Pessoalmente espero que o CADE barre essa pouca vergonha, pois pelo menos 1/3 da cadeia de distribuição varejista no país irá ficar nas mãos desse grupo, que com certeza poderá exercer uma influência significativa em muitos preços.

    Onde fica o princípio da Livre Concorrência, esculpido em nossa Constituição, como também o princípio da Imparcialidade? Isso é negociata entre amigos – e com dinheiro público.

    Quanto a Kassab e o Coríntias, é também uma vergonha. Espero que o MP (Ministério Público) ou a OAB entrem com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade, ou outra ação pública equivalente, para impedir esse descalabro.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 30/06/2011 - 12:55
    Enviado por: Dany

    Falou em time de futebol,prezado Marcos,pode esperar que vem pedrada.Nesse país todos nós somos proibidos de dar palpite quando se trata de futebol.Ele é SAGRADO.Eu,que não sou muito fã de futebol,deixo para os outros a questão.O que me incomoda mais é saber quantos milhões ficam a disposição de quem não é bastante sério.É muita grana jogada fora,ou no máximo pra satisfazer o ego de alguns magnatas que nem deviam estar lá,e se estão é porque tiveram muita sorte.Visto de fora,o Brasil é um país cheio de contrastes imensos,de esbanjamento e população abandonada nas periferias das grandes cidades.
    Deve ser por isso que cada vez mais brasileiros fogem pro exterior,pro que der e vier se arriscando nas mais perigosas empreitadas.Nunca vi tantos decepcionados com o novo milagre brasileiro – vejam as estatísticas- e se oferecendo pra qualquer um e por qualquer preço.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 30/06/2011 - 13:20
    Enviado por: Alexandre Magno

    O governo de Lula e do PT teve muitos defeitos, mas colocou 40 milhões de pobres na classe média e tirou 25 milhões de pessoas da miséria. Os 3% da população brasileira que odeiam Lula e o PT que se danem. Quem decidirá as próximas eleições são esses 40 milhões de brasileiros que ingressaram na classe média e esses 25 milhões que saíram na miséria durante o governo de Lula e do PT, e não esses 3% de mauricinhos e burgueses.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 30/06/2011 - 14:13
      Enviado por: justo

      Alguns nazifascistas de hoje são capazes de encher varias paginas de elogios ao Hitler e seus feitos economicos e socias realizados na alemanha na epoca que o terros nazista era mais e mais forte.
      Os fascistas mudam de Slogan mas não mudam a cara.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 30/06/2011 - 15:27
      Enviado por: CapEnt

      Lá vem essa história dos 3% mesmo Dilma com a maior maquina de propaganda eleitora da história da Republica ter falhado miseravelmente em atrair mais de 50% dos eleitores para seu lado… de fato, ela é a primeira presidente eleita do Brasil no regime de minoria: mais de 50% dos eleitores não votaram nela no segundo turno se contar os votos de Serra, mais as abstenções, brancos e nulos.

      E eu realmente queria saber de onde você tirou que 40 milhões de Brasileiros acenderam para a classe média. A FGV diz que foram 25 milhões… e nem é tanto assim: FHC conseguiu números bem similares em seus 8 anos de governo, então o que aconteceu não foi nenhum “milagre” de estadista: foi mesmo é que o Brasil pela primeira vez APARENTAVA ter aprendido a levar a cabo projetos de longo prazo.

      Agora ele esta desaprendendo e retornando como nas era passadas, voluntariamente.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 30/06/2011 - 17:26
      Enviado por: carlos 3m

      colocou p nenhuma. se os chineses nao tivessem aumentado o consumo de commodities a historia era outra. mais ainda,se o fhc na otivesse feito algo para preparar o terreno pior ainda.

      http://www.youtube.com/watch?v=E1lWk4TCe4U

      responder este comentário denunciar abuso
    • 01/07/2011 - 17:25
      Enviado por: Cesar

      Bem se vê que o sujeitinho aí não sabe nada de democracia!
      Ele quer 100% aprovação. Nem Jesus cristo entre os cristãos tem esta cifra, ô meu!
      Ô belezinha!!! Pra que escrever então se a tua turminha tem esta aprovação toda?
      Eu me orgulho de pertencer aos 3%. O salto para o futuro foi dado por FHC.
      Lula perdeu a chance, com sua popularidade, de imprimir uma nova perspectiva moral e ética para o país. Mas ele não conseguia, pois é da mesma índole dos espoliadores do estado e, com sua personalidade de animador de auditório, manteve o país na lei de gerson.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 30/06/2011 - 13:52
    Enviado por: Glúon

    .
    ________________________
    .
    Maiores estádios do mundo
    .
    _______________________
    .
    .
    ____Estádio____________País________Capacidade
    .

