Estado.com.br
Quarta-feira, 17 de Setembro de 2014
Seu Bolso
Seções
Arquivos
Tamanho do Texto

Mutirão quer limpar 2,5 milhões de nomes na capital

Categoria: Agenda, Análise, comércio, Crédito

LUCIELE VELLUTO
 luciele.velluto at grupoestado.com.br

Os 2,5 milhões de consumidores paulistanos que estão com alguma pendência com instituições financeiras e crediário de grandes redes de varejo e com o nome negativado na Serasa Experian terão a oportunidade de renegociar as suas dívidas na próxima semana, do dia 25 ao 28, no primeiro mutirão Feirão Limpa Nome.
A expectativa para os quatro dias do evento, que ocorrerá no Expo Barra Funda, é que 10 mil pessoas passem por dia em um dos guichês para tratar das contas em atraso e conseguir retirar o nome da lista de inadimplentes.

As empresas participantes do evento da Serasa Experian são Banco Santander, Santander Financeira, Caixa Econômica, Casas Bahia, Banco Panamericano, Banco HSBC, Losango Financeira e AES Eletropaulo.
“Os consumidores que estão com dívida em atraso terão condições diferenciadas, mais vantajosas no feirão do que procurar a empresa diretamente para renegociar”, afirma a superintendente de serviços ao consumidor da Serasa Experian, Maria Zanforlin.

O professor do MBA de Gestão de Risco Claudio Gonçalves, da Trevisan Escola de Negócios, explica que nos mutirões de renegociação é possível obter descontos de até 80% sobre os juros e correções no caso de dívidas em atraso. “Esse porcentual alto pode ser negociado principalmente para dívida com juros mais altos, como o de cartão de crédito”, diz ele.

A recomendação dos especialistas é que o consumidor, antes de ir ao feirão, faça uma análise sobre sua condição financeira, por que entrou nessa dívida e se vai conseguir honrar o valor negociado. “Se não conseguir pagar, não vai haver uma nova chance e o caso pode até virar processo na Justiça para a empresa reaver o crédito”, alerta Gonçalves.

De acordo com o professor de finanças Ricardo Torres, da Brazilian Business School (BBS), mesmo que o consumidor não tenha muito para pagar ou que o disponível seja um valor baixo, vale a pena ir ao local, ver a proposta que a empresa tem a oferecer e fazer uma contraproposta até que ela caiba no orçamento pessoal e da família. “A intenção de pagamento já vale muito nesses casos. O importante é tentar um acordo”, comenta. A dica do especialista é que o consumidor tenha uma postura direta, objetiva e honesta na hora de conversar sobre a pendência com o credor.

A superintendente de serviços da Serasa Experian explica que, apesar de o evento ser dedicado a quem está negativado, nada impede que consumidores que ainda não estejam com nome sujo ou que temam entrar no vermelho e deixar de pagar a dívida busquem as empresas no local para uma renegociação.
Torres também recomenda calma na hora de fechar o acordo para um novo pagamento da dívida. “Não se sinta pressionado. Analise muito bem se poderá honrar, dê uma volta, consulte alguém de confiança, mas tenha certeza do que está fazendo”, diz.

Estrutura
Além do atendimento aos inadimplentes, o evento também contará com palestras educativas que ajudarão o consumidor a administrar melhor seu orçamento e a não ter novamente o nome sujo.
“O consumidor também precisa aprender com os erros, para poder comprar de novo e não ficar na situação de inadimplente”, afirma o professor da BBS.

Outra empresa de análise de crédito que realiza mutirões de renegociação de dívidas é a Boa Vista Serviços, que cuida do Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC). O próximo evento, chamado Acertando as Contas, está programado para o outubro.