Notícias de Tecnologia

Sábado, 22 de Novembro de 2014

13 de junho de 2014 15h19

LinkedIn deverá ser processado por acessar endereços de email

Rede social de negócios teria invadido contas do correio eletrônico de seus usuários para enviar convites aos seus contatos de email

Por Agências

FOTO: Reprodução

NOVA YORK – Um juiz federal dos Estados Unidos disse que o LinkedIn deve enfrentar um processo judicial por parte de clientes que afirmaram que o serviço violou sua privacidade ao acessar suas contas de email externas, baixando os endereços dos seus contatos e buscando negócios a partir desses contatos.

A juíza distrital Lucy Koh, em San José, Califórnia, descobriu que apesar dos clientes permitirem ao LinkedIn enviar um “email de endosso” inicial para recrutar contatos, eles não concordaram em deixá-lo enviar dois emails de lembrete quando o email inicial é ignorado.

Essa prática “poderia ferir a reputação dos usuários, permitindo que os contatos pensem que os usuários são pessoas que enviam spam a seus contatos ou são incapazes de entender a dica de que seus contatos não querem se juntar à rede LinkedIn”, escreveu Koh em 39 páginas da decisão divulgada na quinta-feira.

Koh disse que os clientes podem apresentar queixa de que o LinkedIn violou o direito de publicidade, que os protege contra uso não autorizado de seus nomes para fins comerciais, e violaram uma lei de concorrência desleal da Califórnia.

Ela descartou outras reivindicações, incluindo a alegação de que o LinkedIn violou uma lei de escuta federal, e disse que os clientes podem apresentar uma ação judicial reformulada.

O LinkedIn não respondeu imediatamente na sexta-feira aos pedidos por comentários. A empresa de Mountain View, Califórnia, tinha cerca de 300 milhões de usuários no final de março.

/ REUTERS