1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Quem Faz

MARCELO DE MORAES participa da cobertura de política e economia em Brasília desde 1993. Atualmente é o diretor da sucursal de O Estado de S.Paulo na capital, tendo trabalhado em outros importantes veículos de comunicação do País, como O Globo, Veja, Jornal do Brasil, Valor Econômico, Correio Braziliense, entre outros.
terça-feira 29/07/14

Temer liga para Skaf e avisa que “PMDB paulista estará com Dilma e comigo”

A campanha publicitária divulgada ontem por Paulo Skaf, candidato do PMDB ao governo paulista, rechaçando a possibilidade de apoio à presidente Dilma Rousseff em São Paulo, provocou grande mal estar no Palácio do Planalto e aborreceu bastante o vice-presidente Michel Temer. Presidente nacional do PMDB e padrinho da candidatura de Skaf ao governo, Temer ligou para Skaf assim que soube da campanha e avsou ao aliado. "O PMDB paulista estará com Dilma e comigo na campanha nacional". A enquadrada de Temer ...

Ler post
quarta-feira 23/07/14

TCU isenta Dilma de culpa e governo avalia que caso Pasadena perde peso eleitoral

O governo considerou uma importante vitória política a decisão do Tribunal de Contas da União (TCU) de isentar a presidente Dilma Rousseff da responsabilidade pelos supostos prejuízos causados pela compra pela Petrobrás da Refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos. Por ser ministra da Casa Civil, na época da negociação, Dilma era justamente a presidente do conselho quando metade da refinaria foi adquirida pela estatal, em 2006. Assim, existia o temor, dentro do Palácio do Planalto, que o TCU também a ...

Ler post
sexta-feira 18/07/14

Pesquisa mostra que rejeição a Dilma já chega a 43% no Sudeste e no Centro-Oeste

Duas regiões do País estão puxando para cima o elevado índice de rejeição da presidente Dilma Rousseff. Segundo pesquisa feita pelo Datafolha, Sudeste e Centro-Oeste pesam decisivamente para aumentar o número de pessoas que não estão dispostas a votar em hipótese alguma na candidata petista. se a rejeição total de Dilma indicada pelo Datafolha é de 35%, quando é levada em conta a opinião apenas dos entrevistados do Sudeste e do Centro-Oeste, esse total salta para 43%. Levantamento feito pelo mesmo ...

Ler post
quarta-feira 16/07/14

Pesquisa mostra aumento de apoio à Copa e grande decepção com seleção brasileira

Pesquisa de percepção feita pelo Ibope, comparando opiniões dadas antes do início da Copa do Mundo e dois dias depois da final do torneio, indica o aumento de apoio à realização e à organização do evento e uma enorme frustração com o desempenho da seleção brasileira. Provavelmente impactados pela goleada de 7 a 1 sofrida diante da Alemanha, nas semifinais, nada menos do que 78% dos entrevistados acharam que o time nacional teve um desempenho pior do que o esperado. Apenas 5% acharam que o Brasil foi melhor do que poderia.
O blog teve acesso exclusivo ao levantamento, encomendado pela Secretaria de Comunicação (Secom) da Presidência da República e feito por telefone, mostra o crescimento no número de pessoas favoráveis à realização da Copa no Brasil.
No dia 10 de junho, 54% dos entrevistados apoiavam a realização da Copa no País. No dia 15 de julho, dois dias depois de a Alemanha conquistar o tetracampeonato, esse indicador subiu para 66%, num crescimento de 12 pontos porcentuais. Os contrários caíram de 38% para 28%.
A organização do evento foi considerada como ótima ou boa por 47% dos ouvidos depois da Copa, subindo cinco pontos em relação ao levantamento feito antes de as partidas começarem. O número de quem considerava regular a organização passou de 33% para 25%. Curiosamente, embora a avaliação positiva da organização tenha chegado próximo à metade do total de pessoas escutadas, também cresceu a percepção de ruim ou péssimo para essa avaliação, que pulou de 21 para 27%.
A aprovação do evento, indicada por esse levantamento, representa uma boa notícia para o governo federal e para a presidente Dilma Rousseff. A maior dúvida gerada pela pesquisa, entretanto, se concentra no legado da Copa. Embora tenha melhorado em relação à sondagem feita antes do início do torneio, a maioria dos entrevistados ainda considera que o legado da Copa ainda trará mais prejuízos do que benefícios.
Em junho, apenas 32% acreditavam que o legado traria mais benefícios para o País. Mesmo depois do torneio, esse número baixou para 31%. Em junho, 60% apontavam que o legado traria mais prejuízos. O indicador baixou para 55%, mas permaneceu bastante elevado.
Pela pesquisa, a expectativa é que a Copa poderia trazer alguns benefícios específicos como geração de empregos, que, aparentemente, se frustraram. Em junho, 35% apostavam nesssa hipótese e esse número caiu para 19% após a Copa. Em compensação, o incentivo ao turismo foi constatado por mais gente ao fim do torneio, saltando de 23% para 35%. A mesma aconteceu – em índices menores – com o legado dos novos estádios e melhoria da infra-estrutura.

