1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Quem Faz

JULIA DUAILIBI é jornalista, trabalhou nas redações de Veja, Folha de S. Paulo e Estadão, em Brasília e em São Paulo.
quarta-feira 27/02/13

Aécio ‘pé de valsa’ e a busca por um marqueteiro

O senador Aécio Neves (MG) e a direção do PSDB estão à procura de um marqueteiro para comandar a campanha do mineiro. A ideia é que o profissional comece a trabalhar para o partido ainda neste ano. A estreia seria na produção das 40 inserções de 30 segundos e do programa nacional de dez minutos, a que o PSDB tem direito, em cadeia nacional de rádio e televisão, entre os dias 23 e 1º de junho. Além da área de ...

Ler post
terça-feira 26/02/13

Lua Branca, Mood e Propeg farão publicidade do governo de SP

A Lua Branca, ligada aos marqueteiros que fizeram a campanha dos tucanos Geraldo Alckmin e José Serra, a Mood e a Propeg serão as agências que atenderão a conta do governo do Estado de São Paulo neste semestre, com possibilidade de prorrogação por mais sessenta meses. As três venceram a licitação iniciada no final do ano passado e anunciada no sábado no Diário Oficial. A gestão Alckmin pretende pagar R$ 90 milhões, por semestre, pelo atendimento publicitário das agências.

Ler post
segunda-feira 25/02/13

House of Cards

Saiu hoje no Caderno 2 um texto meu sobre o seriado americano House of Cards, que está disponível para assinantes no Netflix. Trata-se de uma nova série que retrata os bastidores da política em Washington e que tem Kevin Spacey como protagonista.Tenho algumas críticas ao seriado, mas acho que vale a pena assistir, principalmente quem gosta de política.  

O malvado e os bananas
House of Cards peca ao pintar cenário da política americana de forma ingênua net1.JPG Ler post
sábado 23/02/13

‘Se fosse para não ter risco, entrava num partido existente’

neca

A socióloga Neca Setubal, integrante da Rede, partido criado pela ex-senadora e ex-ministra Marina Silva, admite que o projeto tem uma “dose de utopia”. “Se não tiver, você não muda, faz sempre a mesma coisa.”

Neste domingo, o Estado fez uma reportagem mostrando o perfil dos colaboradores partido de Marina. O texto mostrava que há desde estudantes a grandes empresários, como Roberto Klabin e Guilherme Leal, que contribuem com a formação da Rede, mas, segundo os fundadores do novo partido, não são financiadores do projeto.

Entre os fundadores, também está Neca Setubal, para quem o partido é uma “aposta”. “Estamos apostando. Pode ser inviável fazer de outra forma. Mas, para mim, uma das grandes contribuições será mostrar que é possível fazer de uma outra forma. Será uma grande referência, independentemente de ganhar ou perder a eleição”, disse.

Leia abaixo trechos da entrevista.

Por que a sra. resolveu entrar no projeto de fundar um novo partido?

Na campanha de 2010, eu me envolvi bastante também. Estava super envolvida, publicamente envolvida. Realmente, a primeira vez foi em 2010, mas o meu envolvimento é porque eu acredito nesta proposta, acho que é uma proposta que faz sentido para os princípios em que eu acredito, como a questão da sustentabilidade, da ética, da Justiça social. São três pilares em que eu acredito. Então, para mim, é trabalhar em função de uma utopia de um País, de uma sociedade, é caminhar nesta direção. E, com a Marina, há uma identidade muito forte entre nós duas.

