Estado.com.br
Segunda-feira, 24 de Novembro de 2014
Segurança
Seções
Arquivos
Tamanho do Texto

Bando faz arrastão em restaurante

Categoria: Sem categoria

GIO MENDES

Cinco assaltantes fizeram um arrastão no restaurante Jucalemão, na Rua Ministro José Gallotti, no Brooklin, zona sul de São Paulo, na noite de anteontem. Pelo menos dez famílias que jantavam no local tiveram que entregar seus pertences para os criminosos, que também roubaram dinheiro do caixa da casa especializada em culinária alemã. Dois clientes foram agredidos com socos no peito para que não olhassem para os rostos dos ladrões. O bando fugiu e até a noite de ontem não havia sido localizado.

A quadrilha invadiu o restaurante por volta das 21h30. Segundo as vítimas, três dos cinco bandidos estavam armados. Um dos ladrões anunciou o assalto e disse que as vítimas tinham que colocar todos seus objetos de valor dentro das sacolas nas mãos dos assaltantes desarmados. Os clientes entregaram carteiras, bolsas, celulares e relógios. De acordo com as vítimas, os assaltantes aparentavam ter 20 anos de idade.

“Em cinco minutos, eles já tinham passado em todas as mesas recolhendo os pertences dos clientes”, disse uma vendedora de 37 anos, que estava no local com o marido, o filho e os sogros. Segundo a vendedora, apenas um dos criminosos era agressivo com os clientes. “Ele fazia ameaças de morte, apontando a arma para as pessoas, e bateu em dois pais de família que olharam para sua cara”, afirmou a vendedora. A vítima e um dos donos do restaurante disseram que havia dez famílias no restaurante na hora do crime.

Os criminosos deixaram o restaurante e fugiram em um Vectra preto. As placas do carro não foram anotadas pelas vítimas. Pelo menos nove pessoas prestaram queixa do roubo no 96º Distrito Policial (Brooklin), na madrugada de ontem. “Só foi quem teve os documentos roubados. Gente que só perdeu o relógio ou o celular não quis aparecer na delegacia”, disse a vendedora. As vítimas foram orientadas a comparecer no Centro de Inteligência Policial (CIP), da 2ª Delegacia Seccional, para fazerem o reconhecimento fotográfico de suspeitos de envolvimento no arrastão.

Prejuízo

De acordo com a Polícia Civil, nenhum representante do Jucalemão compareceu na delegacia para informar se os criminosos roubaram dinheiro do restaurante. O Jornal da Tarde conversou ontem à tarde, por telefone, com Valmir Mondini, de 51 anos, um dos sócios-proprietários do restaurante. Ele disse que os assaltantes roubaram R$ 300 do caixa do estabelecimento. “O prejuízo não foi maior porque hoje muitos clientes fazem o pagamento com cartões”, disse Mondini.

Questionado sobre o fato de não ter prestado queixa do roubo, Mondini voltou a dizer que o prejuízo era pequeno para que ele perdesse tempo na delegacia. “Não vale a pena ficar numa delegacia várias horas. Como ninguém foi preso em flagrante, a polícia tinha que dar um jeito de registrar a ocorrência no local”, afirmou o sócio-proprietário do restaurante. A Secretaria de Estado da Segurança Pública informou que o B.O. de roubo foi registrado e que é comum algumas vítimas optarem em não ir até a delegacia.

A Polícia Civil relacionou 55 itens roubados das nove vítimas que apareceram na delegacia ontem de madrugada. Entre os objetos relacionados estavam documentos, cartões bancários e talões de cheques.

Dois são presos suspeitos de assaltar joalheria

Categoria: Geral, Polícia

Dois homens, suspeitos de terem assaltado neste sábado, 28, uma joalheria em um shopping da Zona Leste, foram presos pela polícia. Um helicóptero Águia ajudou na operação.
Como havia a suspeita de uma bomba dentro do shopping, uma equipe do Gate Grupo de Ações Táticas Especiais) foi enviada até o local.
A tentativa de roubo aconteceu no Shopping Itaquera no começo da tarde. Em uma troca de tiros, um policial militar aposentado morreu e um bandido ficou ferido. Ainda não há informações sobre o que foi levado da loja.
(Luciana Fadon Vicente/18h51)

Dois são presos suspeitos de assaltar joalheria

Dois homens, suspeitos de terem assaltado neste sábado, 28, uma joalheria em um shopping da Zona Leste, foram presos pela polícia. Um helicóptero Águia ajudou na operação.
Como havia a suspeita de uma bomba dentro do shopping, uma equipe do Gate Grupo de Ações Táticas Especiais) foi enviada até o local.
A tentativa de roubo aconteceu no Shopping Itaquera no começo da tarde. Em uma troca de tiros, um policial militar aposentado morreu e um bandido ficou ferido. Ainda não há informações sobre o que foi levado da loja.