    Rungrado May Day___Coreia do Norte____150.000
    Sallt Lake___________Índia_____________120.000
    Azteca_____________México___________114.600
    Azadi______________Irã_______________100.000
    Itaquerão___________Brasil_____________420 milhões
    .
    ____________________________
    .
    http://gluoncharges.blogspot.com/
    .
    ____________________________
    .

    responder este comentário denunciar abuso

  • 30/06/2011 - 15:44
    Enviado por: Ben

    O petismo é uma mistura de capitalismo selvagem com peronismo. Mais retrógrado impossível. Antigamente eles criticavam os grandes empresários, banqueiros, especuladores financeiros, multinacionais, grandes empreiteiras e os marajás do primeiro escalão. Pelo visto viraram todos companheiros. Todos mamando nas tetas do governo.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 30/06/2011 - 17:27
      Enviado por: carlos 3m

      so se for capitalismo do b.

      http://www.youtube.com/watch?v=E1lWk4TCe4U

      responder este comentário denunciar abuso
    • 30/06/2011 - 19:39
      Enviado por: Ben

      O capitalismo selvagem tende a proliferar em países aonde graça a corrupção generalizada. Nada contra a economia de mercado. Só gostaria de lembrar que a falta de regulamentação da economia pode gerar crises, como a da bolha imobiliária e da quebra da bolsa de 29. A diferença é que pelo menos lá os Madoff da vida vão pra cadeia.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 30/06/2011 - 23:45
      Enviado por: Marcelo-SP

      Ben, quanto mais regulamentação, mais corrupção. Isso é matemático! Não vou nem estrar no mérito do que deve, ou não, ser regulado, que é outra discussão. Mas é óbvio que quanto mais o estado se mete, mais existe espaço para que se tente o “jeitinho”.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 01/07/2011 - 03:26
      Enviado por: Ben

      Seguir e interpretar Friedman ou Keynes ao pé da letra é algo ultrapassado. Se a total falta de regulamentação fosse tão boa, não existiriam tantos desempregados nos EUA no momento. Em relação aos entraves burocráticos que favorecem a elite política brasileira, a questão é cultural e educacional, de um povo que não sabe se impor frente ao governo.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 01/07/2011 - 17:23
      Enviado por: carlos 3m

      “Se a total falta de regulamentação fosse tão boa, não existiriam tantos desempregados nos EUA no momento.”

      desculpe o palavreado, mas o que tem a ver o c com a calca?

      responder este comentário denunciar abuso
    • 02/07/2011 - 00:27
      Enviado por: Marcelo-SP

      Ben,

      Em nenhum lugar do mundo inexiste, simplesmente, regulamentação. A Constituição e as leis decorrentes já são, em si, um conjunto de regras de conduta. A questão é saber que, cada vez que você tolhe a liberdade de ação, paga-se um preço na dinâmica do processo, toma-se o risco de gerar regras ineficientes e concentra-se poder na mão de alguém, ou de alguma instituição, que, ainda que sob normas, irá arbitrar o ato, abrindo-se o flanco, portanto, para posturas menos republicanas Em um país como o nosso, acostumado a buscar sempre apoio no colo e nos cofres da viúva, qualquer norma dizendo o que pode e o que não pode vira um festival de corrupção.

      Como disse antes, até onde se deve regulamentar isto ou aquilo é uma discussão bem maior. O maior problema é quando regulamentar vira a grande panacéia, empurrada por uma mistura de burocratas que se acham iluminados e de corporativistas querendo vender favores aos regulados. Fica cada vez mais óbvio, como bem levanta o Guterman, que é nesse emaranhado que hoje estamos no Brasil.

      Quanto ao seu diagnóstico do desemprego americano atual, discordo frontalmente. Primeiro porque a regulamentação é só um dos vetores do mercado de empregos e, diretamente, funciona no sentido inverso. Esta é a principal razão de as taxas históricas de desemprego nos EUA, onde a relação trabalhista é menos regulada, situarem-se sempre abaixo das sociais-democracias européias. E, segundo, porque as causas da crise de 2008, maior responsável pelo atual desemprego conjuntural americano, estão longe da explicação simplória da “falta de regulamentação”. Começam no crescimento chinês e mundial, passam pela expansão dos gastos públicos nos EUA e na forma que ela foi
      financiada, estouram com o fim da bolha da liquidez e tornam-se macabras justamente porque, em momento anterior, o governo americano resolveu fazer uma “intervenção do bem” no setor de hipotecas, criando instrumentos artificiais de incentivo e afrouxando regras para que os bancos passassem a financiar casas de quem, de fato, não tinha como pagar. Resultado: graças ao dedo do estado, o que poderia ser uma crise do setor imobiliário e uma barrigada no crescimento da economia pelo estouro da bolha, tornou-se também uma crise bancária com risco sistêmico, que vai cobrar um custo enorme ao país, pelos próximos anos, em crescimento e ajuste fiscal. Mas pode escrever: a economia americana vai se recuperar, e não vai ser através de “mais regulamentação”…

      responder este comentário denunciar abuso
    • 04/07/2011 - 20:14
      Enviado por: Ben

