ir para o conteúdo
 • 

Patrocinado por

03.fevereiro.2014 15:06:50

Para abrigar aliados, governo poderá politizar a pasta de Ciência e Tecnologia

Depois de dar posse hoje para quatro ministros, a presidente Dilma Rousseff abre a mais difícil parte da rodada de negociações em torno da reforma ministerial. Agora, é a hora de lidar com os partidos da base de apoio e tratar de arrumar uma fórmula que satisfaça a todos. O problema é justamente encontrar essa tal solução.

Apesar dos 39 ministérios existentes, o governo está quebrando a cabeça para atender todas as demandas. Precisa abrigar PTB e Pros e ainda melhorar a vida de PMDB e PSD, que já possuem postos dentro do primeiro escalão.

Por conta disso, o governo já estuda a repolitização da pasta de Ciência e Tecnologia, hoje comandada por Marco Antonio Raupp, que construiu sua trajetória dentro da área científica. Assim, o ministério iria para algum dos partidos da base aliada, ajudando Dilma a fechar sua reforma.

Se Dilma bater esse martelo, seria, na prática, um retorno ao que ocorreu desde o governo Lula até janeiro de 2012. A pasta foi cota do PSB de Eduardo Campos por muito tempo. Primeiro, o ministério foi ocupado por Roberto Amaral, depois pelo próprio Campos e, em seguida, por Sérgio Rezende. Quando o PSB migrou para Integração Nacional e Portos, o ministério foi para o PT, sendo ocupado por Aloizio Mercadante, que fazia sua estreia como ministro.

Em janeiro de 2012, Mercadante foi deslocado para a Educação e Raupp tirou a cor partidária da pasta. Agora, ela poderá receber novamente um político para seu comando.

 

 

Tags: , , , , , , , , , ,

Comentários (2) | comente

  • A + A -
2 Comentários Comente também

Deixe um comentário:

  • Quem Faz

    Quem Faz

    Marcelo de Moraes

    Marcelo de Moraes participa da cobertura de política e economia em Brasília desde 1993. Atualmente é o diretor da sucursal de O Estado de S.Paulo na capital, tendo trabalhado em outros importantes veículos de comunicação do País, como O Globo, Veja, Jornal do Brasil, Valor Econômico, Correio Braziliense, entre outros.

Comentários recentes

  • Aloysio Quintão Bello de Oliveira: Fica no Supremo, Joaquim Barbosa. E vote. Mesmo que seja vencido no voto,...
  • Fernando: O artigo somente se esquece de mencionar que durante a era lula, o cenario internacional foi infinitamente...
  • Jose Bonna: A única herança sólida deixada por esse senhor… foi um congresso comprado a base de proprina...
  • Cris Azevedo: Agora eu ri! ESTA é a herança de Lula, senhor! Demorou exatamente o tempo que tinha que demorar para...
  • az: Juro que estava meio sem animo, ao ler esta materia, e saber que foi o Lulla(collormalufsarneydirceu) que salvou...

Arquivos

Blogs do Estadão

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo