Notícias de Tecnologia

Quarta-feira, 17 de Setembro de 2014

26 de maio de 2014 21h17

Apple deve anunciar sistema para casas

iPhone poderá ser usado para controlar luzes e eletrodomésticos, afirma o ‘FT’

Por Camilo Rocha

SÃO PAULO – O rumor de que a Apple está prestes a fazer um anúncio importante em sua conferência de desenvolvedores em São Francisco, no dia 2 de junho, tomou contornos mais definidos ontem. Segundo reportagem do Financial Times, a empresa trará novidades na área da chamada “internet das coisas”, que tem como um de seus principais segmentos utensílios para a casa como geladeira e alarmes com conexão à internet.

Citando “fontes familiarizadas com o assunto”, o jornal britânico disse que a fabricante deverá apresentar na Worldwide Developer Conference uma plataforma que possibilitará a transformação do iPhone em um controle remoto para “luzes, sistemas de segurança e outros utensílios domésticos”.

Com isso, a empresa finalmente ingressaria uma área em que concorrentes como Google e Samsung já avançam.

A gigante de buscas rotineiramente divulga seus testes com carros conectados sem motorista e recentemente anunciou a compra por US$ 3,2 bilhões da Nest Labs, companhia que faz detetores de fumaça e termostatos “inteligentes”. Já o grupo coreano famoso por seus smartphones já apresentou produtos conectados como geladeira e máquina de lavar.

Lar conectado

O jornal especulou que o sistema da Apple ajudará a tornar realidade o conceito futurístico da “casa inteligente”, pelo qual luzes acendem assim que o usuário entra pela porta, “avisadas” via Wi-Fi por um sinal do iPhone. A Apple descreveu um sistema assim em uma patente que solicitou em novembro do ano passado.

Segundo o jornal, o sistema da casa conectada será mais um incentivo para consumidores comprarem aparelhos da família do sistema operacional móvel da empresa, o iOS, entre eles o iPhone, o iPad e a Apple TV. O FT afirmou que uma versão melhorada deste último produto deve ser lançada mais no fim do ano e deverá ter capacidade para controlar outros eletrodomésticos, além da televisão.

A reportagem diz que a criadora do iPhone está conversando com outros fabricantes para realizar um esquema de certificação de compatibilidade entre seus produtos e o novo sistema. A ideia é ter algo similar ao “Made for iPhone” (“feito para iPhone”) que é usado atualmente em fones de ouvido, alto-falantes e outros acessórios, mas com nova marca e logotipo.

As lojas da Apple nos Estados Unidos já vendem diversos produtos inteligentes para a casa, incluindo termostatos da Nest, câmeras wireless da Dropcam e lâmpadas Philips Hue, que mudam de cor conforme comando no celular. Na Apple Store brasileira, a Philips Hue é o único produto disponível em uma nova seção chamada “Lar Conectado” e custa R$ 269 a unidade e R$ 1.299 em um conjunto com três peças e base.

O texto do Financial Times cita ainda uma fonte que diz que a Apple deve enfatizar a proteção à privacidade do novo sistema, uma das áreas mais controversas da “internet das coisas”, já que coloca dados de usuários em ainda mais locais online.

A empresa considera que leva vantagem sobre o Google nesse quesito, já que a empresa de buscas tem como principal fonte de receita a publicidade direcionada – o que obriga a gigante de buscas a coletar dados dos clientes. A Apple não quis comentar as especulações.