Notícias de Tecnologia

Sexta-feira, 22 de Agosto de 2014

20 de junho de 2014 18h49

Android e Windows Phone terão comando para desativar celular após roubo

Google e Microsoft seguem tendência da Apple; 'botão da morte' deixaria smartphones sem funcionar após furto

Por Bruno Capelas

Nos EUA, roubo de smartphones causa prejuízo de US$ 2,6 bilhões aos consumidores americanos.  FOTO: Reuters

SÃO PAULO – O roubo de smartphones tem tudo para se tornar uma prática antiquada e cada vez menos atraente para os criminosos.

Isso porque o Google, desenvolvedor do Android, e a Microsoft, desenvolvedora do Windows Phone, declararam na quinta-feira que os celulares que utilizam seus sistemas – fabricados por marcas como Samsung, Nokia e Motorola – começarão a ter um botão da morte, que pode desativar o funcionamento dos smartphones caso eles sejam roubados. Ambas as empresas confirmaram que o botão da morte estará presente nas próximas versões de seus sistemas operacionais.

A medida tenta reduzir o número de crimes envolvendo o roubo de celulares em todo o mundo – e especialmente nos EUA, onde um em cada três roubos tem um smartphone como alvo. Além disso, de acordo com um estudo conduzido pela Universidade de Creighton, o roubo de smartphones causa um prejuízo de US$ 2,5 bilhões aos consumidores dos EUA por ano. Recentemente, o estado de Minnesota aprovou uma lei exigindo que todos os celulares vendidos em seu território deveriam ter um botão da morte.

Saiba mais: 5 dicas para proteger seu celular de ladrões
IGotYa!, Pega Ladrão, iLost Finder, GadgetTrak e Prey são alguns exemplos

Em breve, cidades como Nova York, São Francisco e Londres devem seguir o mesmo caminho, seguindo dados que mostram que um botão da morte torna os celulares um alvo menos propício para ladrões – com os celulares podendo ser desativados à distância, eles não poderiam ser revendidos no mercado negro, e perderiam seu valor no mundo do crime.

Vale dizer que a Apple já tem um sistema desse tipo desde setembro – o Activation Lock. De acordo com dados da polícia de São Francisco, após a adoção do botão da morte, o roubo de iPhones caiu 38%. Em Londres, a queda foi de 24%, e em Nova York, 19%. Em meados de abril deste ano, empresas como Apple, Google, Motorola, Microsoft, Nokia, Samsung, entre diversas operadoras, assinaram um termo de compromisso para aumentar os sistemas de proteção, localização e exclusão de conteúdo remoto de celulares.

Clique para ampliar

Programas Enquanto o “botão da morte” não chega, os usuários de Android podem tentar deixar seus dispositivos mais seguros com a utilização de programas capazes de rastrear seu smartphone com o Android Device Manager (Gerenciador de Dispositivos Android). Através do programa, é possível bloquear o celular remotamente (mas não desativá-lo) e apagar os dados contidos nele.