      Carlos 3m: “O que tem a ver o c com a calca”. Pare de falar na língua do pê e a apelar pra filminhos. Procure explique o seu ponto de vista.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 04/07/2011 - 20:40
      Enviado por: Ben

      Foi na administração Clinton que foi “modifiicada uma regulamentação” que visava prevenir a inadimplência. Modificação essa que só foi revogada no apagar das luzes da administração Bush. Também foi na administração Bush que o governo fez vistas grossas à pirâmide financeira aplicada pelo Bernard Madoff.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 04/07/2011 - 21:33
      Enviado por: Ben

      “carlos 3m”: Lave a boca com sabão e procure falar por si mesmo.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 30/06/2011 - 16:13
    Enviado por: Marcos M

    Marcos G…

    Futebol merece todo o nosso investimento, evasão fiscal, benesses, privilégio, tudo e mais um pouco. Pão não falta, vai faltar circo??? Para que dia deixarão as decisões mais importantes e eventuais votação de cassação? Quarta e quinta feira, é claro! Roubo, corrupção, malversação de dinheiro público, que é isto comparado a um domingo sem jogo? Sai barato, está no orçamento da corrupção (do povo), e nem precisa ser caixa 2, ou como querem, verba não contabilizada.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 30/06/2011 - 16:14
    Enviado por: CapEnt

    Era com esse modelo que empresários enchiam o rabo de dinheiro nas costas do povo no governo militar e nos anteriores. É o mesmo modelo que vem desde a época do império e seus títulos vendidos para dar privilégios para os amigos dos parlamentares.

    Ficamos 25 anos pagando (literalmente) os estragos desse modelo no fim do “milagre econômico”, quando a “pobreza e fome foi erradicada do Brasil” (assim dizia a propaganda). Tudo isso para no fim do milagre, a pobreza triplicar, devastar o pouco de planejamento urbano que ainda existia no Brasil e ainda criar as maiores favelas da história.

    O que nós chamamos de “favelas” hoje, muitas cresceram absurdamente com projetos de moradia popular do governo militar, que gritava aos quatro ventos como “finalmente” o “povo” agora tinha dinheiro para manter uma casa e morar em “bairros” (tudo financiado no bonde da alegria chamado Banco Nacional de Habitação).

    E se masturbava no rádio com sua grandeza e benevolência nas propagandas narrando o “pobre” invadindo mercados para comprar de tudo, e como o “pobre” agora podia ter seu primeiro Fusca… essas casas não terem muitas vezes nem rede de esgoto e aguá encanada, e o dono e seus filhos não saberem ler um livro, eram apenas “detalhes” pouco urgentes.

    Ainda vai demorar o dia que vamos sair da merda se continuar assim, literalmente (porque 40% do Brasil, segundo o IBGE, não tem rede de esgoto até hoje).

    responder este comentário denunciar abuso

    • 01/07/2011 - 13:29
      Enviado por: CapEnt

      carlos 3m,

      O mais impressionante é que tem gente que realmente acha que as teorias de Milton Friedman se tornaram populares atoa, que tudo foi uma conspiração do capitalismo para subjugar o “povo”.

      O que ninguém lembra (ou desonestamente finge não lembrar quando é um acadêmico) foi a era do esgotamento do modelo Keynesiano e Comunista (estagnação de Breznev) na década de 70, que arrebentou com a economia de todo primeiro e segundo mundo (e levou o terceiro junto), e que foi as teorias desse homem que salvaram o mundo ocidental de terminar como a União Soviética, o que teria estendido a Guerra Fria século 21 a dentro.

      O modelo de dirigismo Estatal é bom para reagir a crises mais graves, mas fora isso, esgota rápido os recursos do estado. Seria o modelo perfeito no mundo ideal das flores e rios de chocolates… mas vivemos na realidade. Aqui o modelo é abusado por amigos do poder, e quando você tem uma corja disposta a vender o estado para amigos (tudo bem aparado por propaganda ufanista sobre criar multinacionais, fomentar a industria nacional com reserva de mercado, estatal ser “do povo”… etc etc), logo a econômica fica de quatro, cedo ou tarde.