Ler post
segunda-feira 14/07/14

Candidatos querem atrair jogos do futebol olímpico para seus Estados em 2016

O sucesso das partidas da Copa do Mundo já faz com que candidatos aos governos reivindiquem que partidas do futebol das Olimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016, possam ser disputadas em seus Estados. Ao contrário da Copa, a Olimpíada tem uma sede fixa para a imensa maioria de suas competições. Mas algumas modalidades, como o futebol, são tratadas de forma diferente. Nos jogos de 2016, as partidas do futebol, masculino e feminino, serão realizadas em cinco cidades: Rio, São ...

Ler post
segunda-feira 30/06/14

Aliados de Dilma minimizam escolha de Aloysio e dizem ser plano B de Aécio

A opção feita pelo PSDB com a escolha do senador tucano Aloysio Nunes Ferreira (SP) para ocupar a vaga de vice presidente na chapa encabeçada pelo senador Aécio Neves foi vista com otimismo e alívio pelos aliados da presidente Dilma Rousseff. Para os governistas, Aécio sai mais fraco do processo porque tentou e não conseguiu atrair o nome que considerava ideal para compor a chapa com ele, que era o do ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles. Ex-tucano e presidente ...

Ler post
quarta-feira 25/06/14

Para governo, Petrobrás fez bom negócio com novas áreas do pré-sal

Apesar da reação negativa do mercado, o Palácio do Planalto avalia que a operação de conceder à Petrobrás, sem licitação, quatro novas áreas do pré-sal será extremamente lucrativa para empresa. O movimento garantiu a entrada de R$ 2 bilhões no caixa do governo, facilitando a vida do Tesouro Nacional para conseguir fechar as contas de 2014. Mas, segundo um importante ministro, a estatal terá grande vantagem recebendo as áreas de Búzios, Entorno de Iara, Florim e Nordeste de Tupi. Na avaliação ...

Ler post
segunda-feira 23/06/14

Alianças eleitorais viram um verdadeiro vale-tudo

Na reta final para a definição de todas as candidaturas pelo País afora, alianças e rompimentos inimagináveis estão sendo fechados pelos partidos políticos. Velhos adversários, considerados irreconciliáveis, se acertam e tradicionais parceiros se afastam. Tudo em nome de aumentar as possibilidades de vitórias nas eleições de outubro. Só essa necessidade explica, por exemplo, os acordos fechados no Rio de Janeiro. O PMDB local apóia oficialmente a reeleição da presidente Dilma Rousseff, mas já embarcou quase na sua totalidade na campanha do ...

Ler post
sexta-feira 02/05/14

Se oposição vencer, PSDB e PSB farão aliança dentro do Congresso para sustentar novo governo

O PSDB do senador Aécio Neves (MG) e o PSB do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos já têm um projeto para organizar uma base de sustentação política reunindo os dois partidos dentro do Congresso caso um dos dois candidatos consiga impedir a reeleição da presidente Dilma Rousseff. A ideia é juntar a bancada eleita por PSDB e PSB, agregar os parlamentares das legendas aliadas, como a Rede, de Marina Silva, DEM, Solidariedade e PPS, e formar com eles a espinha ...

Ler post