Estado.com.br
Quinta-feira, 23 de Outubro de 2014
Seu Bolso
Seções
Arquivos
Tamanho do Texto

Negócio para ter em casa: franquia virtual

Categoria: Empreendedorismo

Marília Almeida

Ter todo o apoio para montar um negócio em casa é uma realidade para quem opta pelo modelo de franquia virtual. Sem a necessidade de um ponto comercial, saem de cena os gastos com aluguel e funcionários: basta ter internet e uma linha telefônica para começar a operar. A característica principal dessas franquias é justamente usar o mercado online para vender seus produtos ou serviços.

Segundo a Associação Brasileira de Franchising (ABF), já são 182 franquias no País trabalhando nesse formato. Elas devem crescer 25% este ano, acima dos 15% da média do mercado, estima a ABF. O investimento inicial varia de R$ 10 mil a R$ 89 mil, o que coloca muitas delas dentro do conceito de microfranquia. Já o rendimento mensal pode variar de R$ 5 a R$ 20 mil.

A ABF conta atualmente com seis franqueadores que oferecem o modelo de negócio ligado à internet (Master Franqueados, 2Call, Guia-se, Zets, MagoWeb e Seuevento.net). A agência de viagem Clube de Turismo também trabalha com o modelo virtual. A eles cabe treinar e capacitar os franqueados, desenvolver e dar suporte para o negócio.

Os franqueados vendem e prestam consultoria sobre produtos e serviços oferecidos pela franquia: começam comercializando anúncios na rede e planos de marketing digital para clientes, o que inclui a criação de sites e lojas virtuais. Porém, de acordo com o desenvolvimento do empreendimento, podem atuar como consultores, elaborar planos de negócio e até desenvolver soluções oferecidas a partir de treinamentos dados pela própria matriz.

Na Clube Turismo, o franqueado vende pacotes de viagens e passagens aéreas por meio de um sistema online. Na Zets, cria sua própria loja virtual para vender os produtos da franqueadora.
“O perfil dos franqueados é o de pessoas que têm aptidão na área e são jovens ou empreendedores com poucos recursos para investir”, explica Ricardo Camargo, diretor executivo da ABF.

A Master tem três franqueados na capital desde que começou sua expansão, no segundo semestre do ano passado. Já a Guia-se conta com 12 franqueados na cidade em pouco mais de um ano.

“Negócios na internet permitem acesso de qualquer lugar e acabam impulsionando esse tipo de franquia. Permitimos que o franqueado apenas assuma custos fixos a partir do momento que aumenta sua receita”, explica Marcos Paulo, franqueador da Master.

Geralmente as franquias oferecem as opções de trabalho doméstico ou ponto comercial. O primeiro modelo é, em geral, inicial. No momento que aumenta sua receita, o franqueado acaba optando por montar um escritório. Mas, caso deseje, pode continuar no modelo doméstico.

Além de permitir economizar com custos fixos, o modelo exige capital de giro menor, acrescenta Marcos Paulo, da Master. A ideia, de acordo com José Rubens Oliva Rodrigues, diretor da Guia-se, é possibilitar que o franqueado tenha o maior lucro possível.

Esse tipo de franquia, no entanto, não deve ser encarado como um trabalho extra. “O negócio pode ter retorno rápido. Mas para isso é preciso dedicação em tempo integral”, diz Camargo, da ABF.

O franqueado da Guia-se, Elier Fernandes, 40 anos, sabe disso. Ele vende anúncios e elabora planos de marketing digital para empresas, que podem incluir a criação de sites e campanhas de marketing em redes sociais.

Formado em contabilidade, ele trabalhava em uma grande empresa havia dez anos quando, em julho do ano passado, optou por ter uma franquia da Guia-se em sua casa, no bairro de Perus, na capital. No início, Fernandes continuou no emprego. A ideia dele era fazer a transição de uma forma segura. “Mas logo percebi que não dava para tocar a franquia de forma paralela.”

Quando começou a se dedicar apenas à franquia, driblou a inexperiência em vendas com o apoio da matriz e sentiu a diferença no bolso. “O negócio começou a deslanchar. Hoje pago os R$ 600 de custos fixos mensais tranquilamente e estou perto de ter o retorno do investimento inicial de R$ 10 mil.”

Fernandes sempre teve interesse pela área de tecnologia. Mas sem um conhecimento maior do ramo, optou por ter o apoio de um franqueador. “Como não podia investir muito, optei por ter escritório em casa”, conta.

Essa situação trouxe comodidade, mas exigiu disciplina. “Posso fazer meu horário e trabalho perto da minha família. Lógico que tenho que fechar a porta do escritório para trabalhar. Também não recebo clientes em casa: vou até a empresa ou marco encontros em um café que tem acesso à internet. Aí aproveito e demonstro meu produto.”

Master Franqueados
O franqueado compra uma licença para se tornar um consultor em marketing digital e elaborar planos de negócio para empresas. O planejamento pode incluir a criação de sites, ações em redes sociais e celulares com internet móvel. O interessado deve ter perfil comercial, bom relacionamento com empresas e falar bem inglês ou espanhol
> > Investimento inicial: a partir de R$ 89 mil (taxa de franquia)
> > Royalties: 10% do faturamento mensal
> > Capital de giro: R$ 40 mil
> > Retorno: 18 a 36 meses
> > Taxa de publicidade: variável
> > Faturamento médio: não divulga
www.franquiainternet.com

Clube Turismo
O franqueado tem acesso a sistema de reserva de passagens on line que pode ser acionado de qualquer computador e vende todos os produtos e serviços da agência, além de criar seus próprios pacotes. Deve formar uma carteira clientes – pessoas físicas e empresas – que viagem com frequência, deve ser dinâmico, ter iniciativa e espírito empreendedor
> > Investimento inicial: de
R$ 2.900 até R$ 3.900 (modelo virtual)
> > Royalties: 2,5% sobre o 
faturamento bruto
> > Taxa de manutenção do site: R$ 70 por mês
> > Retorno: 5 meses
Tel: (19) 3709-1167
franquiaclubeturismo.com.br

Guia-se
O franqueado comercializa planos de sites institucionais, lojas virtuais, campanhas em mídias sociais e de links patrocinados, além de vender anúncios para um guia online. Com o tempo, pode também desenvolver ações se investir em treinamento. O interessado deve ter noções de administração, vendas e facilidade para aprender informações técnicas, além de interesse por tecnologia
> > Investimento inicial: R$ 14.900 (taxa de franquia)
> > Capital de giro: entre R$ 5 e R$ 10 mil
> > Retorno: 12 meses
> > Faturamento mensal: R$ 5 mil
> > Fundo de propaganda: R$ 200
> > Royalties: a partir de R$ 300
www.guiase.com.br

Magoweb
Empresa do Rio Grande do Sul em expansão, já tem franquias em 13 Estados, inclusive São Paulo. O franqueado atua como consultor de marketing digital e oferece a elaboração de sites institucionais, lojas virtuais e manutenção de blogs e sites para empresas, além de campanhas de links patrocinados e publicidade nas redes sociais. Tem entre seus clientes empresas de diversos segmentos, como saúde, alimentação, indústrias, hotéis
> > Faturamento médio: R$ 30 mil
> > Capital de giro: R$ 7,5 mil a R$ 10 mil
> > Taxa de franquia: a partirde R$ 35 mil
Tel: (51) 3711-7495
contato@magoweb.com.br
www.magoweb.com.br