Estado.com.br
Quarta-feira, 20 de Agosto de 2014
Seu Bolso
Seções
Arquivos
Tamanho do Texto

Mutirão para limpar o nome

Categoria: Crédito

A Associação Comercial de São Paulo (ACSP) e a Boa Vista Serviços iniciam nesta segunda-feira, 21, a campanha Acertando suas Contas, cujo objetivo é ajudar o inadimplente a sair da lista do Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC) mantido pela ACSP. Até o próximo domingo, 27 de novembro, estandes das empresas credoras serão montados no Vale do Anhangabaú, no centro da capital, onde o consumidor terá a oportunidade de regularizar sua situação financeira. A previsão é que entre 15 e 20 companhias participem.

As condições de renegociação para o consumidor serão favoráveis. Segundo o diretor de inovação e sustentabilidade da Boa Vista Serviços, Fernando Cosenza, os casos de descontos mais comuns chegam a 70% do valor da multa e dos juros cobrados por falta de pagamento. Mas como cada empresa tem sua política de negociação, o abatimento pode ser maior.

A expectativa é que mais de 15 mil pessoas passem pelos estandes. Em 2010, a campanha reuniu 22 mil consumidores, sendo que oito mil negociaram pendências.

Entre as companhias participantes do evento no Vale do Anhangabaú estão Vivo, Telefônica, Banco do Brasil, Eletropaulo, Casas Bahia e a financeira Recovery. “O objetivo é promover a renegociação em um ambiente de acordo e não de cobrança. Tanto o consumidor quanto a empresa têm interesse na solução do conflito”, explica Cosenza.

No local, o consumidor poderá consultar se tem registro no SCPC. É preciso apresentar RG e CPF. Recomenda-se levar um comprovante de residência para fazer a renegociação. Caso exista pendência com alguma das companhias participantes, a negociação poderá ser feita na hora. O devedor também poderá ser encaminhado a uma loja ou agência da empresa que não estiver no local. Além da Boa Vista Serviços e da ACSP, a ação é feita em parceria com as secretarias municipais do Microempreendedor Individual e do Trabalho.

A campanha também tem o objetivo de promover a educação financeira. “De nada adianta fazer campanha, o consumidor renegociar a dívida e não mudar a atitude que o levou à inadimplência”, diz Cosenza. Está prevista a distribuição de mais de 20 mil cartilhas sobre orçamento doméstico e apresentações de teatro para conscientização do público sobre a mudança de comportamento.

Para quem pretende limpar o nome, o professor de finanças da Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado (Fecap), Marcelo Cambria, ressalta a importância do planejamento para saber a real capacidade de pagamento e não se enrolar de novo.

Outro alerta é para os gastos de Natal. “As compras não devem ser prioridade, mas sim, a regularização”, diz.