(Luciana Fadon Vicente/18h51)

Policial aposentado morre durante roubo

Categoria: Sem categoria

Um policial militar aposentado morreu neste sábado, 28, após uma tentativa de roubo a uma joalheria em um shopping na Zona Leste de São Paulo.

Segundo a PM, o crime aconteceu no começo da tarde quando bandidos tentaram assaltar a Casa das Alianças no Shopping Itaquera. Houve troca de tiros. Além do policial aposentado, um bandido foi atingido.

A PM não soube informar quantas pessoas participaram da ação e ou se algo foi levado da loja.

Luciana Fadon Vicente

Homem é atropelado por bandidos

Categoria: Polícia

Um homem foi atropelado na Avenida Waldemar Carlos Pereira, na Vila Dalila, na zona leste de São Paulo. Segundo o Corpo de Bombeiros, responsável pelos primeiros socorros, assaltantes que fugiam de um mercado, no mesmo bairro, foram responsáveis pelo atropelamento.

A vítima foi encaminhada ao pronto-socorro de Itaquera. Os bombeiros não informaram seu estado de saúde. A Polícia Militar não confirmou a versão de que o atropelamento foi causado por assaltantes em fuga.

Central de Notícias

Aluno morre em assalto na USP

Categoria: Polícia

O estudante de 4º ano de Ciências Atuariais Felipe Ramos de Paiva, de 24 anos, foi assassinado na noite de ontem no estacionamento da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) da Universidade de São Paulo (USP), na Cidade Universitária. Ele foi baleado na cabeça por volta das 21h30, depois de assistir a uma aula de Contabilidade no câmpus do Butantã, na zona oeste de São Paulo.

Segundo amigos do estudante, um guarda universitário ouviu um disparo e correu para o estacionamento da faculdade. Lá, encontrou Paiva já morto perto de seu Passat azul-marinho blindado. Um dos pés do rapaz estava dentro do carro e o resto do corpo, do lado de fora. Ao lado, havia uma chave quebrada, um celular e um óculos.

Testemunhas contaram à polícia que, logo após sair da aula, Felipe foi seguido até o estacionamento.Após abordagem, o estudante entrou em luta corporal com o suposto assaltante. Foi quando o assassino sacou a arma. Felipe ainda tentou entrar no carro blindado para se proteger, mas não deu tempo. Após balear o jovem, o bandido fugiu. O guarda ainda viu um carro grande, como um utilitário, saindo do estacionamento.

Para ele, houve luta corporal, pois a maçaneta do carro do universitário foi quebrada. Há câmeras do local, mas elas não conseguiram flagrar o crime.

Segundo amigos, Felipe morava com a família na região de Pirituba, zona norte, e trabalhava em uma empresa de gestão de fundos e investimentos na Avenida Brigadeiro Faria Lima. Obstinado, sonhava em crescer na vida para poder realizar seu grande sonho: ser piloto de avião. “Ele trabalhava muito, sonhava com isso”, contou a amiga Rebeca Nogueira, de 23 anos, que assistiu à aula de Contabilidade com Felipe. “Não tô acreditando ainda que isso aconteceu.”

Sem saber que Felipe tinha sido o rapaz assassinado, ela chegou a telefonar ontem à noite para a casa dele. A mãe avisou que Felipe ainda não havia chegado. Informados logo depois, pais chegaram ao local às 23h40, visivelmente transtornados. A mãe teve de ser amparada.

A notícia chocou não só estudantes da USP, como internautas em redes sociais. Por volta das 22 horas, o Twitter já trazia centenas de comentários sobre o crime e a falta de segurança na Cidade Universitária. “Cara, eu sempre brincava com esse negócio de toma cuidado no estacionamento da FEA pra não ser sequestrado”, disse um aluno. “Precisa acontecer isso para fazerem algo.”

O 93.º DP, que atende a Cidade Universitária, registrou 4 casos de homicídios e 3 tentativas neste ano – em toda a região, que inclui o Jaguaré. Por outro lado, houve o registro de 285 roubos, 634 furtos e 120 roubos de veículos.

Pedro da Rocha