      Eu não estou dizendo que se continuar assim, a economia do Brasil pode ir barranco abaixo, eu estou AFIRMANDO que vai barranco abaixo a qualquer momento. Só uma bolha estourar no lugar certo (geralmente em curral mantido pelo estado com falta de concorrência por “motivo estratégico”)…

      É tão legal ver que um dia existiu notas de 100 cruzeiros (não tinha centavos) assim como hoje existe notas de 1 real, e como chegamos ao ponto de imprimir notas de 500.000 com apenas 3 anos de distancia (1990 para 1993), e todo desespero do Plano Cruzado, que virou Plano Bresser e finalmente afundou como Plano Collor em apenas 10 anos, além daquelas mórbidas noticias de pessoas se matando de maneiras bizarras na rua, idoso sendo despejado da casa, paciente em UTI agonizando de dor tendo equipamentos desligados por falta de dinheiro, escolas reunindo alunos de todas as salas no patio pela falta de giz na sala só dar para uma lousa… era LINDO! (para quem ganhava nas costas do povo com o modelo antigo que foi aniquilado no plano Real, e agora volta sorrateiramente, criando bilionários de papel)

      responder este comentário denunciar abuso
  • 30/06/2011 - 16:19
    Enviado por: Jakob Ibrahim

    Abordagem lúcida, mais uma vez.

    1) Itaquerão – Não há a menor chance de o projeto não vingar. Há muito dinheiro em jogo e a possibilidade de desvios e roubos é doce para políticos, além do que todos já sabem: apoio esmagador da torcida do Corinthians; transformação da zona leste em novo pólo de especulação imobiliária; apoio da população da região etc.

    Motivos bons e maus se dão as mãos e o estádio (Itaquerão? Coringão?) sairá, sem sombra de dúvidas. A engenharia financeira já está traçada; os recursos virão 100% do poder público: isenção + grana do BNDES, via Banco Votorantim. Qual a novidade em se tratando de Brasil?

    A opção racional seria investir na reforma do Pacaembu, que já tem toda infra-estrutura pronta. Só que estamos no Brasil. E é assim, sim, que as coisas funcionam. E não existe Ministério Público nem ninguém que possa impedir o que já são favas contadas.

    Estamos vivendo um ciclo de desenvolvimento que não terminará antes de 2016, ano das Olimpíadas. Depois, só Deus sabe -possivelmente, quebraremos…

    2) Por mais triste e irônico que possa parecer, uma das teses permanentes dos fascistas a la TFP e Olavo de Carvalho se confirmou no governo Lula: a aliança de um governo popular com a burguesia. Essa foi a maneira encontrada por Lula para se eleger e manter-se no poder: conchavar com a elite, ao mesmo tempo em que fazia avançar uma série de conquistas e benfeitorias voltadas às classes populares. Com isso, o BNDES foi aparelhado para servir a essas elites. Como é possível destinar recursos ao Grupo Pão de Açúcar, que já é bilionário, para formar um monopólio do mercado varejista no país? Pior é ver que tem gente falando em CADE, como se esse tipo de organismo tivesse algum poder contra a aliança oligarquico-popular da atual gestão. Quanta ingenuidade…

    3) O governo Lula teve grandes conquistas: elevou a condição social de milhões de desfavorecidos; gerou mais de 8 milhões de empregos em carteira assinada; criou uma série de novas universidades públicas e fatecs; no ãmbito internacional, abriu novos mercados -que também garantiram que o país fosse o último a entrar e o primeiro a sair da crise internacional-; ressuscitou o Mercosul, que finalmente deslanchou, e tornou-se referência política e econômica na América do Sul. O recém-eleito presidente do Peru Ollanta Humalla elegeu-se com a promessa de ser um novo Lula: manter os ganhos das grandes empresas, mas gerar inclusão social. Falar em Lula, hoje, é “in”. Ouso dizer que, em sua megalomania, Lula desejaria que o Brasil fosse para a América do Sul o que os EUA foram para a Europa com o Plano Marshall. Estaremos realmente longe disso?

    Não há que haver ilusão. Dilma, em que pese ser mais low profile que Lula, é apenas uma executora das políticas anteriores; um robozinho da antiga gestão.

    O fato é que o governo atual tem lastro; tem apoio popular e o apoio silencioso da elite. Nada poderá impedir a política atual até sabe-se lá quando (antes de 2016, o PT não sai). Não há o que fazer.

