Notícias de Tecnologia

Quarta-feira, 01 de Outubro de 2014

12 de junho de 2014 00h01

Google traz criadores dos ‘doodles’ para Copa; veja vídeo

Empresa monta estúdio em sua sede em São Paulo para produzir ilustrações sobre o Mundial em tempo real

Por Camilo Rocha

Equipe de criação dos ‘doodles’ do Google, em São Paulo. FOTO: Divulgação

SÃO PAULO – Para marcar presença na Copa do Mundo, o Google ‘importou’ um estúdio de criação de sua sede da Califórnia para criar ‘doodles’ especialmente pensados para o evento. Os ‘doodles’ são desenhos temáticos que a empresa exibe em sua página inicial de buscas em ocasiões como aniversários de personalidades, acontecimentos ou datas especiais.

Em uma sala na sede do prédio do Google na zona sul de São Paulo, um estúdio provisório foi montado e inteiramente decorado com temas brasileiros e futebolísticos. São livros com paisagens do Brasil, quadros com jogadores e uma camisa da seleção, além de uma pequena vitrola onde só rodam vinis de música brasileira.

“Queremos celebrar aspectos da Copa do Mundo em que as pessoas se juntam empolgadas,” explica Ryan Germick, que chefia a equipe dos “doodles” na matriz. “Mas não apenas os jogos, também o fenômeno cultural que é a Copa do Mundo.” É a primeira vez que a equipe dos “doodles” sai dos Estados Unidos para trabalhar em outro país, o que indica a importância do evento para o posicionamento do Google no Brasil.

A produção será intensa, em um ritmo muito maior que o normal. Os “doodles” normalmente levam semanas para serem criados. Para a Copa, a ideia é realizar um ou mais por dia, ao sabor dos eventos. “Se várias coisas acontecerem, não teremos problema em fazer vários ao longo dos acontecimentos”, explica Germick.

O primeiro dia do Mundial já contará com uma ilustração especial unindo elementos das paisagens de cidades-sede da Copa, como o Elevador Lacerda, em Salvador, e o Museu de Arte de São Paulo (Masp), em São Paulo.

Outra novidade do projeto é que pela primeira vez o processo de criação estará aberto a contribuições do público, através de redes sociais como Google Plus, Facebook e Twitter.

“Esperamos que coisas que estejam acontecendo ou bombando nas redes sociais nos influenciem”, diz Matthew Cruickshank, artista e designer da equipe. “Um aspecto do trabalho é fazer parte desse diálogo com centenas de milhões de usuários e ver como reagem ao nosso trabalho”, complementa Germick.

Em uma das paredes do estúdio, três grandes telas servem de bússola para os artistas do Google. Na primeira, está a página Google Trends, termômetro de termos mais procurados. Ao lado, outra tela mostra as redes sociais, enquanto um terceiro display passa o noticiário.

Nas redes

As empresas de tecnologia têm procurado associar sua imagem à Copa do Mundo, realizando ações para aumentar o engajamento de usuários. O Twitter divulgou um guia de “como seguir a Copa” em seu site, com sugestões de perfis e hashtags (marcadores de assuntos) para serem seguidas. De acordo com a empresa, dez dias antes do início do Mundial já havia mais tweets relacionados ao evento do que durante toda a Copa de 2010.

Já o Facebook criou uma linha do tempo específica, com posts coletados automaticamente por seu algoritmo de publicações sobre assuntos como gols, partidas e histórias relacionados ao Mundial.

O primeiro “doodle” do Google apareceu em 1998, quando os fundadores Larry Page e Sergey Brin modificaram o logo da empresa para indicar que estavam fora do escritório para ir ao festival Burning Man. Os doodles também já foram motivo de questionamento por feministas, que revelaram que 62% das personalidades homenageadas pela empresa eram homens brancos.

Veja no vídeo abaixo o estúdio criado pelo Google em São Paulo para receber a equipe dos “doodles”