1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Para quem olham essas mulheres?

Luiz Carlos Merten

25 agosto 2014 | 09:51

O que é o cinema? Lá venho eu me fazer a velha pergunta. Pode muito bem ser Um Belo Domingo, o novo filme de Nicole Garcia, interpretado pelo filho dela, Pierre Rochefort. Havia visto um pedaço do filme para entrevistar Nicole, no Rio, quando veio para o Festival Varilux. Passei uma hora muito agradável com ela. Uma mulher inteligente, de uma beleza madura, que terminou me fazendo uma confissão inesperada – teve um flerte com Alain Resnais quando fizeram Meu Tio da América. Se tivesse permanecido sua musa – mas Sabine Azema instalou-se no posto -, ela talvez não tivesse virado diretora. Qual a origem do mal-estar que consome Baptiste? Belo como um Deus, esse homem permanece menino, sem consciência da própria força, como diz Louise Bourgoin a Pierre Rochefort. Formam uma dupla da qual não conseguia desgrudar o olho. O carinha guarda um segredo. Professor substituto, salta de lugar em lugar. Liga-se a essa mulher, que também parece ser uma andorinha. Ela tem um filho, Matias, que é aluno dele. Sandra (Louise) deve dinheiro e Baptiste volta à família, da qual se apartou, para ajudá-la. O velho acerto de contas. Nada é conclusivo. O cinema, dizia Nicholas Ray, é a melodia do olhar. O que você fez no fim de semana, pergunta a colega para Sandra? Ela trabalha num bar de praia. J’ai rencontré um mec. Eu encontrei um cara. O filme é o olhar de três mulheres sobre esse cara. Sandra, por certo, a mãe dele, interpretada por Dominique Sanda – e suas cenas jogam o filme bem alto -, e o olhar da mãe cineasta sobre o filho ator. Havia gostado de O Filho Preferido, em que Nicole Garcia bebeu na fonte de Rocco (Visconti), mas gostei mais ainda de Um Beau Dimanche. Retive algo que Nicole me disse sobre seu processo criativo. O tema nunca se impõe, para ela, porque se criasse personagens para contar tal história, ou refletir sobre tal tema, terminaria sendo demonstratitiva. O personagem surge e ela o segue, tentando descobrir por que está diante de sua câmera. Em 1986 – fui procurar a data -, há quase 30 anos, Nicole filmou pela primeira vez o filho, no curta 15 Août, 15 de Agosto. Fiquei emocionado com Um Belo Domingo.