Notícias de Tecnologia

Domingo, 23 de Novembro de 2014

09 de junho de 2014 21h18

Novas edições de games de sucesso marcam E3

Evento mais importante da indústria dos videogames começa hoje em Los Angeles, nos EUA, com continuações de jogos já conhecidos

Por Murilo Roncolato

Feito para Xbox One, Halo 5 foi um dos grandes títulos de games da Microsoft. FOTO: AP

SÃO PAULO – A Electronic Entertainment Expo (E3), a maior feira de games do mundo, começa oficialmente hoje em Los Angeles. Mas grandes novidades já foram anunciadas ontem em conferências privadas realizadas por grandes empresas do setor, como Microsoft – dona do videogame Xbox – Electronic Arts e Ubisoft.

“Se a E3 do ano passado foi a dos consoles, esta é a dos games.” A frase foi dita por mais de um dos comentaristas do tradicional evento, que acontece anualmente desde 1995. De fato, em 2013 o ambiente fervia pela rivalidade dos chamados consoles da quarta geração. De um lado a Sony e o seu novíssimo Playstation 4, do outro a Microsoft e o seu Xbox One. Em algum lugar entre os dois, a Nintendo e o seu Wii U. Os jogos foram um mero detalhe. Desta vez, não está sendo bem assim.

Investindo em continuações de games que já deram certo e apostando também em rostos novos, as companhias tiveram de se esforçar para apresentar tudo o que tinham dentro da uma hora reservada para as conferências.

A Microsoft começou com mais um título da franquia Call of Duty – o último título da série, Ghosts, gerou uma receita de US$ 1 bilhão em 24 horas de vendas à empresa. Call of Duty: Advanced Warfare, jogo de tiro em primeira pessoa com elementos futuristas, chegará em novembro. E, pela impressão causada, promete gerar bons frutos aos criadores.

Além de Call of Duty, Xbox encheu o peito para falar das continuações dos gigantes Halo (que chega à sua quinta edição ) e Assassin’s Creed (agora com a expansão Unity), previsto para outubro. Sobre o primeiro, distribuído pela própria Microsoft, a empresa não se preocupou em dar detalhes ou exibir uma prévia do novo número da sua franquia de combate espacial.

No caso do Assassin’s Creed, um sucesso de vendas da distribuidora e desenvolvedora Ubisoft, houve até demonstração ao vivo. O personagem principal, membro de um Ordem de Assasssinos, agora ganha aliados online (no caso do videogame da Microsoft, pela rede Xbox Live) para realizar suas missões em Paris durante a Revolução Francesa que, inevitável, acabarão em sangue. O jogo suporta até quatro jogadores simultâneos e será lançado em outubro.

O jogo de corrida Forza Horizon 2, além de The Witcher 3, Rise of the Tomb Raider, Crackdown 3 (atualizando um clássico), e Fable Legends também estiveram nas telas do evento em Los Angeles, nos Estados Unidos.

Tiro, porrada e futebol. Depois foi a vez da Electronic Arts (EA), dona de títulos famosos como The Sims, Fifa (um dos maiores títulos de futebol do mercado) e Battlefield (rival de Call of Duty, da Activision) mostrar a que veio. Cada um desses nomes, ganhou uma nova edição. The Sims 4 conta com maior poder de controle do jogador sobre os personagens; em Fifa 15, o emocional dos jogadores é afetado pelas vitórias e derrotas; e Battlefield Hardline levou o game de tiro para a cidade contemporânea.

Além dos grandes, a EA demonstrou ainda a expansão do seu jogo de fantasia Dragon Age Inquisition, e o estreante de luta EA Sports UFC, entre outros.

Responsável pelo novo Assassin’s Creed Unity (que conta com trilha da cantora neozeolandesa Lorde) e pelo recém-lançado Watch Dogs – apontado como o game mais esperado do ano –, a Ubisoft mostrou ainda continuações de títulos de sucesso da distribuidora como Far Cry 4 (previsto para novembro), Just Dance (outubro), e o novo The Crew (game de corrida a ser lançado até o fim deste ano no Brasil).

PlayStation.  Responsável pela última coletiva do dia, a Sony fez a mais longa conferência, apresentou muitos jogos e ainda sobrou tempo para anúncios na área de hardware e serviços.

Na área dos games, a Sony destacou Destiny, um game futurista de tiro (FPS) com missões que devem ser resolvidas em cooperação com outros players, os chamados strikes. O jogo é uma das maiores promessas do ano e, como disse a empresa, deve mexer as estruturas e remodelar a forma como se joga games em multiplayer. Destiny chega em setembro.

Far Cry 4 impressionou com as possibilidades do seu mundo aberto e Dead Island 2, apresentado ao lado de um trailer bem-humorado, continua a história de uma ilha atacada por zumbis.

Entre os pesos pesados, The Last of Us e GTA V, que chegam agora em versões remasterizadas para PlayStation 4; Metal Gear Solid: The Phantom Pain (sem data), Uncharted 4 (a ser lançado em 2015), Mortal Kombat X (2015) e Batman Arkham Knight (nada oficial, embora uma publicidade vazada aponte outubro deste ano).

A Sony apresentou ainda o infantil Little Big Planet, seguido dos sombrios Bloodborne (dos criadores de Dark Souls)e The Order, no qual o jogador deve, apenas, caçar lobisomens.

No quesito inovação, No Man’s Sky, apresentado já no ano passado, o game de mundo aberto inspirado em ficção científica terá planetas diversos e impõe que nenhum jogador terá a mesma experiência que outro. O gamer pode explorar o fundo do oceano ou travar batalhas espaciais. O game chega para PS4, mas sem data de lançamento ainda.

TV e óculos. Falando em aparelhos, a Sony levou o seu Project Morpheus, o óculos de realidade virtual (algo na linha do Oculus Rift, comprado pelo Facebook por US$ 2 bilhões), e citou jogos que os fãs de plantão poderiam testar no estande da empresa a partir desta terça, como EVE Valkyrie e Jurassic Encounter.

Outra novidade da Sony é a Playstation TV, que não se resumirá mais apenas ao mercado japonês, chegando também nos Estados Unidos, Canadá e Europa no terceiro trimestre deste ano. O aparelho, um set-top box clássico, quando ligado à TV permite que se tenha acesso a conteúdos como séries e filmes por meio da Playstation Store, além de jogos de PlayStation 1 e PSP. O aparelho chega por US$ 99 (algo próximo de R$ 220). Para jogar, serão necessários controles DualShock 3 ou 4, que custam de US$ 40 a US$ 60.

PlayStation TV custará US$ 99 nos EUA. FOTO: Efe

A Sony anunciou também o seu serviço de streaming de jogos, chamado PlayStation Now (semelhante aos serviços de locação de filme, como o iTunes). Em versão beta, o PS Now (disponível para PS3, PS4, TVs Bravia e PS Vita) chegará a usuários dos Estados Unidos e Canadá até o dia 31 de julho por meio de convites para testar a plataforma. Informações sobre Brasil não foram reveladas pela companhia.

Como novidades menores, a Sony anunciou ainda a entrada de 25 games “free to play” (gratuitos para jogar) na plataforma do PlayStation 4, como Planetside 2 e Guns Up. Além disso, o aplicativo de YouTube estará disponível para PS4 até o fim do ano.