Notícias de Tecnologia

Sexta-feira, 28 de Novembro de 2014

23 de junho de 2014 11h02

SpaceX adia lançamento de foguete outra vez

Empresa cancelou lançamento marcado para sábado após problemas técnicos; uma nova data não foi remarcada

Por Agências

Novo lançamento ainda não foi remarcado; SpaceX foi criada por Elon Musk, fundador do PayPal. FOTO: DIVULGAÇÃO

CABO CANAVERAL – A Space Exploration Technologies, mais conhecida como SpaceX, adiou no sábado, 21, o planejado lançamento do seu foguete Falcon 9 com seis satélites de comunicação, depois da ocorrência de céu nublado em seu local de lançamento na Flórida, nos Estados Unidos.

A empresa privada tinha remarcado o lançamento para sábado após encontrar um problema técnico minutos antes de uma tentativa de lançamento na sexta-feira, 20, a partir da Estação da Força Aérea de Cabo Canaveral, na Flórida.

O foguete transportará seis pequenos satélites para a Orbcomm, fornecedora de dados e serviços de mensagens em todo o mundo. “A tentativa de hoje de lançamento da Orbcomm foi postergada pelo mau tempo. Estamos revendo as próximas oportunidades de lançamento disponíveis”, escreveu a SpaceX em seu site.

A SpaceX tinha 53 minutos para lançar o foguete, com início às 17h46 do horário local, para colocar os satélites da Orbcomm em suas órbitas designadas, a cerca de 800 quilômetros acima da Terra e com inclinação de 47 graus em relação à linha do equador.

O lançamento na sexta-feira havia sido cancelado depois que engenheiros detectaram leituras de pressão inesperadas na segunda fase do motor do foguete. A SpaceX não forneceu detalhes adicionais sobre o problema.

Para a tentativa de lançamento deste sábado, a empresa de veículos espaciais do bilionário Elon Musk, criador do PayPal e da Tesla Motors, havia cancelado a transmissão pela internet e não tinha fornecido nenhum comentário sobre a contagem regressiva do lançamento, um serviço público oferecido até mesmo para o lançamentos de satélites confidenciais do Departamento de Defesa. Uma nova data de lançamento ainda não foi definida.

/REUTERS