Notícias de Tecnologia

Domingo, 21 de Setembro de 2014

28 de maio de 2014 21h08

LinkedIn se torna a segunda maior rede social do Brasil

Brasil representa 40% da audiência de toda a América Latina; tempo gasto em redes sociais é mais do que o dobro da média mundial

Por Murilo Roncolato

SÃO PAULO – Até a medição da Comscore no ano passado, o Brasil seguia uma ordem em termos de presença em redes sociais: Facebook ganhando disparado, seguido timidamente pelo Twitter. Esse quadro mudou, mas apenas para o segundo colocado, superado pelo LinkedIn.

O extenso estudo da empresa de pesquisa mostra o Facebook com 97,8% do tempo de redes sociais dos brasileiros entre 2013 e 2014. Não se tratam apenas de presença, a interação e as curtidas em páginas também.

O LinkedIn, rede social voltada para interações profissionais, é dono agora de 11,8 mi de usuários únicos. O Twitter ficou pouco para trás, com 11,3 milhões. Tumblr e Orkut também aparecem na lista. O Instagram é exibido como destaque por ter exibido números pesados de aumento de interação para marcas.

Além dos dados sobre redes sociais, o estudo reafirmou a relevância do Brasil em termos de audiência na América Latina e em comparação com o restante do mundo.

Separamos os melhores insights da pesquisa (na íntegra):

Principais insights

Brasil é o 5º em audiência (68,1 milhões de usuários únicos, um aumento de 11% em relação ao ano passado). Atrás de China (354,6), EUA (194,7), Índia (80,1) e Japão (73%).

Quando o assunto é minutos gastos online, o Brasil chega em terceiro (foram o equivalente a 241 anos de internet apenas em 2014), atrás de China e EUA.

Em termos de tempo gasto, a parcela de jovens (15 a 24 anos; 25 a 34 anos) que acessam no Brasil (29,3% e 29,2%) é maior do que Europa (20,3% e 23,4%), América do Norte (20,8% e 17,6%) e a média mundial (26% e 26,3%) – consequentemente é a menor na faixa de pessoas com mais de 55 anos, com 6,9%, menor inclusive que a faixa de 6 a 14 anos.

O Brasil responde por 40% da audiência de toda a América Latina (68,1 mi), quase o triplo do segundo colocado, o México (24,8 mi) e quatro vezes maior do que o terceiro, a Argentina (17,9 mi). A lista segue com Colombia, Venezuela, Chile e Peru.

No Brasil, por tempo de acesso, a região Sudeste lidera com 53% (aumento de 10%), seguido da região Sul (17%, com aumento de 10%), Nordeste (16,5%, aumento de 17%), Centro-oeste (8,2%, alta de 11%) e Norte (5,2%, alta de 9%). Rio Grande do Sul foi o Estado que apresentou o maior crescimento.

Brasileiros passam praticamente o dobro do tempo online em redes sociais (aumento de 6%) do que em páginas web diversas. Além disso, medindo em minutos, o brasileiro passa mais do que o dobro do tempo nas redes sociais do que a média mundial. Só no Facebook, o Brasil supera o tempo que Argentina e México passam online em qualquer atividade.

Redes sociais

O Facebook é a maior rede brasileira, com 97,8% da audiência. Nela, o número de fãs em páginas cresceu 148% em um ano e o de interações em páginas subiu 26%.

O segundo lugar,ineditamente neste ano é do LinkedIn (11,8 mi de usuários únicos), substituindo o Twitter (11,3 mi). Atrás deles, o Tumblr (7,9 mi), Ask.fm (5 mi, dono do público mais jovem das redes) e o imortal Orkut (4,8 mi). O Instagram exibiu um crescimento de 900% em interação com marcas desde janeiro de 2013.

Páginas populares

No ranking dos domínios mais acessados, o Google e seus derivados estão em primeiro (74,5 mi usuários únicos), seguido do Facebook (66,4 mi), UOL (54 mi), e sites da Microsoft (52,9 mi).

Entre os endereços que mostraram maior crescimento em um ano, estão bancos (Bradesco, Caixa e Santander), sites de comércio eletrônico (BomNegócio, Aliexpress, Netshoes, RicardoEletro, Centauro), de viagem (VoeGol), serviços (Baidu e Guiamais), além do site do Ministério da Fazenda e dos Correios.

Alcance

Os posts de blogs no Brasil são os com o segundo maior alcance do mundo, atrás apenas do Japão, e à frente de Taiwan, Indonesia, Uruguai e Espanha.

Durante os protestos de junho (comparado ao mês de março) a audiência sobre assuntos relacionado a política cresceram 42%.

Varejo

Varejo online é liderado por Mercado Livre (23,8 mi), seguida de B2W (19,6 mi), Buscapé (14,9 mi), Nova Pontocom (13,9 mi), Wal-Mart (11 mi), Netshoes (11 mi) e Alibaba (9,3 mi). A Amazon, que chegou no Brasil com venda de livros em 2012, está na 15ª posição.

Plataformas

Comparando com os Estados Unidos, no Brasil o acesso por computador é maior (88,1% contra 78,3%). Por aqui, o acesso por celular representa 9,3% (contra 14,%) e tablet 2,5% (6,7%).

Entre os dispositivos móveis, o Brasil fica bem atrás no uso de dispositivos da Apple e o seu iOS (14,5% contra 41%). Por aqui, o Android representa 71,7% (contra 53,6% dos EUA) e Windows Phone 5% (contra 1,7%).

Publicidade

O Facebook é a plataforma líder (com folga) de circulação de publicidade na internet brasil 583 milhões). Os maiores anunciantes são os sites de e-commerce Netshoes e Dafiti, seguidos da Netflix.

Copa

Na América Latina é onde se observa a maior presença de interesse online pela Copa do Mundo. Atrás da região, com metade da procura, estão África/Oriente Média, América do Norte e Europa.

Páginas e serviços da categoria de viagem tiveram um aumento brusco entre fevereiro e março deste ano.

Patrocinadoras do Mundial, como Nike e McDonald’s, tiveram um aumento de engajamento de usuários de 16% em um ano (tweets tiveram um aumento de 200% desde novembro), e de números de fãs de 52%.