Notícias de Tecnologia

Sábado, 25 de Outubro de 2014

20 de junho de 2014 16h54

App de mensagens de uma palavra só, Yo vira hit

Lançado em abril, Yo já recebeu US$ 1,2 milhão em investimentos e teve falha de segurança descoberta

Por Bruno Capelas

App faz comunicação com apenas uma palavra: Yo. FOTO: Reprodução

SÃO PAULO – Na semana que o Facebook lançou um rival à altura para o Snapchat, o Slingshot, capaz de mandar fotos e vídeos através de mensagens instantâneas, um aplicativo que tem como base apenas uma palavra foi quem roubou a cena no mundo da tecnologia.

O Yo, lançado em abril e disponível para iOS e Android, deixa que você mande mensagens para seus contatos com apenas uma palavra (ou várias vezes a mesma palavra repetida): “Yo”, uma variação menos careta para o “hi” ou “hello” da língua inglesa. O destinatário recebe ao mesmo tempo uma mensagem de texto e uma de áudio, dizendo… “Yo”. Além do “yo” simples, é possível fazer uma combinação de botões, mandando mensagens como “Yoyo!” ou “Yoyoyo!”. E nada mais que isso.

Em sua base de dados para desenvolvedores, o aplicativo revela planos para ser utilizado por empresas. “Um time de futebol pode mandar um Yo para seus torcedores quando fizer um gol, e um blog pode avisar seus leitores de um post novo com um Yo”, diz o site da empresa. Além disso, existe já um usuário chamado WORLDCUP (todos os usuários do serviço tem seu nome em maiúsculas), que avisa quem adicioná-lo como contato sobre cada gol da Copa do Mundo. (Ao menos dá pra correr pra TV e pegar o replay).

Criado por Or Arbel, ex-desenvolvedor do Mobli (um app de compartilhamento de fotos rival do Instagram), o app foi criado com a intenção de fazer “um aplicativo com um botão para chamar a atenção de uma pessoa sem precisar digitar uma mensagem ou fazer uma ligação”. Na segunda-feira, 17, o aplicativo tinha mais de 50 mil usuários e já havia transmitido mais de 4 milhões de “Yos” – 2 milhões deles, no último mês. Sim. Tudo isso. Quer mais?

De acordo com o Financial Times, o aplicativo recebeu US$ 1,2 milhão para continuar crescendo de um grupo de investidores-anjo. Moshe Hogeg, o CEO do Mobli, liderou a rodada de investimentos com US$ 200 mil. Questionado pelo Valleywag, site especializado nas empresas do Vale do Silício, sobre por que investiu tão alto, ele respondeu: “Por que não? Olhe para os números! É insano, é viral e o engajamento das pessoas é inacreditável”, disse.

Yo teve falha de segurança descoberta na manhã dessa sexta-feira. FOTO: Reprodução

Bolha e falha
Para alguns analistas do Vale do Silício, o investimento recebido pelo Yo e o “hype” é apenas mais um sinal de que se vive uma bolha econômica na área de tecnologia, com empresas novatas valendo bilhões de dólares. Vale lembrar dos US$ 19 bilhões que o Facebook pagou pelo WhatsApp, e dos US$ 18 bilhões que vale o Uber, aplicativo de compartilhamento de carros cujo valor já é maior que o de locadoras de carro como a Hertz e a Avis, ou a tradicional fabricante de motos Harley Davidson.

Apesar dos holofotes, o aplicativo ainda tem muito o que melhorar. Na manhã dessa sexta-feira,20, três estudantes universitários hackearam o aplicativo, conforme divulgou o TechCrunch. “Nós conseguimos encontrar o número de telefone de qualquer usuário do Yo, e mandar quantos Yos nós quisermos”, diz o texto. Além disso, um vídeo apareceu no Vine de um usuário que conseguiu substituir o som do “yo” por “Never Gonna Give You Up”, clássico dos anos 80 do cantor Rick Astley que virou meme na internet há alguns anos.

Em resposta ao TechCrunch, Arbel disse que o Yo estava tendo problemas com sua segurança. “Estamos trabalhando para corrigir os problemas. É uma falha séria”, prometendo que tudo deve ser resolvido em breve.