    Agora, igualmente ruim é que a oposição tem gente do nível desse José “papelzinho na testa” Serra, que acha que São Paulo -Deus me livre!- é o modelo para o país; que aparelhou o PSDB e não aceita nenhum tipo de alternativa que não seja ele, péssimo, sem carisma, hipócrita, demagogo. Literalmente, estamos órfãos de pai e mãe. O governo é o que é e a oposição não é alternativa.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 01/07/2011 - 00:00
      Enviado por: Mario de Sampa

      Jakob, concordo plenamente com seus pontos de vista. A oposição é “chutar cachorro morto” e nem vale a pena tocar neste assunto. Mas…. como você geralmente é imparcial em seus comentários, pergunto: você vê só maravilhas no Lulismo?

      responder este comentário denunciar abuso
    • 01/07/2011 - 02:33
      Enviado por: jarbas

      Pior é ver que tem gente falando em CADE, como se esse tipo de organismo tivesse algum poder contra a aliança oligarquico-popular da atual gestão. Quanta ingenuidade…

      Well, a gente sempre pode sonhar, não pode?

      Em 2004, o CADE surpreendeu o mercado, impedindo a aquisição da Garoto pela Nestlé, que ocorrera já de fato em 2002. Segundo o órgão regulador da concorrência, o comprador não poderia deter mais de 20% do mercado de chocolates, e mandou desfazer a operação.

      O CADE tem, a princípio, bala na agulha, e seus pareceres têm seguido parâmetros técnicos, não políticos. Nosso Direito da Concorrência, de nítida inspiração europeia, é bastante moderno. Cabe saber se o órgão é capaz de exercer suas funções de acordo com o figurino, não obstante as pressões políticas.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 01/07/2011 - 06:56
      Enviado por: Jakob Ibrahim

      Olá, Mario. Não vejo maravilhas no lulismo. Só reconheci as conquistas, como o faria no caso FHC. Não me prendo a visão partidária. Basta ler meu comentário com atenção e perceber que destaquei pontos negativos e positivos.

      O governo atual está afundado em corrupção, conchavos, benesses etc. Em que pese isso, a gestão Lula teve seus méritos. Lula -falando-se em termos “profissionais”-, é um grande político (provavelmente o mais astuto dos últimos 30 anos). Articula, negocia com todos os lados, e tem um carisma irresistível para a maior parte das pessoas. Daí vem seu apoio popular, que já ultrapassou fronteiras, como você sabe. Ele é a eminência parda do governo Dilma. Na hora em que ela fraquejar -como no caso Palocci-, ele não hesitará em aparecer para ‘socorrê-la’.

      O ponto, para mim, é o seguinte: estamos sem alternativa. A oposição é ridícula. O Serra “bolinha de papel” é ridículo; autoritário e arrogante. Aécio Neves na prática jamais faria oposição ao governo atual. Kassab ajudou a arrebentar ainda mais o PSDB. Me aponte alternativa na oposição. Mario Covas morreu. Não sobrou ninguém.

      Acredito que, essencialmente, nosso problema é cultural. O Estado sempre foi tratado como coisa privada pelas pessoas. Por mais que me esforce, não consigo perceber que a coisa pública no Brasil seja tratada de forma idônea, isenta, como uma prestação de serviços. Certamente você conhece aquela frase popular que diz que “todo mundo que entra lá vai roubar”. Acho que é (quase?) por aí mesmo.

      Não creio em nenhuma mudança antes de 2016 (salvo desastre ou intervenção divina hehe). Depois, se houver mudança na economia mundial, algo como as famosas crises cíclicas que o mundo sempre vive, o Brasil vai quebrar. O endividamento interno que não pára de crescer; o financiamento de imóveis à semelhança do que aconteceu na bolha americana, ausência de poupança etc. etc. são alguns dos passos da valsa do abismo. Ontem, no UOL, publicaram um cabo da Wikileaks, dizendo que para os americanos Lula era o melhor presidente em se tratando de mercado imobiliário, que estava bombando no Brasil etc. Ora, os americanos detêm 60% (acho que a porcentagem é por aí, não me lembro ao certo) da Cyrella. Detalhe: o cabo era de 2007, um ano antes de a bolha explodir.

      Sds

      responder este comentário denunciar abuso
    • 01/07/2011 - 08:56
      Enviado por: Carolina

      Perfeita análise, Jakob. As usual.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 01/07/2011 - 10:56
      Enviado por: Jakob Ibrahim

      Olá, Jarbas. Desculpe, nem tinha lido seu comentário acima, no qual você citava o CADE, quando escrevi. Mas li -vi- a grita geral de consumidores e comerciantes, invocando o CADE, no caso da fusão Pão de Açucar/Carrefour. Claro que não acredito que o CADE possa fazer nada. É uma entidade técnica como, analogamente, é o Inmetro. E você se lembra do escândalo das bonecas chinesas contaminadas com chumbo, em 2007 (ou foi 2008?), todas tendo passado pelo crivo do Inmetro? Deu no que? Só me lembro do CADE funcional, quando eles acusaram as cimenteiras de formação de cartel. Na época, se não me engano, deu resultado. Mas sinceramente, no Brasil, exceto se você tiver muita, mas muita mídia em cima, nada acontece contra megaempresas ou maracatuais de grande porte. Só mesmo o 4o Poder tem a capacidade de colocar esses caras contra a parede. Mais nada…

      No mais, só dá pra gente se indignar ao ler o post do Guterman; e comentar sem se estressar demais. Porque não vale a pena. Esses caras mandam e desmandam MESMO, e as coisas só mudarão quando o país quebrar ou quando a educação for mais do que fábrica de diplomas.

