Estado.com.br
Sexta-feira, 31 de Outubro de 2014
Variedades
Seções
Arquivos
Tamanho do Texto

Única novidade do ‘BBB 12’ foi anúncio da 13ª edição

Categoria: TV

MARCELA RODRIGUES SILVA

A final do Big Brother Brasil 12, anteontem à noite, foi a pior audiência da história do reality, que registrou apenas 26 pontos no Ibope – em 2002, no BBB1, o último dia de programa alcançou 59 pontos e, no ano passado, 29,4. Ciente do fracasso, a Globo tratou logo de anunciar que as inscrições da 13ª edição começariam ontem pelo site do programa, com vaga para dez participantes – isso se o diretor Boninho não mudar de ideia. Essa cartada foi a única novidade na noite em que o veterinário Fael, de 25 anos, levou R$ 1,5 milhão de prêmio, fruto de 92% dos votos do público a seu favor. A segunda colocada, a garota-propaganda Fabiana, de 36, ficou com R$ 150 mil.

“Tudo o que você podia fazer era fazer o que devia fazer. Você fez o que tinha de ser feito e direito”, disse Pedro Bial a Fael, parafraseando Bob Dylan, antes de lhe dar a grande notícia. Um resultado já esperado por quem acompanhava o reality, ainda mais depois de Boninho optar por um paredão duplo (Jonas saiu uma semana antes, em paredão com Fael) e da rejeição por Fabiana rolar solta internet.
Mas diferente de outras edições, cujos participantes pareciam esquecer as juras de amizade eterna feitas durante o confinamento, Fael, o caubói da vez, foi abraçado por Jonas e João Maurício, que usavam camisetas estampando: “El trio peligroso”(em espanhol, o trio perigoso). “Amo muito tudo isso”, sintetizou o mato-grossense a Bial.

Mais do mesmo, mesmo
Fael enfrentou quatro paredões e foi líder só uma vez. Conseguiu formar par nos últimos dias, com Noemí, do BBB espanhol e, ora de mansinho, ora bravo, conquistou o telespectador. Nada muito diferente dos outros vencedores carismáticos: Kleber Bambam, Jean Willy, Rodrigo Caubói, Alemão, Max, Rafinha, Dourado…

Na falta de novidades, o ‘Mr. Edição’ tentou requentar cenas antigas. Mas o público pouco lembra dos brothers dos últimos dez anos – salvo quem foi campeão e ganhou sobrevida sob os holofotes após o reality, como Grazi Massafera (BBB5) e Maria Melilo (BBB 11), contratadas da Globo, e Sabrina Sato (BBB2), do Pânico, agora na Band. A polêmica do estupro?Daniel, acusado de abusar sexualmente de Monique (o inquérito contra ele foi arquivado), voltou junto com o grupo como se nada tivesse acontecido. Pelo menos, para a Globo.