Estado.com.br
Segunda-feira, 01 de Setembro de 2014
Segurança
Seções
Arquivos
Tamanho do Texto

Sequestro termina com um preso

Categoria: Polícia

Um sequestro relâmpago terminou com um homem, de 23 anos, preso pela Guarda Civil Municipal (GCM) de
São Caetano do Sul, no ABC paulista, na noite de domingo, 20. Com ele foi encontrada uma réplica de pistola feita de plástico.

As vítimas, duas mulheres, uma de 67 anos e outra de 64, foram abordadas quando ocupavam um Voyage ano 2010, de cor prata, perto do Terminal Ferroviário, no centro da cidade. Elas esperavam a filha de uma delas voltar de uma festa. O bandido rendeu as duas e assumiu o volante do carro, procurando um caixa eletrônico para sacar dinheiro das reféns.

Uma pessoa achou suspeito o homem maltrapilho no veículo novo e acionou a GCM. O guarda Robson Andrei contou que
encontrou o criminoso próximo à Rua Manoel Coelho, também na região do centro. “Quando ele nos viu, tentou fugir.
Alcançamos o suspeito e realizamos a abordamos. Não houve resistência, já que a arma dele era uma réplica”, disse Robson. As vítimas não estavam mais no carro, pois haviam sido deixadas pelo bandido perto do Parque Shopping São Caetano.

Com o detido foram encontrados cartões bancários das mulheres. O caso foi registrado no 1º Distrito Policial de São Caetano do Sul, onde verificou-se que o preso possui passagem por porte de drogas.

Pedro Rocha

Sequestro relâmpago termina com um preso

Categoria: Polícia

Um sequestro relâmpago terminou com um homem, de 23 anos, preso pela Guarda Civil Municipal (GCM) de São Caetano do Sul, no ABC paulista, na noite de domingo (20). Com ele foi encontrada uma réplica de pistola feita de plástico.

As vítimas, duas mulheres, uma de 67 anos e outra de 64, foram abordadas quando ocupavam um Voyage ano 2010, de cor prata, perto do Terminal Ferroviário, no centro da cidade. Elas esperavam a filha de uma delas voltar de uma festa. O bandido rendeu as duas e assumiu o volante do carro, procurando um caixa eletrônico para sacar dinheiro das reféns.

Uma pessoa achou suspeito o homem maltrapilho no veículo novo e acionou a GCM. O guarda Robson Andrei contou
que encontrou o criminoso próximo à Rua Manoel Coelho, também na região do centro. “Quando ele nos viu, tentou fugir. Alcançamos o suspeito e realizamos a abordamos. Não houve resistência, já que a arma dele era uma réplica”, disse Robson. As vítimas não estavam mais no carro, pois haviam sido deixadas pelo bandido perto do Parque Shopping São Caetano.

Com o detido foram encontrados cartões bancários das mulheres. O caso foi registrado no 1º Distrito Policial de São Caetano do Sul, onde verificou-se que o preso possui passagem por porte de drogas. (Pedro Rocha)

Tiro em professora pode ter sido acidental

Categoria: Polícia

Por Elvis Pereira

A polícia investiga se o tiro disparado pelo aluno Davi Mota Nogueira contra a professora Rosileide Queiros de Oliveira pode “ter sido uma brincadeira que não deu certo”. A hipótese surgiu ontem com o depoimento da diretora da Escola Municipal Alcina Dantas Feijão, em São Caetano do Sul, região do ABC, onde ocorreu a tragédia.

A diretora da escola, Márcia Gallo, e a orientadora da unidade, Zeni Giraldi Mestre, depuseram por cerca de duas horas na 3.ª delegacia do município. Ambas relataram que Davi, de 10 anos, era bom aluno, com bom comportamento e não apresentava problemas de relacionamento com os colegas de classe.

