Notícias de Tecnologia

Sábado, 20 de Setembro de 2014

28 de agosto de 2014 17h48

IFTTT recebe investimento de US$ 30 milhões e mira na internet das coisas

App que conecta serviços e aplicativos da web e automatiza funções dessas plataformas deve lançar também um serviço premium

Por Ligia Aguilhar

App conecta serviços e app do smartphone e automatiza funções. FOTO: Shiva Kilaru/IFTTT

SÃO PAULO – O aplicativo IFTTT (acrônimo de “If this, than that”, que significa “se isto, então aquilo”) anunciou nesta quinta-feira, 28, ter recebido uma rodada de investimento de US$ 30 milhões dos fundos Norwest Venture Partners e Andreessen Horowitz.

O IFTTT é um aplicativo criado para servir como ponte entre vários serviços e aplicativos espalhados pela internet. O usuário pode criar diferentes “receitas”, como gostam de dizer os criadores do aplicativo, para automatizar diferentes funções do smartphone.

Dá para configurar o agregador de notícias para enviar um e-mail com a URL de uma matéria cada vez que você clicar no botão salvar em um texto. Ou conectar o Instagram a um serviço de armazenamento na nuvem e determinar que cada vez que você publicar uma foto no Instagram uma cópia seja imediatamente enviada para uma pasta no serviço de armazenamento.

A lista de serviços e apps que já permitem integração com o IFTT é extensa. Inclui Gmail, Google Drive, Dropbox, Instagram, Feedly, Pocket, Instapaper, Facebook, Evernote, OneNote, Linkedin, Fotos do iOS, entre outros.

Agora o IFTTT quer mais do que isso. Em entrevista ao TechCrunch, Linden Tibbets, cofundador da plataforma, disse que o plano de longo prazo do IFTTT mira o mercado a ser criado pela internet das coisas (quando todos os objetos estarão conectados à internet de alguma forma).

A ideia é que em um futuro não muito distante, o IFTT possa ser usado, por exemplo, para programar as lâmpadas “inteligentes” de uma casa para acenderem e a cafeteira conectada para começar a preparar o café automaticamente todos os dias às 6 da manhã.

No curto prazo a empresa deve começar a gerar receita com a venda de contas premium que vão permitir, entre outras contas, utilizar múltiplas contas do Twitter ou Instagram no serviço.

O IFTTT existe desde 2010 e já havia recebido uma outra rodada de investimento de US$ 39 milhões.