Notícias de Tecnologia

Quinta-feira, 27 de Novembro de 2014

26 de junho de 2014 18h26

Selos independentes pedem intervenção da UE em planos do YouTube

Serviço de streaming de música que o YouTube deve lançar até setembro oferece baixo pagamento e condições desfavoráveis a artistas indies como Adele e Arctic Monkeys

Por Agências

Contratada de um selo independente, a cantora Adele pode ser prejudicada com streaming do YouTube. FOTO: Reuters

BRUXELAS – A associação de gravadoras independentes Impala pediu aos reguladores antitruste da União Europeia que intervenham em uma briga travada com o YouTube, do Google. A batalha começou na semana passada, quando o Google revelou planos para um serviço de streaming de música do YouTube. De acordo com as independentes, as condições exigidas pelo Google eram anticompetitivas.

Atualmente o YouTube é uma empresa importante no mercado de streaming de música, ainda que de maneira não-explícita, e a criação de um serviço de streaming próprio poderia gerar mais receitas para a indústria musical. A previsão é que seja ele lançado até o final de setembro.

No entanto, a proposta foi alvo de críticas de algumas gravadoras, preocupadas com a possibilidade de o site bloquear conteúdo de alguns selos que não se inscreverem no novo serviço. Artistas como Adele e Arctic Monkeys, representados por selos independentes, podem ter problemas no novo serviço.

A associação Impala, que representa mais de 4 mil selos independentes na Europa, levou a reclamação à Comissão Europeia na quinta-feira. As autoridades da Comissão e o Google não comentaram imediatamente o assunto.

A Impala pediu também para que o regulador antitruste da União Europeia tome ações provisórias contra o YouTube, sob o argumento que a empresa “ameaçou remover conteúdo independente da sua plataforma ‘dentro de dias’, de acordo com informações da imprensa”.

/ REUTERS