      ***

      Valeu, Carolina!

      Abraço!

      responder este comentário denunciar abuso
    • 01/07/2011 - 14:32
      Enviado por: jarbas

      Olá, Jakob. Estranho o fato de o CADE não ter sido consultado pelo governo (ou pelo BNDE) antes de oferecer, afoito, tantos recursos para a operação.

      As resoluções do CADE, nosso órgão regulador da concorrência, tem tido consequências legais imediatas: o desfazimento da fusão entre a Garoto e a Nestlé suíça, a aprovação com restrições da fusão da Ambev, que teve de vender a Bavária, entre outros casos. Diferentemente do Inmetro, tem mostrado muito cacife, tomando decisões que afetaram interesses de grupos poderosos.

      Entendo porém, como não poderia deixar de ser, o seu ceticismo.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 01/07/2011 - 16:27
      Enviado por: Mario de Sampa

      Jakob, perfeito, vc complementou o que queria saber. Quanto a oposição nula, como vc aponta, somente uma crise internacional gigantesca ou quando o desenfreado individamento interno cobrar sua parte. Além das bolhas, coisa que realmente está em curso, tenho tb desconfiança que o Lulismo poderá “implodir”, afinal sem o gigante e “legionário” PMDB o atual governo não consegue governar. Sinto que o PMDB tem, depois de décadas, algum desejo contido de sair com candidato para a presidência. Quanto ao “resto” dos partidos, são oposições rachadas e dispersas, sem candidatos com carisma suficiente para ser síndico de prédio de periferia.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 30/06/2011 - 17:47
    Enviado por: drmfav

    Pô.
    Essa historinha de petista e tucano já deu, né!. Defensores de um lado e de outo inventando coisas para engrandecer o seu lado e ridicularizar o outro. Esse governinho é bem ruinzinho, principalmente em se tratando de contas públicas. Bom mesmo é em marketing, já que faz com que as pessoas acreditem nas insanidades que falam. Pelamordedeus – essa historinha de 3% que não apoia o Governo é uma sandice de dar dó. E os caras realmente acreditam no que estão dizendo! Lamentável!
    Não estou defendendo os tucanos, não! Para mim são todos podres! Nosso parlamento é um antro de corrupção e desmazelo. Nosso executivo só tem alma vendida para o diabo. O judiciário é horroroso (mas pelo menos esses aí estudaram para estarerm lá).
    Coitados daqueles que defendem ou um ou outro. Todos iludidos!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 30/06/2011 - 18:26
    Enviado por: Alexandre Magno

    Dima será reeleita em 2014. O PT permanecerá no poder por 20 anos. No mínimo. Os incomodados que se mudem. Esses 3% devem emigrar para algum país que se adeque aos seus valores. Como os Emirados Árabes, por exemplo. Ou quem sabe a Guiné Equatorial?

    responder este comentário denunciar abuso

    • 30/06/2011 - 18:40
      Enviado por: Marcos Guterman

      “Os incomodados que se mudem”? Uau.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 30/06/2011 - 20:30
      Enviado por: Mario de Sampa

      Posso optar por Canadá, sul da França, Itália, Suiça ou Reino Unido?…..

      responder este comentário denunciar abuso
    • 30/06/2011 - 23:51
      Enviado por: Marcelo-SP

      Um nome tão pomposo… E o pensamento tiquititinho, tiquititinho…

      responder este comentário denunciar abuso
    • 01/07/2011 - 00:04
      Enviado por: carlos 3m

      temos aqui alguem com saudades do ame-o-ou-deixe-o

      e depois dizem que a historia nao se repete. a estupidez humana eh a garantia de essa repeticao.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 01/07/2011 - 00:26
      Enviado por: carlos 3m

      alexandre, relendo seu texto, voce ate me fez lembrar dos “fiscais do sarney”. se voce nao foi um na epoca por nao ter a idade voce merecia ser um pelo menos. como o sarney ainda esta no puder, ainda pode pedir para ele te nomear.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 01/07/2011 - 07:17
      Enviado por: Marcos M

