Estado.com.br
Sábado, 01 de Novembro de 2014
Seu Bolso
Seções
Arquivos
Tamanho do Texto

Lojas fazem promoção de material de construção

Categoria: Consumo

Ligia Tuon

As lojas de materiais de construção da capital paulista estão oferecendo descontos de 70% para alguns itens. E, dependendo do estabelecimento escolhido pelo consumidor, é possível financiar as compras em até 24 vezes. Para especialistas do setor, tais ofertas aproveitam a prática bem brasileira da “reforma de final de ano”.

“É uma tendência nacional preparar a casa para o final do ano. Além disso, é uma época em que as pessoas costumam tirar férias e receber o décimo terceiro”, explica Arnaldo Laghetto, que faz parte da área de pesquisas da Associação Nacional dos Lojistas de Material de Construção (Anamaco). “Como há essa tendência, os próprios fabricantes oferecem vantagem para os revendedores, que procuram fazer ofertas”, diz Laghetto.

A Dicico, por exemplo, oferece até o dia 29 de setembro 70% de desconto em alguns pisos e revestimentos, até 50% nos produtos da linha de iluminação e 30% nas tintas. Na promoção “Liquida C&C”, o consumidor também poderá encontrar itens 70% mais baratos até dia 30 de setembro. Já a Telha Norte tem uma campanha promocional que termina em 7 de outubro. Além dos descontos, o foco será nas facilidades: parcelas em dez vezes para os clientes normais e até 24 vezes no cartão próprio da loja.

A Leroy Merlin “queima” seu estoque da seção de decoração e ainda oferece preços especiais para outros tipos de produtos. “Normalmente os itens têm redução em todas as unidades, para que fiquem de 10% a 15% abaixo do preço de mercado”, explica o diretor da Leroy Merlim de Interlagos, Carlos Leoncio. O festival dura até 4 de outubro. Leoncio destaca ainda que as promoções focadas em material de construção se concentram em novembro. “Neste mês, a demanda para esse tipo de produto costuma aumentar bastante”, revela o executivo.

Com a procura em alta, o consumidor deve sempre esperar contratempos. “Nessa época, o atraso na entrega é comum, principalmente nos grandes home centers, por causa da quantidade de pessoas que pretendem reformar em dezembro e janeiro”, explica o engenheiro civil Guilherme Neves.

“Por outro lado, setembro e outubro são bons meses para comprar material de construção, porque os preços estão excelentes”, conta Neves. “Uma saída para escapar do atraso é procurar um depósito de bairro, que cobra mais caro, porém não costuma ter problemas de estoque”, aconselha.

Quem se sentir lesado com a demora ou falta na entrega pode cancelar a compra sem ônus, de acordo com o advogado especializado em defesa do consumidor e consultor do JT, Josué Rios. “Se o atraso causar transtornos, a pessoa pode até pedir indenização por danos morais em um Juizado Especial Cível”, afirma.