Notícias de Tecnologia

Terça-feira, 21 de Outubro de 2014

17 de junho de 2014 14h51

‘YouTuber’ ganha US$ 4 milhões no ano falando de games

Sueco dono de canal bem-humorado de games já fez 1,8 mil vídeos que conquistaram 4,78 bilhões de visualizações

Por Murilo Roncolato

O canal de Felix Kjellberg tem 27 milhões de assinantes. FOTO: Reprodução

SÃO PAULO – Você conhece o PewDiePie? Trata-se do YouTuber (nome dado às pessoas que vivem de fazer vídeos no YouTube) mais popular do site de vídeos do Google. Graças ao sistema de monetização da plataforma – que faz um cálculo cruzando anúncios veiculados com visualizações dos vídeos e divide o resultado entre Google e autor –, o sueco Felix Kjellberg embolsa US$ 4 milhões por ano.

Mais importante que isso: Kjellberg faz todo esse dinheiro fazendo análises de jogos (os chamados “reviews”) bem-humoradas, entre algumas bizarrices. Tudo é feito diretamente de sua casa, com uma estrutura mínima e uma edição amadora. Segundo o VidStatsX, PewPewDie tem 1,8 mil de vídeos que geraram 4,78 bilhões de visualizações.

Segundo o Wall Street Journal, o sueco tem 27 milhões de seguidores que acompanham religiosamente suas publicações.

O sueco credita parte do sucesso ao contato que estabeleceu com seus fãs. “O que eu e outros YouTubers fazemos é uma coisa diferente, é algo como sair por aí e assistir seus amigos jogando videogame. Meus fãs se importam de um modo diferente sobre o que estão assistindo”, diz.

PewDiePie se diz um tanto incomodado com a proporção que seu canal ganhou. “E estou no centro do YouTube agora, e isso me coloca sob o holofote e levanta muitas questões, como ‘Por que o canal dele é tão grande?’, dizem. Eu preferiria ter algo em torno de 5 milhões de seguidores.”

O criador do jogo Goat Simulator, o sueco Anton Westbergh (Coffee Stain Studios), aprecia que o conterrâneo Kjellberg comentar sobre seu game, mesmo com entre outras coisas ele chame o jogo de “o jogo mais estúpido do mundo”. “Ter caras como o PewDiePie jogando nosso game tem sido um marketing tremendo”, disse Westbergh, que celebra o fato de sair tudo de forma gratuita.