      Se houver incentivo econômico e, sobretudo, político… Eu topo, de preferência para um país onde tem coisa mais importante para fazer do que gastar dinheiro público com circo, palhaços (no picadeiro e nas arquibancadas) e jornalismo esportivo. Que educação e saneamento público sejam coisas resolvidas há no mínimo cinqüenta anos. Onde governar não significa dar dinheiro para parlamentar, para futebol, para shows, para ver ter o mínimo de govenabilidade.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 01/07/2011 - 09:02
      Enviado por: Carolina

      Alexandre, esse seu comentário só comprova como a dita esquerda pode ser tão totalitária quanto a direita, se bestializar tanto quanto… Lamentável.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 01/07/2011 - 10:07
      Enviado por: Rogério

      Nas eleições de 1989 eu votei no Lula por que meu pai falou que se o Lula ganhasse nós íriamos mudar para a Europa hehehehe

      responder este comentário denunciar abuso
    • 01/07/2011 - 12:00
      Enviado por: João Só

      E pur si muove.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 01/07/2011 - 16:16
      Enviado por: Mario de Sampa

      Carolina, então o totalitarismo de esquerda não é o “mocinho” o totalitarismo de direita “o bandido”?????

      responder este comentário denunciar abuso
    • 01/07/2011 - 17:39
      Enviado por: Cesar

      Este sujeitinho do Alexandre é um fanático. Parece estar em êxtase místico com o governo petista. És funcionário público mamando nas tetas? És um burocratinha de m. batendo carimbo? Tem todos os indícios.

      Bem se vê que o sujeitinho aí não sabe nada de democracia!
      Ele quer 100% aprovação. Nem Jesus cristo entre os cristãos tem esta cifra, ô meu!
      Ô belezinha!!! Pra que escrever então se a tua turminha tem esta aprovação toda?
      Eu me orgulho de pertencer aos 3%. O salto para o futuro foi dado por FHC.
      Lula perdeu a chance, com sua popularidade, de imprimir uma nova perspectiva moral e ética para o país. Mas ele não conseguia, pois é da mesma índole dos espoliadores do estado e, com sua personalidade de animador de auditório, manteve o país na lei de gerson.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 30/06/2011 - 19:07
    Enviado por: José Lima

    Assuntos como este é que deveriam ter dominado o temário da última campanha presidencial. Preferiu-se gastar a atenção do eleitorado com campanhas acirradas de “desconstrução de imagem”. A estas horas teríamos um pacto nacional mais bem identificado com a maneira de investir nas sedes da Copa do Mundo e das Olimpíadas. Dir-se-ia que a campanha eleitoral acabou sendo um fator de retardo desses preparativos. E na mesma linha de comportamento, agora ouvimos restrições mas continuam raras as menções quanto aos meios aceitáveis de atingir aqueles objetivos que, afinal, são mais nacionais do que de interesse empresarial.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 30/06/2011 - 21:20
    Enviado por: Juan Frijoles Habuchellas

    ” Dima será reeleita em 2014. O PT permanecerá no poder por 20 anos. No mínimo” Que perolaaaaaaaaaaaaa!

    responder este comentário denunciar abuso

    • 01/07/2011 - 00:03
      Enviado por: Mario de Sampa

      Juan, você esqueceu de mencionar “os incomodados que se mudem”…. seria plagio do famoso “Brasil, ame-o ou deixe-o” do tempo da ditadura?

      responder este comentário denunciar abuso
  • 30/06/2011 - 21:27
    Enviado por: otavio

    -enquanto estavamos falando de ofertas e preços baixos uma rede cobria as outras redes com dinheiro do contribuinte, que espécie de peixes queremos ser?
    é lamentável.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 01/07/2011 - 00:00
    Enviado por: CORREGEDOR

    Roberto Campos criticava Severo Gomes, chamando-o de “burguês socialista” ou de empresário “socialista”! O título cabe direitinho nesse padeiro. Não interessa a ele que o Brasil não tenha educação pública, ou que tenhamos somente 4% do total norteamericano de estradas pavimentadas, embora o território se equivala e por lá ferrovias cruzam do Atlântico ao Pacífico pra valer. O total alentado pelo BNDES, certamente com corretores petistas abocanhando algo ali ou lá, coisa similar a taxa de sucesso, nessa pendenga insana, seria o suficiente para resolver o problema da infra estrutura rodoviária de um estado como Minas Gerais.