A Rede não adota uma postura ingênua em relação à política brasileira? O grupo já é chamado de “sonhático”…

Eu acho que tem uma dose de utopia mesmo, porque, se não tiver, você não muda, faz sempre a mesma coisa. Mas eu acho que, embora tenha uma dose de utopia, é uma utopia que tem muita gente, muitas pessoas que estão falando: ‘É isso mesmo, vai por aí’. Eu acho que existe uma grande sustentação na sociedade, diferente da política (tradicional). Também é o seguinte: estamos arriscando. Estamos arriscando pensamento, uma série de coisas. Estamos apostando. Pode ser inviável fazer de outra forma. Mas, para mim, uma das grandes contribuições, será mostrar que é possível fazer de uma outra forma. Será uma grande referência, independentemente de ganhar ou perder a eleição.É possível fazer uma diferença e que é possível batalhar por isso.

Há espaço no País para esse tipo de alternativa?

Vamos ver. Claro que é um risco. É um risco. Não tem modelo. Mas, se fosse para ter um modelo e não ter um risco, não precisava nem de um partido, entrava num outro partido já existente. Eu acho que a contribuição é isso, sair todo mundo da zona de desconforto, porque eu acho que já está até acontecendo nos outros partidos. E trazer para o debate uma outra perspectiva.

Ler post
quinta-feira 21/02/13

Marketing no evento do PT

Com Thais Arbex Petistas reclamaram ontem da organização do evento organizado em São Paulo em comemoração aos dez anos do partido no governo federal. A estrutura foi toda construída para o marqueteiro João Santana captar imagens para o programa nacional do partido, que vai ao ar em abril. A produção incluía refletores gigantes, telões e das mais de 60 TVs com propaganda do PT espalhadas pelo local. Passou pela supervisão do marqueteiro até o número de pessoas dentro do auditório, num hotel ...

Ler post
quarta-feira 20/02/13

Em dia de festa do PT, Campos faz giro por Pernambuco

O governador de Pernambuco, Eduardo Campos, potencial candidato do PSB à Presidência da República em 2014, cumpre agenda pelo interior de seu Estado, no dia em que o PT faz evento em São Paulo para comemorar os 10 anos no governo federal. Campos foi convidado para o encontro, assim como outros integrantes da base governista. O presidente do seu partido, Roberto Amaral, por exemplo, deve comparecer. Campos está hoje no agreste pernambucano, em Timbaúba, para cerimônia de entrega de casas populares. ...

Ler post
quarta-feira 20/02/13

Alckmin reabre representação paulista em Brasília

Com Bruno Boghossian O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), vai inaugurar em março o escritório de representação do governo paulista em Brasília. O gabinete será coordenado pelo economista Silvano Gianni, que foi secretário-executivo da Casa Civil no governo Fernando Henrique Cardoso e dirigiu o Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro). O escritório paulista na capital federal está fechado desde 2010. Com a reativação do gabinete, Alckmin destaca uma equipe para acompanhar de perto a tramitação de projetos que podem ...

Ler post
terça-feira 19/02/13

Na véspera de evento do PT, tucano chama partido adversário de ‘fraude’

Na véspera do encontro em que o PT comemorará dez anos de poder, o ex-senador Tasso Jereissati (CE), presidente do Instituto Teotonio Vilela (ITV), pediu ao PSDB que intensifique o discurso de oposição e atacou o partido adversário ao dizer que a legenda é uma "fraude". Os tucanos querem fazer um contraponto ao evento petista, que trará uma comparação entre as gestões de Lula e Dilma Rousseff (PT) com as de Fernando Henrique Cardoso (PSDB). Para isso, pretendem criticar a ...

Ler post
segunda-feira 18/02/13

‘Não seremos Viagra da direita’, diz dirigente do PSB

O vice-presidente do PSB, ex-ministro Roberto Amaral (Ciência e Tecnologia), afirma que o seu partido "não servirá de Viagra da direita", numa referência a críticas ao governo Dilma Rousseff que serviriam de mote a uma eventual candidatura do governador Eduardo Campos (PSB-PE) a presidente em 2014. Na semana passada, circulou a informação de que Campos pretende se encontrar com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para afirmar que está decidido a disputar o Palácio do Planalto como adversário de ...

Ler post