Estado.com.br
Quarta-feira, 03 de Setembro de 2014
Seu Bolso
Seções
Arquivos
Tamanho do Texto

Poupatempo Luz consulta nome sujo

Categoria: Crédito, Serviços

BERNARDO CARAM
Especial para o Jornal da Tarde

Consumidores com dívidas protestadas têm uma nova opção para se informar e buscar soluções com os credores. Até o dia 30 de julho quem visitar o Posto Poupatempo Luz, no centro da capital, poderá consultar se está com alguma pendência financeira em cartório e receber orientações para limpar o nome.

A campanha itinerante “Protesto como Ferramenta de Recuperação de Crédito” é realizada em parceria com o Instituto de Estudos de Protestos de Títulos do Brasil (IEPTB-SP) com o objetivo de educar e oferecer consultas gratuitas. Somente na segunda-feira, primeiro dia de campanha, foram realizados mais de mil atendimentos. Além de quatro terminais eletrônicos de consulta, uma equipe de profissionais está encarregada de fornecer orientações a pessoas físicas e jurídicas.

O protesto é uma forma de provar juridicamente a inadimplência e dificultar o acesso do devedor a novas compras até que ele pague a dívida. De acordo com o coordenador do curso de Economia do Ibmec, Márcio Salvato, quem tem o nome protestado não pode recorrer a nenhum tipo de crédito, como financiamentos, empréstimos e parcelamentos. Se o devedor tentar fazer uma compra a prazo, por exemplo, a loja fará uma consulta desse CPF nos órgãos de proteção ao crédito. No caso de pendência, não será possível fechar o negócio.

De acordo com o superintendente do IEPTB-SP, José Vilson Rossi, é importante que o consumidor conheça a restrição. “Muita gente só descobre que está com o nome sujo quando vai fazer uma compra e acaba não conseguindo”, diz.

Para o atendimento no Poupatempo, basta levar o número do CPF ou CNPJ. No caso de confirmação da pendência, o consumidor pode pedir uma certidão de protesto, que traz informações detalhadas sobre o credor e o cartório onde o título foi protestado. O documento custa R$8,90 e pode ser solicitado pela internet  www.protesto.com.br).

Com essa confirmação, já é possível buscar soluções. Para limpar o nome é preciso que o consumidor pague a dívida e consiga com o credor uma carta informando que o valor foi quitado. Só assim, o protesto pode ser cancelado no cartório.

Rossi afirma que existe saída para quem não tem condições de fazer o pagamento de imediato. “O cartório não negocia a retirada da dívida, mas há a possibilidade de negociar com o credor”,explica. É possível, por exemplo, fazer um acordo de parcelamento da dívida e já pedir a declaração de pagamento para que o protesto seja cancelado.

Para Salvato, do Ibmec, esse tipo de acerto é positivo tanto para o consumidor, que se livra da dívida, quanto para o credor, que passa a ter a possibilidade de receber o dinheiro.
A falta de informação sobre o protesto pode trazer ainda outro problema. De acordo com o superintendente do IEPTB-SP, muitas pessoas regularizam a dívida com o credor, mas não procuram o cartório para cancelar o protesto.Por isso, na prática, continuam com o nome sujo.

O próximo endereço da campanha itinerante é o Poupatempo Lapa, na zona oeste da cidade, na primeira quinzena de agosto.