    Entre os 150 mil funcionários ínjetados por Lula, para reparar o estado “sucateado por FHC” – desde que os serviços intentados pelo “apedeuta”, não seja educação ou saúde, onde bancamos bastante com a educação particular e os planos de saúde-, seus R$ 10 bilhões gastos em propaganda enganosa – R$ 3.500, milhões por dia!-, o dinheiro pro Friboi, o dinheiro pro Sílvio Santos, os perdões de dívidas de paísecos do terceiro mundo, etc., teríamos os R$ 50 bilhões para alavancar nossa infraestrutura.

    FHC “resolveu” nossa questão fiscal com um brutal aumento de carga tributária – de 25% para 37%, no período -, além do também brutal aumento nominal da arrecadação. Então conseguimos nossa moeda. Depois disso vamos fazer o quê?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 01/07/2011 - 09:46
    Enviado por: João Costa

    Pra não variar, outro bom post, Marcos. Como já disse Margareth Thatcher, o socialismo vai bem até que acabe o dinheiro dos outros. E isso já na década de 1980.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 01/07/2011 - 14:41
      Enviado por: carlos 3m

      joao, voce acertou em cheio. a pratica socialista de altofalante termina quando acaba o dinheiro dos outros porque ela nao gera.

      por exemplo, o abilio diniz eh um socialista de estado. pretende usar, com aval$ do governo, o nosso dinheiro no bndes para fazer negocio.

      por isso eu postei o link do friedman. eh de 79 e valido ate hoje e ate no futuro porque ele explicita que negocios como o do pao de acucar nao tem nada de capitalismo, mas de mafia economica.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 01/07/2011 - 16:13
      Enviado por: Mario de Sampa

      João Costa, a afirmação de Margareth Thatcher está corretissíma. O Socialismo é incapaz de gerar riquezas. Ou seja, esta história de “tirar dos ricos para dar aos pobres” funciona muito bem….. até que os ricos fiquem pobres tb….. kkkkkk

      responder este comentário denunciar abuso
  • 01/07/2011 - 14:18
    Enviado por: José Bispo dos Santos

    É sério! O Brasil só tem uma saída, A Monarquía parlamentarista. Depois de instalada, com o mínimo de ladröes possível, a amazonia sería vendida á um consorcio de países por 7 Trilhöes de Dolares, ficando o Brasil como sindico e com reservas de Biomédicas e minerais do sub solo e rios. É dinheiro pra causar inveja a qualquer plano Marshall.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 02/07/2011 - 22:42
    Enviado por: CORREGEDOR

    Sou direitista com prazer.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 04/07/2011 - 05:35
    Enviado por: orecique Tricolor Paulista

    Joäo Só esquerdista e comunista? Olha, a turma “viuvinhas” da URSS é muito incoerente. Eram contra os militares quando estes queriam povoar a amazônia em nome de “posse ativa”. Estäo no governo há 18 anos e neste periodo a amazônia caminhou célere para se transformar no Saara brasileiro. Desmatar e depredar Patrimonio Histórico é com comunista mesmo (vá dar um passeio pela Europa Oriental e na progressista e compare). Caso a quadrilha comunista perdure mais alguns anos no poder, o Brasil vira um deserto sem passado.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/07/2011 - 23:24
    Enviado por: Cristiano de Almeida Lima

    Caro Marcos,
    Creio que há um erro cronológico-pessoal na sua análise, que para mim é primoroso. Não é o lulismo o criador nem o amplificador desta relação promíscua entre o público e o privado no nosso desenvolvimento. Isto existe desde que o Brasil é Brasil. O compadrio de Estado sempre foi, ainda é e, pelo visto, sempre será o indutor deste país em que uns poucos se dão bem e o povão paga a conta.Isto atravessou a nossa história como uma doença crônica e cheia de estigma em que persiste mas ninguém tem coragem de falar abertamente seja o governante (da União, dos Estados e Municípios) de que partido ou grupo político faça parte. Não estou absolvendo Lula apenas mostrando que ele não o inventou, nem piorou. Seu erro com certeza foi não ter levantado um dedo (aliás talvez o que lhe falta) para mudar isto, apesar de promessas de campanha.
    E parabéns pelo ótimo blog.

    responder este comentário denunciar abuso

Deixe um comentário:

  • Quem Faz

    Quem Faz

    Marcos Guterman

    Marcos Guterman é jornalista profissional desde 1989. Trabalhou por 15 anos na Folha e desde 2006 está no Estadão, onde edita a Primeira Página. É historiador, com graduação e mestrado pela PUC-SP. Atualmente faz doutorado em História na USP, tendo o nazismo como tema de pesquisa. É autor do livro "O Futebol Explica o Brasil". Sua pátria é o Santos Futebol Clube.
    Contato: marcos.guterman@grupoestado.com.br

Arquivo

Seções

Diversão pura

Jornalismo

Meus blogs favoritos

Blogs do Estadão