Notícias de Tecnologia

Sexta-feira, 22 de Agosto de 2014

12 de abril de 2014 09h30

Spotify enfrenta dificuldades para estrear no País

Problemas com a forma de cobrança e atrasos na negociação com gravadoras fez empresa adiar lançamento no Brasil; nova previsão é lançar no dia 20 de maio

Por Redação Link

Usuários que se inscreveram já conseguem testar o Spotify no Brasil, mas estreia deve acontecer só em maio.
FOTO: Reprodução

Nayara Fraga
O Estado de S. Paulo 

Atualizada em 14/4/14

SÃO PAULO – O Spotify, serviço de streaming de música líder no mundo, parece ter enfrentado mais dificuldades que o esperado para estrear no Brasil. Atrasos na negociação com gravadoras e artistas brasileiros, problemas com o método de cobrança da plataforma, questões jurídicas e tributárias estão entre os entraves que impediram o lançamento no tempo previsto, segundo fontes do mercado. Por enquanto, a plataforma está disponível no País apenas para influenciadores e alguns usuários que já haviam tentado instalar o serviço.

Em junho de 2013, o plano da empresa era lançar o serviço em setembro, segundo fontes do mercado publicitário. Foi nessa época que a empresa começou a abordar uma série de agências em busca de anunciantes (a versão gratuita da plataforma inclui anúncios). Os planos mudaram depois para outubro e, na sequência, para o primeiro trimestre de 2014. Agora, segundo fontes, a nova data para o lançamento é 20 de maio.

“Eles tiveram problemas com a cobrança em real na plataforma”, diz uma pessoa com conhecimento do negócio do Spotify no Brasil. O Ministério da Justiça defende que lojas virtuais com atuação no País façam a cobrança em real, e não em dólar. O tema é polêmico. Por cobrar em dólar, a Apple foi notificada pela pasta no ano passado. Mas a empresa continua a usar a moeda americana.

Outra fonte afirma que o Spotify passou ainda por um “choque cultural”. As particularidades do País – que incluem não só as questões tributárias como leis muito diferentes – teriam deixado os gringos impacientes.

Além disso, até março, a empresa ainda não havia conseguido vender todas as cinco cotas de patrocínio disponíveis, avaliadas inicialmente em R$ 600 mil cada. Fiat e Heineken confirmam já ter fechado contrato com a empresa. A LG tem um acordo global com o Spotify, mas diz que o patrocínio local está em negociação. “Eles agora estão correndo para lançar antes da Copa do Mundo”, diz uma fonte que teve contato com a equipe do Spotify.

Os anunciantes que já fecharam a parceria com a plataforma estão sendo compreensivos com o atraso do Spotify, disse uma pessoa próxima a uma das marcas. “Esse não é um investimento para o qual você espera um retorno financeiro. O acordo que a gente tem com eles prevê visibilidade. Adiar a veiculação não vai interferir nisso.” Além disso, afirma a fonte, a venda de cotas de patrocínio para o período de lançamento consiste num processo lento, já que trata-se de uma plataforma que ainda vai nascer no Brasil. “É um processo no qual a marca pondera, pois tem que se dar ao luxo de errar.”

Enquanto isso, o Rdio, um dos principais concorrentes do Spotify com operação no País, afirma que sua base de usuários registrados cresceu mais que cinco vezes em 2013. O serviço foi lançado no Brasil em 2011, por meio de uma parceria com a operadora Oi, que depois foi desfeita. A empresa afirmou, sem dar muitos detalhes, que terá “novidades para o mercado brasileiro” em maio – mês em que o Spotify deve estrear. Será uma resposta à chegada, ao que tudo indica, pomposa do Spotify. Uma campanha publicitária com artistas e personalidades está prevista.

Procurado no Brasil e nos EUA, o Spotify não retornou o contato da reportagem.

ATUALIZAÇÃO: No dia 14 de abril, o Spotify retornou o contato da reportagem, dizendo que “não há nenhum tipo de problema para o lançamento no Brasil”. Em nota enviada pela assessoria de imprensa, o Spotify afirma que a empresa está apenas lançando o serviço gradualmente para garantir a melhor experiência aos usuários brasileiros. “O objetivo é tornar o Spotify no Brasil algo além de uma versão traduzida do Spotify norte-americano e, por isso, está levando mais tempo para garantir a melhor experiência possível para fãs de música”, diz a nota.