O único diferencial, segundo a delegada Lucy Mastellini Fernandes, foi a informação sobre o relato de um colega de classe do garoto. Na tarde de quinta-feira, após David atirar na professora na sala de aula e depois se matar com um tiro na cabeça, a testemunha teria ido para casa.

Pouco depois, o colega de classe disse aos pais dele que precisava voltar à instituição. “O menino pediu para retornar para a escola, conversou com a psicóloga e afirmou que, em tese, (o disparo) seria uma brincadeira que não deu certo”, disse a delegada.

“Em seguida, com medo das consequências, ele teria dado cabo da própria vida. É uma informação que a gente toma, mas é preciso checar primeiro. Vamos confirmar com a psicóloga esse relato, saber de quem e o que ouviu exatamente”, acrescentou Lucy.

A psicóloga, cujo nome foi mantido em sigilo, deverá ser ouvida pela polícia amanhã à tarde, na própria escola. Ela faz parte da equipe de seis psicólogos mantidos na unidade para atender os alunos.

Na mesma ocasião, a delegada também conversará com quatro meninos e uma menina da mesma sala de Davi, o 4.º ano C do ensino fundamental. Entre eles está o estudante que teria revelado a “brincadeira”.

Para os dois dias seguintes estão agendados mais dois depoimentos. Na quinta, às 10 horas, será a vez de Rosileide, de 38 anos, no Hospital das Clínicas, onde está internada. E, na sexta, o pai de Davi, o guarda-civil Milton Evangelista Nogueira, de 42 anos.

Com todos esses relatos, a polícia espera descobrir o que levou Davi a atirar na professora com o revólver calibre 38 do pai dele e depois se matar. “O que a gente tem até agora é que aparentemente o menino não tinha motivo nenhum para fazer o que fez”, ressaltou a delegada.

As aulas na Alcina Dantas Feijão serão retomadas amanhã. Os funcionários da unidade estão recebendo atendimento psicológico. O serviço foi oferecido ainda a pais e alunos e pode ser agendado para as próximas duas semanas. A sala onde houve o disparo permanecerá trancada.

Polícia vai ouvir diretora de escola de São Caetano

Categoria: Polícia

A polícia deve ouvir na tarde desta segunda-feira (26) os depoimentos da diretora e da orientadora da Escola Municipal Professora Alcina Dantas Feijão, em São Caetano do Sul, no ABC Paulista.

Segundo a delegada Lucy Mastellini Fernandes, titular do 3.º DP de São Caetano, a partir dos depoimentos da diretora Márcia Gallo e da orientadora da escola será possível montar o cronograma para recolher os depoimentos dos alunos a respeito da tragédia ocorrida na semana passada.

Na tarde da última quinta-feira (22) D., de 10 anos, atirou na professora Rosileide Queirós de Oliveira, de 38 anos, dentro da sala de aula e depois se suicidou, com dois tiros na cabeça. Os motivos que levaram ao crime ainda são investigados. Solange Spigliatti

Quadrilha de falsificação de ecstasy é presa

Categoria: Polícia

Uma quadrilha especializada na falsificação de ecstasy foi presa na última sexta-feira, 1, em São Caetano do sul, no Grande ABC paulista, pela Polícia Federal. Além disso, uma falsa carteira funcional de policial civil foi encontrada com um dos traficantes.

Três homens e uma mulher foram flagrados no interior de um escritório de contabilidade, onde foram apreendidos materiais e utensílios utilizados para a fabricação da mistura de substâncias, que depois seria prensada na forma de comprimidos e vendidos como ecstasy.

Por meio da mistura de produtos químicos, tais como cafeína, bicarbonato de sódio, ácido bórico e corantes, os traficantes tentavam imitar os princípios ativos da droga, cujo composto químico é o MDMA (metilenodioximetanfetamina).

Foram apreendidas também dezenas de cédulas de identidades falsas. Há suspeita de que os presos utilizavam as referidas identidades falsas para golpes de financiamento e abertura de contas bancárias, já que foram encontrados diversos cheques e cartões de créditos.

Solange Spigliatti