Estado.com.br
Quinta-feira, 23 de Outubro de 2014
Segurança
Seções
Arquivos
Tamanho do Texto

Corretor é morto ao lado da filha

Categoria: Polícia

FABIANO NUNES

O corretor de imóveis Alex Sandro Donizete Caiera da Costa, de 37 anos, foi morto a tiros na frente da sua filha, de 3 anos, após reagir a um assalto. O crime aconteceu em frente à casa da vítima, na Rua Boacica, em Cidade Patriarca, na zona leste da capital. Os criminosos fugiram sem levar nada. Este foi o segundo caso de latrocínio (roubo seguido de morte), em quatro horas na capital. Um montador, de 27 anos, também foi morto após reagir a um assalto, no Jardim Miriam, na zona sul.

O número de latrocínios ocorridos na capital paulista em 2011 subiu para 87, um aumento de 14,47% em relação ao ano anterior, que registrou 76 ocorrências.

No caso do corretor, a polícia pesquisa imagens de câmera da região para tentar identificar os ladrões, que fugiram em uma moto.

Alex chegou em sua casa por volta das 21h15 de anteontem, acompanhado da filha, em um veículo Prisma 2007. O carro ficou na calçada, de frente para a garagem, e ele subiu as escadas para pegar produtos de limpeza. De acordo com informações da sua mulher à polícia, a dona de casa Silmara Fabiana Caiera da Costa, de 33 anos, ele disse que sua filha havia sujado o tapete do carro ao pisar em fezes de cachorro.

Quando voltou ao carro, foi abordado por dois homens. Sua filha ainda estava na porta de casa. O corretor de imóveis, que já trabalhou como segurança, passou a lutar com um dos ladrões. “Sua filha começou a gritar: ‘o papai está brigando’. Ela viu tudo”, lamentou o metalúrgico Clodimar Batista Feijão, de 56 anos, sogro de Alex. “Não dá para entender por que ele reagiu. Pode ter sido para proteger a filha, porque ele era muito tranquilo”, disse.

Ao reagir, Alex Sandro foi baleado na barriga. De acordo com testemunhas, o ladrão então montou na garupa da moto, foi até a esquina, voltou e efetuou mais dois disparos, que atingiram o corretor na boca e no peito. Ele foi socorrido pela PM e levado até o Hospital da Vila Nhocuné, mas morreu durante o resgate.

A polícia tentou pegar imagens de quatro câmeras de segurança de residências vizinhas. “Mas todas estavam desligadas”, disse a delegada Maria Raquel Coreggio, titular do 21º DP (Vila Matilde), onde o caso será investigado.

De acordo com a família de Alex, seu carro já havia sido furtado em frente de casa no ano passado. Os ladrões, que levaram estepe e cadeirinha, foram presos. O sogro não descarta a hipótese do crime ter sido uma vingança. A família já teve três veículos furtados nos últimos quatro anos no bairro.

Já o montador Maiko de Paula Queiroz, de 27 anos, foi morto após reagir a um assalto na Rua Miguel Maurício Ramalho, no Jardim Miriam, na zona sul. Segundo testemunhas, ele foi abordado por três homens armados, que queriam sua moto Yamaha. Maiko não a entregou e foi baleado na cabeça. Ele morreu a caminho do Hospital Geral de Pedreira. Os criminosos fugiram sem levar nada.

Vítima é baleada em assalto na zona leste

Categoria: Polícia

Um rapaz foi baleado, no final da noite de terça-feira (10) após o pai tentar desarmar um dos dois bandidos que mantinham as duas vítimas reféns durante assalto à residência 372 da rua Paraisópolis, em Cidade Patriarca, zona leste de São Paulo. Quatro bandidos renderam o filho do proprietário da casa quando ele guardava o carro na garagem.

Dois dos criminosos entraram no imóvel e a arma de um deles disparou quando o pai do rapaz reagiu. O tiro entrou pelas costas e saiu pela barriga da vítima, atingindo também um dos assaltantes. O quarteto fugiu. A vítima foi encaminhada ao pronto-socorro do Tatuapé, onde continua internada. O caso será registrado no 10º Distrito Policial, da Penha.